Participe do nosso novo grupo no Telegram https://t.me/+hWBjSu3JuOE2NDQx
Considere fazer uma Doação e contribua para que o site permaneça ativo, acesse a Página de Doação e veja os benefícios.

Reaper of the Drifting Moon – Capítulo 315

Capítulo 315

Tae Musang tinha feito tudo o que podia para sobreviver.

Ele havia implorado, roubado carteiras e até trabalhado em barcos.

Nenhum desses trabalhos era gentil com os órfãos. Entre eles, o trabalho mais brutal era o do barco.

O capitão e os membros da tripulação estavam ansiosos para explorar órfãos como Tae Musang, que não tinham nada. Eles atribuíam a Tae Musang todas as tarefas que deveriam realizar.

Como resultado, Tae Musang era tratado mais como um escravo durante toda a viagem. Todo dia parecia um inferno. Ele sofria com dores musculares e todo tipo de doenças. Foi por isso que, depois de três meses a bordo, Tae Musang decidiu desistir.

Sentia que iria morrer se continuasse trabalhando em condições tão horríveis. Mas sair do barco também não era fácil.

O capitão não tinha a intenção de abrir mão de um escravo fácil de controlar. Achava tolo liberar alguém que poderia ser usado para trabalho gratuito por toda a vida, razão pela qual o capitão até tentou colocar algemas nos pés de Tae Musang.

O capitão queria amarrar Tae Musang ao barco para que ele não pudesse escapar.

Tae Musang eventualmente percebeu que não poderia sair do barco da maneira normal, então escondeu uma faca que usava para limpar peixes, e, quando o capitão estava desprevenido, o esfaqueou.

O incidente deixou o capitão com uma ferida grave, e ele foi rotulado pelos marinheiros como um agitador perigoso que não podia ser confiado.

Embora Tae Musang tenha ganhado sua liberdade, nunca foi permitido a ele embarcar novamente. Além disso, ele não recebeu nem um centavo por todo o trabalho que fez.

Após suas experiências traumatizantes, Tae Musang decidiu que nunca mais entraria em um barco.

Ele não queria mais ser explorado. Queria que fosse apenas uma lembrança que ele desejava apagar.

Mas se havia uma coisa boa, era que ele havia aprendido todas as maneiras de lidar com um barco graças à intensa exploração que sofreu. Ele era habilidoso o suficiente para navegar sozinho.

Agora, Tae Musang estava pilotando o barco do capitão que o havia explorado impiedosamente. Claro, ele não tinha permissão para navegá-lo. O havia roubado secretamente. Ainda assim, Tae Musang não se sentia culpado.

O custo de sua exploração poderia facilmente comprar um barco como aquele.

Tae Musang ajustou a vela para pegar o vento e olhou para frente.

No convés do barco, havia um homem e uma mulher.

Pyo-wol e Yul Ayeon.

Quando a condição de Geomyeon se recuperou um pouco, Yul Ayeon ordenou a Tae Musang que procurasse um barco.

Naquele momento, ele não sabia por que Yul Ayeon deu tal instrução. Mas Tae Musang, que se apaixonou por Yul Ayeon, roubou o barco do capitão que o havia explorado sem hesitação.

Enquanto os dois esperavam no barco, Jin Yoo-gun e seus homens apareceram no porto. Tae Musang reconheceu instantaneamente Jin Yoo-gun. Afinal, havia apenas um homem com cabelos branco-acinzentados que brilhavam à luz da lua em Haimen.

Jin Yoo-gun e seus homens roubaram um barco de pesca assim como Tae Musang antes de navegar para o mar.

Justo quando Tae Musang não sabia o que fazer, Pyo-wol apareceu. Ele embarcou no barco em que Tae Musang e Yul Ayeon estavam como se soubesse que estavam esperando.

Para Tae Musang, nem Yul Ayeon, que pediu a ele para roubar um barco e esperar, nem Pyo-wol, que ordenou a perseguição em um barco como se soubesse que isso aconteceria, pareciam pessoas comuns.

“Esses dois definitivamente não são pessoas comuns.”

Tae Musang já havia testemunhado a força de Pyo-wol com seus próprios olhos, mas ele não esperava que Yul Ayeon também fosse tão excepcional.

Comparado a eles, Tae Musang se sentia como nada, mas ali ele estava, agindo imprudentemente sem saber quão vasto era o mundo, como um sapo em um poço.

Ele se perguntava o quão ridículo ele devia parecer aos olhos deles?

Quanto mais pensava nisso, mais queria enterrar a cabeça em um buraco de rato.

Então ouviu a voz de Yul Ayeon.

— Estamos ficando para trás. Precisamos acelerar. 

— Sim! 

Tae Musang rapidamente saiu de sua divagação e respondeu.

Agora não era hora de se lamentar.

Ele tinha um trabalho importante de acompanhar o barco que partia.

Tae Musang fez ajustes finos nas velas para aumentar a velocidade de seu barco. Não demorou muito para que seu barco diminuísse a distância e perseguisse o barco em que Jin Yoo-gun embarcara.

O barco carregando os três navegou para o mar aberto.

Tudo ao seu redor estava escuro.

A escuridão do mar criava um indescritível senso de terror. Ninguém sabia que perigos espreitavam nas profundezas dessa escuridão. Por causa disso, até pescadores experientes temiam se aventurar no mar à noite.

Tae Musang, ele mesmo tinha pouca experiência em velejar no mar aberto à noite. Ele tinha ainda menos experiência em navegar o navio sozinho. Por isso, se sentia mais tenso.

Semicerrando os olhos, Tae Musang perseguiu o barco em que Jin Yoo-gun estava. Felizmente, o barco que os três perseguiam tinha uma tocha acesa em seu convés, auxiliando na navegação. Isso tornou a perseguição relativamente mais fácil.

Pyo-wol ficou de pé no convés, olhando para o barco em que Jin Yoo-gun estava.

O barco em que Jin Yoo-gun estava continuou navegando em linha reta sem mudar de direção. Eles estavam indo direto para o seu destino. Isso era evidência de que ainda não haviam percebido que estavam sendo perseguidos pelo barco de Pyo-wol.

Yul Ayeon olhou para um lado do rosto de Pyo-wol sem falar.

“Que pessoa interessante.”

Yul Ayeon havia feito um julgamento racional de que Jin Yoo-gun e seus homens poderiam voltar ao porto. Afinal, o único lugar para onde eles poderiam escapar era o porto.

Pyo-wol, por outro lado, foi até a Seita do Dragão do Mar em perseguição deles. Ele não teria tido o luxo de pensar de outra forma.

Embora Tarha, seu avô materno, não pudesse vir devido a ser retido pelos homens de Jin Yoo-gun, Pyo-wol naturalmente embarcou no barco como se soubesse que ela estaria esperando.

Esse comportamento pareceu estranho, mas fascinante, a Yul Ayeon.

Pelo menos entre as pessoas que ela conhecia até agora, não havia ninguém como Pyo-wol.

Como se sentisse o olhar de Yul Ayeon, Pyo-wol virou a cabeça para olhá-la.

— O que foi? 

— Nada não. 

Yul balançou a cabeça levemente.

Foi então.

— Oh, o navio em que estão está diminuindo a velocidade. Parece que chegaram ao destino. 

Tae Musang falou em voz alta.

Pyo-wol e Yul Ayeon viraram rapidamente seus olhares para o barco em que Jin Yoo-gun estava. Como Tae Musang havia dito, a velocidade do barco em que Jin Yoo-gun estava diminuiu perceptivelmente.

Uma pequena ilha podia ser vista para onde o barco que carregava Jin Yoo-gun estava indo. A ilha que havia sido envolta pela escuridão finalmente revelou vagamente sua forma.

Pyo-wol disse.

— A partir de agora, se aproxime da ilha lentamente. 

— Sim! 

Tae Musang respondeu enquanto diminuía a velocidade do barco.

O barco que carregava Jin Yoo-gun parecia estar contornando a parte de trás da ilha.

Tae Musang também pilotou o barco, seguindo o rastro deles.

À medida que se aproximavam da ilha, as ondas se tornaram bastante intensas. O pequeno barco balançava de um lado para o outro, ameaçando virar a qualquer momento.

Tae Musang teve que usar toda a sua força para estabilizar o barco, navegando precariamente pelas ondas enquanto se aproximavam da parte de trás da ilha.

— Ah

— Uau

No momento em que alcançaram a parte de trás da ilha, Yul Ayeon e Tae Musang soltaram um coletivo suspiro atônito.

Havia um grande navio ancorado atrás da ilha.

— Hã? 

Yul Ayeon piscou surpresa.

Ela havia embarcado em um navio da Região Ocidental para vir aqui.

Considerando as milhares de milhas que tinham navegado, era natural que o navio fosse de tamanho considerável. No entanto, o navio à sua frente agora parecia ser facilmente o dobro do tamanho.

Mesmo no movimentado porto de Haimen, onde numerosos navios se reuniam, ela nunca tinha visto um navio desse tamanho.

Era como uma pequena montanha flutuando na água.

Comparado a esse navio, o barco em que estavam parecia não ser mais do que uma folha minúscula.

Jin Yoo-gun e seu grupo desembarcaram de seu pequeno barco de pesca e embarcaram no navio gigante.

Clack!

O barco de pesca abandonado flutuou no mar por um tempo antes de ser arrastado por uma onda enorme e se chocar contra um recife.

Num instante, o barco de pesca desapareceu no mar.

Pyo-wol disse a Tae Musang:

— Você consegue se aproximar daquele barco? 

— Não posso. As ondas estão muito fortes. Se nos aproximarmos, acabaremos sendo levados e batendo contra o recife. 

Tae Musang balançou a cabeça.

Embora Tae Musang se gabasse de sua coragem considerável, não era fácil se aproximar de um navio cercado por ondas turbulentas no meio da noite, e fazer isso sem ser visto, muito menos ouvido.

Pyo-wol então disse a Tae Musang:

— Então você deve esperar aqui. 

— O quê? 

Enquanto Tae Musang fazia uma expressão perplexa, Pyo-wol imediatamente se lançou para a ilha.

Sua partida repentina fez com que o pequeno barco balançasse violentamente.

Nesse momento, Yul Ayeon também voou atrás de Pyo-wol.

— Ah! Vamos juntos. 

Os dois voaram rapidamente pelo céu noturno e pousaram na ilha.

Eles se espalharam e cruzaram a ilha.

Quando chegaram ao topo de um penhasco, viram um navio enorme ancorado no fundo.

Ambos se lançaram em direção ao navio ao mesmo tempo.

* * *

O navio em que Jin Yoo-gun estava era verdadeiramente gigantesco.

Mesmo no vasto mar aberto onde ondas tão altas quanto casas se chocavam, o navio bem construído conseguia navegar com segurança por um longo tempo.

Era como uma fortaleza flutuante em si.

E como se para provar esse fato, o navio maciço permanecia firme no meio das ondas violentas que cercavam a ilha.

— Oh, você está de volta, milorde! 

Assim que Jin Yoo-gun pisou no navio, um marinheiro de meia-idade se aproximou e o cumprimentou.

Ele era um oficial de convés encarregado de proteger o convés.

Jin Yoo-gun assentiu e perguntou:

— Onde está o capitão? 

— Ele está esperando lá dentro. 

— Eu irei vê-lo pessoalmente e estabelecerei uma guarda no convés. 

— Perdão? 

— Tivemos uma colisão de volta em Haimen, então estabeleça um perímetro e mantenha um olhar atento, apenas por precaução. 

— Entendido. 

O oficial de convés inclinou a cabeça em resposta.

Jin Yoo-gun passou por ele e entrou na cabine.

De trás, podia-se ouvir o som do oficial de convés dando ordens à tripulação.

— Movam-se rápido! 

— Fiquem atentos a qualquer navio suspeito se aproximando. 

Os membros da tripulação deste navio eram todos artistas marciais habilidosos, elites altamente treinadas que podiam exercer seu poder máximo tanto em terra quanto no mar.

Eles foram treinados para serem tão poderosos quanto poderiam ser em terra.

Mais de duzentos desses indivíduos habilidosos estavam a bordo.

Jin Yoo-gun caminhou pelos corredores estreitos do navio.

Inúmeras cabines alinhavam ambos os lados do corredor apertado, e na parte mais profunda estava a cabine do capitão.

Toctoc!

— Senhor, é Jin Yoo-gun. Posso entrar? 

Jin Yoo-gun bateu na porta e disse.

Depois de um momento, uma voz áspera e abafada soou.

— Entre. 

Era uma voz sinistra que fazia arrepios percorrerem a espinha, como se estivesse raspando uma placa de aço com as unhas.

Jin Yoo-gun abriu cautelosamente a porta e entrou.

A cabine era facilmente três vezes maior do que as outras cabines, e no centro dela havia uma grande mesa, com um homem sentado na frente dela.

O rosto do homem estava completamente envolto em pano branco. Apenas seus olhos e boca eram visíveis, mas olhando para ele emitia uma aura estranha.

Ele era o capitão deste navio.

Ao ver o capitão, Jin Yoo-gun ajoelhou-se e o cumprimentou.

— Seu subordinado Jin Yoo-gun relatando da terra. 

— E quanto às mercadorias? 

— Todas recuperadas. 

Jin Yoo-gun tirou uma adaga de sua cintura e a colocou na mesa.

O capitão pegou a lâmina com uma mão envolta em pano branco.

Ele examinou a adaga de vários ângulos e disse:

— Bom trabalho. 

— Houve baixas durante o processo de recuperação. 

— Baixas? 

— Encontramos um velho monstro. A julgar pelo conhecimento dele sobre o item, parece que ele é da Seita Mara. 

— A Seita Mara conseguiu nos rastrear até aqui? 

— Parece que sim. 

— Para poder nos rastrear até aqui, eles são altamente capazes? Ou houve uma falha de informação do nosso lado? 

— Irei investigar e descobrir. 

Jin Yoo-gun sentiu um suor frio percorrer sua espinha.

Ele tinha passado toda a sua vida no campo de batalha, com ossos fortes e um espírito resiliente, mas diante do capitão, mal conseguia se mexer. Era como um rato enfrentando uma cobra.

Ele nem mesmo conhecia o rosto do capitão, quanto mais o nome dele. Mas ele estava bem ciente de quão temível era a sua existência.

Ninguém jamais sobreviveu depois de se tornar alvo do capitão até agora.

Ele recebeu o apelido de ‘Ceifador das Sombras’ por sua habilidade de matar como uma sombra sem deixar rastro.

Embora a maioria dos artistas marciais em Jianghu não soubesse desse apelido, a reputação do capitão por não deixar uma folha de grama para trás nos lugares que visitava era notória.

Jin Yoo-gun também era infame por si só, mas não se atrevia a comparar-se ao Ceifador das Sombras.

O capitão colocou a lâmina no compartimento de armazenamento ao lado dele.

— Vou manter isso até ser enviado para a sede. 

— Entendido. 

O lugar mais seguro deste navio era a morada do Ceifador das Sombras. Se o item tivesse sido armazenado ali desde o início, o fugitivo não teria a audácia de roubá-lo naquele momento.

— O que faremos com ele? 

— Alimente-o aos tubarões. 

— Muito bem. 

Jin Yoo-gun tinha ido para capturar o fugitivo, pretendendo fazer com que ele pagasse o preço.

A área estava infestada de tubarões.

O patife que ousou roubar deles teria um fim miserável, sendo despedaçado e devorado ainda vivo.


Gostaria de ter sua novel favorita em PDF ou algum outro formato digital para ler offline?? ACESSE AQUI e saiba como!!

Comentários

0 0 votos
Avalie!
Se Inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar