SSS-Class Suicide Hunter – Capítulo 184

Ator novato (2)

A cultura da raça goblin era ótima. O mais forte ficava no topo. Se você estivesse insatisfeito com algo, deveria resolver com seus punhos, não com palavras.

“Primeiro, vamos limpar tudo, sêniores.”

E aqui, eu era o mais forte.

“Olha só esse teatro. O que é isso? Estão usando teias de aranhas como decoração interior? O mofo é o papel de parede, por acaso? Ugh. Sente só como aqui fede, parece uma lata de lixo. Se um visitante entrar, vai pensar que aqui é um lixão.”

— Não… é que…

“Você é mais forte que eu? Consegue atuar melhor que eu? Pode usar a aura melhor do que eu?”

— Não…

“Então, comece retirando aquele tapete, sênior. Não somos amadores. Realizar uma Peça de Fogo perfeita não é só uma questão de encenação, o ambiente também conta. Os arredores de uma pessoa são como uma janela para o seu coração. Se pensarem que o coração dos sêniores é lixo, então não irão pensar que o teatro é uma merda também? Não- te disse, para mover o tapete. Não está me ouvindo? Quer tomar um tapa?”

Nunca fui do tipo de pessoa que diz as coisas da boca pra fora. Um cavaleiro não perde tempo com ameaças, ele apenas ataca diretamente.

Me aproximei de um dos, particularmente, hobgoblins preguiçosos e executei uma bela massagem nele usando meu punho fechado.

“Quer apanhar de novo?”

Os atores seguraram os tapetes enquanto faziam uma cara triste. A face deles parecia dizer ‘pensei que esse elfo tinha chegado para ser nosso júnior, mas é na verdade um lobo em pele de ovelha’.

“Não me importo que aqui esteja úmido, afinal, essa é uma característica da raça goblin, mas além de água podre, esse fedor horrível junto? Vocês só estavam sendo preguiçosos. E se tentar dar desculpas como [goblins gostam de lugares úmidos e mofados] e [atores de verdade não precisam se preocupar com seus arredores], então todo o resto se tornará uma bagunça. Vocês por acaso são cachorros, sêniores?”

— J—júnior, acho que você está sendo duro demais…

“Hm. Só estou perguntando se são cachorros, porque parece que vocês ainda não reconheceram seus erros. Por isso, só consigo pensar em vocês, sêniores, como filhotes de cães, agora. Desse momento em diante, quando eu disser alguma coisa, vocês vão responder com ‘Au, au’. Entenderam?”

— A—au, au!

Eles continuaram limpando naquele dia, no próximo, no outro, e dois dias depois desse.

“Sênior. Quando for recolher o balde do poço, não faça isso mecanicamente. Em vez disso, puxe a corda se imaginando como um servo de um nobre. Imerse sua mente na encenação, pense em como essa oportunidade é valiosa pra você. Continue se imaginando no papel do servo mesmo enquanto faz a limpeza, conseguindo assim se livrar do filhotinho de cachorro que habita seu coração. Dessa forma, vai pegar três pássaros em uma cajadada só.”

—A—au, au…

O ator de um braço só removeu a água suja do chão do teatro e também retirou todo o mofo.

“Uma escavação não é só escavar, é o tamanho da absurdidade que conta. Parabéns, você está experimentando as três mil absurdidades de graça. (1)”

“Imagine que agora você é um guerreiro em um campo de batalha. Você perdeu um dos seus braços na guerra. Certo? A guerra foi tão violenta que mesmo perdendo o braço, seu comandante não te deixou descansar. Em vez disso, ele ordenou que cavasse um fosso e construísse barricadas de madeira; uma tarefa atrás da outra. É dever de um soldado permanecer no campo de batalha, mas o dever de guerreiro armado inclui escavar a terra? Não. É injusto.”

— Au, au… é injusto…

“Dever e responsabilidades são coisas boas, bonitas. Mas quando você é forçado a uma situação extrema, perde toda a beleza. Nessas horas, o dever se torna sujo e suas virtudes apodrecem também. Nesses casos, quanto mais fiel às suas responsabilidades você for, mais estranho tudo se torna. É injusto, sujo e esquisito. Escave o chão, sênior; recolha a água; faça isso enquanto mantém a dúvida se ainda é um guerreiro ou não. Escave bem.”

— Ahhh… Escavar…

O ator de um braço só seguiu minhas instruções com perfeição.

“Já retirou o lixo?”

— Au, au, sênior.

“De agora em diante, você irá cortar as árvores para fazermos novas cadeiras. Tudo bem com isso?”

— Au, au.

“Essas serão as cadeiras que os visitantes irão se sentar. Vamos considerar que a Peça de Fogo irá durar uma hora. A audiência pode até não estar olhando para vocês o tempo todo, mas seus traseiros estarão presos na cadeira por esse período. A única que coisa que serve a audiência do início ao fim são essas cadeiras, e se elas forem desconfortáveis, o teatro inteiro será um lugar desconfortável.”

— Au, au. Compreendo a importância da minha missão, júnior.

“Vamos fazer novas cadeiras juntos hoje. Já que vamos criar do zero, devemos criar modelos especiais de cadeiras conjuntas além das cadeiras normais.”

— Au, au, au. Lealdade. (2)

E, o proprietário do teatro também foi capturado.

— Não…. Ssonia, nunca vi uma companhia de teatros fazer algo parecido antes… — Ele proferiu uma série de xingamentos pesados. — E pensando nisso, é errado que bons pra nada como vocês fiquem por aí, vadiando! Se apressem e limpem tudo!

[Os membros da companhia de teatro ‘Mofado e Empoeirado’ se submeteram à sua autoridade.]

[A companhia de teatro ‘Mofado e Empoeirado’ reconhece você como o chefe!]

Mesmo depois de terminar a limpeza, eles não ficaram parados. Depois de escutar a voz da Torre, me lembrei de outra coisa que precisava ser arrumada.

— Ei, Ssonia…

“Sim?”

“Mesmo que eu pergunte o que está fazendo com essa escada… ou melhor, posso perguntar o que está fazendo?”

Na frente do teatro, subi na escada, com a aura cobrindo ambas as mãos. Em frente ao meu rosto estava a placa com as palavras [Mofado e Empoeirado] escrito.

“Como pode ver, irei trocar a placa.”

— M—mudar a placa? — O proprietário do teatro disse, frustrado.

“Sim. 130 anos de tradição é algo bom, mas pra ser honesto, nossa companhia de teatro está no fundo do poço. Em vez de tentar ser legal usando um nome como [Mofado e Empoeirado], precisamos de um nome que chame mais à atenção da audiência.”

Consegui retirar a placa. Felizmente, não havia nada atrás dela também. Injetando a aura na ponta dos dedos, inscrevi as letras uma a uma na madeira.

“Certo, assim tá bom.”, disse contente com a nova placa para o teatro.

[Companhia de Teatro do Som de Cachorro]

— …— O hobgoblin olhou para a placa e de volta para mim. — Eu…. Ssonia?

“Pode falar.”

— Não precisamos usar o ‘Som de Cachorro’ aí, precisamos? Querendo ou não, ainda temos 130 anos de tradição…

“Escutei dos sêniores que você deve uma grande quantia de dinheiro para alguns elfos?”

O proprietário estremeceu.

“Ouvi ainda que a cada quinze dias, um elfo diferente aparece pra coletar o débito.”

— E—esses caras. Por que eles diriam algo desse tipo para um júnior…

“Tradição não é interessante. Você precisa pensar nas outras pessoas primeiro, em atrair os clientes para ganhar popularidade. Atores não deveriam ter que dormir no provador, mas sim em dormitórios próprios, não acha?”

— …

“Sou um elfo, então sei como administrar um negócio melhor do que goblins. Agora é a hora de buscar por mais do que um visitante ocasional. Mas se continuar desse jeito, a companhia não vai durar muito mais.” peguei nas mãos os folhetos que foram feitos para a peça e caminhei para as ruas.“ [Companhia de Teatro do Som de Cachorro]! A  [Companhia de Teatro do Som de Cachorro] irá apresentar uma performance no próximo sábado à noite!”

— Ugor. — Os hobgoblins que passaram por mim na rua riram.

Os elfos balconistas que haviam vindo para promover o seu próprio teatro também riram de nós.

— O que é isso? Som de Cachorro?

— Onde fica isso?

Bom, houve uma reação. Mesmo essa era melhor do que completa indiferença. Agora que atenção deles tinha sido obtida, era a vez do nosso balconista de mantê-la e os guiar na direção certa.

“Au, au! Essa será uma festa de sons de cachorros que você não poderá ouvir em nenhum outro lugar da cidade além daqui! É feita para aqueles que estão cansados de escutar aquela Chama! É para aqueles que concordam que caras maus devem se manter maus! Vocês são bem-vindos! Não há outro lugar no mundo onde possam encontrar sons de cães como os nossos! Somos o verdadeiro ‘Som de Cachorros’”

— Ugor.

 

— Essa fada é bem interessante.

— Ele é um pouco fofo.

Os hobgoblins na rua riram.

— … —  O proprietário me encarava com uma expressão vazia.

Quando pensei ter ajuntado uma quantidade justa de pessoas, revelei minha carta na manga.

“E agora, bravos guerreiros! Essa não é a peça de Fogo normal que vocês veem todos os dias!”, estalei os dedos.

Ding~!

Uma nota aguda ressoou no ar.  As pessoas ficaram surpresas com o som, que se assemelhava à nota de um piano.

— Ugor?

— O que foi isso?

A fonte do som era algo simples. Enviei duas correntes de aura nas minhas palmas e as fiz colidir. Quando a aura se chocou e o ar, ela vibrou e foi criado um som semelhante ao de uma tecla de piano. Para outros, isso era uma coisa consideravelmente difícil de fazer, mas para mim, foi fácil.

“Observem!” disse enquanto fazia as correntes se chocarem uma atrás da outra.  Por ser uma música simples, mesmo eu, que não estava familiarizado, consegui reproduzi-la. A marcha do Chopstick. “Olhem com atenção! Na Companhia Som de Cachorro, mesmo um balconista como eu consegue usar a aura de forma tão habilidosa! Dá pra imaginar o quão espetacular a peça de Fogo vai ser!”

Em uma rua iluminada pelos raios de sol, toquei  a música mexendo nada além dos meus dedos, e funcionou.

— Música vinda do ar?

— Meu deus, que estranho.

— É mesmo possível reproduzir esses sons com a aura?

As pessoas finalmente começaram a parar e focar a atenção em mim. Não foram só as pessoas, mas os balconistas de grandes companhias de teatro estavam presentes, me olhando com olhos arregalados.

“A peça de Fogo da Companhia do Som de Cachorro não terá falas! O Imperador da Chama! O Kekerkker! Ninguém dirá uma única fala! A pintura do fogo não precisa de palavras, apenas chamas! Testemunhem a primeira peça de Fogo sem falas na história!”

— É como uma performance de palco… — Os hobgoblins assistiam sem piscar minhas mãos se movendo de forma chamativa.

— É possível realizar uma peça de Fogo sem falas?

— Bem, acho que não…

Havia aqueles que estavam chocados pela minha performance com a aura, e aqueles desconfiados do que disse sobre a peça de Fogo. As frases [É mesmo possível?] e [Isso é impossível] podiam ser ouvidas por todo lado a cada momento que se passava. As duas melhores emoções para se despertar no público estavam misturadas na atmosfera do lugar.

“Se o ator disser qualquer palavra, vamos dar reembolso total! Reembolso total por uma fala! Pagaremos o dobro do valor do ingresso por duas falas! Daremos uma fortuna inteira a vocês se disser três falas!”, sorria ao entregar os folhetos para a multidão, “Não é de longe uma peça de Fogo comum! E se andar por aí com um folheto, ganhará o direito de trazer um convidado de graça com você! Uma companhia grátis por pessoa! A performance não está feita para arrecadar dinheiro, mas para dar dinheiro! Obrigado! Sim, sim. Obrigado!”

As pessoas já não podiam resistir à tentação de pegar um dos folhetos que eu estava entregando. Pouco a pouco interessadas, aceitavam o papel sem entender muito bem o que acontecia. Não demorou muito para que não tivesse mais papéis para entregar.

“Obrigado! Até o dia da peça, estarei performando aqui todos os dias! É claro, essa apresentação é gratuita! Ah, isso é muito importante para nós. Nosso chefe deve bastante dinheiro para um monte de pessoas, e vamos falir! Estamos desesperados!”

Segurei a mão do proprietário do teatro. Mesmo surpreso, ele deixou que fizesse isso,  até esboçou um sorriso estranho quando os transeuntes olharam para nossas palmas juntas.

Ótimo.

“Não há outros atores melhores do que aqueles que estão entrando em falência! Ninguém aqui tem casa, tudo que temos é o palco! Muitos acreditam que habilidades de atuação e dinheiro são inversamente proporcionais, e nós da Companhia Som de Cachorro iremos provar isso no próximo sábado! O show será na noite do próximo sábado! Obrigado! Som de Cachorro! No próximo sábado!”

Me curvei para a multidão e o proprietário naturalmente me imitou devido às nossas mãos juntas. Ninguém bateu palmas e gritou para nós, mas a atmosfera não estava ruim. Foi satisfatório. Ao sair da rua, coloquei no rosto o sorriso profissional que aprendi com o mestre da Dragão Negro.

— Nossa. — Bae Hu-ryeong sussurrou.  — Não sente vergonha?

“Só fiz o que tinha que ser feito. Por que teria vergonha?”

— Você é sem dúvidas o jovem mestre do Culto Demoníaco.

‘Comparado com as coisas que já fiz no Culto Demoníaco, o que tem de ruim em entregar panfletos na rua? É um trabalho como os outros.’

—  Francamente… mesmo que te joguem no meio de um deserto ou de uma selva, você iria encontrar um jeito de sobreviver. Aquele Imperador da Chama é um cara fantástico, de verdade. Ele até conseguiu enviar alguém como você pra esse mundo.

—  Senhor Kekerkker…

Ssonia, que tinha virado um corpo astral, tinha uma expressão esquisita no rosto, como se não conseguisse processar o que tinha acabado de ver. Sua expressão era um misto de respeito e dúvida.

— Foi ótimo, mas de alguma forma pareceu diferente do jeito que Kekerkker normalmente se comporta… não…. Kekkerker é assim mesmo?

Certo, esse foi eu.

Enquanto isso, depois de sairmos da rua, o proprietário finalmente abriu a boca para dizer algo.

— Você estava falando sério?

“Hm? Do que está falando?’

— Sobre sermos a primeira peça de Fogo silenciosa da história. Como poderemos fazer uma peça sem falas?

“É claro que falei sério. Não se preocupe, vou me esforçar para tornar isso uma peça que todos vão querer pagar. E se não funcionar, subo no palco eu mesmo, assim você não precisa ter a culpa por ter mentido para os visitantes.”

— …

“Temos mais trabalho a fazer! Agora, as cadeiras novas precisam ser completas, os assentos VIPs também… faça o ingresso para esses 12 lugares separadamente, por favor. O preço deve ser 12x maior do que o normal.”

— D-doze vezes? — disse, chocado. — Se for assim…

“Nossos panfletos já foram distribuídos, e 9 de 10 dos visitantes vão trazê-los consigo. Isso significa que haverá bastante pessoas que entrarão sem pagar. Por isso, precisamos de assentos especiais para lucrar.”

— M-mas não está muito caro?

“É caro. Só os visitantes que pensam que não, vão comprar isso.” Ding. Toquei minha aura levemente e o som foi reproduzido.  “ Pode até ser caro pra um convidado que veio só pra assistir o show, mas é algo barato pra um guerreiro que veio aprender sobre aura. Vamos atrair os primeiros e cobrar dos últimos. Proprietário, acredite em mim, esse preço não é nada.”

No dia seguinte, por volta do meio-dia, três ou quatro guerreiros hobgoblins caminhavam ao redor da entrada do teatro.

— Esse lugar é o Teatro Som de Cachorro?

— Ouvi que terá uma performance no sábado, quero reservar um lugar na fileira da frente.

— Ouvi que um elfo também vai se apresentar no palco… é verdade? Quero comprar um ingresso por causa desse elfo.

Mesmo depois de ouvir o preço, os hobgoblins simplesmente compraram os ingressos sem hesitar. O dono do teatro me olhou assombrado, sem acreditar que tinha mesmo vendido as entradas.

“E então?” , sorri levemente. “Estava certo, não é?”

Dois dias depois, todos os ingressos VIPs tinham sido vendidos.

Notas do capítulo:

Para os curiosos, você pode pesquisar no Google: Albert Camus; ele era um filósofo francês Absurdista.

Isso é algo que os soldados coreanos dizem para o pessoal de alto escalão, geralmente enquanto prestam continência.

“Som de Cachorro” é uma forma de dizer “Porcaria/Besteira/Merda” em coreano.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar