Switch Mode
Participe do nosso grupo no Telegram https://t.me/+hWBjSu3JuOE2NDQx
Considere fazer uma Doação e contribua para que o site permaneça ativo, acesse a Página de Doação.

Chrysalis – Capítulo 119

Chegando à Superfície

Depois de invadirmos o túnel menor para nos banquetear, já se passaram dois dias inteiros. Dois dias de nada além de cavar e tirar uma hora ocasional de cochilo. 

A colônia foi capaz de colher bastante Biomassa, levando pilhas para alimentar a Rainha, as operárias e as larvas, fornecendo a energia necessária para os trabalhos futuros. 

Antes que a colônia cavasse longe o suficiente desse túnel do banquete, nós conseguimos fazer algumas incursões até lá, pegando o suficiente para um estoque de alimentos que deveria ser suficiente para nos alimentar até chegarmos à superfície. 

O problema eram as veias de mana. Depois de conectar nosso túnel de fuga ao túnel menor, as veias de mana cresceram e se estenderam tão rapidamente que não fomos capazes de fazer nada a respeito. Depois de apenas algumas horas, elas estavam se espalhando sob nossos pés e não muito depois disso, eu já podia sentir fontes de calor começando a aparecer. 

Fiz o que pude e avisei as formigas, tentei colocar guardas extras perto das larvas, muitas das quais haviam atingido a maturidade após a última alimentação e começaram a tecer seus casulos, transformando-se em pupas. Apesar desses preparativos, ainda perdemos algumas operárias de incubação e algumas larvas. 

Embora fosse doloroso, não havia nada mais que poderíamos ter feito, a colônia tinha que ser alimentada e sem Biomassa não havia como aquelas larvas viverem para atingir a maturidade de qualquer maneira. 

‘Pelo menos é isso o que digo a mim mesmo para me consolar.’ 

As veias estavam crescendo ainda mais rápido do que antes, tão rapidamente que não conseguimos enterrá-las. Não iria demorar muito para que todo o nosso túnel de fuga fosse iluminado pela luz de mana e, à medida que cavamos, simplesmente não conseguimos deixar essas veias para trás. Felizmente, já deveríamos estar altos o suficiente para que apenas monstros mais fracos aparecessem. 

Nossa escavação foi consideravelmente atrasada nos últimos dois dias por grandes rochas que exigiram a aplicação das minhas mandíbulas para esmagá-las. Atualmente, já havíamos ultrapassado o segundo grupo desse tipo e o andamento já era muito mais suave, com terra macia por todo o caminho. 

De acordo com meu mapa, que aumentou de nível novamente, não estávamos muito longe da superfície. Era difícil dizer, pois eu não sabia se a superfície era plana ou não entre a entrada que eu conhecia e o local para onde estávamos cavando. Sempre haveria uma pequena chance de cavarmos embaixo de um rio ou mesmo do oceano. 

‘Não sou nenhum especialista em escavação, mas espero que se for esse o caso, eu note o solo ficando cada vez mais úmido à medida que continuamos a escavar. Não houve nenhum sinal de tal mudança, então vamos em frente!’ 

Não fiquei completamente ocioso enquanto cavava. Usando meu subcérebro, continuei a praticar minhas habilidades de modelagem de mana, chegando ao poderoso nível oito! Manipular a mana nos vários padrões se tornou muito mais fácil do que quando comecei, o que não queria dizer que ainda não fosse um desafio brutal. Tendo tido mais prática na construção de alguns dos padrões, porém, percebi que minha proficiência aumentou junto com minha familiaridade. 

O que só mostrava que eu deveria confiar apenas na habilidade para me aprimorar. Praticar ativamente um determinado padrão me tornaria melhor em usá-lo, mesmo que meu nível não aumentasse necessariamente. 

Também comecei a fazer mais experimentos com a manipulação externa de mana.  

‘Droga, isso é difícil! A mana dentro do meu corpo é muito mais fácil de manusear do que mana fora dele. Estender a mão para agarrá-la com minha mente é como tirar meus pensamentos da minha própria cabeça e usá-los como uma corda para puxar a energia próxima.’ 

Eu consigo aumentar o nível da habilidade mais uma vez antes de voltar para minha prática de modelagem.  

‘Acho que a modelagem é simplesmente muito mais lucrativa agora.’ 

Atualmente, meus atributos estão assim: 

【Atributos】 

【Nome: Anthony】 

【Nível: 8 (Núcleo)】 

【Poder: 41】 

【Tenacidade: 29】 

【Astúcia: 32】 

【Vontade: 22】 

【HP: 50/50】 

【MP: 45/58】 

【Habilidades】 

「Cavar: Nível 8」 

「Disparo Ácido Avançado: Nível 5」 

「Agarrar Avançado: Nível 1」 

「Mordida Fragmentadora: Nível 2」 

「Furtividade Avançada: Nível 5」 

「Mapa de Túnel: Nível 3」 

「Mastigação Penetrante: Nível 5」 

「Modelação de Mana: Nível 8」 

「Força de Mana: Nível 4」 

「Manipulação de Mana Externa: Nível 2」 

「Detecção de Mana: Nível 4」 

「Engenharia de Núcleo: Nível 2」 

「Exoesqueleto Defensivo Avançado: Nível 3」 

「Comunicação com Animal de Estimação: Nível 2」 

【Mutações】 

「Olhos Focados +5」 

「Antenas Infravermelhas +5」 

「Ácido Restritivo +5」 

「Absorção das Pernas +5」 

「Mandíbulas Infundidas +5」 

「Carapaça de Diamante +5」 

「Glândula de Regeneração de Membros +5」 

「Linguagem de Feromônios +5」 

「Glândula de Gravidade Mágica +5」 

【Espécie: Formiga Mental (Fórmica)】 

【Ponto de Habilidade: 4】 

【Biomassa: 13】 

‘Houveram algumas pequenas melhorias em minhas habilidades depois de todas as escavações e lutas. A melhoria gradual das minhas habilidades de mana é o que me deixou mais satisfeito. Encher o saco do Tiny sempre que fico entediado também ajudou a melhorar minha habilidade de comunicação com ele, o que foi uma vantagem inesperada! Posso entendê-lo com um pouco mais de clareza agora.’ 

‘No final das contas, eu realmente espero que cheguemos à superfície em breve. Preciso de uma chance para fazer um balanço e planejar o próximo curso de ação para mim e para a colônia. Não posso fazer nenhum plano até saber o que nos espera quando chegarmos lá.’ 

‘Com sorte, acabaremos em uma bela floresta vazia, sem civilização por horas em qualquer direção. Então poderíamos nos esconder e enfrentar a onda!’ 

‘Vou manter meus seis conjuntos de garras cruzadas!’ 

De acordo com o mapa, já estávamos relativamente perto da superfície agora, um pouco mais e já era possível realisticamente alcançá-la a qualquer momento. Com um marco tão importante se aproximando, decidi compartilhá-lo com a Rainha, cavando incansavelmente ao seu lado. 

“Acho que devemos chegar à superfície em breve! Será bom parar de cavar para variar.” 

Sem parar de trabalhar, ela concorda comigo. “Sim, a família precisa descansar. Espero que não percamos mais crianças enquanto cavamos”. 

‘Mesmo agora, ela ainda está principalmente preocupada conosco. Será que essa é uma personalidade que ela desenvolveu ou se a Masmorra cria todas as formigas Rainhas dessa maneira?’ 

“Esperançosamente, não seremos mais atacados quando chegarmos à superfície e poderemos respirar. Você sabe o que é a superfície?” Eu pergunto curiosamente. 

“Não”, ela responde. 

“Então, como você sabe que será bom para nós irmos lá?” 

“Uma das minhas crianças me disse isso.” Quase posso ouvir o riso em sua voz, como se sugerir que suas crianças poderiam estar erradas ou incorretas de alguma forma, ou que a enganariam, simplesmente não fosse uma situação que existisse em sua mente. 

E talvez devesse ser mesmo. Que tipo de formiga mentiria? 

Enquanto estou refletindo sobre essa situação, minhas mandíbulas raspam em alguma coisa.  

‘Droga! Mais pedra! Estou cansado de quebrar essas coisas, meu rosto já está queimando como fogo!’ 

Resmungando um pouco para mim mesmo, começo a canalizar mana para minhas mandíbulas infundidas para rasgar a pedra um pouco mais facilmente. A Rainha recua um pouco para me dar mais espaço na frente, quando se trata de rasgar a rocha minhas mandíbulas superam até mesmo as dela um pouco, e para ser honesto, acho que ela secretamente gosta de uma pausa, ela é o único membro da colônia que não teve sequer um momento de torpor desde que a onda começou. 

CRUNCH CRUNCH CRUNCH. 

Trabalhando mecanicamente, eu abro minhas mandíbulas antes de fechá-las com força e rasgar a pedra, cortando-a facilmente, fazendo com que pedaços cortados se desintegrem, chovendo no meu rosto e ricocheteando na minha carapaça. 

‘Me parece que essas pedras estão cedendo um pouco fácil demais… Talvez estejam um pouco soltas?’ 

‘Elas também parecem bastante regulares para rochas subterrâneas…’ 

‘Ah bem…’ 

CRUNCH CRUNCH CRUNCH! 

Depois de cavar por mais alguns minutos, as pedras repentinamente cedem e caem ao meu redor, revelando um espaço aberto. 

‘Isso é…?!’ 

‘Conseguimos?!’ 

Empolgado, empurro a cabeça para a frente, forçando-a pela abertura e afastando as pedras para ter uma visão melhor. 

‘Onde estamos?!’ 

O que aparece diante dos meus olhos é algo surpreendente. Minha visão composta garante que eu obtenha uma imagem completa. 

Estamos dentro do que parece um edifício de pedra com teto alto abobadado. De cada lado, longas cadeiras de madeira estão dispostas em fileiras, todas voltadas para a mesma direção, uma multidão de pessoas recua de cada lado, pressionando umas às outras contra as paredes e olhando para meu rosto de formiga com horror. 

Isso já seria chocante o suficiente. 

Só isso já era terrível. 

Mas não é isso que chama minha atenção. 

Diante de mim, na frente do prédio, para onde todas as cadeiras estão voltadas, está um púlpito com uma figura vestida com um manto apontando para mim com uma emoção poderosa retorcendo seu rosto, e atrás desse homem está uma estátua. 

‘Essa estátua.’ 

‘…. Aq-….. Aquele é…?’ 

‘Sir Ian McKellan?’  

‘Gandalf?’ 


Comentários

5 1 voto
Avalie!
Se Inscrever
Notificar de
guest
1 Comentário
Mais recente
Mais Antigo Mais votado
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Everson Pereira (EversKuro)
Membro
Everson Pereira (EversKuro)
6 meses atrás

Poha Antonião chegando logo no meio do culto meu bom kkkkkk

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar