Switch Mode
Participe do nosso grupo no Telegram https://t.me/+hWBjSu3JuOE2NDQx

Damn Reincarnation – Capítulo 273

História Paralela — Interlúdio (3)

A formidável fortaleza do Rei Demônio do Encarceramento estava aninhada nas Montanhas da Centopeia Gigante, cujos picos retorcidos lembravam o corpo escorregadio de um inseto monstruoso. Além disso, as montanhas se contorciam como criaturas vivas. Como uma sentinela vigilante, a cordilheira servia como uma barreira natural, guardando a fortaleza do Rei Demônio e aprisionando qualquer um que ousasse cruzar seu terreno traiçoeiro. Os altos muros que cercavam o castelo não apenas protegiam o Rei Demônio, mas também garantiam que qualquer intruso que enfrentasse o abraço mortal da montanha encontraria uma morte rápida e impiedosa.

Assim que alguém cruzasse as imensas e terríveis Montanhas da Centopeia Gigante, o céu acima pareceria diferente, transformado pela presença avassaladora do Rei Demônio do Encarceramento. Seu formidável poder gradualmente se espalhava pelo mundo ao seu redor, pintando-o com suas próprias cores e anunciando sua força aterrorizante a qualquer um que se aproximasse.

Além das Montanhas da Centopeia Gigante, não existia dia ou noite discernível. O sol escaldante não conseguia penetrar o véu de escuridão que envolvia o céu acima do Rei Demônio do Encarceramento, e mesmo a mais negra das noites não poderia rivalizar com as sombras opressivas lançadas pelo Poder Negro do Rei Demônio.

Nem claro nem escuro existiam sob o céu cinzento. Havia apenas terra vermelha, as Planícies Vermelhas, e a única outra coisa que podia ser encontrada era uma névoa negra e opaca.

A Névoa Negra era uma ordem de cavaleiros de demônios liderada por Gavid Lindman, a Lâmina do Encarceramento e capanga do Rei Demônio do Encarceramento. Para chegar ao castelo do Rei Demônio do Encarceramento, era necessário cruzar as Planícies Vermelhas, a guarnição da Névoa Negra.

O poder da Névoa Negra era incomparável. Seus cavaleiros eram trezentos e ganharam o apelido de Pesadelo de Helmuth. Incontáveis ​​exércitos e ordens que ousaram desafiar o castelo do Rei Demônio do Encarceramento encontraram seu fim nas mãos da temível Névoa Negra, não deixando nenhum sobrevivente para contar a história.

Apesar do fluxo aparentemente interminável de relatos desesperadores, houve quem se recusasse a perder a esperança. Enquanto alguns foram obrigados a fugir com medo, outros permaneceram firmes, convencidos de que o seu sacrifício inspiraria outros a pegar em armas e continuar a luta — mesmo que isso significasse que eles próprios cairiam no campo de batalha com espadas cravadas nos seus corpos. Essas almas corajosas escolheram voltar atrás em seus passos de fuga e sacrificar suas vidas em prol de um vislumbre de esperança.

Ah.”

Entre o mar de corpos sem vida, um rosto se destacava — o rosto de um cavaleiro que o grupo encontrou antes de cruzar as montanhas. Ele era um dos três cavaleiros quebrados que encontraram, o mesmo que implorou em lágrimas que derrotassem o Rei Demônio e lhes ofereceu o álcool sem gosto.

A parte superior do corpo do cavaleiro estava entre os cadáveres, separada do resto do corpo. Contudo, a expressão em seu rosto não era de angústia ou ressentimento. Parecia que sua vida havia sido interrompida antes mesmo que ele tivesse a chance de reagir. No entanto, Sienna não suportava a ideia de um fim tão sombrio e terrível.

Ela se perguntou por que esse cavaleiro encontrou seu fim ali depois de expressar seu desejo de deixar o Domínio Demoníaco e retornar para sua cidade natal. Onde estavam os outros dois cavaleiros que o grupo encontrou com ele? Eles mudaram de ideia ou este cavaleiro agiu sozinho em sua decisão de confrontar o Rei Demônio?

Havia um símbolo grosseiro gravado na placa amassada do peito do cavaleiro, um brasão representando um leão. Era um símbolo que em algum momento passou a representar Vermouth Lionheart.

— Ahhhhh!

Gritos altos encheram os arredores de Sienna. Havia agora mais de mil cavaleiros e soldados marchando nas Planícies Vermelhas, e o símbolo do leão estava gravado no peito de todos os que avançavam.

Ao ouvir que Vermouth, o Herói, estava liderando um grupo para o castelo do Rei Demônio do Encarceramento, os guerreiros se uniram à sua causa. Apesar de sua armadura estar enferrujada e amassada, eles a adornaram com o emblema de um leão e uniram forças com Vermouth e seus camaradas para cruzar as traiçoeiras Montanhas Centopeia. Agora, estavam avançando em direção à Névoa Negra, que estava no caminho deles nas Planícies Vermelhas.

A vanguarda corria para a morte. A Névoa Negra era tão forte ou ainda mais forte do que os rumores afirmavam. Os cavaleiros humanos nem sequer estavam devidamente armados e pouco mais podiam fazer do que servir como escudos de carne, absorvendo um golpe dos demônios antes de caírem para a morte.

No entanto, a Névoa Negra não era o único obstáculo que os guerreiros enfrentavam. Inúmeras bestas demoníacas emergiram do castelo e seguiram a Névoa Negra, aumentando as forças da já esmagadora oposição. No entanto, apesar das perdas inevitáveis e irreparáveis que sofreram, as mortes dos seus companheiros guerreiros apenas alimentaram a determinação e o espírito dos sobreviventes. Eles ficaram ainda mais frenéticos e resolveram continuar lutando.

Os cavaleiros e soldados não se intimidaram, porque sabiam que os seus sacrifícios não seriam em vão. O Herói, Vermouth Lionheart, estava entre eles, liderando o ataque e reanimando seus espíritos enquanto erguia a brilhante Espada Sagrada bem acima de sua cabeça.

Além disso, não era apenas Vermouth quem eles seguiam. Na verdade, todos os quatro companheiros estavam ao seu lado, lutando ao lado dos cavaleiros e soldados enquanto avançavam.

Moron avançava, seu corpo impermeável às lâminas afiadas da Névoa Negra. Seus uivos ecoavam pelo campo de batalha enquanto ele balançava o machado e o martelo, esmagando os corpos dos demônios e dispersando a névoa. Sua determinação em proteger seus camaradas alimentava suas ações mesmo quando aqueles ao seu redor caíam.

Hamel seguia logo atrás. Assim como havia feito em todas as batalhas anteriores, Hamel ficava ao lado de Vermouth e mantinha o ritmo. Mesmo no meio da batalha caótica, tanto Hamel quanto Vermouth participavam do massacre unilateral desenfreado.

“Ele não usou ignição… Que alívio”, Pensou Sienna.

Ela encontrou um alívio momentâneo no fato de que, com tantas pessoas lutando ao seu lado, o fardo colocado sobre Hamel foi bastante reduzido. Este era um dos desejos dos cavaleiros que acompanhavam os heróis.

Eles foram lá para dar suas vidas pelo Herói, Vermouth, e seus companheiros para garantir que não sofreriam muitos danos em seu caminho para derrubar o Rei Demônio do Encarceramento. Os guerreiros ajudariam o Herói e seu grupo a estar nas melhores condições possíveis, mesmo que isso custasse a vida dos cavaleiros e soldados.

Acima deles, um brilhante raio de Luz brilhava no céu, apesar da ausência do sol. Sienna olhou para cima e viu Anise orando cercada por sacerdotes feridos. O poder divino deles era canalizado para Anise, que liberava habilidades milagrosas impossíveis de serem replicadas por outros.

A luz derramada rapidamente curava os ferimentos dos aliados do grupo e transformava o medo brilhando em seus olhos, que refletia as lâminas de seus inimigos, em coragem. A luz energizava os corpos cansados e empurrava para trás a Névoa Negra junto com a Espada Sagrada, enquanto compensava o Poder Negro dos demônios. Além disso, os demônios cujo Poder Negro era disperso eram purificados apenas por serem expostos à Luz.

— Senhorita Sienna! Está pronto! — Um grito veio de trás de Sienna.

Sienna olhou para trás e acenou com a cabeça enquanto segurava Akasha com as duas mãos.

Depois de se levantar do chão, Sienna olhou para baixo. Ela viu, na melhor das hipóteses, dezenas de sobreviventes do corpo mágico de Aroth, bem como os magos de guerra de várias nações… Mas Sienna não podia considerar nenhum deles como verdadeiros Arquimagos.

No entanto, isso não importava. Ela já havia feito o feitiço de antemão e estava cuidando de tudo, desde o desenvolvimento do feitiço até a coordenação. O que importava mesmo que houvesse apenas dezenas de magos e nenhum deles fosse Arquimago? Somente Sienna era uma Arquimaga maior do que centenas de magos juntos.

A recitação começou e cada vez que seus lábios se moviam, enormes quantidades de mana formavam anéis no corpo de Sienna. Logo, nove anéis se formaram no total e se sobrepuseram em um grande anel.

— Ah… — Os magos no chão olharam para Sienna com olhares reverentes.

Eles não sabiam exatamente como Sienna formava seus feitiços, mas sabiam que nenhum deles poderia esperar alcançar o estado transcendental em que ela se encontrava. Os magos não sabiam quando a guerra com os demônios chegaria ao fim, mas uma coisa era clara em relação a Sienna. Seu nome seria gravado como a maior e mais clara presença na história da magia, e o nome Sienna Merdein serviria como um ponto de virada para os magos como um todo.

Mesmo que os demônios acabassem vencendo a guerra e todas as outras existências fossem exterminadas, os demônios não seriam capazes de deixar de fora o nome Sienna Merdein quando se referissem ao estudo da magia no futuro.

Se o continente vencesse a guerra, então os futuros magos do continente — ou melhor, todos os magos do futuro — teriam como objetivo se tornarem como Sienna Merdein.

A magia foi concluída e a chuva da morte começou a cair. Centenas de pequenos disparos caíram como uma chuva de meteoros.

Os disparos não eram simples. Cada gota de morte foi cuidadosamente construída com altas concentrações de mana, condensada até o seu limite. Os projéteis de mana penetrariam no Poder Negro que protegia os demônios, assim como suas armaduras, antes de se enraizarem em seus corações e explodirem.

Embora o campo de batalha estivesse uma bagunça completa, o ataque mágico de Sienna moveu-se com precisão e atingiu apenas os cavaleiros demônios. Os demônios mais fracos da Névoa Negra foram massacrados às dezenas após serem atingidos pelos disparos mágicos, e o sangue de mais de cem bestas demoníacas encharcou as planícies enquanto eram transformadas em formas irreconhecíveis.

— Sienna do Desastre—! — A expressão de Gavid ficou distorcida enquanto comandava a Névoa Negra.

Seus olhos brilharam em um vermelho carmesim e a série de disparos mágicos explodiram e desapareceram.

No entanto, Sienna ainda não havia terminado. Ela acelerou suas recitações enquanto seus olhos vermelhos brilhavam. Akasha respondeu a ela emitindo uma luz brilhante, e os magos no chão mantiveram o ritmo desesperadamente, apesar do sangue fluir livremente de todos os seus orifícios faciais.

O céu começou a distorcer, e uma esfera formada artificialmente de massa e peso esmagadores começou a descer até o chão, esmagando o céu nublado abaixo dela. Era um meteoro. E não era um meteoro retirado do espaço sideral, mas uma massa de proporções gigantescas, suficiente para varrer um país ou mesmo uma civilização inteira do mapa.

Kwaaaaaah!

Quando o meteoro começou a cair, Gavid Lindman e a Névoa Negra olharam horrorizados para o céu. Mesmo que Sienna do Desastre e Anise do Inferno estivessem ali, seria impossível para alguém sobreviver se um meteoro desse tamanho caísse no chão. Todos, tanto os aliados quanto os inimigos, seriam exterminados.

— Sua Majestade! — Gritou Gavid.

No entanto, o projétil gigante não visava a Planície Vermelha, mas sim o castelo do Rei Demônio do Encarceramento. Se fosse um ataque formado por mana, sempre haveria uma grande possibilidade de que o Rei Demônio do Encarceramento o bloqueasse facilmente. Os Reis Demônios tinham esse poder — o poder de destruir a magia humana com um bufo.

É por isso que Sienna insistiu em lançar um bombardeio físico usando um meteoro. A massa gigantesca, que havia sido criada alguns dias antes, era grande o suficiente para esmagar todo o castelo do Rei Demônio do Encarceramento.

O sangue fluía livremente dos lábios daqueles que recitavam os encantamentos. Eles estavam guiando o meteoro enquanto adicionavam dezenas de ataques mágicos à superfície do meteoro.

“Morra…!” Sienna realmente desejava que o meteoro esmagasse o terrível castelo e que o Rei Demônio do Encarceramento fosse enterrado vivo sem nunca ter a chance de oferecer qualquer resistência.

Woooooooo—!

A escuridão foi vomitada da imponente fortaleza do Rei Demônio do Encarceramento. A escuridão parecia formar um véu que cercava o castelo, depois se reuniu em um único ponto no topo de uma das torres. A escuridão se transformou em uma corrente antes de envolver o meteoro caindo.

Não houve som. Não houve explosão, nem rugido, nada. Só assim, o enorme meteoro desapareceu. Sienna tropeçou no ar, incapaz de acreditar no que acabara de acontecer.

“O Rei Demônio do Encarceramento…”

Sienna olhou para o castelo. Ela podia ver um homem parado no topo da torre do castelo, de onde a corrente se originou. O Rei Demônio do Encarceramento era diferente de qualquer um dos Reis Demônios que havia encontrado até agora. Embora os chifres em sua cabeça traíssem sua identidade, ele parecia muito humano. Sua aparência era estranhamente calma e pequena em comparação com o Rei Demônio da Destruição, que não assumia nenhuma forma tangível, ou com os outros Reis Demônios, que eram bastante ferozes e de aparência grande.

Como se tivesse sentido o olhar de Sienna, o Rei Demônio do Encarceramento voltou seu olhar com uma leve inclinação de cabeça para onde Sienna estava no céu.

Zing!

Simplesmente encontrar o olhar do Rei Demônio do Encarceramento fez Sienna sentir como se sua mente fosse entrar em colapso. Uma forte dor de cabeça ameaçou deixá-la inconsciente e seu corpo desabou.

— Ei. Você está bem?

Fwooosh!

O vento trouxe um cheiro familiar. Sienna abriu os olhos e virou a cabeça para encontrar Hamel, que havia saltado para alcançá-la de longe, diante dela. Ela engasgou quando percebeu que estava nos braços de Hamel.

— Você cheira a sangue. — Comentou Sienna.

— Claro que sim. — Respondeu Hamel com um olhar indiferente enquanto lambia um fio de sangue que escorria por sua bochecha.

Ele estava coberto com o sangue dos demônios que havia massacrado, bem como com o sangue fluindo de suas próprias feridas. Sienna sentiu o sangue encharcando sua túnica enquanto apertava com mais força as roupas de Hamel.

— Você não usou Ignição, usou? — Perguntou Sienna.

— Não. — Respondeu Hamel.

— Você está mentindo. — Disse Sienna.

— Foi apenas por um breve momento, então basicamente não useu. Quase não há efeito colateral. — Resmungou Hamel, batendo o dedo na testa dela. — Por que você não se preocupa consigo mesma e não comigo, hein? Eu te contei ontem, não foi? Não mire no castelo. O Rei Demônio do Encarceramento não é um idiota, então como poderia deixar de lidar com um ataque mágico bem no topo de seu castelo?

— Mas valeu a pena tentar. — Disse Sienna.

— Certo, certo. Graças a você, pudemos descobrir que sua magia não tem muito impacto no Rei Demônio do Encarceramento. — Disse Hamel.

Sienna soltou o colarinho de Hamel enquanto murmurava em voz baixa:

— Posso usar outros tipos de magia.

Tum.

Hamel colocou Sienna no chão antes de balançar a cabeça.

— Não use nada grande e apenas mantenha sua condição. Vou indo.

— Você vai até o Vermouth? — Perguntou Sienna hesitante.

— A quem mais eu iria além daquele desgraçado? Vim aqui, porque fiquei surpreso ao ver você cair, mas Vermouth também não está tendo vida fácil. Eu gostaria de arrancar a cabeça daquele maldito, Gavid, hoje. — Hamel virou a cabeça enquanto estalava a língua.

Boom!

Uma explosão ressoou do outro lado do campo de batalha e um luar sombrio subiu para o céu. Vermouth recorreu ao uso da Espada do Luar.

— Mas isso parece estar fora de questão. — Concluiu Hamel.

Imediatamente depois, ele viu Gavid saltar para o céu para escapar das rajadas consecutivas de luar. Seus olhos brilhavam negros e Poder Negro subiu como uma chama da espada que ele segurava com uma das mãos. Em combinação com o poder do Olho Demoníaco da Glória Divina, a Glória da Espada Demoníaca impedia que o luar destruísse tudo em seu caminho.

— Este não foi apenas um breve momento. — Murmurou Sienna enquanto pressionava o peito latejante com a mão.

Hamel cruzou o campo de batalha e se juntou a Vermouth. Ele não teve escolha senão usar Ignição para acompanhar Vermouth, que havia sacado a Espada do Luar.

— Mentiroso. — Sienna falou acusadoramente.

Hamel havia prometido não usar Ignição nesta batalha, mas… Sienna não esperava que ele cumprisse sua promessa. Para entrar no castelo do Rei Demônio do Encarceramento, era necessário conquistar as Planícies Vermelhas e exterminar a Névoa Negra, e por isso todos estavam tão desesperados.

Apesar de serem inferiores em número, a balança da batalha estava pendendo a seu favor, porque Sienna, Anise, Moron, Vermouth e Hamel dominavam o campo de batalha. Apesar disso, havia simplesmente muitos inimigos. Cada aliado tinha que matar dezenas de demônios e bestas demoníacas para eliminar completamente as forças inimigas.

No entanto, os cavaleiros e soldados que participavam do campo de batalha eram incomparavelmente mais fracos que Sienna e seus companheiros. Mesmo assim, estocaram seus inimigos sem hesitação, apesar de terem perdido os membros. Houve até pessoas que acionaram a mana em seus corpos para explodir junto com seus inimigos.

Todos estavam desesperados, porque sabiam o significado da batalha de hoje, e é por isso que Sienna não podia reclamar das mentiras de Hamel. Ela tirou uma poção do subespaço dentro de seu manto e engoliu.

Depois, Sienna repetiu as mesmas ações de seus dezesseis anos de batalhas. Ela engoliu poções como se fosse água para manter seus estoques de mana altos enquanto liberava bombardeios de magia. Ela se apoiou na Luz de Anise e seguiu o caminho que Moron havia criado.

Enquanto isso, Sienna continuou a observar Hamel e Vermouth enquanto pressionavam o comandante inimigo. Sempre que ela via que havia uma chance, ameaçava Gavid com sua magia.

Eles lutaram por muito tempo. Mesmo que o dia e a noite não fossem diferenciados ali, parecia como se tivessem lutado o dia inteiro. Os gritos aparentemente intermináveis ​​desapareceram lentamente e o silêncio surgia de vez em quando. As planícies estavam coloridas de vermelho com sangue, bastante condizente com seu nome, e o fedor dos cadáveres e do sangue era pungente.

Sienna recitou encantamentos com olhos sem vida. Seus lábios estavam extremamente secos e rasgados, fazendo com que o sangue pingasse de seus lábios, mas ela ainda recitava encantamentos enquanto tropeçava para frente.

— Sienna, Sienna!

Braços envolveram a cintura de Sienna por trás e ela parou. Sienna deu um pulo e olhou para trás. Ela viu um rosto pálido e sem vida.

Anise estava respirando irregularmente. Ela também cheirava a sangue.

— Acabou. — Afirmou Anise.

— Anise? — Sienna pronunciou.

— Acabou. Estúpida Sienna! Mesmo que você sempre repreenda Moron e Hamel, você não é diferente deles. Você foi consumida pela sua magia novamente? — Perguntou Anise.

Tinha sido inevitável. Para distinguir com precisão entre amigo e inimigo enquanto lançava feitiços continuamente, ela precisava fundir completamente sua consciência com a magia. No entanto, isso a transformava em um canhão mágico mobilizado e otimizado para batalhas.

— Eu não fui consumida. Na verdade… — Sienna tentou refutar.

— Sim, sei muito bem o que você está tentando dizer. De qualquer forma, acabou. — Disse Anise enquanto suportava sua dor. Ela estalou a língua enquanto olhava para os lábios rasgados de Sienna, mãos esfarrapadas e pés arrastados. — Pelo menos você está melhor que Moron. Isso é um alívio.

— Como está Moron? — Perguntou Sienna.

— Bem, não sei por onde começar… Ambos os braços foram decepados cerca de quatro vezes e ele perdeu toda a parte inferior do corpo uma vez. Ah, isso sem incluir os ferimentos nas pernas. — Explicou Anise.

— …

— Nossos danos… Em suma, cerca de duzentas pessoas sobreviveram. Menos de cem, se excluirmos aqueles que sobreviveram pela pele dos dentes, mas sim, o que é importante é que eles ainda estão vivos. — Continuou Anise.

— E o Hamel e Vermouth? — Perguntou Sienna.

— Eles estão bem. — Respondeu Anise.

Ela soltou um longo suspiro antes de estender a mão para Sienna.

Fwooosh…!

A Luz que vinha da mão de Anise era fraca em comparação com o início da batalha, mas o milagre curou rapidamente os ferimentos de Sienna.

— Mas eles perderam a Lâmina do Encarceramento.

— Ah

— Não conseguimos alcançá-lo depois que ele decidiu fugir. O Olho Demoníaco da Fantasia de Noir Giabella era difícil de lidar, mas o Olho Demoníaco da Glória Divina de Gavid Lindman era… Para ser completamente honesta, teríamos sido exterminados muito antes se Sir Vermouth não estivesse aqui. — Disse Anise.

Ela parecia frustrada enquanto franzia os lábios.

Era sabido que o Olho Demoníaco da Glória Divina de Gavid Lindman havia sido concedido diretamente a ele pelo Rei Demônio do Encarceramento.

Quem Gavid Lindman tratava como seu deus? Era o Rei Demônio do Encarceramento. Como o nome sugeria, o Olho Demoníaco da Glória Divina permitia que Gavid Lindman pegasse emprestado o poder de seu deus. Em outras palavras, ele poderia usar o poder do Rei Demônio do Encarceramento.

Sienna apertou silenciosamente a mão trêmula e virou a cabeça.

Ela olhou ao redor do campo de batalha com olhos rígidos. O número de cadáveres superou em muito o número de sobreviventes.

“Hamel.”

Então Sienna viu Vermouth apoiando Hamel, que estava limpando o sangue da boca. Sentindo o olhar de Sienna sobre ele, Hamel ergueu a cabeça para olhar para ela.

Ele acenou com a mão enquanto falava com voz rouca:

— Aquele maldito era muito bom em correr.

* * *

Desistiram de recuperar os cadáveres dos aliados, mas não abandonaram o funeral. Anise e os poucos sacerdotes sobreviventes ajoelharam-se nas planícies manchadas de sangue e oraram ao seu deus para que entregasse as almas dos guerreiros mortos ao céu.

— Decidi deixar nossa retaguarda para eles. — Disse Vermouth enquanto olhava para o Castelo do Rei Demônio do Encarceramento. — As forças da Névoa Negra e das bestas demoníacas foram exterminadas. Nós cinco iremos romper as tropas restantes no castelo. O Escudo, o Cajado e a Lâmina deveriam permanecer na casta, mas… Nós cinco deveríamos ser capazes de avançar.

— Sim, cinco. — Hamel murmurou enquanto estava sentado no corpo de uma besta demoníaca.

Ele parecia bastante calmo apesar de ter usado Ignição. Era quase como se não estivesse sentindo nenhum efeito colateral ao usar a habilidade.

— Será melhor irmos sozinhos do que todos irem. Podemos lutar em qualquer situação se formos nós cinco, e poderemos cuidar uns dos outros também.

— Não deveríamos também ter em mente que demônios e bestas demoníacas podiam unir forças de fora das Montanhas da Centopeia?

— É por isso que estamos deixando nossa retaguarda para eles. — Respondeu Moron.

Embora tivessem vencido a batalha, as tropas restantes pareciam tão miseráveis quanto soldados derrotados. No entanto, seus olhos ainda brilhavam com uma luz brilhante.

Ele acrescentou:

— Eles são guerreiros. Nos protegerão, mesmo que isso lhes custe a vida.

— Partiremos amanhã. — Disse Hamel.

Anise se encolheu e olhou para Hamel com espanto.

— Não seja tolo. Você, de todas as pessoas, precisa descansar e—

— Não estou sentindo nenhuma exaustão. — Hamel interrompeu, levantando-se para que todos vissem. — Pelo contrário, meu corpo parece muito leve. Além disso, se ficarmos aqui alguns dias por minha causa, não faria sentido atacar as planícies.

— Mas—

— Está tudo bem. — Afirmou Hamel com um sorriso.

Vermouth olhou para Hamel por um momento e depois assentiu.

— Você está certo. Já chegamos até aqui, então não podemos esperar mais. No entanto, Hamel, prometa-me isso. Assim como eu… Assim como nós não deixaremos você para trás, você não pode nos deixar para trás. — Afirmou Vermouth.

— Por que você está fazendo isso parecer tão complicado? Está apenas me dizendo para não morrer. — Respondeu Hamel.

— Devemos caminhar juntos do começo ao fim. Se você sentir que vai desmaiar no meio, não se force e apoie-se em nós. — Disse Vermouth.

— Certo, certo. — Hamel acenou com a mão antes de saltar do cadáver da besta demoníaca.

Sienna observou atentamente os movimentos de Hamel. Antes, ele não conseguia nem se mover adequadamente devido aos efeitos colaterais da Ignição. Parecia que ele não estava mentindo sobre não estar sentindo nenhuma exaustão.

“O fluxo de mana… Também está estável. Ele está bem.” Sienna assentiu enquanto dava um suspiro de alívio.

Amanhã, eles escalariam o Castelo do Rei Demônio do Encarceramento.


Considere fazer uma Doação e contribua para que o site permaneça ativo, acesse a Página de Doação.

Comentários

5 2 votos
Avalie!
Se Inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar