Switch Mode
Participe do nosso grupo no Telegram https://t.me/+hWBjSu3JuOE2NDQx
Considere fazer uma Doação e contribua para que o site permaneça ativo, acesse a Página de Doação.

Getting a Technology System in Modern Day – Capítulo 108

A Grande Fuga

Traduzido usando o ChatGPT



Uma semana depois.

No elevador do hospital, Terry ficou acompanhado por dois seguranças vigilantes que o escoltavam em direção ao estacionamento no subsolo. O objetivo deles era levar Terry de volta para os confins seguros do complexo Rothschild, onde ele inevitavelmente enfrentaria as repercussões de suas ações.

Apesar de seus esforços para se acalmar, Terry achou cada vez mais difícil recuperar a compostura. No fundo, ele sabia que seu destino estava selado desde o momento em que entrou no complexo.

As consequências iminentes que o aguardavam transformariam sua experiência em uma história de advertência, garantindo que ela fosse gravada na memória coletiva de todos que a ouvissem, servindo como um lembrete contundente para nunca se envolver em ações tão tolas.

O que o mantinha firme era a reunião que ele teve com Gerald, que o visitou vestido como médico sob o pretexto de fazer os últimos exames antes de aprovarem sua alta.

Enquanto o elevador descia, o coração de Terry se enchia de um crescente medo. A cada andar que passava, a ansiedade aumentava, amplificando o peso da apreensão dentro dele.

O elevador parou subitamente no oitavo andar, levando a equipe de segurança a se tensinar instintivamente, se preparando para o que os aguardava. À medida que as portas se abriam suavemente, eles se depararam com uma visão inesperada e desconcertante.

De pé diante deles havia uma enfermeira, sua presença ofuscada pela figura inerte na cama coberta por lençóis.

Os ocupantes do elevador instintivamente cobriram seus narizes, dominados pelo cheiro inconfundível e repugnante que impregnava o ar. Ficou claro que a fonte do mau cheiro era o corpo na cama, agora revelado como coberto de excrementos.

“Com licença”, a voz da enfermeira filtrou através da máscara enquanto ela educadamente interveio, empurrando a cama para o espaço confinado do elevador.

Instintivamente, os seguranças rapidamente se reposicionaram, formando dois grupos em cada lado da cama.

Terry se viu posicionado no lado direito da cama, acompanhado por um segurança, enquanto o outro segurança se posicionou no lado esquerdo.

A enfermeira, aparentemente inconsciente da tensão prevalecente no elevador, calmamente apertou o botão para o andar designado como a área de necrotério.

Os seguranças posicionados ao lado da enfermeira se viraram para ela, suas expressões contorcidas de desconforto, e perguntaram: “Não há um elevador designado para transportar esses itens?” Eles lutavam para suportar o cheiro avassalador que impregnava o ar.

Enquanto as portas do elevador se fechavam, ela respondeu: “Sim, há, mas infelizmente está passando por manutenção no momento”, seu tom refletindo seu próprio desconforto com a situação.

Conforme o elevador começou a descer, os seguranças, convencidos de que nenhuma ameaça poderia surgir do corpo imóvel e sujo diante deles, relaxaram sua vigilância.

Desconhecido por todos no elevador, a mão da enfermeira se moveu sorrateiramente sob os lençóis da cama, recuperando um bisturi escondido. Com extrema precisão e sem levantar qualquer suspeita, ela fez seu movimento. Em um ato repentino, rápido e inesperado, ela se lançou sobre o segurança posicionado à esquerda, pegando-o completamente desprevenido. Ela rapidamente esfaqueou o segurança em seu estômago.

Aproveitando a oportunidade que se apresentava diante dele, Terry não perdeu tempo e lançou seu ataque contra o segurança momentaneamente atordoado. Com o segurança lutando para recuperar a compostura e reagir a tempo, Terry conseguiu rapidamente imobilizá-lo em um estrangulamento.

‘Eu lhe darei minha carne e levarei seus ossos’, ele pensou consigo mesmo enquanto mantinha o estrangulamento.

Enquanto isso, do lado oposto, o segurança esfaqueado persistia em sua luta contra a enfermeira. Ele tentou golpeá-la com a perna, mas a enfermeira habilmente desviou o golpe, fazendo com que a perna dele ficasse presa entre a cama e a parede do elevador.

O impacto reverberou pelo elevador, fazendo com que a cama tremesse, seguido pelos gritos agonizantes do segurança, cujo osso havia sido fraturado no processo.

A enfermeira, sem hesitar, prosseguiu rapidamente com seu ataque. Ela esfaqueou impiedosamente o segurança várias vezes no abdômen, garantindo que ele ficasse incapacitado de tomar qualquer ação adicional.

O segurança ferido desabou contra a parede do elevador, segurando seu estômago sangrando em uma tentativa desesperada de estancar o fluxo. Ofegando por ar, ele lutava para manter uma respiração adequada em meio à dor e ao caos ao seu redor.

Quando o elevador chegou ao seu destino no subsolo, os eventos tumultuosos que haviam ocorrido dentro do espaço confinado chegaram ao fim.

A enfermeira se virou para Terry e, vendo que ele lidou com o segurança, disse: “Vamos”, antes de rapidamente dar um poderoso golpe com o joelho na cabeça do segurança ferido, deixando-o inconsciente.

Terry assentiu, reconhecendo a ordem da enfermeira para sair do elevador. Ao sair do elevador, ele pressionou o botão para o primeiro andar, garantindo que os seguranças inconscientes fossem levados para a sala de emergência.

Essa decisão foi tomada com a intenção de manter a situação relativamente contida, já que os Rothschilds provavelmente exerceriam mais restrição se seus seguranças estivessem vivos em vez de mortos.

Observando as ações de Terry, a enfermeira permaneceu em silêncio, pois ela não se importava com isso.

Sem perder tempo, eles se movimentaram rapidamente até chegarem a um carro estacionado. A mulher pegou as chaves, destravando o veículo.

Eles entraram rapidamente no carro, sem perder tempo, e se afastaram das dependências do hospital, deixando para trás a cena caótica antes que alguém pudesse dar o alerta sobre a situação que se dirigia ao primeiro andar.

Enquanto deixavam o hospital e se aventuravam pelos arredores da cidade, os pensamentos acelerados de Terry começaram a diminuir, permitindo que ele recuperasse uma certa calma. Ele se virou para a mulher, ainda vestida como enfermeira, e quebrou o silêncio iniciando uma conversa.

“Eu sou Terry. Quem é você?”, ele perguntou, tentando desviar a atmosfera sombria e escapar do peso de suas ações recentes, que só serviam para amplificar as possíveis repercussões que ele poderia enfrentar se fosse capturado.

Terry se viu em uma situação reminiscente de uma criança que, dominada pelo medo de uma punição iminente por um erro, recorre a mais más ações na tentativa de esconder sua transgressão inicial.

Em sua tentativa desesperada de evitar as consequências, ele inadvertidamente escalou a gravidade de suas ações. ‘Merda’, ele pensou consigo mesmo.

“Ligue para o número que fez a última ligação no telefone”, disse a mulher, descartando a pergunta de Terry sem oferecer nenhuma explicação ou resposta adicional.

Terry pegou o telefone e acessou o aplicativo de chamadas, navegando para a seção onde os detalhes das chamadas anteriores eram exibidos. Para sua surpresa, ele descobriu que apenas uma ligação havia sido feita deste dispositivo.

Terry tocou no número de telefone e pressionou rapidamente o botão de chamada, levando o telefone ao ouvido.

Após tocar por aproximadamente três segundos, a ligação foi atendida, e uma voz do outro lado, sem qualquer cumprimento formal, perguntou imediatamente: “Você conseguiu?”

Terry reconheceu rapidamente a voz como sendo de Gerald, a mesma pessoa que o havia visitado no hospital na semana anterior para discutir o plano de fuga.

“Sim, obrigado”, respondeu Terry, expressando sua gratidão após uma breve pausa.

“Ótimo. O senhor me instruiu a transmitir essas ordens a você: ‘Siga essa mulher e permaneça ao lado dela até receber instruções adicionais'”, Gerald transmitiu as instruções que havia recebido de Arieh sem mencionar explicitamente seu nome.

Ao omitir detalhes específicos, eles pretendiam garantir que, mesmo que a ligação fosse gravada, nenhuma evidência substancial que os ligasse a Arieh fosse encontrada.

“Sim, senhor. Por favor, transmita minha gratidão a ele”, respondeu Terry, expressando sua apreciação. No entanto, ele não recebeu resposta, pois a ligação foi encerrada abruptamente.

“Telefone”, a mulher disse, fazendo um gesto com a mão estendida, indicando que ela queria que Terry devolvesse o aparelho.

Enquanto Terry entregava o telefone de volta para ela, a enfermeira o jogou rapidamente pela janela, fazendo-o cair na água abaixo da ponte que estavam atravessando. Em seguida, ela se virou para Terry, se apresentando.

“Meu nome é Katrina”, ela declarou. “Como a ligação indicou, você ficará comigo até receber instruções adicionais. Espero que você não me cause problemas durante o tempo que estiver comigo, pois eu preferiria não ser obrigada a dar um tiro na sua cabeça. Tenho autorização para fazer isso se você se tornar problemático.”

“Você não precisa se preocupar com isso. Eu não tenho intenção de ir a lugar algum”, Terry tranquilizou Katrina, reconhecendo a gravidade de sua situação.

“Mesmo sem o seu aviso, eu sei muito bem que eles estarão nos procurando incansavelmente, não deixando pedra sobre pedra. Eu cometi atos que vão contra os princípios esperados de um funcionário Rothschild, não apenas uma vez, mas duas. Agora, se trata de proteger a reputação deles, e eles não vão descansar até nos encontrarem.”

“Isso é bom”, respondeu Katrina.

“Qual é a sua tarefa habitual?” Ele perguntou, querendo conhecê-la melhor, já que passaria muito tempo com ela.

“Não é da sua conta”, Katrina disse antes de parar de responder a quaisquer perguntas que Terry fizesse depois disso, pois ele estava tentando distrair sua mente para não ter que pensar sobre o que aconteceria com ele se fosse pego.


Comentários

5 1 voto
Avalie!
Se Inscrever
Notificar de
guest
1 Comentário
Mais recente
Mais Antigo Mais votado
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Aquele acima de tudo e todos
Membro
Aquele acima de tudo e todos
16 dias atrás

Puta que pariu, nova precisa descobrir isso e alertar Aron, desse jeito ele pode resolver, ou dar a primeira missão do esquadrão privado.

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar