Switch Mode
Participe do nosso grupo no Telegram https://t.me/+hWBjSu3JuOE2NDQx

Super Detective in the Fictional World – Capítulo 239

Puxar o Saco do Chefe do Chefe do Chefe

Vendo que Selina não tinha intenção de acordar, Luke riu secretamente, e se retirar as roupas de uma garota contava como uma habilidade Elementar.

Ele levantou e fechou a porta. Então, ficou completamente calmo.

Um momento depois, correu para as portas do fundo e desapareceu na escuridão.

Na manhã seguinte, Selina sacudiu Luke.

— Fale! O que você fez comigo noite passada, pervertido? — Ela olhou para ele, seu rosto estava meio bloqueado pelos seios magníficos dela.

Luke bocejou e perguntou: — Você não sentiu nada?

Eu realmente tive tempo para fazer algo com você? Ele murmurou internamente, enquanto checava a notificação do sistema.

Missão: Limpe o grande armazém e destrua as drogas ilegais da WD-36. Concluída

Experiência Total: 1500

Crédito Total: 1500

Taxa de Contribuição: 100%

EXP +1500

Crédito +1500

A WD-36 era um cordeiro muito gordo. Se não tivesse aproveitado o momento e invadido o armazém, as drogas e dinheiro teria sido engolida por outra pessoa.

Assim, ficou ocupado a noite toda. Além das drogas que destruiu, até encontrou mais de um milhão de dólares em dinheiro.

A operação foi tão extenuante que já estava amanhecendo quando voltou e adormeceu.

Selina, todavia, não tinha ideia do que fez. Ela simplesmente perguntou: — Então e quanto ao café da manhã? Você não acha que deveria compensar pelo que fez?

Luke retrucou: — Só uma vez, ok? Mas antes disso, você pode colocar uma calça primeiro? Embora seja tão revelador quanto, roupa íntima é diferente de biquíni, tá bom?

Selina bufou: — Hmph! Coloquei isto nesta manhã. Não lembro de ir para cama noite passada.

Luke levantou sem pressa e colocou suas roupas. Ele dormiu de camiseta sem manga e shorts, então não estava com medo de se expor: — É claro que não. Você lembra de tomar banho? Você se cheirou?

Selina respondeu: — … Hm, acho que não.

Luke revirou os olhos: — É claro que não. Eu te coloquei na banheira, ou você teria desmaiado com o próprio cheiro.

Selina falou: — Isso é besteira. Eu não fedo.

Luke retrucou: — Essa é uma afirmação ousada! Nesse caso, não te ajudarei da próxima vez, mas, por favor, mantenha distância de mim, já que estou com medo da sua catinga.

Selina: — Ah, querido, não se incomode com os detalhes. Apenas faça o café da manhã. Preciso tomar um banho e me vestir. — Ela então saiu do quarto.

Quarenta minutos depois, os dois foram ao departamento de polícia.

Após chegarem, foram direto até Elsa.

Detetives normais não visitariam o escritório de seu superior com frequência porque não podiam resolver casos tão rápido; eles certamente não conversariam com seu chefe se não estivesse fazendo nenhum progresso num caso, já que apenas estariam exibindo suas deficiências.

Luke e Selina eram diferentes. Eles estavam resolvendo casos muito rápidos e Elsa não desperdiçaria suas habilidades. Se não pudessem encontrar nenhum pista num caso após alguns dias, este seria entregue para outros detetives, para que eles pudessem trabalhar no máximo de outros casos possível.

Somente jovens com habilidades notáveis como Luke e Selina podiam lidar com a pressão. Até detetives experientes não conseguiam ficar recebendo casos complicados o tempo todo.

Também foi por este motivo que Luke e Selina começaram a ganhar cada vez mais respeito na Divisão de Crimes Graves.

Após entrarem, Elsa simplesmente jogou um arquivo na frente dela para eles.

Luke pegou e entregou para Selina, que prontamente sentou para ler.

Elsa falou: — Tudo bem, independente do que fez ontem, está bem para mim. Agora, olhe para este caso.

Luke perguntou: — Qual é a situação?

Elsa respondeu: — A situação é que você vai puxar o saco do chefe do chefe em algum lugar e o Vice-diretor Condra vai limpar a sua bagunça para você.

Luke ficou confuso: — O quê?

Elsa explicou: — Há um assassino em série em Woodsboro, e uma das vítimas é a sobrinha do nosso vice-diretor. Agora, o vice-diretor sabe que você é muito capaz, então ele está exigindo que você encontre o assassino que torturou e matou sua sobrinha.

Luke ficou sem palavras: — Mas e quanto ao chefe do chefe do chefe? Não temos poder de aplicar a lei por lá, e se quisermos encontrar o assassino em série…

Elsa respondeu: — Me responsabilizo por você. Você não tinha poder de aplicação da lei em Nova York, mas fez um ótimo trabalho, não?

Luke perguntou: — Você realmente confia em mim, né?

Elsa riu: — Tudo bem, chega. Para dizer a verdade, o Vice-diretor Condra falou para eles. Você tem permissão para usar arma de fogo em uma emergência.

Luke entendeu imediatamente.

O apoio de um vice-diretor da LAPD definitivamente era algo grande.

Woodsboro estava a apenas cem quilômetros do centro de Los Angeles, e era em si parte da grande Los Angeles. Eles estavam meio que conectados.

Era por isso que Luke tinha permissão para usar sua arma.

Embora só devesse usar numa emergência, estava livre para disparar enquanto não causasse um problema maior.

O que contava como um problema maior? Por exemplo, atingir uma pessoa inocente quando estava mirando no assassino.

Porém, Luke era o único que sabia que sua habilidade de combate não se limitava as armas.

A permissão para usar armas era mais como o reconhecimento indireto do xerife local de que ele podia trabalhar no caso.

Contanto que não prendesse ninguém oficialmente, ele estava livre para usar quaisquer outros meios necessários durante a investigação.

Pensando nisso, Luke riu: — Esta é outra folga?

Elsa olhou para ele e bufou: — Deixe a Selina dizer os detalhes do caso no caminho. Você deve… Tomar cuidado.

Atordoado por um momento, Luke ficou solene: — É claro, chefe. Serei prudente.

Elsa assentiu satisfeita: — Okay, agora saia daqui.

Luke bufou: — Você pode ser mais gentil? Por exemplo, como eu. — Quando falou, colocou um saco de papel, bem como uma caixa selada na mesa.

Elsa ficou sem palavras: — Apenas se manda!

Ela finalmente cedeu à falta de vergonha de Luke após a estranheza de ontem, quando ele jogou a culpa nela.

Luke saiu, sorrindo.

Selina se levantou e se aproximou de Elsa: — Chefe, é uma grande refeição que levou mais de uma hora para fazer noite passada. Você não pode deixar a porta aberta quando estiver comendo.

Elsa bufou e respondeu: — Entendi. Lembre-o de tomar cuidado. Na verdade… Não é um problema mesmo que não encontre nada. Ninguém pode resolver todo caso.

Selina assentiu com um sorriso: — Entendi. Estou indo, chefe.

Vendo-os partir, Elsa colocou a comida na gaveta especial, antes de sair do escritório de Dustin.


Considere fazer uma Doação e contribua para que o site permaneça ativo, acesse a Página de Doação.

Comentários

0 0 votos
Avalie!
Se Inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar