Participe do nosso grupo no Telegram https://t.me/+hWBjSu3JuOE2NDQx
Considere fazer uma Doação e contribua para que o site permaneça ativo, acesse a Página de Doação.

Realm of Myths and Legends – Capítulo 983

Guerreiros de Pzenium

No momento, dois grupos estavam envolvidos em uma escaramuça.

No entanto, para aqueles que olhavam de fora, em vez de chamá-la de escaramuça, era mais como um potencial extermínio esperando para acontecer. Isto foi devido à enorme diferença de números entre os dois lados.

Depois que a Comandante Aurie leu as informações contidas no pergaminho e repassou alguns assuntos-chave com aqueles na tenda de comando, a 2ª Unidade, acompanhada pela 9ª Divisão da Unidade de Apoio Geral, imediatamente partiu para a ação.

Eles esperaram pacientemente no lado sul da Clareira do Anoitecer e armaram uma emboscada para os guerreiros de Pzenium. Mas, embora seu golpe inicial tenha sido bem-sucedido, também não fez muito para mudar suas circunstâncias gerais. Mesmo tendo conseguido realizar duas coisas.

Primeiro, confirmou as suspeitas anteriores da Comandante Aurie. No entanto, mais importante, chamou a atenção dos guerreiros de Pzenium e fez com que eles perseguissem a 2ª Unidade pelos arredores da Clareira do Anoitecer.

A Clareira do Anoitecer consistia principalmente de uma ampla área aberta, mas isso era apenas se alguém cruzasse o labirinto de árvores imponentes que a cercavam.

Neste momento, a 2ª Unidade estava usando as árvores imponentes dos arredores da Clareira do Anoitecer para superar os guerreiros de Pzenium em cada canto.

É por isso que, apesar da diferença considerável no tamanho de suas forças, a 2ª Unidade ainda não havia sido sobrecarregada.

Escusado será dizer que tudo isso foi graças a algumas das principais mudanças na Estratégia da Ponte Dourada revisada de Izroth.

A primeira grande mudança foi como as tropas foram divididas em grupos separados. Em vez de o grupo principal ser composto por 300 soldados, tinha mais do que o dobro dessa quantidade; 700 homens.

Quanto aos outros grupos, cada um deles consistia de 100 soldados.

Somando os números da 2ª Unidade e da 9ª Divisão, isso totalizou pouco menos de 1.300 soldados. Portanto, havia seis outros grupos independentes na Clareira do Anoitecer.

É claro que os grupos não enfrentaram os guerreiros de Pzenium em um confronto frontal. Afinal, isso só levaria a uma derrota inevitável.

Em vez disso, toda vez que a luta ficava muito intensa, ou parecia que o grupo principal estava prestes a ser cercado, um ou mais dos grupos independentes da 2ª Unidade apareciam e lançavam um ataque que abria uma lacuna na rede defensiva dos guerreiros de Pzenium.

Usando essa oportunidade, o grupo principal da 2ª Unidade escaparia, criaria alguma distância e, em seguida, reengajaria seus alvos.

Isso causou um alto nível de frustração e impaciência entre os guerreiros de Pzenium.

“Esses chamados guerreiros dos outros reinos são patéticos. Eu esperava que eles lutassem mais. Quem teria pensado que eles fugiriam como covardes logo após lançar uma emboscada contra nós?” Um dos guerreiros de Pzenium declarou com uma voz profunda.

O guerreiro de Pzenium era um homem que parecia estar entre seus trinta a quarenta anos com pele bronzeada, cabelos cor de areia e olhos carmesins pálidos. Ele tinha mais de dois metros de altura com um físico que se assemelhava ao de uma pedra cinzelada e emitia uma pesada aura de intimidação condizente com um guerreiro de sua estatura. Este homem era conhecido como Menkar.


Nome do NPC: (Grande Guerreiro Caminhante da Tempestade de Areia) Menkar (???)

Nível do NPC: ???

HP do NPC: ??? (100%)


Menkar fazia parte dos Caminhantes da Tempestade de Areia — um poderoso grupo de mercenários de aluguel que se originou do reino de Pzenium.

Os Caminhantes da Tempestade de Areia não pertenciam a nenhum poder particular em Pzenium nem fora dele. Havia apenas duas coisas que guiavam o caminho dos Caminhantes da Tempestade de Areia; ouro e batalha.

Ao lado de Menkar estavam dois indivíduos que liberaram uma aura feroz endurecida pela batalha, embora a maioria de suas características físicas estivessem escondidas pelas vestes do deserto que vestiam como Caminhantes da Tempestade de Areia. No entanto, estes não eram Caminhantes da Tempestade de Areia comuns.


Nome do NPC: (Guerreiro Caminhante da Tempestade de Areia) ??? (Raro)

Nível do NPC: ???

HP do NPC: ??? (100%)



Nome do NPC: (Guerreiro Caminhante da Tempestade de Areia) ??? (Raro)

Nível do NPC: ???

HP do NPC: ??? (100%)


Os Caminhantes da Tempestade de Areia tinham uma hierarquia rígida entre suas posições. No entanto, essa hierarquia não era determinada pelo tempo de serviço ou experiência no campo de batalha. Apenas uma coisa ditou a posição de um Caminhante da Tempestade de Areia — força.

Até que alguém adquirisse força como um Caminhante da Tempestade de Areia, eles nem sequer eram dignos de um nome. Portanto, aqueles que queriam se tornar um Caminhante da Tempestade de Areia tiveram que perder seu nome até que ganhassem o direito de empunhá-lo com orgulho. Quando esse momento chegasse, eles receberiam um novo nome e poderiam usá-lo como seu.

Um passo na frente de Menkar e dos dois Guerreiros Caminhantes da Tempestade de Areia estava outra pessoa. Ele era o mesmo homem cuja voz trovejante cobria toda a periferia da Clareira do Anoitecer enquanto dava ordens. A força desse indivíduo era incrivelmente profunda e difícil de entender.

Em termos de aparência física, ele não era tão impressionante quanto alguém da estatura de Menkar. Mas, havia uma razão pela qual o Grande Guerreiro Caminhante da Tempestade de Areia não estava ao lado daquele homem e manteve-se um passo atrás dele.

Este homem parecia estar em seus trinta e poucos anos, com a pele beijada pelo sol, um par de olhos da cor da areia e uma aparência bastante bonita. A aura que ele emitia era refinada e controlada; chegou a um ponto onde os inexperientes em batalha o confundiriam com um guerreiro veterano comum.

No entanto, após ouvir seu nome e saber de sua presença em um campo de batalha, a maioria estaria pronta para recuar com medo.

Este foi o impacto do homem conhecido como o Tecelão do Deserto, Gakhan.


Nome do NPC: Tecelão do Deserto, Gakhan(???)

Nível do NPC: ???


Gakhan era o encarregado de liderar os guerreiros de Pzenium em direção à Cripta do Lorde da Noite. Esta foi uma tarefa dada pessoalmente a ele por um dos grandes duques do Reino de Pzenium.

“Não gosto. Nem um pouco.” Gakhan disse baixinho enquanto estreitava os olhos e varria o olhar sobre o campo de batalha.

Eles estavam entrando e saindo de batalha nas últimas horas sem conseguirem ganhar uma única vantagem sobre seus inimigos. Para piorar a situação, havia grupos individuais que atacavam os pontos mais fracos em suas formações de batalha e instantaneamente recuavam depois.

Claro, Gakhan tentou separar um grupo de suas próprias forças para persegui-los. Mas, por alguma razão, eles sempre conseguiram escapar no último momento para a Clareira do Anoitecer e reaparecer em um local completamente diferente, longe de sua posição anterior.

Percebendo que dividir ainda mais suas forças os deixaria em uma posição potencialmente vulnerável, Gakhan não se preocupou em enviar mais grupos separados. Em vez disso, Gakhan decidiu voltar todo o seu foco para o grupo principal que estava escapando através das rachaduras de seu cerco.

Escusado será dizer que recuar não era uma opção. Gakhan vinha acompanhando de perto as chegadas repentinas e estimou que os inimigos consistiam apenas em pouco mais de 1.000 soldados.

Enquanto isso, as forças sob seu comando eram de 8.000 homens!

Retirar-se de uma batalha tão fácil seria uma mancha na honra dos guerreiros de Pzenium! Não importa o que, Gakhan estava determinado a esmagar os inimigos diante dele com força esmagadora!

“Perdemos tempo suficiente aqui. Se eles tivessem mais reforços, eles já teriam se revelado. Menkar, prepare os Caminhantes da Tempestade de Areia. Vamos eliminá-los de uma só vez.” Gakhan disse enquanto seu olhar ficava frio.

“Farei os preparativos”, respondeu Menkar enquanto afundava na terra com os dois Guerreiros Caminhantes da Tempestade de Areia ao seu lado.

“Vamos ver por quanto tempo você pode continuar a evitar a morte”, disse Gakhan a si mesmo enquanto dava um único passo à frente.

Em um piscar de olhos, Gakhan desapareceu sem deixar vestígios.


Enquanto isso, em algum lugar na Clareira do Anoitecer…

Aurie estava no topo de um certo ponto na Clareira do Anoitecer. Era um pequeno penhasco que era facilmente ofuscado pelas árvores imponentes, impossibilitando ver o que estava acontecendo além delas. No entanto, o propósito de Aurie no topo do pequeno penhasco não era o de assistir aos eventos que se desenrolaram na Clareira do Anoitecer.

“Kalmesia, comece”, afirmou Aurie com uma expressão séria para aparentemente ninguém.

Mas, no momento em que a Comandante deu essa ordem, algo bizarro ocorreu na Clareira do Anoitecer.

As árvores imponentes à distância começaram a se embaralhar! Era quase como se um grande grupo de árvores decidisse simultaneamente dar um passeio repentino pela Clareira do Anoitecer!


Comentários

0 0 votos
Avalie!
Se Inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar