Participe do nosso novo grupo no Telegram https://t.me/+hWBjSu3JuOE2NDQx
Considere fazer uma Doação e contribua para que o site permaneça ativo, acesse a Página de Doação e veja os benefícios.

Lord of Mysteries – Capítulo 1161

Contagem regressiva

Diante do elogio de Amon, Klein forçou um sorriso e respondeu educadamente: — Obrigado.

Para ser sincero, ele preferia ouvir xingamentos em vez de elogios, pois isso significava que estava perto do sucesso.

É claro que Klein suspeitava que, mesmo que conseguisse escapar, Amon não ficaria perturbado e exasperado. Com base na personalidade deste Deus da Travessura, era muito provável que achasse isso interessante e excitante, ao mesmo tempo que inevitavelmente se sentia um pouco deprimido e desapontado a ponto de ficar ansioso pela próxima rodada.

— É uma grande melhoria poder pensar em usar o Porta para me atrapalhar. — Amon sorriu indiferentemente. — Mas você não acha que eu estaria em um estado relativamente mais vigilante durante a ‘Abertura da Porta’? E que na verdade não é tão fácil ser afetado por um acidente?

Depois de pensar um pouco, Klein respondeu seriamente: — Foi o que pensei no começo, mas mais tarde senti que você deveria ser capaz de compreender meu estado de espírito, acreditando que eu não ousaria agir quando você abrisse a porta. Quando isso acontecer, fazer uma tentativa pode fazer maravilhas.

Fazer isso quando os outros acreditam que você não faria isso também era uma estratégia.

Em sua vida anterior, Klein teve contato com jogos que tinham um nível de pensamento tão elevado que fez sua cabeça girar.

— E se eu pensasse neste nível também? — Amon disse com um sorriso enquanto usava seu dedo para cutucar a parte inferior de seu monóculo.

Ao mesmo tempo, as marionetes restantes, que ainda estavam vivas, tiraram monóculos de cristal do nada e os usaram no olho direito. Todas lançaram seus olhares para Klein.

Isso deixou o couro cabeludo de Klein formigando. Ele descobriu que a conexão entre as marionetes e ele havia sido cortada instantaneamente.

— Embora você tenha melhorado, o fracasso ainda exige algum nível de punição. — Com um sorriso, Amon se virou e caminhou em direção à catedral.

Quando deu um passo à frente, as marionetes revelaram sorrisos, uma após a outra, enquanto caíam no chão rigidamente. Isso fez com que a alma de Klein fosse dilacerada repetidas vezes enquanto as veias em sua testa se inchavam visivelmente.

Enquanto suportava a dor, ele ficou enraizado no chão e se acalmou depois de um longo tempo.

Durante este processo, embora sempre tenha estado nas profundezas da escuridão, não sofreu nenhum ataque dos terríveis monstros, nem ficou oculto.

“Quando Amon roubou os poderes de ocultação nesta cidade? Se eu tivesse tentado cometer suicídio, definitivamente teria esse pensamento roubado de mim… Meus preparativos ainda não são suficientes. Não tenho confiança suficiente ao lidar com Amon, não tendo levado em consideração as coisas que Ele poderia ter roubado… Eu realmente não esperava que Ele libertasse o dia que roubou das ruínas do campo de batalha dos deuses… Quanto ao que mais roubou no passado, ou o que quer que tenha roubado, não tenho ideia. Não posso fazer preparativos direcionados… Esse monóculo é algum tipo de recipiente usado para armazenar itens roubados? Ou, para começar, faz parte de Amon? Então, toda vez que ele parasita alguém, um monóculo será retirado…” Klein esfregou as têmporas e entrou na catedral. Olhando para Amon diante da porta de luz, ele perguntou, aparentemente casual: — Por que você tem tantos monóculos? Onde você costuma colocá-los?

Amon acariciou o monóculo em Seu olho direito e sorriu indiferentemente.

— Por que você não me pergunta por que todo avatar meu tem olhos? E onde costumo colocá-los?

— … Eu entendo. — Klein acenou com a cabeça em esclarecimento.

Amon lançou Seu olhar de volta para a porta de luz que ainda não tinha se acalmado devido às ondulações. Ele disse casualmente: — Tenho a sensação incômoda de que esta sua operação é uma grande preparação, e não uma tentativa.

— Que truque barato você usou durante esse processo?

Após alguma deliberação, Klein respondeu com um sorriso: — Adivinhe.

— Eu tenho alguns palpites. Você acha que adivinhei corretamente? — Amon perguntou com interesse enquanto beliscava a ponta de seu monóculo.

— Talvez, ou talvez não. — Klein não deu uma resposta clara enquanto caminhava cooperativamente para o lado de Amon. Ele o viu estender a mão novamente e pressionar a pálida porta de luz branca.

Acima da porta de luz, ondulações apareceram mais uma vez, tornando-se mais intensas e exageradas.

Após cerca de dez segundos, as ondulações se espalharam pelos arredores, fazendo com que a porta de luz se expandisse duas vezes de tamanho.

Amon olhou para Klein, gesticulando para que ele desse um passo à frente.

Klein instintivamente virou a cabeça e olhou ao redor da catedral.

Características de Beyonder deixadas pelos monstros mutantes brilhavam fora da área que a lanterna havia iluminado. Nem todos eram Beyonders quando estavam vivos. Depois que essas pessoas comuns se transformaram em monstros, grande parte do poder veio da escuridão e da degeneração. Os poderes não pertenciam a eles, então nenhuma característica foi expelida.

— Eu quase esqueci. — Depois de dar uma olhada junto com Klein, Amon de repente balançou a cabeça e sorriu.

Assim que terminou sua frase, um monte de características de Beyonder flutuou e entrou em Seu corpo. Elas se fundiram com Ele, deixando apenas uma pequena parte para trás.

— A maioria das pessoas que escolheram se transformar em monstros são do Caminho do Aprendiz, Beyonders e seus familiares que podem entrar no lado ‘escuro’ da cidade, — Amon disse casualmente enquanto retraía seu olhar.

“Mesmo que seja uma característica de Beyonder de um caminho semelhante, seria problemático se fosse diretamente comida, certo? Não deveria ser possível apenas saltar para um nível superior de um caminho vizinho? Também permite a acomodação de sequências inferiores?” Vendo isso, Klein ficou um pouco surpreso ao perguntar curioso: — Isso não vai acumular loucura?

Não se tratava apenas de acumular loucura. Klein suspeitava que, se ele mesmo fizesse isso, havia uma grande chance de enlouquecer.

— Outros irão, — disse Amon com um sorriso, — mas eu não.

“Um verdadeiro bug…” Klein não pôde deixar de suspirar interiormente.

Então, a distância entre ele e a porta de luz desapareceu.

Subconscientemente, ele se esqueceu das características de Beyonder restantes do Caminho da Morte e entrou na porta de luz mutante com Amon.

Escuridão sem fim e linhas de luz contorcidas se misturaram, dando origem à sensação de uma descida repentina.

Cerca de dez segundos depois, ele descobriu que ele e Amon haviam aparecido em uma praça. A fraca luz amarela da lanterna de pele de animal parecia ter sido interrompida por uma força invisível, fazendo com que iluminasse apenas metade da praça.

Relâmpagos cruzaram o céu, iluminando os arredores.

Com a ajuda do raio, Klein viu várias estátuas incompletas erguidas ao redor da praça. Elas ou tinham as mãos amarradas nas costas, tinham os corpos emaranhados nas rosas espinhosas ou pareciam múmias. Exalavam a sensação de serem contidas.

— Esta cidade acreditou primeiro no Rei Mutante. — Como um guia turístico qualificado, Amon apresentou a Klein a situação de cada local. — Eles são muito interessantes. Geralmente são contidos e quietos, assim como os ascetas. No entanto, assim que encontrarem uma presa, ou em momentos especiais, liberarão um desejo sanguinário de matar. Você pode imaginar que na noite de lua cheia, esta é uma cidade onde os lobisomens vagam.

“Pelo que parece, os Mutantes originalmente tinham o conceito de temperança… Mais tarde, ele foi desencaminhado pela Árvore Mãe do Desejo…” Usando a nova rodada de relâmpagos, Klein deu mais alguns olhares e perguntou pensativamente: — A aparência do Rei Mutante é próxima da de uma múmia?

— Não. Embora seja um homem feio e distorcido, Ele gosta de se enredar com rosas espinhosas. — Amon zombou.

Klein aproveitou a oportunidade para perguntar: — Que tipo de símbolos seus crentes adorarão?

— No misticismo, seu símbolo é um relógio e um Verme do Tempo?

Amon coçou o queixo e disse: — Em teoria, meus crentes são todos ‘eu’. Não preciso me preocupar em construir um símbolo.

“Meus crentes são todos ‘eu’… Felizmente, agora tenho um Abençoado como Danitz…” Klein de repente percebeu que ele era bastante semelhante a Amon em certos aspectos.

“É claro que quando digo meu crente sou eu mesmo, é uma história engraçada. Quando Amon diz que meus crentes são todos eu, isso se torna um romance de terror. A diferença de estilo é enorme…” Klein finalmente zombou de si mesmo.

Enquanto Amon avançava, continuou: — No entanto, na era do meu pai, muitas pessoas acreditaram em mim. Alguns usaram com o nome de ‘Anjo do Tempo’, usando o emblema do relógio para construir meu símbolo. Alguns usaram o título de ‘Deus da Travessura’ e usaram um corvo coberto de padrões misteriosos como minha imagem, enquanto outros combinaram os dois.

Dito isto, Amon, de monóculo, de repente virou sua cabeça e olhou para Klein antes de curvar os lábios.

— Estamos a menos de três dias do nosso destino final.

“Ou seja, só me restam três dias…” Klein quase respirou fundo. A pressão aumentou rapidamente, fazendo-o sentir como se seus nervos estivessem sendo esmagados.

Ele ainda não tinha determinado o verdadeiro propósito por trás do jogo que Amon criou, nem descobriu nenhum vestígio do que estava sendo levado a fazer. Isso significava que não conseguiu entender a chave e não conseguia encontrar uma oportunidade real de escapar.

A atuação do avatar de Amon o fez entender que talvez ele não conseguisse durar nem dez segundos diante Dele.

Enquanto seus pensamentos corriam, Klein ficou em silêncio. Depois disso, saiu da praça coberta de ruínas.

Havia poucos pedestres nas ruas, pois entravam e saíam com pressa. No Porto Pritz, onde muitas casas estavam cobertas de marcas de queimaduras, a Rainha Misteriosa, de cabelos castanhos, colocou um jornal sobre a mesa.

A primeira página do Notícias de Tussock era sobre o assassinato do rei. Também alegou que o assassino veio de Feysac ou Intis.

— Isso não impedirá o desastre, nem piorará o desastre… — Bernadette murmurou para si mesma com uma expressão séria.

Ela ponderou por um momento, pegou a toalha da mesa e embrulhou-a. Então, soltou os dedos e permitiu que relaxassem.

Desta vez, as xícaras de café, canetas, jornais e outros itens da toalha desapareceram. O que apareceu foram itens rituais como velas feitas de prata.

Depois disso, Bernadette realizou um ritual e convocou a mensageira de Gehrman Sparrow.

Como parceira, ela sentiu que precisava perguntar sobre a situação da outra parte e ver se havia mais alguma coisa em que ela precisasse de ajuda.

No momento em que o ritual terminou, quatro cabeças loiras de olhos vermelhos saíram da chama crescente da vela. Vestida com um vestido longo escuro e complicado, o pescoço de Reinette Tinekerr estava vazio.

As pálpebras de Bernadette tremeram indiscemivelmente antes de ela pegar a carta e a moeda de ouro que havia preparado antes e entregá-las à mensageira.

Uma das cabeças de Reinette Tinekerr mordeu a carta e a moeda de ouro enquanto a outra cabeça avaliava a Rainha Misteriosa por alguns segundos.

Ela mudou seu olhar e caminhou para o vazio. No entanto, quando Bernadette estava prestes a guardar a toalha de mesa, a Srta. Mensageira apareceu de repente novamente.

Uma das duas cabeças de cabelos loiros e olhos vermelhos falaram uma após a outra:

— Ele… — Desapareceu…


Gostaria de ter sua novel favorita em PDF ou algum outro formato digital para ler offline?? ACESSE AQUI e saiba como!!

Comentários

0 0 votos
Avalie!
Se Inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar