Switch Mode
Participe do nosso grupo no Telegram https://t.me/+hWBjSu3JuOE2NDQx
Considere fazer uma Doação e contribua para que o site permaneça ativo, acesse a Página de Doação.

Getting a Technology System in Modern Day – Capítulo 113

Um Dia na Vida de John

Traduzido usando o ChatGPT



Em profunda contemplação, John podia ser visto deitado sem camisa na sacada do quarto de hotel, seu olhar fixo no céu.

Enquanto uma brisa suave o acariciava, as cortinas que escondiam a entrada da sacada do quarto de hotel tremulavam, revelando duas mulheres lindas dormindo pacificamente. Seus corpos nus falavam da intimidade compartilhada que haviam experimentado algumas horas atrás – uma história conhecida apenas por elas e destinada a permanecer um segredo guardado pelos limites do quarto e pelos sussurros dos lençóis.

Sua história, não revelada ao mundo, a menos que divulgada por aqueles que participaram de seu abraço clandestino.

Quanto a John contemplativo, seus pensamentos vagavam em direção aos eventos que ocorreram após sua recuperação.

“O que devo fazer agora?”, ele ponderava em silêncio. Nas últimas três semanas, ele se entregou a todas as atividades que ansiava experimentar durante sua confinamento forçado por causa da lesão, não deixando pedra sobre pedra.

Três semanas atrás

Um dia depois de Aron curá-lo, ele não perdeu tempo e foi direto a um bar, desejando um momento de escape. Ao chegar, ele pediu confiantemente sua bebida amada e se acomodou, esperando por sua chegada.

Enquanto o garçom graciosamente lhe apresentava a bebida, ele se viu cativado por sua beleza. Em um momento de impulsividade, ele segurou rapidamente o copo de cerveja com a mão, ansioso para saciar sua sede sem demora.

“CRACK!” O copo se quebrou e se espatifou como consequência de sua força inadvertidamente exercida, amplificada após sua recuperação.

“Uau”, exclamaram ambos em genuína surpresa e admiração, suas vozes se entrelaçando.

“Esta é a primeira vez que testemunho alguém quebrar um copo apenas segurando-o”, comentou a garçonete, sua admiração evidente ao expressar seu espanto em relação a ele.

“Parece que o copo já tinha uma rachadura pré-existente, e meu aperto um pouco mais firme deve ter sido o gatilho para sua quebra”, disse John, tentando desviar o foco de sua força aumentada e atribuindo o incidente a uma causa alternativa.

“Eu realmente não acho”, respondeu a garçonete, seu tom refletindo profunda contemplação enquanto ponderava sobre a condição do copo antes de sua queda.

“Você realmente acredita que eu pareço forte o suficiente para quebrar um copo com apenas uma mão?”, perguntou John, usando um toque de lógica na tentativa de argumentar com ela.

“Agora que você colocou dessa forma, realmente parece altamente improvável”, respondeu a garçonete, colocando um dedo sobre os lábios. Ela estava fascinada pelo que viu do vislumbre de seu corpo bem tonificado quando ele pediu para ela olhar seu corpo para ver se ele tinha força suficiente para quebrar um copo com uma mão.

“Eu sou o John, John Watcher, aliás”, John se apresentou com um sorriso amigável, utilizando o novo nome dado a ele por Aron. Ele estendeu a mão, oferecendo um aperto de mãos como gesto de boa vontade.

Embora seu primeiro nome permanecesse inalterado para fins de familiaridade, seu nome do meio e sobrenome foram alterados.

“Eu sou a Aurora, Aurora Nolan”, ela retribuiu, se apresentando com um sorriso caloroso enquanto apertava firmemente sua mão estendida.

“Prazer em conhecê-la”, ela disse, seu sorriso encantador revelando um conjunto de dentes brancos imaculados. John não pôde deixar de ser cativado por sua beleza, momentaneamente hipnotizado por seu charme radiante.

“Prazer em conhecê-la também. Eu poderia ter uma bebida fresca? A julgar pelo estado da anterior, não parece fácil de consumir”, comentou John com um toque de sarcasmo, arrancando uma risada gostosa de Aurora.

“Sim, senhor, eu estava prestes a trazer uma bebida fresca para você, mas parece que você precisará ir ao banheiro”, apontou Aurora, indicando onde John poderia encontrá-lo.

“Ah, sim, onde posso encontrar o banheiro?”, perguntou John, acompanhado de uma risadinha. A realização se fez presente de que ele havia ficado tão fascinado pela beleza de Aurora quando ela inicialmente serviu a bebida que ele momentaneamente havia se esquecido de suas calças molhadas resultado da cerveja derramada.

“É ali”, respondeu Aurora, apontando elegantemente na direção do banheiro, indicando onde John poderia encontrá-lo.

“Obrigado”, expressou John sua gratidão, antes de se levantar da cadeira e seguir em direção ao banheiro para cuidar de suas calças molhadas.

“De nada”, respondeu Aurora, seu olhar pairando nas costas esculpidas da figura de John antes de se afastar para pegar sua bebida fresca.

Ao retornar do banheiro, John descobriu que Aurora já havia colocado sua bebida na mesa, cuidadosamente coberta com uma tampa. Ela também havia diligentemente limpado quaisquer vestígios da cerveja derramada, garantindo uma superfície limpa e arrumada antes de retornar para continuar seu trabalho.

Sentando-se novamente, John se deliciou com sua bebida, saboreando cada gole como se tivesse passado uma eternidade desde a última vez que apreciou seu sabor. Com cada gole, ele mergulhava nos sabores, saboreando a bebida até chegar ao fundo do copo.

Ao terminar sua bebida, John chamou um garçom, e um outro membro da equipe, não Aurora, respondeu ao seu chamado e veio atendê-lo.

Um pouco decepcionado, ele prosseguiu para pedir outro copo da mesma bebida que estava apreciando.

Tendo consumido mais de dez copos da bebida sem sentir o menor sinal de embriaguez, ele refletiu consigo mesmo: “Não tenho certeza do que Sir Aron fez comigo, mas devo dizer que estou apreciando bastante esse novo corpo meu”.

Percebendo que ele era imune à embriaguez, exceto pelo persistente desejo de aliviar-se, ele decidiu aproveitar sua aparência rejuvenescida e sua forma física jovem. Determinado a se deleitar com os prazeres dos quais havia sido privado no passado, ele decidiu visitar uma boate e se entregar a uma noite de entretenimento e diversão que há muito tempo lhe era inacessível.

Ele se levantou da cadeira e se dirigiu ao balcão do bar para pagar suas bebidas, ansioso para encerrar seu tempo no estabelecimento e embarcar em sua jornada rumo à boate.

“Você estava servindo há apenas alguns momentos, não?”, perguntou ele, surpreso ao encontrar Aurora posicionada na máquina de pagamento, processando os pagamentos.

“Minha amiga que deveria estar aqui foi ao banheiro, então estou substituindo por ela até que ela volte”, explicou Aurora, mantendo sua postura profissional enquanto continuava a lidar com as transações.

“Ah, entendi. Quanto devo?”, perguntou John, querendo saber o valor que precisava pagar por suas bebidas.

“Deixe-me conferir”, respondeu Aurora, inserindo o número da mesa ocupada por John para acessar o valor total de sua conta.

“Serão $74”, disse Aurora, tendo olhado para a máquina de pagamento. “Como você gostaria de fazer o pagamento?”, ela perguntou, pronta para ajudar John com seu método escolhido de pagamento.

“No cartão”, ele respondeu, pegando sua carteira e retirando um cartão para concluir a transação de pagamento.

“Gorjeta?”, ela perguntou, educadamente perguntando se ele gostaria de adicionar uma gratificação à transação.

“35%”, ele respondeu.

“Por favor, passe o cartão aqui”, solicitou Aurora, já tendo incluído a gorjeta de 35%, garantindo que ela estivesse incluída na transação.

“Você não deveria estar um pouco mais embriagado? A máquina mostra que dez copos foram pedidos em sua mesa, mas você parece perfeitamente bem. Será que você derramou os outros nove copos também?”, Aurora perguntou brincando.

Sorrindo, ele respondeu: “Na verdade, eu consumi todos eles. Me considero um bebedor pesado”, ostentando sutilmente sua capacidade para álcool.

“Uau”, Aurora comentou de forma sedutora, um brilho brincalhão em seus olhos. Rapidamente recuperando sua compostura, ela disse: “Aqui está seu recibo”, entregando-lhe os recibos.

“Quando você terminar aqui?”, perguntou ele, dando um salto de fé, esperando estender sua interação além dos limites do estabelecimento.

“Daqui a uns trinta minutos, por quê?”, respondeu Aurora, seu sorriso crescendo ao se envolver na pergunta.

“Quando você terminar, você estará livre? Gostaria de convidá-la para se juntar a mim para aproveitar a noite”, propôs John, seu interesse evidente enquanto aguardava ansiosamente sua resposta.

“Infelizmente, não estarei disponível, pois tenho planos para passar um tempo com uma amiga”, respondeu Aurora, seu tom apologético, mas firme.

“Que pena”, disse John com um toque de decepção, e então ele começou a se dirigir para a saída, aceitando a realidade da situação.

“Mas você pode se juntar a nós se ela concordar”, ela interveio ao perceber que ele estava se preparando para sair, oferecendo-lhe uma possibilidade alternativa se sua amiga estivesse disposta à ideia.

“Isso também funciona”, ele respondeu, sua decepção desaparecendo à medida que considerava a possibilidade alternativa apresentada por Aurora.

“Claro, posso ter seu número de telefone para poder entrar em contato com você se ela concordar?”, ela perguntou, seus olhos brilhando de antecipação ao testemunhar a resposta positiva de John.

“Meu número é …” John começou, fornecendo a Aurora suas informações de contato para que ela pudesse entrar em contato com ele.

Aurora digitou rapidamente o número de John, salvando-o em seu telefone. Sem hesitação, ela discou o número e encerrou a chamada assim que a conexão foi estabelecida. Com um sorriso brincalhão, ela revelou: “Esse é o meu número”.

“Até mais tarde, então,” John se despediu com um aceno e um sorriso, antes de sair rapidamente do bar, dirigindo-se para a boate para aproveitar a noite e desfrutar dos momentos de sua vida.


Comentários

0 0 votos
Avalie!
Se Inscrever
Notificar de
guest
1 Comentário
Mais recente
Mais Antigo Mais votado
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Aquele acima de tudo e todos
Membro
Aquele acima de tudo e todos
13 dias atrás

Que que eu quero saber da vida desse cara.

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar