SSS-Class Suicide Hunter – Capítulo 149

Capítulo 149

2.

Agora, vamos falar sobre o prólogo de alguém.

“Mm! Tem sido um tempo verdadeiramente divertido e gratificante.”

Nós estávamos na seção de livros proibidos da Grande Biblioteca. Os outros Caçadores tinham voltado, e somente o Bibliotecário e eu permanecemos.

O Bibliotecário parecia querer dizer adeus para mim separadamente. Abaixo das estantes de livros, onde velhos livros de capa dura estavam alinhados como tijolos, o Bibliotecário parecia incrivelmente pequeno.

“Você sabe, Rei da Morte?”

“Sobre o quê?”

“A coisa chamada felicidade desaparece rapidamente.”

O Bibliotecário sorriu.

“Felicidade é algo que você saboreia no momento. Um momento tão amável que você não consegue se conter. Infelizmente, o tempo é um riacho que flui sem parar. Felicidade voa para longe como uma folha de carvalho, de novo e de novo.”

O Bibliotecário preguiçosamente balançou seu braço esquerdo.

Volumes de Apocalipses voaram para ele e se reuniram em um local.

Entre eles estavam Apocalipses que eu havia superado e Apocalipses que outros Caçadores haviam superado.

+

22° piso: Crônicas do Demônio Celestial (Gênero: Artes Marciais, Fusão)

23° piso: Saga dos Cavaleiros de Aço no Espaço (Gênero: Ficção científica)

24° piso: Jornal de Cabine da Montanha do Amanhecer (Gênero: Mistério, História)

25° piso: O Conto da Academia Sormwyn (Gênero: Romance, Fantasia)

26° piso: Apocalipse da Cidade Festival (Gênero: Esportes)

27° piso: Epopeia da Rua da Padaria (Gênero: Cozinha, Gestão de Negócios)

28° piso: Eu e Nosso Bode Expiatório (Gênero: Conto de fadas)

29° piso: O Conto da Cidade em Ascensão — História Secundária (Gênero: Escola)

+

“Ah, que lindo… O [catálogo da biblioteca] não é ruim. Embora não seja perfeito, é muito melhor que os catálogos completados pelos guerreiros de outros mundos. Não, é incomparavelmente mais admirável. Tão admirável a ponto de fazer eu me sentir arrependido em dá-los ao seu mundo.”

Os olhos do Bibliotecário piscavam como o de uma criancinha.

Todos acham um tesouro pessoal quando são jovens. Uma joia falsa feita de plástico translúcido ou uma bala branca rara de uma pistola no meio de uma quantidade vermelha e preta. Uma boneca que era barata mas tinha dedos bonitos.

Nós sempre precisamos de um tesouro secreto nosso. O Bibliotecário estava admirando seu tesouro pessoal.

“O que os Caçadores de outros mundos fizeram?”

“Eles fizeram uma de duas coisas. Ou eles escolheram um Apocalipse fácil para desafiar ou um Apocalipse que seria benéfico à Torre.”

“Se você quer passar a mão na nossa cabeça, também escolhemos a última opção.”

“Huhu.”

O Bibliotecário cobriu sua boca com a manga de sua camisa.

“Você é humilde demais. Se meramente completar o estágio fosse sua meta, não havia necessidade de você resolver os arrependimentos do Demônio Celestial. Você sabe qual seria a estratégia mais simples?”

“Qual?”

“Esconder-se em alguma caverna reclusa.”

O Bibliotecário deu um tapinha em As Crônicas do Demônio Celestial.

Quando ele fez isso, o cenário ao nosso redor mudou. Whooosh! Luz envolveu a minha visão. Na piscada de um olho, a Biblioteca desapareceu. Repentinamente, nós estávamos flutuando acima de uma montanha nevada onde rajadas de neve giravam ao redor.

—Hey. Do que eu vejo, nós só precisamos esperar até que eles morram.

Caçadores que eu nunca havia visto estavam se escondendo em uma caverna. Vestidos com roupas completamente diferentes das do nosso mundo. Eu percebi que eles devem ter sido Caçadores de um outro planeta.

—Nada muito difícil a respeito disso. Nós só precisamos vigiar os zumbis vagando por aí.

—Ótimo! Vamos todos continuar firmes e fortes e esperar até que acabe!

Olhando com desprezo para eles, o Bibliotecário falou.

“Isso é um registro do passado distante. Esses Caçadores fizeram uma tentativa em [As Crônicas do Demônio Celestial] muito tempo atrás. Eles estavam escalando a Torre de outro mundo. Esses companheiros escolheram se esconder e esperar até que o Demônio Celestial e o Lorde Murim morressem.”

“……”

“Dez dias depois do ponto de começo, o Lorde Murim morre. O Demônio Celestial fica louco. Enquanto louca, ela sem se importar usa seu chi verdadeiro inato e morre. Tada! O estágio está completo!”

O Bibliotecário mexeu os seus dedos de maneira brincalhona.

“Bem, o esconderijo desses companheiros era pobre, então os zumbis os pegaram com a guarda baixa e os massacraram. Mas a estratégia deles por si própria não estava errada. [As Crônicas do Demônio Celestial] teria se completado sozinha se eles apenas esperassem. Eles só tinham que preparar medidas contra o frio, organizar provisões, e ter as habilidades para evitar os zumbis e o Demônio Celestial. A dificuldade classe-B não está correta?”

“……”

“Mas, Rei da Morte, você não fez isso.”

O Bibliotecário olhou para mim.

O campo de neve de muito tempo atrás acima dos ombros da Constelação pareciam um holograma.

“Você sempre tratou os personagens como pessoas. Você se esforçou ao máximo. Você sentiu raiva e você sentiu pena. Você aceitou as histórias dos Apocalipses como a sua própria.”

O Bibliotecário moveu sua mão esquerda, dando um tapa em [As Crônicas do Demônio Celestial] desta vez. Fwoosh! A visão nevada desapareceu elegantemente.

Nós estávamos no porão de Raviel.

Raviel estava de pé em cima de um homem desconhecido, que estava acorrentado e de joelhos.

—Is-isso é fraude! É uma fraude!

O homem estava mergulhado em sangue como se tivesse sido torturado.

—Baseado no guia de estratégia, você ama flores brancas! Por que minha favorabilidade então está crescendo mesmo que eu te traga flores todos os dias, cozinhe seus pratos favoritos, e fale com você de maneira agradável?! Isso é uma fraude! Esse tipo de final não faz sentido!

-Tsk.

Raviel, com uma expressão cansada, clicou sua língua.

—Homem patético. Todos os apóstolos de Constelações são assim?

—A-apaixone-se por mim! Você é só uma cópia barata de uma Constelação! Vá logo e se apaixone por mim!

—[…] As Constelações veem meu mundo como a lata de lixo do universo, por acaso? É por isso que continuam jogando lixo em mim, um por um? Ah, pelo amor de Deus. Cuidar dos assuntos é difícil o suficiente, mas a minha vida continua a ficar mais difícil.

Raviel rapidamente derramou veneno por cima da cabeça do homem. Seu couro cabeludo começou a derreter.

-Kyaaaak! Keeugh! Aaaagh!!

O homem se contorceu com a aplicação do veneno moral. Raviel suspirou profundamente e deixou o porão. Bang. A porta do porão se fechou, silenciando os gritos do homem.

“Isto, também, é uma das coisas que aconteceram no passado.”

O Bibliotecário encolheu os ombros.

“É difícil para humanos tratarem outros humanos como tais. Eu te louvo por fazer tal tarefa difícil. Nós não seremos capazes de nos encontrar novamente, mas… por favor, lembre que eu sempre vou torcer por você.”

“Nós não podemos nos encontrar novamente?”

“Isso! Eu devo agora convidar e receber os guerreiros de outro mundo.”

O Bibliotecário deu uma risada.

“Eu não posso servir você para sempre. Há infinitos mundos e infinitas torres. Há guerreiros incontáveis escalando suas torres, do mesmo jeito que vocês todos! Eu devo receber eles todos por causa do Lorde de Manseng… Ah, eu me desculpo. Eu não posso falar mais.”

O Bibliotecário estendeu sua mão direita.

“Bom trabalho.”

O Bibliotecário sorriu suavemente.

“A Grande Biblioteca de Todas as Coisas vai desaparecer do 21° andar agora. Uma pequena área de descanso vai ser colocada no lugar. Bem, eu vou tomar um cuidado especial e dar a você uma área de descanso paradisíaca.”

“Okay.”

Eu balancei a mão do Bibliotecário.

“Obrigado.”

“Uhuhu; Pensar que viria um dia que eu apertaria as mãos com meu personagem favorito e aceitar um outro personagem favorito como um bibliote…cário?”

Havia uma razão para o Bibliotecário hesitar no final.

Aperto.

O Bibliotecário tentou se libertar do aperto de mãos, mas eu não soltei.

“Rei da Morte?”

O Bibliotecário inclinou sua cabeça para o lado.

“Você está triste que eu estou indo embora? Isso me faz feliz, mas seu mundo já completou os andares de 21 a 30. Ah, o 30° andar também vai ser feito de uma área de descanso. Há um livro chamado [História da Cidade de Recuperação] É equipado com instalações de recreação que são quase divinas, e como parte de meu serviço especial…”

Sem expressão, eu olhei para a Constelação.

“……”

O Bibliotecário ficou quieto.

“Rei da Morte…?”

Para usar a maneira de falar do Bibliotecário…

“Por que você está fazendo isso? V-você está me assustando…”

… Kim Yul e o diretor terminaram seu longo prólogo e entraram na história principal hoje.

“Bibliotecário.”

Mas isso não era tudo.

“Eu tenho algo para te perguntar antes que nós vamos embora.”

“O que é…?”

“Você.”

Desde a vez que eu completei As Crônicas do Demônio Celestial.

“Você não tem um propósito na vida mais, certo?”

Eu estive esperando por esse momento.

3.

『Por que você gosta do Assassino de Constelações?』

『Lefanta Aegim é um homem que mata Constelações. Eu consigo entender por que você o odiaria, mas eu não vejo por que você gostaria dele.』

No dia que As Crônicas do Demônio Celestial foram completadas, nós fomos para uma certa montanha nevada. Um dragão, enegrecido pela morte, estava diante de nossos olhos, e o Bibliotecário e eu tivemos nossa primeira conversa sincera.

『Já que é você perguntando, eu vou te dar uma resposta. Por um longo tempo, eu tive um sonho.』

『Um sonho, você diz?』

『Exatamente.』

Os olhos do Bibliotecário tinham brilhado inocentemente.

『Ele é fazer uma aparição em uma novel que eu gosto!』

O Bibliotecário disse que ‘intervir’ em uma novel era diferente de ‘aparecer’ em uma. Ele confessou quanto ele queria aparecer naturalmente em uma história como um personagem no mesmo nível que os outros.

『Eu me recuso a intervir. Isso significa que só há uma maneira de eu me tornar um personagem em uma história.』

『Eu não posso ir para os personagens de uma novel; eles devem me encontrar.』

O Bibliotecário sussurrou como um garoto com seu primeiro amor.

『Lefanta Aegim. O Assassino de Constelações incansavelmente mata Constelações e se move entre mundos. Um dia, ele vai vir ao meu mundo, a maior livraria de todos os tempos. Me matar.』

Isso era precisamente a razão pela qual o Bibliotecário amava o Assassino de Constelações.

『Eu estou esperando. Pelo dia que o Assassino de Constelações vai visitar a Grande Biblioteca.』

A única maneira para ele se tornar o personagem de uma história.

『Eu estou ansioso para vê-lo de pé diante de mim um dia, seguindo sua própria história e sua própria vontade. Nesse dia, eu vou finalmente aparecer na história de Lefanta Aegim!』

O Bibliotecário havia dito —

『Morrer nas mãos do protagonista não é o melhor dos epílogos?』

Então.

Eu abri minha boca e falei.

“Você não tem uma mais. Uma razão pra viver.”

“……”

O rosto do Bibliotecário congelou.

“…Do que você está falando?”

“Você disse que se tornar o personagem de uma história um dia é seu sonho. Você não queria se forçar para dentro de uma história, mas, em vez disso, aparecer naturalmente, e o Assassino de Constelações era aquele que poderia cumprir esse sonho. Mas…”

Eu sorri.

“Você não está mais esperando para o Assassino de Constelações vir te matar, certo?”

“……”

“Você acha que o Assassino de Constelações que encontrou o Diretor vai fazer isso?”

O Bibliotecário engoliu saliva.

“Não, do que você está… Eu não sei do que você está falando. Rei da Morte, o Assassino de Constelações que encontrou o diretor é apenas resultado de sua Reencarnação dos Cem Fantasmas. O Assassino de Constelações no 50° andar está vivo e bem. Aquela pessoa não vai vir me matar…?”

“Isso é verdade.”

Eu apertei a mão direita do Bibliotecário ainda mais forte.

“Mas aquele Assassino de Constelações não é a rota que você escolheu. Eu te perguntei mais cedo.”

Rota 1.

O Assassino de Constelações do 50° andar que não me encontrou nem perdoou o diretor.

Rota 2.

O Assassino de Constelações que me encontrou e perdoou o diretor.

Eu pedi que ele escolhesse uma das duas rotas e aceitasse como a história do Assassino de Constelações.

“Você escolheu a segunda rota.”

Então, o Bibliotecário aceitou a última como a história verdadeira. A história que o Assassino de Constelações possuía Kim Yul e recebia a desculpa do diretor — tudo aquilo havia sido aceito como parte da vida do Assassino de Constelações.

Em outras palavras.

“Vamos dizer que o Assassino de Constelações do 50° andar te encontre algum dia. Você… Você realmente vai ficar feliz quando esse momento chegar?”

“O Assassino de Constelações que não encontrou o diretor. Você consegue aceitar o homem que não sentiu fúria, tristeza, vingança, e perdão como o Asassino de Constelações de verdade? Você consegue aceitar um final no qual você é morto por esse cara?”

O Bibliotecário provavelmente não tinha pensado até esse ponto, mas ele tinha basicamente destruído seu próprio sonho.

“É impossível que você poderia. Porque você é alguém que venera histórias mais do que tudo. Você nunca gostaria de morrer nas mãos de um [extra] que você não aceita.”

“Só pra você saber, não há razão em negar isso.”

Porque eu poderia ver claramente na frente dos meus olhos quem a Constelação amava.

‘Janela do personagem.’

+

Nome: Bibliotecário de Canto.

Favorabilidade: 99.

Gêneros favoritos: [Fusão], [Romance], [Mistério], [Aventura], [Horror], [História], [Guerra], [Sci-Fi], [Mito], [Conto de Fadas]…

Gêneros não gostados: N/A

Personagens preferidos: [Personagem], [Rei da Morte], [Kim Yul]

Personagens odiados: N/A

Trama favorita: [História]

Trama odiada: [Descontinuação em série]

+

O nome do Assassino de Constelações havia sido mudado para Kim Yul.

A ordem também havia mudado. Meu nome originalmente estava atrás do nome do Assassino, mas, agora, ele estava na frente. Isso significava que o Bibliotecário veio a amar mais minha história conforme a história do Assassino de Constelações terminou.

“……”

Silêncio.

O rosto do Bibliotecário estava branco.

Pareca que ele não podia acreditar.

“Rei da Morte, você, o que você fez… Desde quando você planejou…?”

“Aquele dia. Eu planejei isso desde o dia que eu ouvi seu sonho naquela montanha nevada. É claro, eu não havia trabalhado todos os detalhes naquela época.”

Mas eu já havia desenhado o panorama geral. Um projeto para fazer ele gostar mais de mim do que do Assassino de Constelações. Então eu persegui o Assassino de Constelações persistentemente, talvez até obsessivamente.

Para cançar uma Constelação.

“Hamustra.”

O Bibliotecário se assutou na menção de seu nome verdadeiro.

“Você tem dois caminhos restantes para você.”

“Dois caminhos…?”

“Você pode viver aqui, para sempre incapaz de ver seu sonho se tornar realidade. Você diz adeus para mim. Você descarta a esperança de que o Assassino de Constelações vai garantir seu desejo um dia, convida e recebe os Caçadores que tratam os personagens como lixo, e gasta seus dias recluso na biblioteca como você sempre tem feito.”

“Eugh…”

O Bibliotecário tremeu levemente. Naturalmente incapaz de sair do meu aperto, ele se contorceu. Mas a força física do Bibliotecário era insignificante, e minha mão direita o apertava firmemente.

“Se você não quer isso, me dê.”

“Do que… Do que você está falando…?”

“O livro que contém sua história.”

A presa que eu cacei por tanto tempo.

“Me dê o livro que sua vida foi gravada.”

Não era o Apocalipse que gravou a queda de outro mundo nem continha um mundo diferente na verdade. Era este local. Era o livro que continha o [Bibliotecário de Canto] que vivia na [Grande Biblioteca de Todas as Coisas].

“Eu vou fazer dele o 30° andar desta Torre.”

“……”

“Então, você naturalmente se tornaria um membro de nossa Torre também. Você entende? Você se tornaria um personagem em nossa história. Torne-se nosso colega.”

A boca do Bibliotecário caiu aberta.

“Suba a Torre comigo, Hamustra.”

~~~

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar