SSS-Class Suicide Hunter – Capítulo 132

Capítulo 132

“Olha lá! Bem ali…”

“O-o que fazemos? Devo chamar um professor?”

Os alunos se reuniram no pátio da escola e apontaram para o telhado.

“O que aquele cara está tentando fazer?”

“Sei lá. Parece que ele vai pular…”

Um aluno estava de pé no telhado.

”O que a gente faz?”

“Merda! Alguém chame um professor!”

“Bem ali! Lá!”

Os alunos que estavam jogando futebol. Os alunos fazendo caminhadas. Até os alunos que saíam da escola um pouco tarde. As crianças que estavam espalhadas pelo campus se reuniram em grupos. O comportamento foi instintivo. Eles sentiram que fosse o que fosse que fosse acontecer, era algo com que não conseguiriam lidar sozinhos.

“Isto…!”

Algumas pessoas decidiram agir rapidamente em vez de se reunir inutilmente.

“Isso não é bom. Gongja! Ligue para 119. Diga a eles o nome de nossa escola e que um aluno está tentando pular do telhado. Anda! Vou para o telhado para tentar detê-lo!”

Raviel não mandou ninguém chamar o professor. Em vez de procurar outra pessoa para assumir a responsabilidade, ela reagiu com urgência à situação. Raviel correu para o prédio principal da escola sem esperar pela minha resposta.

“Ah…”

Quando vi as costas de Raviel, meu corpo congelado começou a se mover. Isso mesmo. Eu não sabia o que estava acontecendo, mas não havia tempo para indecisão. Eu rapidamente disquei os números no meu celular. Um. Um…

Thwack!

Algo caiu no chão antes que eu pudesse apertar nove. No início, pensei que o aluno tivesse pulado. No entanto, o baque foi muito baixo para ser um corpo humano. Era o som do aluno no telhado jogando seu celular.

“……”

Eu olhei para o telhado enquanto pressionava o nove.

Nossos olhos se encontraram.

Era o rosto que eu tinha visto na sala de aula. O menino que estava sentado na última fileira perto da janela, estudando sozinho em silêncio. Mas foi só nesse momento que senti que via direito o rosto da criança.

Os olhos da criança eram pretos.

As bochechas da criança eram brancas.

“——.”

A criança ergueu o canto da boca em um sorriso zombeteiro.

Lentamente, seus lábios se moveram. Um som silencioso. Suas palavras foram enterradas pela distância, mas eu podia lê-las olhando para seus lábios. Uma palavra que eu precisava reconhecer, mesmo que não quisesse reconhecê-la.

[Morra.]

Então.

Dedos pequenos como um ancinho soltaram a cerca do telhado. Ele soltou, e—

O vento.

A pessoa.

“■■■■■■■■■ !!”

Os alunos gritaram. O mundo ficou lotado de barulho. “Mas que porra, ■!” Alguém gemia intermitentemente. “Aa ■ aa ■ aah!” Alguém teve uma convulsão, arrancando a manga do uniforme de outra pessoa.

“■fessor! Pro■■!” “Porr ■,” “Este é ■!”

Em um instante.

A escola não era mais uma escola. Tudo se transformou em caos. O pátio da escola se tornou um deserto desolado. O prédio principal não passava de uma prisão medonha.

A sala de aula era um matadouro para animais ou uma fazenda para criá-los. Os animais estavam sempre com fome. No mundo dos matadouros e canis, uma pessoa só existia para se tornar um cadáver.

Vermelho.

Uma pessoa morreu.

“……”

Em transe, olhei para o campus. Os tijolos estavam encharcados de vermelho. A vermelhidão se espalhou ainda mais. Temendo que a vermelhidão manchasse seus pés, os alunos recuaram. Alguns pegaram seus telefones celulares. Ka-click! Um ruído artificial soou.

“Ah.”

O som moveu meu corpo.

“Não faça isso.”

Eu fui para os alunos.

“O que vocês estão fazendo agora? Não tirem uma foto! Já disse para parar!”

Os alunos estremeceram. Mas mais e mais alunos estavam se reunindo. Deixando a bola de futebol no deserto, as flores nas trilhas e dando as costas para a estrada para casa, mais e mais pessoas se reuniam.

“Parem com isso!”

Quando bloqueava um lado, eles tiravam seus telefones celulares do outro lado.

“Estou mandando vocês pararem! Porra, não façam isso!”

Uma emoção inominável subiu pela minha garganta. Eu senti que ia chorar. Raiva. Desprezo. Nojo. No prédio principal, no primeiro andar, no segundo andar, no terceiro andar, no quarto andar e no quinto andar, os alunos colocaram a cabeça para fora para ficar boquiabertos. Rostos incontáveis. Com olhos incontáveis.

Eles olhavam.

“Parem! Com isso!”

O pôr do sol estava vermelho.

“Merda.”

Por quê?

“Parem. De tirar. Fotos!”

Os cem rostos estavam sem expressão. Do primeiro andar, a Mestre do Dragão Negro olhou aqui. Da janela do terceiro andar, o rosto do Questionador Herege estava aparecendo. A Cruzada e a Condessa observavam do solo. As crianças da Residência do Fogo Infernal me cercaram. Os cultistas estavam no pátio da escola. Ka-click! Click. Eles moveram os dedos para tirar fotos.

+

Quem me matou foi você.

Não se esqueça…

Você me matou.

+

Eu olhei para o telhado.

“……”

Raviel olhou para mim.

“Mas, Gongja.”

A voz de Raviel fluiu do céu.

“Não foi você quem o matou?”

O mundo se tornou um deserto.

O céu ficou completamente vermelho.

Como a aquarela, o vermelho pingava e encharcava a terra.

As pessoas ficaram vermelhas e minha visão também ficou vermelha.

“—Como vocês sabem, algo escandaloso aconteceu em nossa escola.”

O diretor falava no auditório. Ele estava usando o rosto do Santo da Espada.

“Mas eu acredito nos alunos da da Escola Shinseo de Ensino Fundamental e Médio…”

Vermelhidão.

“Ele mandou esse tipo de texto. Ele não estava realmente louco?”

Na sala de aula, os alunos fofocavam com os rostos da Condessa e da Cruzada.

“Isso mesmo. Em retrospecto, ele sempre foi um pouco estranho.”

Vermelhidão.

“Ignore as pessoas que estão fazendo barulho sobre isso. Eles são apenas guerreiros do teclado que nunca dariam uma olhada no rosto de alguém. Hmph. Esses caras deveriam apenas ter seus dedos cortados.”

Em casa, meu pai bebia uísque com o rosto e o sorriso de Bae Hu-ryeong.

“É, cara. Às vezes você bate nas pessoas na vida. E então? Por que ele simplesmente aceitou e morreu por causa de algo assim? Ele não era uma puta de atenção total? Ei! Chame os Quatro Reis Celestiais! Vamos jogar um jogo!”

Meu irmão mais velho colocou o braço em volta do meu ombro com a voz alegre do Imperador das Chamas.

Vermelhidão.

“Sim, seu professor também está arrasado. Estou indeciso, mas—”

O professor da sala de aula falou no púlpito. Seu rosto era o da Víbora.

“—Este é um momento muito importante para vocês, alunos. O tempo voará quando vocês chegarem ao terceiro ano. Na verdade, os vencedores e perdedores serão decididos em seu segundo ano, este ano. Pensem cuidadosamente sobre o que é importante para vocês e controlem-se.”

Os alunos abriram a boca. Em uníssono, eles responderam.

“Sim, professor.”

Apenas a presidente da classe manteve a cabeça baixa sem dizer uma palavra.

A presidente usava o rosto da Mestre do Dragão Negro.

Uma flor branca foi colocada na mesa da criança. Um dia. Dois. Três. Menos de uma semana depois, a mesa desapareceu em outro lugar. Eu não sabia quem a havia levado embora.

Nem um único aluno perguntou quem a havia levado.

Nenhuma nova mesa apareceu no assento da janela da fileira de trás.

“……”

O vento soprava.

A cortina estourou.

Ninguém estava lá no lugar onde o vento soprava.

[O trauma se repetirá.]

Então.

[A severidade da pena é alta.]

 

[A pena é a estrada animal.]

Ding,

Dong,

Dang,

Dong,

Uma melodia miserável tocava.

Houve um ruído mascarado no som. O sino da escola tocava com um som eletrônico que imitava o som natural. Para esconder o fato de que não era nada além de uma falsificação, a melodia tornou-se mais enérgica e animada.

—Este é o departamento de transmissão, notificando todos os alunos que permanecem nas dependências da escola …

Uma imitação.

—Com exceção dos alunos que participarão do autodidatismo noturno, por favor, vão para casa agora. Mais uma vez, o departamento de transmissão anuncia …

Algo que falhou.

—Recentemente, alguns alunos permaneceram nas dependências da escola após o término do tempo de dispensa. Para os alunos na escola agora, por favor, voltem para casa se vocês não se inscreveram para o estudo autodidata noturno.

Sentindo minhas entranhas se agitarem, abri meus olhos.

“Sunbae, acorde! Fomos liberados!”

“……”

“Oh? Você já está acordado.”

O Questionador Herege sorriu.

“Mas não é bom para você dormir na sua mesa! É ruim para as suas costas e, mais importante, você não dormirá bem. Eu entendo que você está estudando…”

Não esperei que o Questionador Herege terminasse suas palavras. Eu me levantei e corri para fora da biblioteca. Atrás de mim, ouvi a voz do Questionador Herege.

“Ah, sunbae! Você não deveria correr nos corredores!”

Correndo pelos corredores, eu cerrei meus dentes.

‘Eu entendo.’

Eu descobri a fonte da minha confusão.

Este era, sem dúvida, o trauma do Assassino de Constelações, Lefanta Aegim.

Acontece que minhas memórias foram colocadas sobre o pesadelo de Lefanta Aegim como [pele].

A mesma situação.

O mesmo elenco.

No entanto, suas aparições eram as das pessoas da minha vida, não as pessoas de quem Lefanta Aegim se lembraria. Foi por isso que a Mestre do Dragão Negro, a Cruzada e a Condessa se tornaram estudantes. Mestre e Bae Hu-ryeong se tornaram meus pais.

Assim como pra mim.

‘Eu sou o culpado.’

Senti um gosto sangrento na minha boca.

‘Eu sou o autor desta situação.’

Eu tinha passado por muitos traumas até agora, mas a cada vez, eu tinha sido um [observador]. Sempre me senti como um observador em primeira pessoa. Mas porque minha classificação cresceu, a penalidade aumentou.

Aqui, eu era parte do trauma.

Não só eu, mas todos de quem me lembrava.

Exceto por uma pessoa.

‘Merda!’

Eu cheguei na escada.

[Comportando-se corretamente ♪]

 

[Vivendo com alegria ♪]

 

[Com um coração feliz ♪]

O lema do qual eu não conseguia nem rir estava pendurado na escada. Não brinque comigo. Sério, não brinque. Amaldiçoando internamente, olhei para o lance de escadas que levava ao telhado.

Lá estava a única pessoa de que não me lembrava neste mundo.

O Assassino de Constelações.

Seu corpo era pequeno. O aluno agarrou a porta de ferro e sacudiu-a para frente e para trás. Clank. Clank! As correntes eram tão robustas que parecia difícil soltá-las.

“Haa… Uma chave…”

O aluno suspirou e se virou. Naquele momento, nossos olhos se encontraram. O estudante prendeu a respiração por um milésimo de segundo, então curvou a cabeça educadamente.

Ele estava me cumprimentando com a cabeça baixa.

‘Por que não percebi antes?’

Eu deveria saber que algo estava errado quando soube que aquela criança era minha colega de classe. Não era óbvio?

Que tipo de colega saudaria outro colega com uma reverência?

Era errado.

“……”

O aluno me olhou com atenção e, em seguida, silenciosamente começou a andar. Quando ele tentou passar ao meu lado, chamei-o.

“Espere um momento.”

“Sim?”

O aluno falou com respeito como se fosse natural. Ele não me olhou diretamente nos olhos, mas com cuidado para cima de um ângulo.

Minha garganta latejava.

“…”Por favor, deixe-me pegar seu celular emprestado por um momento.”

“……”

“Por favor.”

O aluno obedientemente entregou seu celular. Ele ficou em silêncio por um tempo, mas o silêncio não estava recusando meu pedido para ver seu telefone. Ele simplesmente ficou confuso sobre o meu uso de uma linguagem educada.

Abri o celular, que não tinha senha.

+

Mensagens de Desconhecido: 47

+

Abri os textos, um por um.

Eu olhei para eles.

[Eu me sinto tão mal pelos calouros de nossa escola   . Eles têm que chamá-lo de sunbae, ■■. Você já pensou em como eles se sentem? Não fere a sua consciência?]

 

[Ei, você está me ignorando?]

 

[Uau! Tem aluno que nunca lava uniforme?!]

 

[■■ … Que nojento. Como você pode ser ainda mais sujo do que a professora de matemática? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk]

 

[Você estava tão feliz que poderia morrer só porque eu disse oi no corredor ontem, kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk. Acabei de perder no pedra, papel, tesoura, ok? Não me entenda mal.]

 

[■■ vive em um lixão. Os calçados internos e os uniformes escolares são todos recicláveis. O único lixo que não pode ser reciclado é ■■.]

 

[Você tem um cheiro horrível. Sério, você fede.]

 

[Vejo você depois da aula.]

Snap.

Fechei o telefone.

Eu não conseguia ler mais.

“……”

Fechei meus olhos e respirei. Eu respirei e por pouco consegui me acalmar. Nesse trauma, eu não estava com minha adaga nem com o lenço que Raviel me presenteou. Levei muito esforço para acalmar minhas emoções.

“Por quê…”

Eu olhei para [o passado do Assassino de Constelações].

“Por que você traz seu celular para a escola? Você pode apenas mantê-lo em casa.”

Então, o aluno respondeu.

“…”Você disse que me mataria se eu não trouxesse.”

Quando engoli em seco, minha saliva estava fria.

Minha cabeça ficou tonta.

“Então, apenas jogue fora completamente. Por que você não joga fora? Não há nada a fazer se você disser que o perdeu.”

“Isso.”

O aluno.

Aquele que um dia seria chamado de Assassino de Constelações abriu os lábios.

“É o celular que Gongja-nim me deu. O que você costumava usar…”

“……”

“Porque minha família não tem dinheiro… Você está pagando pelas taxas. Então, se Gongja-nim me disser para sair, eu sairia imediatamente. Para aquele propósito. Você disse que se eu perdê-lo, você vai me matar…”

Um edifício que se tornou uma praga.

Amizades que imitam a amizade, o amor que imita o amor, uma coisa sem sentido que finge ter significado, esta fazenda de animais que finge ser especial – havia apenas malícia.

“Posso realmente jogar fora?”

Apenas a malícia era real.

~~~

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar