Estamos testando algumas plataformas de anuncios, caso notem links suspeitos e direcionando forçadamente para páginas indesejadas nos avise através do formulário de contato.

SSS-Class Suicide Hunter – Capítulo 32

Capítulo 32

O que ela disse era razoável.

Eu ainda era um caçador da Classe E. O continente não teria caído se o Rei Demônio pudesse ser derrotado por um caçador Classe E.

Eu estava em grande desvantagem.

Mas a morte não significa perda para mim.

“Eu pretendo vencer.”

A morte era um passo para a vitória para mim.

“Eu também tenho uma arma secreta. Confie em mim.”

“…”

A Bruxa suspirou.

“Ok. Já que todos os caçadores têm um segredo. Espero que sua espada seja afiada o suficiente para perfurar aquele monstro chefe. ”

Isso é o que eu estava planejando.

-Você está jogando um jogo divertido. Deusa.

Foi então.

-Sua última resistência é lamentável. Luz. O que a luz pode fazer por quem não sabe se tem futuro. Até vocês são lamentáveis agora.

A voz do Rei Demônio dividiu o campo de batalha.

-Então me mostre a luz também.

Houve um grande som.

A Bruxa e eu não decepcionamos nossos guardas. Estávamos observando os movimentos do Rei Demônio, então sabíamos a identidade do som.

Era uma espada.

Devagar.

O Rei Demônio lentamente puxou sua espada no horizonte. O tempo parecia desacelerar. A espada do Rei Demônio parecia estar em uma época diferente da nossa. Então parecia que ele estava tentando economizar tempo.

Mas o Rei Demônio cortou tempo. Ele cortou o céu. A trajetória da espada era vermelha.

Ele mirou precisamente nas muralhas e as perfurou.

Uma tempestade começou.

A Bruxa e eu inconscientemente fechamos nossos olhos. Enquanto fechamos os olhos, a poeira nos cobriu e ouvimos gritos. Foram os gritos dos soldados. Eu ouvi algo quebrar.

E um momento depois.

“Ofego, tosse …!”

Quando a poeira baixou, olhamos para onde vinham os gritos. Foi doloroso porque a poeira entrou em nossos olhos, mas o choque foi maior do que a dor.

A Bruxa engoliu em seco.

“…Ele está realmente mais fraco?”

As muralhas do império foram quebradas.

O Rei Demônio choramingou.

-Pobres coisas.

Chuva vermelha caía do céu empoeirado.

A risada ecoavade onde o Rei Demônio estava.

-Isto ainda é seu império?

Não eram apenas as muralhas da cidade destruídas.

A trajetória vermelha da espada esmagou ruas e edifícios. Até o palácio estava em seu caminho.

Estrondo!

[Um guerreiro morreu.]

Uma voz soou próxima.

[Ele não é um servo do Rei Demônio.]

Uma voz que anunciava a morte.

“…”

A Bruxa e eu nos entreolhamos.

“… Era onde ficava a recepção.”

A Bruxa falou primeiro.

“Herege Questionador, Santo da Espada e Cobra Venenosa não estão na sala de recepção, já que estão trazendo os soldados aqui. A Cruzadora está procurando pelo Imperador sob suas ordens. Então, a pessoa que sobrou…”

Condessa.

“… Morrendo primeiro.”

A Condessa não era a traidora.

“Grossa.”

A Bruxa murmurou baixinho.

Foi isso.

Ela não disse mais nada e apenas balançou a cabeça.

Eu me perguntei se era sua maneira de se despedir.

“Mestre do Dragão Negro. Se a Condessa realmente morreu, então como o mundo exterior …”

“Agora mesmo.”

A Bruxa falou em voz baixa.

“Agora mesmo, vamos nos concentrar no que está à nossa frente.”

O segundo caçador mais forte na torre estava olhando para a presa no horizonte.

“Mesmo o Rei Demônio não será capaz de continuar atacando assim. Kim Gong-ja. Ajude a proteger as muralhas destruídas da cidade comigo.”

Os pontos vermelhos no mapa mudaram.

O exército de monstros estava se aproximando de nós como uma onda antes. Mas agora, as manchas vermelhas eram pontudas.

Eles estavam tentando nos exaurir?

“Sim, senhora.”

Os pontos estavam indo em direção às muralhas da cidade.

Era a fenda onde a trajetória vermelha havia perfurado.

“Eu estava pensando a mesma coisa.”

A Bruxa agarrou minha mão.

Ela acenou com a cabeça.

“Teletransporte.”

Nós nos movemos em direção às muralhas da cidade destruídas.

-Krrrrk!

-Kiek, ke! Kekeke!

-Gwoooo!

Os monstros estavam bem na nossa frente. Flechas voavam. Elas eram dos soldados acima das muralhas da cidade. Não era o suficiente para deter a onda vermelha. Goblins, Orc’s, esqueletos e outros monstros correram para nós.

Faltavam apenas cerca de 2 minutos para a chegada da primeira onda.

-Zumbi.

Eu ouvi a voz de Bae Hu-ryeong.

-Ao menos um minuto está ok. Não, 30 segundos. 

Dezenas, centenas de monstros estavam voando pelas nuvens.

E dezenas de vezes esse número estavam caindo no chão em nossa direção.

-Faça isso você mesmo.

Nenhum aliado me impediu.

-Para vencer essa batalha, você deve se tornar esperança para essas pessoas.

Então, eu estava sozinho na frente.

-Faça você mesmo. Mesmo 30 segundos está ok. É importante que você mostre que pode parar esses monstros sozinho. Você não chama um humano que viveu por 30 anos de herói. Os 30 segundos de que todos precisam. O humano que fornece esses 30 segundos é o herói. 

Larguei minha mochila no chão.

-Seja um herói.

Bae Hu-ryeong puxou uma garrafa de vidro.

Era a que a futura Lorde do Castelo da Alquimia tinha feito.

Era a garrafa de vidro com o elixir.

-Vou te ajudar.

Um gole. Dois goles. Três goles.

Eu engoli o elixir.

-Eu prometi que te ensinaria técnicas de espada antes do 20º andar, certo? É um pouco cedo, mas aqui estão algumas lições.

Thump.

Meu coração bateu mais rápido.

-Dê um passo para trás.

Meu coração bateu mais rápido.

-Olhe para frente.

Eu fiz.

-Há dois goblins na frente. Eles não podem ver bem por causa da poeira. Golpeie rapidamente sua espada diante deles. 

Meu coração batia ainda mais rápido.

Cada segundo parecia mais lento.

-A Espada Sagrada brilha, mas pode tirar a visão também. Leve os olhos de seu oponente com sua espada e ganhe tempo de seu oponente. 

E então um segundo para mim era mais rápido do que meu coração.

-Eles estão aqui. 

Minha espada seria um segundo mais rápida do que eu.

-Vamos. Parceiro. 

Bae Hu-ryeong estava ao meu lado.

-É hora de ser um herói. 

Eu balancei minha espada. O sangue fluiu por toda parte.

-Kiiiiiii!

O goblin gritou. No meu segundo, o grito não parou.

-Um se foi.

Sangue se espalhou no ar. Era da mesma cor da chuva. Segurei minha espada ainda mais forte. E a balancei.

-Keeeeeeeeeea!

Dois.

Antes do primeiro goblin empatar, eu cortei o segundo goblin. Foi um instante. O sangue fluia da minha direita e da minha esquerda. Os monstros gritavam sem nem mesmo conseguir ver minha espada.

Eu matava um e outro.

-Aeeeeee!

-Aaaeeeeeeeee!

-Kiiiiiiiii!

Antes que um monstro pudesse terminar de gritar, outro monstro gritava.

Os gritos ao meu redor não acabavam.

A orquestra da minha espada.

Eu a direcionei pelo cabo de minha espada.

-1 segundo se passou. 

Bae Hu-ryeong falou.

-Não corte sua espada quando você a balançar. Gong-ja. Não divida cada ataque, mas conecte-os. 

Eu balancei minha espada.

-Corte de cima para baixo. Pense. Não é diferente de música. Quando um tom diminui, ele pode ser puxado de volta para cima. 

Gritos soaram.

-Conecte! Se sua espada estiver baixa, traga-a de volta. É assim que sua espada pode continuar a se conectar. 

Outro segundo se passou.

-Uma espada é uma luta de tempo! Se for balançada uma vez, acabou. Mas uma pessoa mais habilidosa pode controlar 5 segundos. 

Os inimigos soltavam sangue.

E eu soltei minha respiração.

-Não perca tempo!

Antes que o sangue fosse derramado. E minha respiração enfraquecesse.

-Não desperdice nada! Só porque você cortou seu oponente, não acabou. Você tem que saber onde cortar a seguir! Não jogue fora um segundo. Viva isso.

Uma lâmina balançava entre minha respiração e o sangue do meu inimigo.

-Um usuário de espada vive por sua espada.

Eu balancei minha espada.

-Você acha que é fácil viver um segundo? Você realmente quer sair?

Eu balancei minha espada.

-As pessoas não estão vivas quando gastam tempo. Gong-ja. Você é um usuário de espada. Então você precisa viver pela sua espada. 

Eu balancei minha espada novamente.

-Queime!

Um goblin me arranhou e sangue derramou do meu braço. Ah. Eu me senti tonto. Mesmo com a dor, girei minha espada e olhei para frente.

-Kiiiiiie!

-Krrr, kr …

-Kwoooooo!

Monstros incontáveis.

Monstros estavam saindo da nuvem de poeira. Inúmeros inimigos e inúmeros males. Todos eles estavam tentando me matar.

-10 segundos agora.

Isso era 10 segundos. Tinham passado apenas 10 segundos.

-Queime mais, Gong-ja. Não derrame sua vida e queime-a.

Eu apertei minha mão na espada.

-É hora de mostrar quem você é. 

Eu gritei bem alto.

Nas fendas das muralhas da cidade, meu grito retumbou. Os soldados em cima estremeceram. Os monstros vindos de longe pararam.

-Sim. Porra, é isso.

Bae Hu-ryeong deu uma risadinha.

-Agora você não é mais um zumbi, hein!

Eu corri para frente.

-Gwo…?

Eu ataquei o pé do goblin que parou primeiro. Antes que ele pudesse reagir, ele estava morto.

A cabeça do goblin voou com a boca aberta.

Eu balancei minha espada.

-Krrrrrrr.

E a seguir estava um orc parado inexpressivamente próximo a ele. Antes que ele pudesse erguer seu taco, usei minha espada nele. O sangue jorrava como uma fonte.

Eu balancei minha espada.

‘Só um pouco mais.’

Esqueletos.

‘Só um pouco mais.’

E mais goblins.

‘Mais.’

Incontáveis ​​orcs.

‘Mais! Só mais um pouquinho!’

Na quantidade incomensurável de monstros.

‘Veja!’

Eu balançava minha espada.

‘Olhe para mim!’

Eu estava vivo.

Eu estava vivo quando brandia minha espada.

-Kooooooo!

Um ogro apareceu da nuvem de poeira vermelha.

Uma vez. Duas vezes. Cada vez que o monstro se movia, o vento se movia ao redor dele.

Na nuvem de poeira do ogro, um goblin entrou. Então, ele morreu com o som de seus ossos sendo esmagados.

Sim. Isso estava certo. Eles não tinham camaradagem. Nem pena e amor um pelo outro.

Então eles eram bestas.

Bestas nojentas.

-ROooooooo!

A besta gritavaferozmente.

Ela mostrava seus dentes para mim.

‘Venha.’

E aqui, havia um caçador.

Havia um caçador perseguindo uma fera.

‘Eu vou te mostrar.’

Estrondo!

O ogro deu um passo à frente.

As muralhas da cidade começaram a desmoronar.

Estrondo!

A fera nojenta deu mais um passo à frente. Cada vez que dava um passo à frente, o chão tremia. As muralhas da cidade desabaram. O ogro sacudiu o chão, vindo em minha direção.

-Firme seus pés no cão.

Contudo.

-E olhe para frente.

O que eu tinha que fazer não mudou.

-Corte seu inimigo com a espada. 

Corri para o monstro.

Estrondo!

A besta gigante deu um passo à frente. Eu mirei naquele momento. Quando ele levantou a clava para me atingir, girei minha espada na frente dele.

Luz branca.

A luz da Espada Sagrada entrou nos olhos do ogro.

-Gwooooooo!

O corpo do ogro já estava tropeçando.

Era difícil para o ogro mudar de direção.

‘Por que.’

Quando estava atacando o ogro, estava pensando em algo.

‘Por que você deu uma habilidade Classe EX para um bastardo assim.’

Para Yoo Soo-ha.

A torre que deu a ele aquela… habilidade rara.

“Não precisava ser um santo. Apenas alguém um pouco mais normal. Se fosse dado a alguém assim, estaria tudo bem. Mas por quê? Para aquele psicopata. ‘

A clava do ogro passou pelo meu nariz.

Ele errou, porque estava cego pela luz.

Felizmente, havia um ponto cego.

‘Oh… então era isso?’

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar