Birth of the Demonic Sword – Capítulo 1808

Melhor

A criatura humanoide não tinha características faciais. Sua cabeça tinha apenas uma grande boca cheia de duas fileiras de dentes afiados em ambos os lados. Seus braços eram longos e terminavam em sete garras, e suas pernas finas apresentavam duas articulações diferentes de joelho, além dos familiares tornozelos e cintura.

Noah nunca tinha visto ou ouvido falar de uma criatura semelhante. Não podia nem estudá-la com seus sentidos, já que suas ondas mentais mal podiam notar aquela estranha existência.

Os outros especialistas estavam em situação semelhante. Essa estranha existência não era detectável facilmente. Parecia ter características semelhantes às criaturas no vazio, e Noah não podia deixar de vincular essas habilidades comuns.

A criatura apareceu depois que manchas pretas se reuniram na parte inferior do céu. Os seres do vazio poderiam ter seguido a trilha de energia dispersa durante a destruição do túnel dimensional, mas essa ideia ainda deixou muitas perguntas sem resposta.

As criaturas vazias não poderiam ter acompanhado a velocidade do grupo. Apenas seres que haviam aparecido perto do céu podiam entrar no buraco no último instante, mas isso também não explicava toda a situação.

A camada branca havia se fechado antes do aparecimento da estranha criatura, significando que os seres vazios teriam que cruzar o céu para aparecer dentro das Terras Imortais.

Isso era teoricamente impossível, especialmente porque Noah e o Rei Elbas já haviam testado o que o contato entre as criaturas do vazio e o céu causava. Elas recuperariam as leis que o Céu e Terra havia retirado delas e voltariam à sua forma original.

A situação parecia muito diferente agora, mas Noah ainda se sentia confiante de que as criaturas do vazio tinham algo a ver com aquela estranha existência. Afinal, só o vazio e as regiões caóticas poderiam conter espécies capazes de surpreendê-lo, e a origem do ser negro era bastante clara nessa situação.

“O Céu e Terra finalmente enviou alguma coisa?” Demônio Divino perguntou enquanto a excitação crescia em seu interior, mas seus amigos rapidamente o contradiziam.

“Como você pode conectar essa criatura ao Céu e Terra?” perguntou Robert. “Ela não tem aura. É semelhante aos nossos inimigos no vazio.”

O céu parecia adicionar combustível a essa conversa. Outra mancha preta se espalhou sob a criatura de cabeça para baixo, e seu tamanho aumentou quando a escuridão fluiu dentro de seu corpo.

“Pode realmente ser parte dessas criaturas!” Exclamou Steven. “Estão se fundindo? Talvez tenham usado esse método para se tornarem fortes o suficiente para perfurar o céu.”

“Não é assim que a reação funciona”, o Rei Elbas rejeitou essa ideia. “Eu lhe disse o que acontece quando elas tocam o céu.”

“Como você explicaria isso então?” Robert perguntou enquanto olhava para a criatura novamente.

“O céu está deixando elas passarem,” Noah explicou e fez todos olharem para ele surpresos.

“Por que eles iriam cooperar?” O porco bufou. “Uma traição do Céu e Terra não parece ser suficiente para lhes ensinar uma lição.”

“Acredito que eles não fizeram nenhum pacto”, acrescentou Noah. “Segundo César, os inimigos do Céu e Terra as atraem, provavelmente pelo desejo de adquirir leis capazes de ameaçar os governantes. Ainda assim, sua condição é uma maldição que elas não podem superar.”

Noah explicou tudo em breves frases. Claro, suas palavras ainda carregavam um pouco de incerteza, já que era impossível estudar aquelas criaturas. Ele adivinhou que aqueles seres haviam desenvolvido a lei da inexistência, que obviamente não deixava nada para inspecionar.

“Lutaremos então,” Demônio Divino riu.

“O bruto obviamente tinha que estar feliz com isso”, comentou o Rei Elbas, mas seus olhos de repente se arregalaram quando percebeu algo.

Uma lança de fogo prontamente apareceu em suas mãos, e o Rei Elbas não hesitou em apontá-la para o Foolery. O porco já havia aberto a boca, mas o acontecimento repentino o impediu de dizer qualquer coisa.

“Nem uma palavra”, ameaçou o Rei Elbas, e o porco limitou-se a sorrir.

O Rei Elbas finalmente parou os comentários irritantes do porco, mas não se sentiu melhor depois de ver aquele rosto sem vergonha. Ele sabia que o Foolery esperaria até que ele esquecesse o assunto para dizer algo que fizesse sua paciência chegar ao limite.

“Santo da Espada”, disse Noah, ignorando as brigas acontecendo ao lado dele. “Mexa-se um pouco. Vamos ver como ele reage. Robert, faça o mesmo. Eu quero saber se essa criatura compartilha as mesmas fraquezas dos seres no vazio.”

Santo da Espada e Robert não hesitaram em seguir essas ordens. Robert foi o primeiro a atacar. Ele reuniu uma grande massa tóxica acima de sua cabeça antes de jogá-la em direção à criatura.

A massa tóxica queimou quando tocou o céu, mas ainda envolveu a estranha criatura em seus tons roxos. No entanto, Robert mostrou uma expressão confusa quando sentiu que sua habilidade estava desaparecendo.

Ondas apareceram na massa roxa e convergiram em direção ao seu centro. A estranha criatura logo reapareceu e mostrou como a habilidade de Robert não podia escapar de cair em suas entranhas negras.

Santo da Espada não hesitou em atacar naquele momento. Ele acenou casualmente com os dedos e gerou uma tempestade de golpes que voaram em direção à criatura.

O monstro humanoide esticou o braço em direção aos cortes, mas sua boca grande se curvou em um sorriso feio quando entendeu o quão poderosa era essa habilidade.

A criatura desapareceu de seu lugar e se materializou em outra área. Ainda estava de pé no céu, e outra mancha preta cobriu o material branco antes de fluir para dentro do monstro e aumentar seu tamanho.

“Vá em frente e prepare as defesas”, ordenou Noah depois de estudar aquela cena. “Nós dois devemos ser suficientes para lidar com essa criatura, mas vamos recuar em direção à massa de terra se a situação ficar feia.”

“Você não está esquecendo de alguém?” Demônio Divino bufou enquanto colocava a mão sob o queixo e olhava para o lado para ganhar uma aura respeitosa.

“Precisamos de nitidez na batalha”, reclamou Noah.

“Eu sou o melhor espadachim em todo o plano superior!” Demônio Divino gritou.

“Eu discordo,” Santo da Espada comentou depois de limpar a garganta.

“Isso é um desafio?” Demônio Divino perguntou enquanto seus olhos se iluminavam.

“Claro,” Santo da Espada respondeu em um tom calmo. “O caminho da espada não é algo que os especialistas possam inventar na hora.”

Demônio Divino já havia parado de ouvir Santo da Espada. Ele só precisava ouvir a resposta positiva à sua pergunta para ativar os efeitos inigualáveis de sua lei.

A energia azul voou para fora de seu corpo e se reuniu em sua palma direita enquanto tomava a forma de uma longa espada. A aura do Demônio Divino até começou a irradiar uma tênue nitidez, mas essa característica não podia igualar seus companheiros.

Noah rapidamente empunhou a Espada Demoníaca, e Santo da Espada juntou suas mãos antes de separá-las para criar uma lâmina de prata. Os três especialistas então se voltaram para a estranha criatura e não fizeram nada quando viram que mais manchas escuras estavam aparecendo sob seus pés.

Os outros especialistas lançaram olhares pesarosos para Noah. Eles estavam prestes a deixá-lo sozinho com o Demônio Divino, e a situação não prenunciava nada de bom, já que o especialista já havia conseguido ativar um desafio.

“Vão!” Noah rugiu para que até mesmo as feras mágicas pudessem se sentir compelidas a retornar à massa de terra. “Nós vamos lidar com isso!”

Os especialistas e feras mágicas não puderam deixar de sair naquele momento, e a criatura seguiu sua partida com seu olhar. Ela até parecia prestes a dobrar suas estranhas pernas, mas sua figura desapareceu quando uma série de barras multicoloridas caiu em seu lugar.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar