Martial World – Capítulo 1905

Decreto Asura

Bang! Bang! Bang!

O terrível monstro carmesim distante no vasto espaço estrelado formou vários dragões vermelhos que se chocaram contra o escudo protetor da ‘Arca da Esperança’.

Os Empíreos no comando do navio ficaram completamente incapazes de controlar seus movimentos. Por um tempo, todo o navio espiritual começou a balançar violentamente como uma pequena folha pega em uma tempestade.

“As reservas de energia foram reduzidas para menos de noventa por cento!”

Um Empíreo gritou. Se isso continuasse, não demoraria muito para que as reservas de energia da ‘Arca da Esperança’ estivessem completamente esgotadas. Naquele momento, todos morreriam!

“A hora chegou. Só podemos usar nossos trunfos finais.”

O Patriarca da Raça Celestial Primordial disse. Ele olhou para o Deus Soberano e suspirou.

Os chamados trunfos finais eram na verdade os decretos deixados pelo Mestre do ‘Caminho Asura’.

Eram os decretos pessoalmente criados pelo Mestre do ‘Caminho Asura’ e havia um total de três.

Um ofensivo, um de selamento, um de suporte!

Sendo tesouros no nível ‘Além da Divindade’, se um artista marcial no nível de pico do ‘Reino Empíreo’ ativasse esses decretos, ele teria que queimar a maior parte de sua vida como custo para potencialmente matar uma Divindade Verdadeira.

Claro, o Soberano Santo da Boa Sorte não era uma Divindade Verdadeira comum. Matar o Soberano Santo da Boa Sorte podia ser impossível, mas eles ainda deviam ser capazes de, pelo menos, feri-lo gravemente. E se eles combinassem os outros dois ‘Decretos Asura’ e o resto de seus decretos, eles poderiam realmente ser capazes de exterminar o Soberano Santo da Boa Sorte!

No entanto, atualmente, o Soberano Santo da Boa Sorte de alguma forma se fundiu com o corpo da ‘Fome’.

O demônio abissal, ‘Fome’.

Uma existência inconcebível, com uma força vital incomparavelmente assustadora. Se eles queimassem apenas parte de suas vidas para ativar os decretos deixados pelo Mestre do ‘Caminho Asura’, eles seriam capazes de feri-lo gravemente?

O coração de todos bateu forte devido a dúvida. Se eles não podiam ferir gravemente a ‘Fome’, como poderiam esperar escapar?

O velho Deus Soberano silenciosamente traçou seu anel espacial. Ele disse lentamente, “Nunca imaginei que, no momento em que estivéssemos no precipício da vida ou da morte, o Soberano Santo da Boa Sorte apareceria ainda mais formidável do que antes. Eu originalmente pensei que com nossos decretos e os artistas marciais no nível de pico do ‘Reino Empíreo’ de nossas raças queimando suas vidas para ativá-los, eles poderiam pelo menos representar uma ameaça ao Soberano Santo da Boa Sorte. Mas agora, parece que simplesmente queimar uma parte de sua vida não será suficiente… na verdade, até mesmo artista marcial no nível de pico do ‘Reino Empíreo’ sozinho não terá força o insuficiente…”

“Quem está disposto a dar um passo à frente?”

O velho Deus Soberano nunca pensou que as coisas acabariam assim.

Apenas os artistas marciais no nível de pico do ‘Reino Empíreo’ poderiam ativar os ‘Decretos Asura’. E nesta situação, a fim de exibir o maior poder dos ‘Decretos Asura’ e ferir a ‘Fome’ o máximo que pudessem, aqueles que ativassem os decretos teriam que queimar completamente todos os últimos vestígios de suas vidas. Em outras palavras… isso significava se sacrificar!

Além disso, uma única pessoa não era suficiente!

Com todos os Empíreos das raças antigas somados, havia um total de sete artistas marciais no nível de pico do ‘Reino Empíreo’, um número relativamente alto.

Três ‘Decretos de Deus’. Sete artistas marciais no nível de pico do ‘Reino Empíreo’.

O velho Deus Soberano planejou que dois Empíreos ativassem o primeiro decreto juntos!

Dois era o melhor número. O segundo Empíreo só seria capaz de aumentar o poder do ‘Decreto Asura’ em menos da metade e um terceiro Empíreo adicionaria ainda menos do que isso.

Originalmente, ativar os ‘Decretos Asura’ não significava morte, portanto, o Deus Soberano estava disposto a nomear outros para usá-los.

Mas agora, usá-los significava morte certa. Então, o Deus Soberano não forçaria ninguém, preferindo pedir aos presentes.

O olhar, que mostrava sua idade avançada, do velho Deus Soberano varreu os artistas marciais no nível de pico do ‘Reino Empíreo’ presentes. A culpa apareceu fortemente em seu rosto. Ele também desejava ir para a batalha, mas… ele não podia morrer agora. Durante esta fuga, eles precisariam de um líder para comandar as tropas e ele era a espinha dorsal das raças antigas.

“Estou disposto a ir para a batalha…”

Um velho Empíreo da Raça dos Deuses Primordiais disse. Ele era um artista marcial no nível de pico do ‘Reino Empíreo’ já tinha vivido por noventa milhões de anos. Ele estava chegando ao crepúsculo de seus anos e não tinha muito tempo restante.

“Eu também quero ir…”

“Me permita!”

“Eu sou voluntário!”

…….

Os Empíreos levantaram-se um após o outro. Esta grande calamidade envolvia a vida ou morte de seu povo. Esses Empíreos já estavam decididos há muito tempo em seus corações e estavam dispostos a morrer.

Vendo tantos Empíreos se levantarem, os olhos enrugados do velho Deus Soberano se encheram de lágrimas. Agora, ele tinha que escolher.

Aqueles que ele escolhesse, seriam aqueles que morreriam!

Lin Ming ficou não muito longe, silenciosamente assistindo a tudo isso acontecer. Além do Deus Soberano, os outros seis artistas marciais no nível de pico do ‘Reino Empíreo’ não evitavam seus deveres de forma alguma. E Lin Ming sabia que se o velho Deus Soberano precisasse sacrificar sua vida, ele nem teria piscado ao fazê-lo.

Esta cena deixou Lin Ming chocado.

Um sentimento que há muito estava ausente de seu coração começou a permanecer silenciosamente dentro dele. Ele cerrou os punhos.

Algumas pessoas lutavam para matar outras e roubar seus pertences.

Algumas pessoas lutavam para se vingar e matar seus inimigos.

Algumas pessoas lutavam para obter tesouros e chances de sorte.

Mas também existiam aqueles que lutavam e estavam até dispostos a se sacrificarem pelo bem dos outros, pelo bem maior e pela continuação de seu povo…

“Diwuhen, Soberano da Batalha, vocês dois recuem!”, o velho Deus Soberano acenou com a mão. O Soberano da Batalha e Diwuhen estavam ambos entre os mais fortes entre eles. Eles eram as esperanças e os futuros líderes das raças antigas nesta grande calamidade, de modo que era impossível para o Deus Soberano sacrificá-los.

“Mas…”

“Sua Majestade…”

Os olhos de Diwuhen e To Bagui ficaram vermelhos e enevoados, mas o velho Deus Soberano os dispensou diretamente.

“Bai Ping, Dugu, sinto muito…”

O velho Deus Soberano escolheu duas pessoas, ambas da Raça dos Deuses Primordiais. O velho Deus Soberano fechou silenciosamente os olhos, com duas linhas de lágrimas escorrendo pelo rosto enrugado…

“Entendido!”

“Ótimo!”

Os dois velhos deram um passo à frente. Quando Lin Ming viu seus cabelos brancos e costas curvadas, ele não sabia o que sentir.

Os outros artistas marciais das raças antigas olharam para eles e foram incapazes de conter a tristeza em seus corações.

“Se vocês tem alguma coisa que desejam dizer…”

O Deus Soberano perguntou.

Bai Ping ficou em silêncio. Ele tirou uma pintura em um pergaminho de seu anel espacial e um pingente de jade. Ele silenciosamente desenrolou o pergaminho. O papel era extremamente antigo, como se tivesse ficado guardado por um ilustre período de tempo.

A pintura no pergaminho era de um jovem inocente. O jovem tinha um pingente de jade pendurado na cintura, exatamente o mesmo que Bai Ping estava segurando.

“Este é meu neto. Seu talento não pode ser considerado muito grande, mas ele foi diligente na juventude e sempre deu o melhor de si. Durante esta, ele teimosamente saiu para se aventurar e entrou no ‘Reino das Ruínas Primitivas’ para se aprimorar passando pelos perigosos reinos místicos de lá. Mas depois disso, ele não voltou…”

A voz do velho estava tomada pela idade. Este era seu único neto. A Raça dos Deuses Primordiais era uma raça não era aceita pelo Dao Celestial. Eles não podiam se comparar às três raças de topo porque suas capacidades reprodutivas eram extremamente inferiores.

Eles tinham poucos descendentes e, mesmo assim, os descendentes dos Empíreos não eram necessariamente gênios incomparáveis. As razões pelas quais a Raça Humana, Raça das Almas e Raça Santa eram capazes de encontrar talentos entre suas fileiras era devido as suas populações prósperas. Seus inúmeros descendentes eram selecionados através de camadas e mais camadas de testes, até que o melhor restasse.

“Se vocês puderem encontrá-lo, por favor, cuidem dele para mim. Na minha vida, ele é minha única preocupação remanescente…”

O velho passou os dois itens para Diwuhen.

Diwuhen não sabia o que sentir. Ele separou os lábios como se quisesse dizer algo, mas nenhuma palavra saiu. Ele finalmente suspirou.

Ele sabia que as chances de encontrar esse jovem eram quase inexistentes.

A maior probabilidade era que… ele já havia morrido. No entanto, na Raça dos Deuses Primordiais, que tinha um número baixo para começo de história, eles valorizavam seus descendentes acima de tudo e não podiam suportar a ideia de perdê-los ou mesmo desistir deles.

Em particular, agora que Bai Ping estava prestes a morrer, em seu coração ele esperava que sua própria linhagem pudesse continuar…

“Dugu, e você…?”

O velho Deus Soberano olhou para o outro Empíreo, com os olhos úmidos.

Dugu olhou para trás com indiferença, balançando a cabeça lentamente.

Comparado a Bai Ping, Dugu crescerá na selva desde a juventude, vivendo de beber o sangue de pássaros e bestas.

Uma vez, ele se aventurou no ‘Reino das Ruínas Primitivas’ como um assassino. Suas mãos ficaram manchadas com o sangue de artistas marciais da Raça Santa.

“Não tenho muito a dizer. Não tenho descendentes, só eu…”

Os olhos de Dugu não demonstravam tristeza nem felicidade. Em vez disso, eles continham uma calma tranquilidade, além de uma resolução dura como ferro.

Ele já fora jovem e também já amou profundamente alguém.

No entanto… em sua longa vida, a mulher que ele amara não foi capaz de dar à luz um filho.

As capacidades reprodutivas da raça dos deuses primordiais eram muito baixas. Era como se o Dao Celestial tivesse colocado uma maldição sobre eles…

Ele havia chegado sozinho a este mundo e agora morreria sozinho. Talvez este fosse o seu destino por ser um assassino, mas atualmente, ele não era mais um assassino…

A atmosfera do navio espiritual estava tensa e pesada.

Preocupação, medo, raiva e até tristeza em relação ao futuro.

Os olhos de cada pessoa brilhavam com luz, com suas mentes cheias de pensamentos.

Todos ficaram olhando enquanto Dugu e Bai Ping saíam.

Os dois subiram na proa do navio.

O Filho Santo da Boa Sorte olhou para esses dois velhos na proa do navio e sorriu diabolicamente, “Dois tolos procurando a morte!”

Ao lado do Filho Santo da Boa Sorte, a atenção do Soberano Santo da Boa Sorte estava focada nos dois velhos.

Os dois Empíreos estavam nos últimos anos de suas vidas. Isso não era o suficiente para o Soberano Santo da Boa Sorte sentir medo, mas o símbolo de papel preto em suas mãos era realmente surpreendente.

“Isso é… um ‘Decreto de Deus’? Bom! Então deixe-me ver como é esse poder supremo!”

O decreto preto carregava consigo uma aura assassina sem fim. Sob o controle de Bai Ping, ele flutuou lentamente para cima.

Bai Ping olhou calmamente para o decreto flutuando diante dele. Então, com um grito ressonante, uma luz vermelho-sangue brilhante iluminou seus olhos. Os ventos subiram ao redor de seu corpo. Seu cabelo e vestes esvoaçavam para cima.

Nesse momento, ele emitiu uma luz ofuscante. Vastas ondas de força vital jorraram dele como rios furiosos, incessantemente se juntando no meio do decreto.

E no momento seguinte, todo o seu sangue ferveu para a superfície, avançando em direção ao decreto. O corpo do velho Empíreo estava envolto em uma luz divina deslumbrante.

Então, a luz divina também se acendeu em torno de Dugu.

Seu rosto ainda estava frio e indiferente, mas agora continha um olhar profundo, inflexível e penetrante!

Sua vida havia chegado ao fim e isso não mudaria. Mas, ele não queria que as futuras gerações da Raça dos Deuses Primordiais compartilhassem seu destino!

“Se os céus devem destruir minha Raça dos Deuses Primordiais, então, com meu sangue, me transformarei em chamas demoníacas que queimam os céus!”

O sangue de Dugu começou a queimar.

Este era o brilho final liberado da combustão de sua própria vida!

Naquele instante, o decreto pareceu ganhar vida. Flutuações emanavam de dentro dele.

Embora fossem apenas flutuações simples, era como se uma arma divina que esteve adormecida por um trilhão de anos estivesse se mexendo, liberando uma aura aterrorizante.

Um enorme Asura preto começou a aparecer lentamente…

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar