My Vampire System – Capítulo 179

Sozinho

Quando Quinn veio pela primeira vez a Logan e fez o pedido, este explicou que seu sistema tinha ocultado o nível de sua habilidade. Assim, fazia sentido que precisasse ser capaz de ajustar o nível do relógio. Quando Quinn fez o mesmo pedido para o Peter, deixou Logan secretamente feliz porque pensou que Peter também tinha o mesmo sistema de habilidade.

Por causa disso, esperava que Peter fosse outra cobaia para ele. Mesmo que visse Quinn como um amigo e estivesse feliz em ajudar, sua vontade de descobrir mais sobre o sistema superava esse seu vínculo fraco.

Após tocar Peter, rapidamente percebeu que não tinha um sistema de habilidade como o de Quinn. Ele imediatamente soube porque não conseguiu a mesma reação em Peter de quando tocou em Quinn, isto o deixou um pouco desapontado.

Ele não conseguia pensar num motivo pelo qual Peter precisaria mudar seu nível. Se fosse algo simples como impedir os outros de intimidá-lo, não fazia sentido porque era arriscado demais isto.

Então concluiu que Quinn e Peter estava escondendo algo dele. Foi aí que pensou na ideia de colocar um gravador no relógio de pulso, então junto da modificação de número, também acrescentou o gravador.

Ele ia fazer isto com Quinn, porém, após perceber que estavam se tornando amigos próximos, decidiu não invadir sua privacidade. Ele gostava das pequenas interações deles, e se Quinn descobrisse, não confiaria mais nele, e pensou que Quinn eventualmente diria a ele.


Após saíram do quarto de Logan, era hora deles se separarem, Peter iria à classe elemental com Vorden enquanto Quinn iria à sua classe de armas bestiais.

Na classe de Quinn, continuaram a praticar os chutes que aprenderam no outro dia. Quinn trabalhou em aperfeiçoá-los, enquanto em sua mente imaginava a sensação do Golpe de Sangue passando pelas pernas.

Normalmente, apenas pensaria em ativar a skill e o sistema faria o resto. Porém, somente a skill básica que seria executada. Quando isto acontecia, ele podia sentir a energia se movendo pelo corpo, mas não era algo que faça conscientemente, acontecia automaticamente.

Se quisesse combinar o Golpe de Sangue com a técnica de perna, tinha que recriar essa mesma sensação enquanto chutava, desta forma, poderia mover conscientemente a energia pelo corpo para fazer variações da skill.

Era muito triste que estava preocupado demais para testar ontem no tempo livre, Quinn sentia que estava pegando o jeito, só que porque estava em aula agora, não podia testar.

Enquanto praticava, notou que Fex estava parado sozinho. Nenhuma pessoa se aproximou para treinar com ele. Chegou ao ponto em que Fex simplesmente deitou e olhou para o teto entediado.

Leo não fez nada sobre os alunos que recusaram a treinar. Em sua opinião, era com eles se queriam participar ou não. No final, eles que precisavam ficar mais forte, não ele. No entanto, se alguém perturbasse a aula, Leo o repreenderia.

Vendo isto, Quinn decidiu se aproximar de Fex. Ele não sentia que Fex era uma má pessoa, era mais com uma criança que não sabia como se comportar no mundo humano. Se Quinn pudesse se aproximar e se tornar mais próximo dele, talvez pudesse aprender mais sobre Vampiros que podem estar atrás dele.

“Ei, quer treinar?” Quinn perguntou.

Fex se levantou do chão e olhou em volta, notando que só havia ele e Quinn ali, perguntou: “Quem, eu?” Enquanto inclinava a cabeça.

Quinn assentiu: “Talvez eu possa usar minha força total contra você desta vez?”

“Yeah, certo! Mas se insistir num chute no traseiro, ficarei feliz em te dar um.” Fex respondeu com um sorriso.

Fex era um bom lutador, e Quinn esperava aprender com ele. Se no futuro, se tornassem inimigos, seria útil aprender como ele lutava, e talvez lhe desse alguma iluminação de como os outros Vampiros lutavam. Quinn também recebeu uma melhoria de atributo recentemente, e queria ver quanta diferença faria. Ele sabia que ainda não era tão poderoso quanto Fex, porém, talvez lentamente, pudesse mudar isso, conforme consumia mais sangue das pessoas.

Os dois lutaram usando apenas técnicas de chute, e Leo também notou que Fex podia executar muito bem chutes. Parecia que não havia os executado corretamente antes só porque não sentia vontade.

Mesmo assim, os dois sabiam que não deviam mostrar sua força e velocidade verdadeira porque as pessoas em volta começariam a suspeitar.

Enquanto Layla e Erin praticavam seus chutes entre si, a primeira notou que Erin estava incrivelmente distraída, e estava olhando constantemente para onde Quinn e Fex estavam. Ela nunca esteve interessada em Quinn antes, mesmo após aprender que era um Vampiro. Assim, significava que estava olhando para Fex.

Noite passada, tentou repetir várias vezes os movimentos que executou enquanto estava sob o controle de Fex, porém, simplesmente não estavam certos… Ela queria sentir mais uma vez. Erin sentia que estava próxima, só que estava faltando algo.

Todavia, enquanto olhava para Fex o desgosto vinha com tudo. Ela nunca se deixaria ser controlada por outra pessoa.


Em outra sala de treinamento, a classe elemental estava sendo realizada. Vorden e Peter fizeram tudo como de costume, mantiveram distância um do outro, mas ao mesmo tempo, não ficaram longe demais. As lições começaram normalmente com uma explicação, seguida de uma demonstração, e depois, os alunos tentariam replicar o que aprenderam.

No final de cada aula, sempre havia algum tempo livre. Alunos poderiam praticar entre si. Ou poderiam praticar sozinhos, tentando pegar o jeito e aperfeiçoar as skills.

Até agora, a aula inteira passou sem nenhuma intercorrência estranha, e só foi durante a última parte da lição que as mesmas pessoas se aproximaram de Peter no outro dia se aproximaram novamente. De novo, indicaram a Peter para ir ao fundo da classe para que pudessem conversar sem serem ouvidos.

“Então Peter, vejo que finalmente alcançou o nível 2 da habilidade de terra, bom para você. Porém, seu progresso é um pouco lento demais, não acha?” O aluno que se aproximou era bem magricela, e parecia dificilmente ter alguma gordura. Seu rosto estava afundando, e suas bochechas eram salientes.

Era como se o destino tivesse decidido como se pareceria, e deram aos seus pais a ideia do nome que dariam a ele seria Bones. Embora Bones em si não parecesse intimidador, Vorden podia dizer que estava confiante quando se aproximou de Peter.

Enquanto olhava em volta, viu um casal de estudantes olhando na direção deles. Provavelmente também estavam trabalhando para Duke.

“O Duke quer se certificar de que seu progresso ocorra o mais rápido possível, e a melhor maneira de fazer isso é através de uma avaliação pratica, não concorda? Por que nós dois não temos uma luta?” Bones disse.

Embora Vorden não estivesse próximo o bastante para ouvir o que estavam dizendo, foi capaz de deduzir que estavam em algum tipo de problema só pelo olhar no rosto de Peter. Então, quando os viu caminhando numa certa direção e abrindo uma distância entre eles, Vorden sabia o que estava acontecendo.

Eles queriam testar suas habilidades, só que Peter não tinha mais uma.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar