Nanomancer Reborn – I’ve Become A Snow Girl? – Capítulo 845

Halia

Partindo um dia depois do planejado, o grupo avançou para a fronteira leste. Como não conseguiram obter nenhuma informação da primeira cidade, decidiram ir direto para a maior cidade da fronteira leste, Halia.

A cidade era muito maior em comparação com Nova York e tinha até grandes torres defensivas com armas em cima que eram direcionadas para o mar.

Era uma cidade portuária onde alguns barcos eram visíveis da estrada.

Com monstros marinhos atacando ocasionalmente, os níveis dos demônios na cidade eram muito maiores. A maioria deles estava pronta para lutar a qualquer momento, já que os monstros marinhos não enviam avisos de ataque.

Enquanto avançava para Halia, Shiro enviou drones para explorar à frente e notou que o sinal de Mana mais poderoso aqui estava apenas nas casas finais do Nível 300, quase quando no 400. Mas pertencia a um demônio solitário e não a um candidato que fez Shiro se perguntar onde os candidatos tinham ido.

“Parece que nossos movimentos já foram notados. Só consigo encontrar alguns candidatos e nenhum dos mais poderosos está por perto.” Shiro disse enquanto procurava um bom lugar para eles começarem a andar. Afinal, seria um pouco estranho entrar na cidade de carro, já que os demônios têm asas.

“Eh? Mas por que eles estariam de olho em nós. Somos apenas um pequeno grupo do sul.” perguntou Madson.

“Bem, tem havido alguns corvos bisbilhotando. Eu os matei assim que os senti, mas parece que eles ainda transmitiram informações suficientes. O dono desses corvos é um candidato a Rei Demônio no norte, então estou supondo que eles provavelmente enviaram algumas informações e mandaram os demônios de classificação mais alta saírem por enquanto.” Shiro disse já que era o cenário mais lógico.

Quando ela rastreou o corvo de volta ao candidato, ela pôde sentir claramente vários outros sinais de Mana fortes, o que significava que ele provavelmente estava em uma espécie de reunião.

Talvez tenhamos que lutar contra vários candidatos ao mesmo tempo.’ Shiro pensou consigo mesma.

Lembrando-se do que havia sentido, ela podia estimar que o candidato que enviou os corvos não seria um grande problema se ela jogasse suas cartas corretamente.

Enquanto seu sinal de Mana era forte, ela estava confiante de que poderia vencer.

“Isso não é exatamente uma boa notícia, é?” Madison franziu as sobrancelhas, já que eles nem sabiam o quão forte o Top 30 era, sem falar daqueles no topo. Claro, Shiro estava com eles, mas ela não queria confiar sempre em Shiro.

Eles precisavam melhorar individualmente para que, quando a Nova Era chegasse, Shiro não precisasse tomar conta deles.

“Talvez devêssemos levar a luta para eles em vez de esperar?” Lyrica sugeriu já que quanto mais eles esperassem, pior poderia ficar.

“Isso é verdade, mas também não podemos nos dar ao luxo de apressar as coisas. Não temos nenhuma informação e também não estamos em nosso território. Estamos em desvantagem, então a melhor coisa que podemos fazer agora é conseguir informações sobre aqueles no topo para que saibamos o que esperar. Se eles vierem e lutarem, poderemos dividir o grupo em confrontos favoráveis.” Aarim falou enquanto Silvia concordava com sua ideia.

“Vamos fazer isso então. Eu não tenho certeza de quanta informação pode ser obtida sem levantar suspeitas, mas agora qualquer coisa ajudaria. Mesmo que uma luta comece, apenas se reagrupe e escape com o máximo de informações que você conseguir.” Lyrica acenou com a cabeça.

Vendo que o grupo já estava planejando um contra plano, Shiro sorriu, pois não havia muito o que fazer. Se fosse pra dizer, a principal coisa que eles precisavam melhorar eram seus sentidos, já que alguns poderosos usariam familiares para explorar à frente para obter informações sobre seus inimigos.

Eles não se tornaram tão poderosos apenas correndo para todos os lados sem pensar.

Pensando nisso, Shiro se perguntou se deveria trabalhar em uma técnica junto com Aarim. Uma que atacaria imediatamente todos os olhos atentos no momento em que os espiasse. Mas certificar-se de que alvejava os corretos era difícil, pois não havia como saber quem enviou os batedores sem verificar manualmente.

Se eles atacassem indiscriminadamente, isso poderia impedir os aliados de terem uma ideia da situação.

Agora, ela estava confiando em seus próprios sentidos e atacando-os com seus nanobots, mas isso não estava disponível para Aarim.

Seus sentidos eram um pouco mais fracos e ela não tinha nanobots para matar os batedores instantaneamente.

Se seus movimentos fossem descobertos, os batedores poderiam simplesmente desaparecer.

Enquanto o grupo atravessava a cidade, Shiro sentou-se no telhado das torres defensivas e suprimiu completamente sua aura para que ninguém pudesse descobri-la.

Fechando um de seus olhos, ela o abriu novamente e ativou a « Análise » naquele olho.

Vendo o grupo se movendo pela cidade enquanto todos os demônios eram revelados, ela podia ver tudo o que estava acontecendo.

‘Não conheço um feitiço que possa combater os batedores, mas acho que acabei de fazer um feitiço que me dará uma visão completa de tudo o que acontece.’ Shiro suspirou, pois teorizou uma nova habilidade que usa sua « Análise » como referência para dar a ela uma varredura profunda de tudo em uma área. Tudo será revelado a ela, incluindo áreas subterrâneas, zonas ricas em Mana, barreiras e assim por diante. Todos os círculos mágicos serão mostrados e ela poderá cancelá-los à vontade com seu Caminho Celestial.

{O fato de você ter criado casualmente uma habilidade onisciente de área limitada é uma loucura quando você só queria se livrar de batedores.} Nimue disse com um sorriso trêmulo.

Você está exagerando um pouco com a onisciência, já que não há onisciência real neste mundo. Mesmo se houver, seria muito chato, não é? Ser capaz de saber o que acontece amanhã. Você não descobrirá nada sozinho.’ Shiro respondeu.

{Você acha que é por isso que os deuses gostam de fazer as coisas por capricho? Porque eles podem ter um certo conhecimento sobre o que acontece, mas decidiram mudar para se divertirem.} Nimue deu de ombros.

Talvez. Embora essa habilidade esteja longe de ser onisciência. É apenas algo que me permite entender melhor um lugar. Pense nisso como uma espécie de domínio.’ Shiro riu.

{Suponho que essa seja a descrição mais precisa. Voltando ao tópico dos deuses e da onisciência, se você tivesse a opção de se tornar um ‘deus’ real, suponho, um que é onisciente e onisciente, você arriscaria?} Nimue perguntou.

Não. Vai ser chato. Meu único objetivo real em me tornar forte é poder aproveitar a vida livremente sem me preocupar que alguém venha me matar ou decidir meu caminho por mim, como aconteceu com os cientistas. Claro que gosto da batalha, mas viver sem preocupações é melhor do que a batalha. Além disso, se eu realmente quisesse batalhar, faria um clone de mim mesmo e lutaria comigo de novo.’ Shiro sorriu.

{Viciada em batalha como sempre então.}

Pode ser. E suponho que seja um pouco hipócrita, mas gosto da incerteza da vida. Vou encontrar algo que eu goste amanhã? Será triste? Claro, ninguém gosta de surpresas tristes como a irmã mais velha indo embora de verdade, mas é assim que é.’ Shiro sorriu.

{Pft olhe para você se tornando filosófica agora. E agora, vais questionar o sentido da vida?} Nimue riu.

Talvez, quem sabe haha. Mas estou dizendo isso porque com o ritmo que estou melhorando, posso dizer que há uma boa chance de me tornar um ‘deus’ dos nanobots, suponho. Embora eu não tenha certeza se devo chamar isso de ser um deus. Claro que existe as divindades, mas os deuses deveriam ser esse ser todo poderoso. Até onde eu sei, os deuses do sistema estão longe deste ponto. Se fossem, como poderiam ser vinculados ao sistema.’

Se fosse apontar, a coisa mais próxima de um deus, é o próprio sistema.’ Shiro estreitou os olhos para o sistema.

Antes, quando criança, ela sempre se perguntou de onde veio o sistema ou quem o criou. No entanto, depois de um tempo, ela desistiu de pensar nisso, já que não lhe dizia respeito e ela não seria capaz de obter uma resposta tão cedo.

Mas agora, as coisas eram diferentes.

O sistema se encaixa na descrição de deus. Parecia que sabia tudo, podia conceder um poder inimaginável e era invencível. No futuro, seu eu mais velho disse que ela poderia se livrar do sistema, mas isso não significa que ela o ‘matou’ em certo sentido.

O que apenas levanta a questão de como você chama a ‘coisa’ que criou o sistema? Ela é mais poderosa do que esse ‘deus’ com o qual eles interagiram durante toda a vida?

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar