Switch Mode
Participe do nosso grupo no Telegram https://t.me/+hWBjSu3JuOE2NDQx

Pursuit of the Truth – Capítulo 321

O Nono Cume Que Ele Estava Relutante Em Deixar

Dez estrelas cadentes haviam surgido dentro do Clã do Mar Ocidental. As estrelas foram enviadas pela Cidade da Névoa do Céu dizendo tanto para o Céu Congelante quanto para o Mar Ocidental se prepararem para o pior. 

Durante a última noite antes da batalha, comparado ao silêncio dentro das montanhas do Clã do Céu Congelante, o céu esteve tomado por estrondos. Tais sons vinham dos nove continentes do Portão Celestial em movimento. 

Para muitas pessoas, esta fora uma noite sem sono. Uma vez que o amanhecer chegara e os primeiros raios do sol da manhã apareceram no céu, muitos deixariam a terra e seguiriam para Névoa do Céu…  

O que os aguardava talvez fosse glória, um passo para a fama, ou talvez… morte em terras distantes. 

A maioria deles não pôde dormir naquela noite. Mesmo que estivessem treinando, muitos se viram incapazes de se acalmar. Alguns deles fitaram a escuridão e deixaram suas mentes divagarem, alguns começaram a lustrar seus Receptáculos encantados, outros trouxeram os itens dados a eles por suas famílias e começaram a rezar. 

Os estrondos continuaram a viajar pelo mundo escuro afora. A mudança no Portão Celestial e o deslocamento dos nove continentes gradualmente se transformaram numa ampla paisagem. Havia uma distorção bem no centro da visão. Ocasionalmente, relâmpagos tremulavam em seu interior, como se tivesse se tornado um espelho. O tesouro que fora usado primeiramente para matar, dentre os três grandiosos tesouros, estava lentamente surgindo dentro da distorção. 

Su Ming caminhou para fora de sua caverna à meia-noite. Os trovões haviam se tornado mais altos em seus ouvidos. De fato, quando ergueu a cabeça, ele pôde apenas ver vagamente o contorno dos nove continentes do Portão Celestial em meio à escuridão, e também o vago formato de algo surgindo lentamente, como se emergisse de um outro mundo, vindo do relâmpago fulgurante. 

Su Ming ficou lá de pé por um longo tempo, sua sombra parecia bizarra sob a luz da lua. Ele desviou o olhar e se virou para andar até o pico da montanha. Assim que pisou no gelo que cobria o nono cume, um olhar de relutância em deixar o lugar apareceu em seus olhos. 

Ele sabia que uma vez que partisse na manhã seguinte, não teria como saber quando poderia retornar, talvez… ele sequer fosse capaz de voltar, mas havia algumas coisas que ele precisava fazer. 

Apenas em batalha ele poderia crescer rapidamente. Se ele fugisse em temor, que direito ele teria de procurar uma maneira de voltar para casa? O caminho para o seu lar era muito mais difícil que a batalha desta vez. 

No entanto, Su Ming ainda achava difícil deixar o nono cume. 

Ele achava difícil deixar as plantas dali, abandonar os roncos de Hu Zi, o sorriso de seu segundo irmão mais velho, o silêncio de seu irmão sênior imbuído de cuidado amoroso, e as ocasionais excentricidades de seu Mestre.  

Todas aquelas coisas que ele estimava. 

O que ele percebeu maior relutância em abandonar fora a sensação do nono cume, o sentimento de afeto dali. Mesmo que o clima fosse congelante, o calor nato em seu coração em contraste com o frio o fazia valorizá-lo e estimá-lo ainda mais. 

Ele queria permanecer ali. Ele queria ficar ali para sempre e não pensar sobre a Montanha Negra, sobre o sentido escondido naquele “Destino”, sobre os anos que se passaram enquanto esteve dentro da fenda, e sobre os pares de olhos desinteressados e as palavras de desapontamento. 

Ele gostaria de desistir de resolver todos estes mistérios, parar de pensar sobre eles, e apenas passar o resto de seus dias ali, dentro do nono cume. 

E ainda assim, Su Ming não estava disposto a desistir. Ele não podia esquecer a Montanha Negra. Ele não podia esquecer tudo que acontecera. 

Ele permaneceu em silêncio enquanto subia o nono cume. Assim que alcançou o topo da montanha, ele olhou para o salão coberto de poeira e fez uma reverência com seu punho envolvido em sua palma. 

– Eu, Su Ming, gostaria de me encontrar com o Mestre. 

Suas palavras repercutiram, mas foram engolidas pelos estrondos no céu e levadas pelo vento gelado soprando ao seu redor, fazendo sua voz parecer que não existia em meio ao ar. 

Su Ming permaneceu em sua posição de reverência, sem se mexer. 

O tempo se esvaiu lentamente. Quando o período necessário para um incenso aceso ser completamente queimado se passou, um suspiro surgiu ao lado de Su Ming. 

– Seu terceiro irmão mais velho não vai, seu segundo irmão mais velho não vai, seu irmão sênior também não vai voltar… Você… realmente partirá? – Junto às palavras, surgira Tian Xie Zi, trajando longos mantos azuis. 

Su Ming endireitou seu corpo e se virou para olhar Tian Xie Zi. Havia incerteza em seu rosto, mas ela rapidamente se transformou em determinação. 

– Eu tenho que ir. Se eu nem tiver coragem de ir até a terra dos Xamãs e esperar até eu ficar forte, então algum dia, mesmo que consiga alcançar o Reino da Alma Berserker, ainda não ousarei sair da Terra da Manhã do Sul. 

– Como você disse. Ainda é incrivelmente perigoso deixar a Terra da Manhã do Sul mesmo para os mais poderosos Berserkers no Reino da Alma Berserker… 

Tian Xie Zi vestido de azul fitou seu discípulo, permaneceu em silêncio por um momento, e um olhar melancólico surgiu em seu rosto. 

– Esta batalha será diferente das anteriores… Talvez tenha feito a escolha certa. Não podemos fugir dela… Ah, está bem. Se você quer ir, então vá. Quem sabe até esbarre comigo e seus irmãos seniores por lá. – Tian Xie Zi balançou a cabeça e suspirou. 

Su Ming hesitou por um momento antes de indagar suavemente: – Mestre, mas o que aconteceu? 

– Você não ouviu algo sobre o que houve? – Tian Xie Zi deu uma olhada para Su Ming. 

– Não tudo. – Su Ming ficou momentaneamente atordoado, mas respondeu assim mesmo. 

– É o bastante. Não é necessariamente uma coisa boa saber mais sobre um assunto. – Tian Xie Zi ficou em silêncio por um momento antes de mostrar um olhar antagônico ao céu e agarrar o ar com sua mão direita. Imediatamente, uma tira de madeira apareceu em suas mãos e ele a entregou a Su Ming. 

– A razão pela qual você veio até mim foi por causa do velho artesão de xun que te levei para ver da última vez, certo? Esta é a localização da tribo dele. Leve-a com você e assim que tiver viajado por três noites no Céu Congelado, você poderá partir com a tira. Aquele local é o mais próximo de onde ele está. 

Tian Xie Zi olhou para Su Ming profundamente antes de levantar a mão e afagar a cabeça do rapaz. Um olhar gentil e amoroso surgiu em seu rosto. 

– Siga o caminho que desejar, assim como eu fiz para provar ao meu Mestre que o caminho que escolhi era correto. Vá e prove que o caminho que você escolheu é ainda melhor que o meu. – Tian Xie Zi passou por Su Ming e andou pelo ar até gradualmente desaparecer. 

Su Ming ficou lá em silêncio por um longo tempo, até que fez uma reverência ao salão empoeirado. Ele desceu as escadas e retornou para sua caverna. 

Ele observou o interior de sua caverna. Não se sentou para meditar, mas escolheu olhar para tudo ao seu redor. Todas as coisas que lhe eram familiares, tão, tão familiares… 

Quando o alvorecer chegou e o primeiro raio de luz prateada estava para surgir no horizonte, Su Ming terminou de arrumar seus pertences. Ele não pegou nada da caverna e deixou tudo como estava. Em alguns anos, ele ainda retornaria para este lugar. Ele acreditava de todo o coração. 

Porque este lugar… era também o seu lar… 

Uma vez que ele estava fora da caverna, Su Ming de repente ergueu sua mão direita e a pressionou contra a parede de gelo ao seu lado, então retirou um bloco de gelo e o guardou em sua bolsa de suprimentos.

  

– Esta é uma lembrança do nono cume… 

Su Ming ficou sobre a plataforma e olhou para o céu escuro. Ele observou a coisa gigantesca que já se revelava quase que completamente no centro do Portão Celestial, mas o espaço ao redor dele estava tão distorcido que sua forma não podia ser claramente discernida. 

Ele inspirou profundamente o ar do nono cume antes de descer a escadaria da montanha. Quando o céu começou a clarear levemente, ele chegou até a entrada da caverna de Hu Zi. Roncos podiam ser ouvidos de dentro. Um sorriso surgiu no rosto de Su Ming e ele entrou no local. 

Hu Zi estava esparramado pelo chão, em sono profundo. Baba caía-lhe pelos cantos da boca e se reunia numa poça no chão. Havia grande quantidade de cabaças de vinho a seu lado, muitas delas estavam caídas. 

Su Ming fitou Hu Zi longamente, então pegou uma cabaça cheia de vinho e saiu. 

O céu começava a clarear, mas a terra ainda estava envolta pela escuridão. Su Ming viu seu segundo irmão mais velho perambulando como um fantasma pela montanha. Ele fez uma pausa momentânea. No momento em que parou, o segundo irmão mais velho flutuou até ele no escuro. Ele parou diante de Su Ming e o encarou. 

– Segundo irmão mais velho… – Su Ming falou gentilmente. 

– Irmão júnior, suspeito que Xamãs estejam roubando plantas durante a noite. Quando chegar lá, lembre-se de me ajudar a encontrar o autor destes crimes –  disse o segundo irmão mais velho severamente. 

Su Ming ficou espantado por um momento e então concordou com um sorriso torto. 

– Leve isto com você e cuide-se… – O segundo irmão sênior tinha uma presença arrepiante durante a noite. Ele deu alguns passos e colocou algo nas mãos de Su Ming, então passou flutuando por ele. 

Su Ming baixou a cabeça e olhou para as mãos. Havia um pedaço de vidro negro que possuía um brilho de luz fosca. 

– Ele cresceu com minha aura Fantasma. Se transformará em névoa fantasma assim que você posicioná-lo. Pode ser onde você quiser… Quando estiver cansado, poderá descansar tranquilamente dentro dele. – A voz fria do segundo irmão mais velho chegou aos seus ouvidos de longe, mas Su Ming não sentiu frieza. Pelo contrário, seu coração se aqueceu. 

A manhã chegou sem o conhecimento de ninguém. O céu clareou e a escuridão na terra fora afugentada. Um grande número de pessoas saía de suas cavernas nos nove cumes e erguia suas cabeças para olhar para o céu. 

Os nove continentes do Portão Celestial haviam se posicionado na forma de um anel no céu. Em seu centro, relâmpagos dançavam e pareciam uma teia. Dentro dele estava um objeto que tinha 300 metros de extensão. 

Era completamente preta e suas extremidades eram afiadas. Ao que parece, era uma espada gigante! 

A parte revelada da espada era de 300 metros de comprimento enquanto sua largura era de aproximadamente 30 metros, fazendo-a parecer o topo de uma montanha! Havia símbolos rúnicos complicados brilhando nela, e cada vez que cintilavam, uma quantidade gigantesca de pressão emanava para a terra.  

Trovoadas continuavam a reverberar pelo ar, e Su Ming viu aquela espada gigante saindo rapidamente da teia. Conforme saía, os estrondos cresciam. 

Logo, assim que o sol da manhã brilhou no chão com uma luz penetrante, o céu tremeu e com um baque alto, aquela espada estava agora completamente fora da teia criada no meio do Portão Celestial. 

Era uma espada preta que flutuava no ar com uma chocante aura assassina. Seria ótimo se isso fosse tudo, mas no momento em que a espada aparecera, ela começara a crescer rapidamente, e num piscar de olhos, de um jeito bizarro, uma grande sombra se formou no chão! 

A espada cresceu diversas vezes o seu tamanho original. Sua extensão se tornara o equivalente a 3 mil quilômetros e ela se transformou num objeto gigantesco a flutuar pelo céu, como uma montanha descomunal! 

Parecia uma espada, mas se alguém olhasse com cuidado, então pareceria um navio! 

A sombra gigantesca no chão praticamente cobriu todos os nove cumes da região. Assim que a espada surgira, uma pressão intensa decaiu sobre as mentes de todos aqueles que haviam erguido as cabeças para olhar. 

– Eu sou Jing Cheng Rong, o líder do exército! 

Nove pessoas flutuaram dos continentes do Portão Celestial. Todos as nove vestiam mantos brancos, e oito delas estavam sentados com as pernas cruzadas em diferentes cantos da espada gigante. Apenas uma delas estava de pé na ponta da espada. Conforme seu olhar percorria a região, ele falou devagar. 

– Todos aqueles que desejam lutar, entrem no Céu Congelado! Uma vez que pisarem nele, vocês serão marcados, e se morrerem em batalha, esta marca desaparecerá! Todos vocês, discípulos do Céu Congelante, venham agora para a Caçada aos Xamãs! 


Considere fazer uma Doação e contribua para que o site permaneça ativo, acesse a Página de Doação.

Comentários

0 0 votos
Avalie!
Se Inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar