SSS-Class Suicide Hunter – Capítulo 120

Capítulo 120

Rei.

“Uh…”

A ponta dos meus lábios se ergueu. As pessoas sorriem instintivamente quando encontram algo inesperado.

Olhei à minha volta. Mestre do Dragão Negro, Questionador Herege, Víbora, Cruzada e Condessa. Eu olhei nos olhos deles, um após o outro.

“…”Você está brincando, certo?”

“Claro,” disse a Mestre do Dragão Negro.

Eu queria que ela continuasse e dissesse, “É claro que estou brincando”. Mas as palavras que saíram de seus lábios foram o oposto de minhas expectativas.

“Claro, não podemos fazer uma nova monarquia agora. Rei da Morte, você pode não saber disso, mas dedicamos nosso coração e alma ao sistema atual da Torre… Nós lutamos durante muitos fracassos e contratempos para isso.”

“Cada um de nós está tentando trabalhar os ideais da anarquia à sua maneira. Aha. As ‘guildas’ na Torre são, na verdade, uma espécie de combinação…”

“Já chega. Falar sobre isso não ajudará o Rei da Morte.”

A Cruzada interrompeu o Questionador Herege.

“O rei é um mero símbolo. No entanto, os símbolos têm poder real. Kim Gongja. Você já tem poder real. Cem mil pessoas entraram na Torre em um dia depois de ver seu nome e acreditar em seu personagem.”

“…….”

“Nem mesmo a Mestre do Dragão Negro conseguiu isso antes. Você é o primeiro. Não há precedentes para qualquer Caçador com este tipo de poder!”

Foi só então que percebi que a Cruzada estava mais agitada do que o normal.

A Cruzada estava sempre calma e equilibrada. A única vez que ela levantou a voz foi durante o [Incidente do 12º andar], do qual ninguém se lembrava agora. Ela só agia assim quando todos suspeitavam uns dos outros e tentavam se matar.

Mas a Cruzada estava animada agora.

Não era só ela.

Além do Questionador Herege, todos os grandes líderes de guilda estavam estranhamente acalorados. Eles estavam lutando para manter sua excitação sob controle, mas eu podia ver suas emoções nuas em seus olhares.

“Não teríamos conseguido lidar com esse boom populacional antes. A comida era escassa. Mas do jeito que estamos agora, temos terras e rotas comerciais suficientes… Vai ser difícil, mas podemos atender a demanda por alimentos.”

“Acima de tudo, temos [experiência],” disse a Condessa.

“Não estou me gabando, mas todos os mestres da guilda aqui passaram por turbulências. A Cruzada é uma nômade de uma nação em ruínas. A Mestre do Dragão Negro é uma órfã de um país devastado por uma guerra civil, e o Questionador Herege e a Víbora vivem com a máfia e gangues desde que eram jovens. Eu nasci na aldeia mais pobre do mundo. Todos aqui são ‘especialistas em tempos difíceis’. ”

“Isso mesmo,” afirmou a Mestre do Dragão Negro. “Neste mundo, só nós podemos lidar com esta crise. Nenhum país, nenhuma nação do mundo exterior pode fazer isso. Mas [nós] podemos! Superamos coisas piores do que isso!”

“…….”

Engoli em seco. Eu podia sentir claramente a empolgação dos mestres da guilda.

Eles haviam abandonado o velho mundo e fugido para o novo mundo. E embora tenham alcançado o auge deste novo mundo, os mestres das guildas não desistiram de seu desejo de construir uma nova sociedade.

“Rei da Morte. Nós conseguimos fazer isso.”

Um sonho.

“Vamos fazer o que nenhum país do mundo exterior poderia fazer. Algum lugar um pouco melhor. Vamos fazer um mundo onde as pessoas que foram expulsas pelo mundo exterior possam respirar e viver um pouco!”

Um ideal.

“Nós sabemos bem como é uma sociedade decaída. Então, podemos fazer uma que não caia.”

A Cruzada, que fugiu de um país da América do Sul. (NT: Brasil, né?)

“Nós sabemos o que divide as pessoas e causa guerras. Portanto, podemos evitar guerras civis.”

A Mestre do Dragão Negro, que sobreviveu a conflitos sangrentos no Mar Negro.

“Nós sabemos o que é violência. Então nós podemos fazer uso da violência.”

O Questionador Herege, criado pela máfia na Europa Oriental.

A Víbora, que cresceu nas Tríades na China central.

“Nós sabemos o que significa ser pobre, então podemos superar a pobreza.”

A Condessa, que nasceu em uma cidade pobre na Índia.

“Vamos mostrar a eles, Rei da Morte,” disse a Mestre do Dragão Negro.

“Vamos mostrar às pessoas que podemos criar um mundo um pouco melhor!”

Então percebi.

Fui eu quem mudou os mestres da guilda.

Isso nunca aconteceu no mundo anterior. No mundo onde o Imperador das Chamas era classificado em primeiro lugar … A Torre era apenas uma torre.

Um refúgio para os desesperados.

Um paraíso para criminosos e prisioneiros no corredor da morte.

Eu nunca tinha visto os olhos brilhantes da Mestre do Dragão Negro enquanto ela falava sobre um [novo mundo]. Nem em uma foto de revista. Nem em nenhuma entrevista de vídeo.

O Dragão Negro sempre teve olhos frios.

Mas ela mudou por minha causa.

“…….”

Meu coração disparou.

“Por favor.”

O mundo com que a Mestre sonhou.

“Por favor, me digam o que eu tenho que fazer.”

Eu poderia mudar o mundo.

“…Claro. Sim. Eu pensei que você perguntaria isso.”

A Mestre do Dragão Negro sorriu gentilmente. Seu olhar retratava sua fé em mim.

“Continue agindo do jeito que você está. É a coisa mais importante para mim. Acostumar-se com a política é algo que podemos ensinar passo a passo.”

“Ahaha. Se você olhar de lado, é como se estivéssemos monopolizando o poder real enquanto o Rei da Morte faz o papel de Rei sem poderes!”

“…”Bem, eu não vou negar isso. Mas também quero passar esta posição para outra pessoa assim que puder. Você sabe quantos crimes violentos acontecem a cada dia?”

“Oh, há crimes frequentes sob o nome de religião! Nos últimos dez dias, 21 ataques terroristas foram evitados antes de ocorrerem!”

“Vamos parar de falar sobre isso. Isso só vai nos deixar miseráveis…”

Hum.

O mais importante é continuar sendo eu mesmo.

‘Se é assim.’

Olhei à minha volta.

“Diretor da livraria-nim! Bibliotecário! Onde você está?”

Minha voz ecoou pela enorme biblioteca. Então, uma pequena sombra apareceu por trás de uma estante do tamanho de uma casa. Já fazia um tempo desde que vi a Constelação [Bibliotecário de Esquina].

“Caramba, o que você está fazendo aí? Venha aqui.”

“M-mas… Digo…”

Os lábios do Bibliotecário tremeram.

“Como uma criatura insignificante como eu pode ousar se mostrar diante do estimado Rei da Morte? Seus olhos ficarão sujos. Por favor, me trate como se eu não existisse, como se eu fosse uma partícula de poeira flutuando na biblioteca…”

“Ah, não aja tão loucamente. Venha logo.”

“Uh. Hum. Uhh…”

O bibliotecário flutuou desamparado. Suas mangas compridas esvoaçavam como as orelhas de um cachorro maltês triste.

“Fale por favor…”

“Por favor, pegue um livro para a nossa próxima fase.”

“Qual Apocalipse você quer?”

“Um conto de fadas.”

“…….”

O Bibliotecário fechou a boca com força. Despreocupado, eu disse, “Entre os Apocalipses que nos foram oferecidos, existe apenas um conto de fadas. Por favor, me entregue.”

“…”Hmm. Na verdade, há uma conexão estranha.”

A expressão do Bibliotecário mudou. Seus olhos estavam entreabertos, tremendo de apreciação, como costumavam fazer quando me via.

“Muito bem. Aqui está o Apocalipse de qual você falou.”

Um dos livros flutuando em torno do Bibliotecário voou até ele. Quando o Bibliotecário abriu a capa, informações sobre o Apocalipse apareceram.

+

[Eu e nosso bode expiatório]

Gênero: conto de fadas

Nível de dificuldade: Classe A

Limite de jogador: 2 ou mais

※A serialização está suspensa no momento.

Introdução: A humanidade deste mundo conseguiu criar uma Utopia. Mas uma fonte de energia especial era necessária para manter a Utopia. A fonte de energia necessária eram os gritos de sofrimento de uma criança inocente que não cometeu nenhum crime. Embora fosse uma pena, para a felicidade perfeita de 17 milhões de pessoas, 1 inocente deveria tolerar isso, certo? Graças a técnicas de tortura meticulosamente desenvolvidas e tratamentos que salvam vidas, cerca de cinco anos de gritos eram arrancados de cada criança. Quanta eficiência!

Motivo da descontinuação: 118.000 anos se passaram desde a criação da Utopia. Eventualmente, todas as crianças inocentes foram usadas. A Utopia, que perdeu sua fonte de energia, chegou ao fim.

+

‘Certo.’

Este era o Apocalipse.

Eu tinha mantido isso em mente desde a primeira vez que o vi.

“Pessoal, gostaria de escolher este Apocalipse para nosso próximo estágio.”

“Hein?”

Os mestres da guilda olharam em volta.

A Mestre do Dragão Negro inclinou a cabeça.

“Um conto de fadas? Desculpe, Rei da Morte, mas esse mundo de conto de fadas não nos dará recursos ou mais território. A dificuldade também é classe A… Temos que desafiá-lo?”

“Sim, temos.”

Eu olhei nos olhos da Mestre do Dragão Negro.

“Até agora, escolhemos os Apocalipses com base na utilidade dos mundos para a Torre. Os arquivos de artes marciais em [As Crônicas do Demônio Celestial] fortalecerão o poder de luta da Torre. As trocas com o mundo da ficção científica irão melhorar muito nosso poder científico.”

Os apocalipses que desafiamos até agora foram os seguintes:

+

21º andar: A Grande Biblioteca de Todas as Coisas

22º andar: Crônicas do Demônio Celestial (Gênero: Artes Marciais, Fusão)

23º andar: Saga dos Cavaleiros de Ferro no Espaço (Gênero: Ficção Científica)

24º andar: Cabine de Jornal da Montanha do Amanhecer (Gênero: Mistério, História)

25º andar: O Conto da Academia Sormwyn (Gênero: Romance)

26º andar: Apocalipse da Cidade Festiva (Gênero: Esportes)

27º andar: Epopeia da Rua da Padaria (Gênero: Culinária, Gestão de Negócios)

+

Fiquei no império por meio mês depois de concluir [O Conto da Academia Sormwyn]. Durante esse tempo, os outros Caçadores concluíram os andares 26 e 27. Todos os Caçadores com títulos estavam trabalhando duro para concluírem os estágios.

Agora, faltavam os andares 28, 29 e 30.

‘Mas.’

Eu tinha meus próprios planos. Se as coisas acontecessem como eu queria… Este 28º andar seria basicamente nosso último Apocalipse.

Depois de ruminar esse plano, abri minha boca.

“Não é necessariamente apenas a tecnologia e os recursos que são úteis. Questionador Herege, você disse que a população da Torre está crescendo em quase 100.000 pessoas por dia.”

“Sim.”

“O que precisamos agora é um ponto focal. É unidade.”

O Questionador Herege piscou.

“Eu concordo, mas não é por isso que estamos te apoiando? Você é o ponto focal da Torre. Forneceremos a você uma posição adequada em breve! Podemos dá-lo uma grande posição, como [Líder da Aliança de Guildas] ou [Líder do Conselho]!”

Balancei a cabeça.

Líder da Aliança de Guildas.

Algumas pessoas podem ficar encantadas com o título. Por fora, parecia que eu tinha a maior autoridade na Torre.

“Esses truques não vão funcionar.”

“Oh? Por que você diz que é um truque?”

“Todos aqui, não só eu, precisam angariar o apoio do povo. Não sou realmente quem controla a Torre agora. São todos vocês. Somente quando todos vocês ganharem o apoio do povo, a Torre se unirá.”

“…….”

A biblioteca ficou em silêncio.

Então, o Questionador Herege sorriu.

“Você tem razão. Mas você sabia? Rei da Morte, nós temos o pecado original. Fizemos coisas horríveis para deter o caos na Torre. E continuamos a fazê-las. É uma pena, mas não temos absolutamente nenhuma legitimidade moral!”

“…”O Questionador Herege está certo,” murmurou a Mestre do Dragão Negro. “Fizemos coisas demais para agirmos como símbolos.”

“Está tudo bem se vocês agirem bem de agora em diante. Por favor, comportem-se.”

“…….”

“Somos uma equipe. Não consigo resolver questões religiosas como o Questionador Herege. Eu também não posso lidar com problemas de gangues como a Víbora. Não posso me equipar a você em política, economia ou segurança. Não estou sendo humilde. É a verdade.”

Porém.

“Eu nunca vou trair vocês. Vocês podem confiar em mim.”

Eu estava confiante de que poderia reunir essas pessoas talentosas.

“Se houver um problema entre vocês, eu vou mediar. Se vocês precisarem conversar, criarei um local para conversarem. Confiem em mim. Vamos nos tornar uma equipe.”

“…….”

Os mestres da guilda ficaram em silêncio.

Eu segurei o conto de fadas, [Eu e nosso bode expiatório].

“Como você disse, este Apocalipse não tem um grande recurso dentro dele. Também não existe nenhuma terra fértil. Mas há um [sacrifício inaceitável] aqui. Todos. Não podemos tolerar esse tipo de sacrifício. Vamos mostrar ao mundo que tipo de pessoa somos, visando este mundo.”

Isso mesmo.

Esta era uma declaração de intenções.

Uma declaração que mostraria como administraríamos a Torre.

Não fecharíamos os olhos a alguém que está sendo sacrificado. Nós enfrentaríamos isso. E se as dificuldades não pudessem ser resolvidas, iríamos avançar, de cabeça erguida.

Mostraríamos ao mundo que éramos essas pessoas.

“É assim que podemos ganhar confiança e pedir aos habitantes da Torre que acreditem em nós.”

“Entendo. A confiança na administração.”

“Sim.”

Eu olhei para os mestres da guilda um por um.

“Felizmente, este Apocalipse permite dois ou mais jogadores. Mestre do Dragão Negro. Questionador Herege. Condessa. Víbora. Cruzada.

O grupo de estrelas mais brilhante desta Torre.

Meus colegas.

“Por favor, lutem ao meu lado.”

Todos nós participaríamos deste Apocalipse.


[TN]: “Eu e o nosso bode expiatório” é uma referência ao conto “Aqueles que fogem das Omelas” de Ursula Le Guin. Você não precisa saber a história para ler os próximos capítulos (na verdade, a história tem muito pouca relação com o romance além do setup), mas acho legal o quão culto o autor é.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar