Participe do nosso novo grupo no Telegram https://t.me/+hWBjSu3JuOE2NDQx
Considere fazer uma Doação e contribua para que o site permaneça ativo, acesse a Página de Doação e veja os benefícios.

Lord of Mysteries – Capítulo 1166

Seu Nome

Os relâmpagos mais uma vez iluminaram os pântanos desolados que estavam cobertos por uma névoa amarelo-acinzentada. Iluminou o local onde uma batalha em nível de anjo acabara de acontecer, iluminando o sorriso calmo em seu rosto.

Amon olhou para ele por alguns segundos antes de cutucar seu monóculo e sorrir.

— Você não pode dizer mais alguma coisa?

— Você parece ter encontrado uma nova esperança?

O sorriso de Klein não mudou quando cerrou o punho no nariz e enfiou a mão no bolso.

— De repente eu entendi uma coisa. Acontece que não é muito desmoralizante jogar esse jogo com seu verdadeiro corpo. Pelo contrário, isso mostra que você não tem como roubar meu destino.

— Oh? — Amon sorriu enquanto falava em um certo tom, como se estivesse ansioso pelo que Klein diria a seguir.

Klein riu e disse sem qualquer hesitação: — Caso contrário, uma vez que eu entrasse na Terra Abandonada dos Deuses, você teria roubado diretamente meu destino e se tornado o novo dono do Castelo de Sefirah. Mesmo se você quiser jogar um jogo de fuga e obstrução, você poderia ter esperado até que o objetivo principal fosse alcançado antes de fazê-lo. Dessa forma, você não correria nenhum risco. E tendo perdido minha chance de ressuscitar e meu destino original, farei um esforço ainda maior para escapar devido ao meu instinto de sobrevivência.

— De fato, o Deus da Travessura pode fazer algo que desconsidere o perigo, fazendo isso em busca de excitação, mas você ainda é o Deus do Engano.

Dito isto, Klein olhou para a expressão imperturbável no rosto de Amon e fez uma pausa.

— Eu sei que você realmente tem a capacidade de roubar o destino dos outros, mas ser capaz de fazer algo não significa que você o fará. Isto requer uma avaliação de riscos, bem como pesar e analisar os prós e os contras.

— Acredito que você não deseja roubar meu destino diretamente. Isso fará com que você carregue o fardo de tudo o que o Castelo de Sefirah trouxe. Você tem que resistir ao trauma da ressurreição de seu dono original. Mesmo para um Rei dos Anjos como você, isso também é muito perigoso. Se você não tomar cuidado, você pode morrer. Portanto, você quer encontrar uma brecha… você quer obter o Castelo de Sefirah sem sofrer os efeitos negativos. E isso requer minha permissão.

Ao dizer isso, Klein pensou na experiência de ser atingido por vírus de computador em sua vida anterior. Esses vírus sempre fingiam ser normais e o enganavam para que lhe desse permissão.

Isso era um pouco semelhante à situação atual.

Depois de ouvir as palavras de Klein, Amon olhou para ele sem dizer uma palavra. Em vez disso, ajustou calmamente o monóculo de cristal.

Klein sorriu e continuou: — Desde o momento em que você me parasitou, você está armando uma grande fraude. Por um lado, você me deu a opção de me tornar seu Abençoado, dizendo-me que seu verdadeiro corpo pode resistir ao meu destino, fazendo com que eu carregue um pesado fardo psicológico.

— Na jornada subsequente, você constantemente me fez ver esperança antes de destruí-la. De vez em quando, você me dá um limite de tempo, fazendo-me, sem saber, aproveitar uma oportunidade e recuperar o fôlego. Então, de repente você encurtou a viagem, atrapalhando meus planos. Por fim, você revela a carta de que você é o verdadeiro corpo, me enviando ao abismo do desespero, para destruir minha vontade e desmantelar minhas defesas mentais. Eu desmoronaria completamente e escolheria me tornar seu Abençoado e ‘concordaria’ com essa ‘transação’ oculta.

Depois de ouvir tudo em silêncio, Amon de repente riu e levantou Suas mãos para bater palmas suavemente.

— Dedução perfeita.

— No entanto, você parece ter perdido um problema.

— O que eu disse era para ver meu corpo real em um lugar suficientemente seguro. Então, seu destino será tirado. Agora que não chegamos ao nosso destino final, naturalmente não correrei o risco.

A expressão de Klein afundou um pouco antes de ele relaxar novamente.

— Estou ansioso para ver quão diferentes serão os desenvolvimentos lá.

Ele respondeu a Amon no estilo Dele.

O genuíno Rei dos Anjos ajustou Seu monóculo e apontou para o lado com um sorriso.

— Vamos. Chegaremos em menos de meio dia.

— Quanto tempo é isso exatamente? — Klein instintivamente não confiou nas descrições vagas de Amon.

Amon coçou Seu queixo e riu.

— Meia hora.

Klein virou a cabeça para olhar na direção para onde Amon havia apontado. Ele só viu escuridão profunda, nada mais.

Um raio riscou as charnecas desoladas, mas ainda mais longe havia uma espessa neblina amarelo-acinzentada.

Backlund, Burgo Imperatriz, na luxuosa vila da família Hall.

Após dois dias de caos, a vida de Audrey finalmente recuperou um pouco de paz. Isso a deixou ainda mais curiosa sobre a verdade por trás do assassinato do rei.

Considerando como o Sr. Louco aparentemente sugeriu que a Reunião de Tarô seria cancelada hoje, Audrey decidiu orar a esta existência com antecedência e estabelecer uma conexão com o Mundo Gehrman Sparrow para descobrir a situação correspondente.

No momento em que olhou para Susie, a golden retriever saiu imediatamente da sala, fechou a porta com a perna e sentou-se do lado de fora.

Audrey sentou-se, assumiu uma postura de oração e recitou no antigo Hermes:

— O Louco que não pertence a esta época…

Backlund, Burgo Leste, dentro de um apartamento alugado de dois quartos.

— Você acha que haverá uma reunião hoje? Não há aviso formal… — Fors tirou seu relógio de bolso feminino e o abriu.

Xio balançou a cabeça.

— Não sei.

Fors não conseguia mais ficar parada. Ela saiu do assento e andou de um lado para o outro ansiosamente enquanto murmurava para si mesma: — O Sr. Mundo não respondeu, nem o Sr. Louco respondeu…

Enquanto falava, Fors de repente olhou para a amiga que estava comendo presunto. Ela disse apressadamente: — Xio, por que você não tenta orar ao Sr. Louco e pergunta se a reunião será realizada conforme programado hoje?

Xio franziu a testa ligeiramente enquanto largava o garfo e assentia.

— OK.

Ela também achou a situação um pouco estranha.

Ela juntou as mãos e segurou-as sob o queixo. Xio respirou fundo e disse em voz baixa: — O Louco que não pertence a esta época…

Backlund, Burgo Norte, subterrâneo da Catedral do Santo Samuel, em uma sala atrás do Portão Chanis.

Emlyn White acordou intrigado com o sonho que teve.

Ele aparentemente sonhou com a Ancestral dos Sanguíneos, Lilith!

Em seu sonho, ele estava preso em um castelo coberto de videiras vermelhas, do qual não conseguia escapar, por mais que tentasse.

Mais tarde, através de uma janela estreita lá no alto, viu a lua vermelha lá fora e um par de asas de morcego que cobriam metade da lua vermelha.

Nas lendas dos Sanguíneos, este era um dos símbolos da antiga deusa Lilith.

Logo depois disso, Emlyn voou alto de excitação, tentando abrir a janela estreita. No fundo do copo, ele encontrou uma carta de tarô.

Na superfície da carta de tarô havia um rapaz vestido com roupas lindas. Ele estava usando uma esplêndida cartola com uma bengala pendurada no ombro. Havia uma amarra pendurada na ponta da bengala e um cachorrinho seguia atrás dele.

A carta do Louco.

Neste ponto do sonho, Emlyn acordou naturalmente. Como Visconde Sanguíneo, ele tinha a capacidade de realizar uma análise básica dos sonhos.

“Deve ser por causa da minha situação atual que esse sonho apareceu. Aquela Estrela na verdade não entregou nenhum sangue humano para mim…”

“Eu sou de fato o alvo da bênção da Ancestral… Ela está me insinuando que se eu quiser escapar da minha situação, tenho que obter ajuda do Sr. Louco?”

“Que dia é hoje? Esqueça, vou apenas rezar. Dessa forma, posso sair o mais rápido possível.” Emlyn sentou-se com esperança enquanto cantava piedosamente: — O Louco que não pertence a esta época…

Acima da névoa cinza, as três estrelas vermelhas que correspondiam à Srta. Justiça, à Srta. Julgamento e ao Sr. Lua começaram a se expandir e encolher, emitindo luz para criar ondulações.

Elas se fundiram na maré vermelha escura que existia originalmente, fazendo com que as ondas de choque no espaço misterioso se intensificassem instantaneamente.

Em meio ao terremoto, a maré inundou o antigo e majestoso palácio, iluminando um símbolo misterioso após o outro atrás dos oito assentos na longa mesa de bronze.

Isso trouxe um novo halo e ressonância, acompanhados por um zumbido.

No final da mesa comprida e manchada, o encosto do assento do Louco também se iluminou. O símbolo complicado formado pelas Linhas Contorcidas e pelo Olho Sem Pupila continuou se estendendo para fora, tornando-se em camadas e extremamente tridimensional.

maré vermelha escura foi atraída e formou uma figura na cadeira de encosto alto pertencente ao Louco.

Esta figura não era suficientemente estável. Distorcia-se e espalhava-se de vez em quando, dificilmente capaz de manter a sua forma.

Em uma charneca desolada coberta por uma névoa amarelo-acinzentada, Klein parou por um momento e olhou para os relâmpagos que cruzavam o céu.

Ele então retraiu o olhar. Segurando a lanterna na mão, seguiu ao lado de Amon, profundamente nas charnecas sem fim.

Quanto mais o homem e o Rei dos Anjos avançavam, mais ravinas o terreno tinha. Da mesma forma, suas profundidades tornaram-se cada vez mais exageradas.

Cerca de dez minutos depois, outro relâmpago atravessou o céu. Não muito longe, Klein viu um gigante de um olho só e pupila preto-azulada, andando de um lado para o outro. Ele se elevava a dezenas de metros.

Seu corpo estava coberto de vestígios de pus podre. Seu olho estava afundado e sem vida. Era óbvio que estava morto.

No entanto, continuou vagando. Gás amarelo-acinzentado emanou de seu corpo, entrelaçando-se no ar para criar a névoa sobre a charneca.

A névoa amarelo-acinzentada que envolvia a vasta charneca era na verdade gerada por esse gigante preto-azulado!

— O filho mais novo do Rei Gigante Aurmir, o Deus da Glória, Bladel. Ele amaldiçoou publicamente meu pai e foi punido para sempre vagar por esta área. Claro, Ele morreu há muito tempo no Cataclismo, mas ainda não foi capaz de libertar Ele mesmo. — Amon olhou para o gigante e sorriu. — Se eu não tivesse roubado o dano correspondente causado a você, você teria sido contaminado pela névoa criada após a morte de Bladel. Você se tornaria uma entidade amaldiçoada que vaga por esta área.

“Eu tenho que te agradecer?” De repente, Klein sentiu como se tivesse entrado em um mito.

Com ele seguindo-o, Amon continuou em frente. Logo, eles se aproximaram do gigante preto-azulado de um olho só.

Havia uma ravina extremamente profunda no local onde o gigante estava vagando. Quando o relâmpago brilhou, um edifício branco-acinzentado grosso e vasto apareceu na parte inferior.

Com apenas um olhar, as pálpebras de Klein se contraíram levemente ao recordar a cena que viu quando estava adivinhando o Crucifixo do Sem Sombra.

Se ele se lembrava corretamente, deveria ser de lá que o antigo deus do sol, o Criador da Cidade de Prata, o pai de Adam e Amon, saiu!

“Este é o lugar seguro que Amon mencionou?” O coração de Klein afundou.

Nesse momento, Amon, de chapéu pontudo e monóculo, caminhou até a beira da ravina. Com as costas voltadas para o prédio branco acinzentado, Ele abriu ligeiramente os braços e disse com um sorriso: — Esta é a terra sagrada onde meu pai despertou. Enterrada nela está a história que desejo buscar.

— Meu pai me disse que este lugar tem um nome antigo, chamado…

Quando um raio prateado rasgou o céu, Amon, vestido de preto, fez uma pausa enquanto alargava Seus braços, dizendo com um tom solene: — Chernobyl!


Gostaria de ter sua novel favorita em PDF ou algum outro formato digital para ler offline?? ACESSE AQUI e saiba como!!

Comentários

0 0 votos
Avalie!
Se Inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar