Second Life Ranker – Capítulo 155

Cinco Montanhas de Penitências (5)

[— Finalmente!]

[— Vermelho… Ele definitivamente se encaixa na propriedade do fogo.]

Yeon-woo olhou para a Aura na lâmina da Adaga de Carshina e depois para Shanon e Hanryeong.

“Existe diferença na cor da Aura?”

Shanon sorriu e balançou a cabeça.

[— Não muito, pois a cor não afeta o poder. Já que a Aura apenas difere dependendo do tipo de treinamento do usuário.]

“Mas?”

[— Você pode ver um pouco do subconsciente do usuário nela.]

“Como assim?”

[— Sua Aura é vermelha. Isso provavelmente simboliza o fogo sagrado e a propriedade do fogo que você tem.]

“Hmm.”

[— Mas observando agora, parece estar queimando e, ao mesmo tempo, se parece com sangue!]

Yeon-woo concordava com Shanon.

O vermelho era a cor que ele mais havia visto tanto na Terra quanto na Torre.

Explosões, fogo e manchas de sangue. Yeon-woo pensava não ser capaz de escapar dessa cor.

Ele observou a Aura em sua lâmina com sua Percepção Extrassensorial.

[— Certo, vamos continuar. Parabéns por ter gerado Aura, mas este é apenas o primeiro passo. Provavelmente ela vai se desfazer se você perder o foco, mesmo que apenas por um momento. Até que você esteja completamente acostumado, você tem que continuar praticando.]

Yeon-woo assentiu.

[— Mas desta vez, vamos mudar as coisas um pouco.]

“Como?”

[— Como? Usando-a em situações reais, é claro.]

Shanon olhou para Hanryeong. Ambos repentinamente sacaram suas armas do subespaço como se estivesse tudo planejado há muito tempo. Shanon com sua Destruidora de Espadas e Hanryeong com uma de suas nove espadas.

Yeon-woo podia sentir que Shanon estava sorrindo, mesmo que ele não tivesse rosto.

[— Vamos lutar.]


Clang!

Ele era um mestre agora, mas ainda tinha um longo caminho a percorrer.

Jogadores normais veriam que ele era bastante habilidoso, mas pessoas realmente habilidosas notariam suas falhas. As habilidades e armas que ele tinha não estavam relacionadas às suas habilidades técnicas de espada. Ele só conseguiria melhorar se trabalhasse duro.

No entanto, ele não tinha muito tempo e tinha que usar esse tempo de forma eficiente.

O lugar que ele escolheu para treinar foi o vigésimo andar e para compensar pela falta de tempo, ele usou sua mente para fazer com que anos se passarem. Algo que era impossível para pessoas normais. Ele usou isso para lutar consigo mesmo.

Mas isso não era tudo…

As lutas com Shanon e Hanryeong aumentaram ainda mais a proficiência das Escritas Divinas e da Aura.

Shanon havia dito que ele havia alcançado apenas o básico.

Yeon-woo sabia que ainda tinha um longo caminho a percorrer.

À medida que o metal se chocava, faíscas voavam por toda parte.

[— Bom demais! É tão divertido quanto eu esperava! Assim que é bom!]

A voz feliz de Shanon ecoou.

Atrás dele, Hanryeong bateu com a espada no chão como se dissesse a Shanon para se apressar.


[— Hmm… Também não é isto.]

Victoria afastou uma mecha de cabelo para trás, revelando seu rosto frustrado. Ela não podia sentir nada, mas naquele momento ela queria tomar um banho, pois estava se sentindo mentalmente suja. No entanto, não havia necessidade de se preocupar com isso agora, pois havia problemas em seu sistema.

Ela havia verificado repetidamente se havia erros de cálculo, mas sua magia não estava funcionando desta vez.

Não sabendo quantos anos haviam se passado e naquele momento lembrou-se de quando entrou nas cinco montanhas e o motivo de estar ali. Ela queria elevar sua magia para um novo nível.

Um objetivo que ainda estava longe de ser alcançado.

[— O cálculo não está errado. Tenho certeza disso.]

Victoria calculou novamente a parte do problema que não estava funcionando, mas novamente, sem nenhum sucesso.

Então, restava apenas uma possibilidade.

[— A quantidade de possibilidades.]

Sigh.

Ela ficou tão irritada que xingou pela primeira vez em muito tempo.

Este era o problema da magia rúnica. Pode-se usá-la sem muitos problemas e era muito forte devido a sua pureza. Era por isso que pessoas que desejavam se tornar magos de guerra como ela gostavam deste estudo.

No entanto, além de todos os seus prós, havia um grande contra.

As letras.

Eram símbolos simples, mas quando usadas em um nível mais elevado acabava se tornando um pouco complicado e fadado a falha imediata.

Por exemplo, o comando para ‘congelar’ era fácil. No entanto, o comando para ‘congelar e quebrar’ era impossível. Pois duas letras se chocavam.

Victoria superava esse contra com o uso de artefatos. Ela desenhava as letras nas pulseiras especiais que fazia e as apagava sempre que necessário para usar um comando diferente.

Porém, isso não só limitava a quantidade de vezes que poderia ser usado, mas uma grande quantidade de joias era necessária cada vez que novas letras rúnicas eram escritas. E como a pulseira durava apenas uma semana, se provava extremamente ineficiente.

Victoria estava tentando encontrar uma solução para este problema, uma espécia de combinação de runas que reparassem a pulseira assim que ela fosse usada. Parecia impossível, mas ela havia terminado um pouco da teoria depois de um longo tempo de pesquisa.

Mas era apenas isso… Teoria.

O cálculo estava perfeito, mas mesmo assim terminou em fracasso.

Ela ficou frenética e com medo de não ser capaz de realizar seu objetivo se isso a estagnasse. Devido aos limites da magia rúnica, ela não tinha sido capaz de progredir na torre, e poderia ficar presa no mesmo andar até sua morte.

Mas ela tinha uma ideia do motivo de suas falhas.

Era devido à quantidade de possibilidades. Havia várias formas do artefato ser danificado e também muitas combinações diferentes de runas.

As possibilidades de algo inesperado acontecer eram quase que infinitas.

Então havia apenas um método. Criar uma combinação que pudesse enfrentar qualquer uma dessas possibilidades.

E para fazer isso…

“Preciso modelá-la de acordo com alguém que seja proativo.”

Várias teorias vieram a tona na cabeça dela.

Ela precisava imitar alguém.

Se ela pudesse entender a maneira de uma pessoa assim pensar e replicá-la em um artefato, seria capaz de resistir a situações imprevisíveis.

No entanto, a pessoa teria que aprender rápido e ser proativa.

E, felizmente, Victoria conhecia alguém assim.

“Cain.”

No início, ela considerou Kahn, pois era jovem e motivado. No entanto, ele passava muito mais tempo meditando do que treinando, como se estivesse pesquisando algo, assim como ela.

Yeon-woo era diferente.

Ele só passou o primeiro mês em meditação, e depois disso, ele continuou a treinar movendo seu corpo.

Quem o observasse pensaria que seu corpo ficaria arruinado, mas não era esse o caso.

Além de progredir rapidamente, mesmo ela, que não sabia muito sobre artes marciais, poderia dizer que ele estava melhorando dia após dia.

Um dia para ele era como um mês para as pessoas normais. Ela entendia profundamente que os outros levariam alguns meses para compreendê-lo.

[— Espero que ele me faça este favor.]

Mas havia um problema. As pessoas não gostavam de ter seus padrões de pensamento analisados, pois suas fraquezas poderiam ser demonstradas.

Era por isso que ela não considerava pedir ajuda para outros altos rankers, incluindo Kindred. No momento em que ela mencionasse, a cabeça dela seria arrancada.

Mas ela não saberia se não tentasse com Yeon-woo. Após organizar seus pensamentos, Victoria lentamente se levantou e descobriu onde ele estava com seus sentidos.

Felizmente, estava perto de onde estava hospedado.

Usando a runa de Teleporte, ela rapidamente foi para onde ele estava, mas ao chegar no local ela ficou surpresa com o que viu.

“O que é isto?”

Toda a floresta ao redor da pequena casa onde Yeon-woo ficava tinha se transformado em um terreno baldio.

Parecia que uma jiboia, como as que estavam no símbolo de Hermes, havia passado pelo local. Parecia que algo havia amassado a floresta. O problema era que, mesmo o local estando assim, ela não conseguia sentir nenhum vestígio de poder mágico.

“Então… Ele fez isso com força pura?”

Ela havia ficado impressionada quando ele usou seu poder mágico contra Kindred, mas isso era incomparável a antes.

Victoria estimou onde Yeon-woo estava, baseada nos rastros que encontrou e teve ainda mais certeza.

Ela chegou a um pequeno lago no final da floresta.

Yeon-woo estava se banhando.

Ela podia ver que seu corpo era incrivelmente definido.

Músculos sem quaisquer imperfeições, frutos de um treinamento árduo.

Victoria estava prestes a sorrir, mas congelou ao ver todos os tipos de cicatrizes em seus músculos.

“O que será que ele passou para…”

[— O que a traz aqui?]

Yeon-woo virou-se para Victoria sem sinais de surpresa.

Victoria sentiu a cor voltar ao rosto e sorriu lentamente.

[— Uma mulher te espiona enquanto você toma banho e você não fica nem um pouco surpreso?]

[— Você não pode me ver de qualquer maneira. Pode esperar um momento para que eu possa me vestir?]

[— Não, apenas fique nu.]

Yeon-woo a ignorou e entrou na floresta no lado oposto. Para pegar suas roupas.

[— Chato.]

Victoria sorriu, depois estreitou os olhos.

[— Posso sentir os vestígios da magia, porém, também há… energia das trevas? Mas não deveria haver mortos-vivos no vigésimo andar, então… Este poder pertence a ele?]

Ele tinha mais do que força física? Ela estava curiosa, mas não podia perguntar. Desde que essa era uma regra oculta daquele local.

Então, com o som de folhas farfalhando, Yeon-woo voltou.

[— Por favor, fale agora.]


[— Você quer transformar os meus padrões de pensamento em um artefato?]

Yeon-woo perguntou a Victoria após ouvir sua explicação. Ele estava tomando um banho e descansando após seu treino com Shanon e Hanryeong.

Quando de repente, Victoria apareceu.

[— Exatamente.]

Victoria assentiu.

[— E imagino que saiba como é rude pedir isto a um marcialista.]

[— Eu sei, mas vim oferecer uma troca.]

[— Uma troca, você diz?]

Durante o tempo que passou nas cinco montanhas, ele se aproximou de Victoria falando com ela sempre que se viam, mas não passava disso. Eles não eram próximos o suficiente para ela pedir algo assim.

Porém, Yeon-woo não estava preocupado com isso, pois…

“Não importa o que ela tente, ela não será capaz de imitar a minha maneira de pensar.”

Yeon-woo estava confiante em seu bloqueio mental. Sua habilidade Sangue Frio era o maior inimigo para magias mentais e sua mente estava ainda mais forte após o despertar de seu Corpo Dracônico. Agora seu subconsciente não era diferente do de um dragão.

Se ela tentasse interpretar sua mente, seria tão difícil quanto interpretar a mente de um dragão. Ficou ainda mais claro que ela falharia.

Por outro lado, Yeon-woo queria muitas coisas dela.

Magia rúnica. Era simples de usar e se, além disso, ele pudesse aprender magia de ataque.

“Teleporte, Furtividade e Fortalecimento do Poder Mágico. Quero aprender pelo menos essas 3. Seria bom se eu pudesse ganhar um pouco de conhecimento sobre outros tipos de magia também.”

Teleporte, para mudar rapidamente a sua localização. Furtividade, que lhe proporcionaria movimentos mais rápidos. E o Fortalecimento de Poder Mágico para aumentar seu poder mágico.

Além disso, a magia rúnica seria de grande ajuda para Boo.

[— Se quiser, até podermos fazer um contrato demoníaco. Então, por favor, aceite meu pedido.]

Um contrato demoníaco consistia em invocar um demônio superior e pedir que lhe concedesse um desejo. Era de fato Incrível, caro, mas ela estava determinada a este ponto.

Yeon-woo fingiu pensar sobre o assunto com cuidado e acenou com a cabeça.

[— Certo. Mas, em vez disso, quero aprender linguagem rúnica. Tudo bem?]

[— Linguagem rúnica?]

Os olhos de Victoria se arregalaram. Ela achava que era uma condição muito fraca.

E mesmo se você aprendesse magia rúnica, seria difícil de aplicá-la, pois se tratava da magia dos Deuses.

Ela brilhantemente sorriu, pensando estar com a vantagem, sem saber que Yeon-woo tinha o Conhecimento Dracônico.

[— Perfeito. Irei te ensinar então. Deixe comigo.]

[— Obrigado.]

Yeon-woo sorriu enquanto apertava a mão dela. Era um sorriso de alguém que realmente estava com a vantagem.

Ambos colocaram força extra na mão que estavam apertando.


Enquanto isso…

『— Você é a primeira pessoa a entrar na masmorra ‘Palácio do Rei Mifune.’』

Kindred entrou numa caverna que ficava no topo da quinta montanha.

Era uma caverna que ninguém havia encontrado antes. E também a razão pela qual ele passou 10 anos no vigésimo andar estava mesmo à sua frente.

Um lago profundo. E uma porta além dele. Uma porta dourada que brilhava, iluminando toda a caverna.

“Te achei. Bastão Mágico.”

Kindred sorriu o suficiente para que seus caninos aparecessem.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar