Estamos testando algumas plataformas de anuncios, caso notem links suspeitos e direcionando forçadamente para páginas indesejadas nos avise através do formulário de contato.

Apocalypse Hunter – Capítulo 13

Há um Motivo para os Doidos Sobreviverem (2)

Zin avistou pessoas com luzes escalando as muralhas. Julgando por suas roupas feitas de couro vagabundo, ele foi capaz de deduzir que eram Salteadores.

Zin se escondeu atrás de alguns juncos no campo aberto e os vigiou. Ele estava a meio quilômetro de distância da posição deles. Eles não eram capazes de ver Zin porque estava escuro.

Eu preciso ir para um local mais elevado.

Ao invés de se aproximar de Ponto Ardente, ele recuou para as colinas próximas e as escalou. Estas eram mais altas que a muralha. Quando Zin alcançou o topo da colina, ele era capaz de ver dentro das muralhas de Ponto Ardente. Este estava bem longe das colinas, então Zin tirou um par de binóculos de alto calibre de sua bolsa e começou a monitorar os inimigos. Conforme dava mais zoom, ele podia até distinguir as pintas da pele deles.

Isso porque os Salteadores acenderam luminárias, Zin era capaz de identificar a localização deles. Os Salteadores estavam todos reunidos no centro de Ponto Ardente. Eles reuniram todos os seus troféus, aproveitando a vitória. O que eles reuniram foram cadáveres e lascas. Os Salteadores não pareciam gostar de tortura e ninguém foi deixado vivo.

Salteadores que se armam fortemente parecem gostar de deixar cadáveres.

No centro da reunião estava um pote gigante fervendo, com pernas e braços humanos saindo. Em outras áreas, alguns Salteadores estavam massacrando os mortos. Alguns estava chutando algumas cabeças decapitadas como bolas de futebol. Alguns estavam dormindo e usando os mortos como travesseiros. E alguns estavam estuprando os cadáveres.

Olhando para a cena infernal, Zin manteve sua mente calma e tentou avaliar a situação.

Todos os cadáveres tiveram suas cabeças decepadas, e as cabeçadas foram alinhadas na frente do líder como souvenires. Zin tentou ler os lábios do líder.

— Isso! Isso é demais! Esses caras comiam batatas, e suas cabeças são lindas, como batatas redondas. Ei! Byung-Doo! Venha cá! Ferva e esfole elas! Se você cozinhar demais, vou ferver a sua bunda!

O líder parecia coletar caveiras e estava analisando elas uma de cada vez. Todas essas caveiras provavelmente iriam decorar o tranqueirão do líder. Era comum para Salteadores, especialmente os líderes, ter comportamento tão estranho. Colecionar caveiras não era tão bizarro para um Salteador.

O subordinado começou a ferver as três cabeças em um pote, e o líder continuou a andar por aí. Ele parou em frente a uma cabeça, e roeu seus dentes. Ele pegou um dos Salteadores e perguntou para ele:

— Quantos de nós morreram hoje?

— Um na estrada, cinco nessa batalha.

— Não foi esse cara que matou todos eles?

— Provavelmente. Ele atirava flechas muito bem.

— Maldito… cara… ah cara… Que desperdício… — O líder suspirou. O crânio era de Baek-Goo. Por alguma razão, o líder estava lamentando.

— Se o crânio fosse um pouco mais bonito, eu o levaria comigo.

*Crack!*

E sem hesitação, o líder pisou e esmagou o crânio de Baek-Goo. O líder não estava lamentando que ele não pode recrutar Baek-Goo que matou cinco de seus homens.

*Ptoooot!*

Depois de cuspir no crânio esmagado de Baek-Goo, o líder começou a olhar de perto para as outras caveiras. Não havia razão para ter tanto interesse em crânios de pessoas mortas.

*Vwooom!´*

Assim que Zin se lembrou o que ele estava procurando, ele diminuiu o zoom e olhou para a cidade como um todo. Não havia razão real para procurar por outra coisa. Também, não havia razão para começar qualquer problema. Mas depois de olhar para as cabeças deitadas no chão, Zin chegou em uma conclusão.

A cabeça de Leona não estava lá.

Ele calmamente observou as cenas de canibalismo, estupro e matança. Zin tentou permanecer separado de qualquer tipo de emoção em relação à queda do Ponto Ardente.

E ele continuou tentando.

E pensou:

Vinte nove inimigos no total. Sem armas de longo alcance, então eles não podem me atingir.  Eles provavelmente vão descansar aqui e ir embora amanhã.  Quatro postos de guarda. Eles provavelmente vão ficar com o dever de vigia, e o resto vai provavelmente dormir.  Eles vão cair no sono depois da refeição pesada.  Parece que ninguém vai dormir nas celas das prisões. Eles vão dormir no centro da cidade usando cadáveres como travesseiros.  Não há bebida em Ponto Ardente, então não há probabilidade que eles vão ficar bêbados.  Dessa posição, eu tenho visibilidade para atirar em todos. Esse é um bom ponto.  Hmm… isso é um DVC (Droga do Veneno Caótico)? Ainda melhor então. Se drogando ao invés de beber.

Adicionalmente, Zin avistou alguns Salteadores que estavam tomando doses de uma mistura de doses baratas.

Ele pensou:

Vou esperar até eles dormirem.  Vou começar com tiros em cadeia de M700. Eu vou precisar atingir pelo menos metade deles.  Se alguns se esconderem nos prédios, vou precisar usar a Saiga-12.

Vou precisar de 29 munições. Se eu quiser conservar munição de espingarda, vou precisar atingi-los de longe o máximo que puder.  Provavelmente, essa vai ser uma batalha de lucro baixo. Vou ter que acabar com isso usando apenas munição comum.

Porque Zin tinha que lidar com tantos humanos, ele tinha que considerar usar uma granada. Usar uma granada era possível, mas significava a perda de recursos.

Zin pegou uma de suas armas de fogo, uma Saiga-12, de sua bolsa e a carregou com munição.

Zin anexou uma mira 4x, e carregador expansível na M700. Era uma boa distância para se usar um silenciador. Ele podia matar os inimigos sem alertá-los demais. Por último, Zin anexou o silenciador longo na M700, e prendeu a Saiga em seu ombro. O silenciador extralongo reduzia o som assim como o brilho do tiro. Em uma outra perspectiva, o silenciador era mais mortal que uma arma de fogo.

Ele olhou pela mira e observou a situação do Ponto Ardente. Se ele tivesse obscuridade o suficiente, poderia usar um apoio de alto-mar. Mas devido à sua necessidade de conservar energia, ele decidiu atirar neles manualmente com suas habilidades.

O carregador tinha dez munições. Um tiro por segundo deve dar conta.

Zin tinha um plano ambicioso de atirar em dez inimigos em dez segundos. Assim que os Salteadores dormirem, eles experimentariam um inferno dentro de um inferno.

Ignorantes que um atirador de elite estava observando-os das colinas, os Salteadores terminaram de comer e foram dormir. Quatro deles servindo como vigia, então o resto foram dormir apressados antes que fosse a vez dele de estar de vigia.

O clima estava bom o bastante para dormir no lado de fora. Havia alguns que dormiram dentro dos prédios, mas eram poucos. E devido ao bom tempo, eles logo experimentariam a morte. Ninguém era capaz de ver o brilho de um tiro das árvores em cima da colina.

*Zip!*

Um Salteador que levou um tiro na cabeça caiu sem um pio. As sentinelas estavam olhando para direções diferentes, e não perceberam que um deles foi abatido.

Outro vislumbre do brilho de um tiro apareceu.

*Zip!*

Outro guarda abatido.

O silenciador diminuiu o barulho alto do fuzil em um som menos intrusivo. O som do tiro silenciado iria dissipar quando chegasse na muralha de Ponto Ardente. Os Salteadores só iriam ouvir o som dos projéteis perfurando as testas deles. Mais dois tiros foram disparados e todos os Salteadores em cima da muralha caíram sem um pio. Os tiros a longa distância não alertaram os Salteadores. Um Salteador de cada vez sucumbia perante os tiros de Zin.

*Click!*

Zin limpou as muralhas de Ponto Ardente e seus inimigos. Os inimigos estavam todos dormindo em um só local. Mesmo um silenciador não podia abafar o som de um projétil perfurando o ar. Quando ele atirasse no grupo, alguns deles iriam notar o ataque e começariam a fugir para os prédios. Era importante matar o máximo de inimigos possível antes que isso acontecesse.

Usar chumbo grosso não seria uma má escolha aqui…

Um único tiro mataria vários deles, mas a explosão faria os inimigos fugirem de terror. Zin estava se perguntando se deveria matar eles silenciosamente ou matar todos com uma explosão.

A escolha de Zin foi bem simples.

Eu devo usar só munição normal.

Chumbo grosso era caro. Zin carregou mais cinco munições no carregador e mirou de novo. O líder estava dormindo na pilha de cadáveres sem cabeça. Depois de acabar com os guardas, ele iria atrás do líder. Acabar com a linha de comando era a melhor estratégia.

Tomando em consideração a direção do vento e as leis da gravidade, Zin mirou na cabeça do líder. Ele segurou sua respiração e lentamente calculou a trajetória do tiro. No instante antes de Zin puxar o gatilho, ele franziu a testa.

Que porra é aquela?

*Zip!*

No meio do campo aberto onde os Salteadores estavam dormindo, uma flecha voou e acertou o chão.

— O que foi esse som? — Um dos Salteadores dormindo acordou e olhou para onde a flecha caiu.

— O que é isso?

Havia uma flecha, e nela, algo estava brilhando com uma luz azul.

*Vrrrrrrrrrrrrrr!*

— Huh, mas que porra…?

Enquanto Salteador sentia que não havia nada de errado, outros Salteadores acordaram um após o outro. O objeto vibrando violentamente era uma caixa de lasca que estava prestes a explodir. Os Salteadores perceberam o que era, mas era tarde demais para fugirem.

— O que está acontecendo? Por que todo o barulho… huh?

O líder também acordou tarde demais.

*Flash!*

Uma luz azul explosiva brilhou, e o líder murmuro incrédulo.

— Mas que porr…?

*Boooom!*

Uma explosão gigante cobriu todo o centro de Ponto Ardente. Olhando para a explosão, Zin também murmurou:

— Filho da…

Zin conseguiu descobrir o que era. Era a caixa de lasca que ele deu para Leona.

— Uou… que impressionante.

Leona estava maravilhada com a visão da janela de uma das celas da prisão. Não sobrou nada a vista. As pessoas que os Salteadores e os próprios Salteadores foram destruídos.

— Malditos, vocês não vão sair em pune depois de destruir meu novo lar.

Leona riu e olhou pelo resto da área com cuidado. Ela assumiu que as sentinelas nas muralhas viriam logo depois da explosão gigante. Havia quatro guardas, e ela pensou que poderia fugir segura depois de se livrar dos quatro. Mas Leona não sabia que eles já estavam mortos. Ela não abaixava sua guarda facilmente, e ela sempre buscava lugares para se esconder em caso de problemas. Quando os Salteadores atacaram, ela rapidamente se escondeu em um espaço oculto em cima do teto de uma das celas das prisões. No fim, Leona foi capaz de sobreviver graças aos seus antigos instintos como ladra.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar