Switch Mode
Participe do nosso grupo no Telegram https://t.me/+hWBjSu3JuOE2NDQx

Super Detective in the Fictional World – Capítulo 246

Segredo de Billy

Os olhos de Luke imediatamente se concentraram no tablet na mão de Selina. Na tela, Billy estava saindo pela porta dos fundos com um moletom de capuz e uma mochila nas costas.

Luke sorriu no momento que viu Billy: — Ele não pode estar considerando fazer algo bom vestido assim.

Selina perguntou: — Moletons são comuns, tudo bem? Como pode ter certeza que ele está considerando fazer algo?

Luke hesitou e respondeu: — Bem, você normalmente abaixa a cabeça para cobrir o rosto quando vai fazer uma boa ação?

Selina retrucou: — … Isso faz sentido.

Felizmente, Luke escapou com essa explicação sem revelar seu próprio hábito de se vestir como vigilante!

Eles seguiram Billy um pouco atrás e certificaram que estavam no rastro certo.

Um momento depois, Billy os levou para… A escola.

Qual era seu plano?

A escola estava suspensa e havia penas guardas no campus agora.

Franzindo a testa por um momento, Luke pensou em algo: — Temos o número do Diretor Himbry?

Selina respondeu: — Sim, tenho seu cartão.

Luke falou: — Ligue para ele e pergunte-o se tem alguém na escola.

Após o diretor atender, Selina perguntou: — Hã? Nenhum aluno e professor? Oh, obrigado…

Luke se intrometeu de repente: — Sr. Himbry, você ainda está na escola?

Himbry respondeu: — Sim, estou prestes a terminar com o trabalho e estou saindo agora.

Luke e Selina se entreolharam, antes do primeiro rapidamente sair e correr na direção da escola.

Selina disse: — Você ainda está no escritório? Gostaríamos de consultá-lo sobre algo. Ah, tudo bem. Chegaremos logo.

Desligando a ligação, Selina gritou: — Ele está no escritório!

Luke balançou a mão em reconhecimento quando apressou para dentro.

O guarda da escola gritou: — Ei, o que está fazendo?

Selina correu até eles, parou o guarda e mostrou sua carteira de identidade temporária: — Sinto muito. Aquele é meu primo. Ele precisa perguntar algo ao Diretor Himbry, mas o diretor falou que estava saindo, então meu primo ficou ansioso. Sinto muito.

A fúria do guarda acalmou para a explicação da linda garota; fazia muito tempo desde que um sorriso como esse foi direcionado a ele.

Luke não correu a toda velocidade porque era desnecessário.

Billy havia acabado de entrar na escola. Não podia passar pelas portas da frente ou algum outro lugar que tinha câmera de segurança, então ele não podia ser mais rápido que Luke.

Luke apressou para o quinto andar um momento depois sem esconder o som de seus passos. Entrou no escritório do diretor sem bater: — Sr. Himbry, você está aqui?

Quando falou, olhou em volta da sala e ativou Olfato Aguçado.

Himbry não estava aqui e Luke detectou o cheiro de Billy no andar de baixo.

O cara provavelmente estava procurando uma maneira de escalar o prédio.

Pensando um pouco, Luke chamou ainda mais alto: — Sr. Himbry, você está aqui? Há algo que minha prima e eu precisamos conversar.

Billy imediatamente parou de se mover quando ouviu a voz de Luke no escritório do diretor.

Havia mais duas pessoas no escritório? Billy hesitou, e então saiu, desaparecendo na floresta fora do prédio.

Ele não notou Luke inclinar um espelho por um lado da janela para observá-lo sair.

De repente, alguém abriu a porta: — Ah, você é o sobrinho do Burke, certo?

Luke rapidamente retraiu o espelho e sorriu: — Sim, sou Luke. Você está saindo do trabalho, Sr. Himbry? Vamos conversar enquanto caminhamos. Sabe, esta suspensão pode afetar nossos futuros, então queremos pedir por sua opinião.

Himbry ficou levemente intrigado, mas era verdade que estava saindo; ele só tinha ido ao banheiro agora há pouco.

Ouvindo o que Luke disse, ele pegou seu terno e falou: — Essa é uma coincidência infeliz e não posso fazer nada sobre o assunto.

Afinal, eles eram da família de Burke, e ele não podia dizer que só trabalhava no horário comercial.

Eles encontraram Selina no caminho e conversaram enquanto saíam do prédio.

No final, observaram Himbry entrar no carro e o seguiram para certificar que chegou em casa, antes de finalmente se viraram e dirigirem para a festa na casa de Stu.

Selina perguntou no caminho: — Billy realmente foi atrás do Himbry?

Luke respondeu: — Ele estava fora do prédio quando cheguei e o Himbry era a única pessoa no lugar. Ele só foi embora quando chamei alto pelo Himbry.

Selina hesitou de repente: — Mas desde que estamos aqui, não podemos apenas observar e deixá-los matar alguém, certo? Como vamos ligá-los aos casos anteriores?

Luke deu de ombros: — Podemos ajudar as vítimas.

Selina apagou: — Hã?

Luke explicou: — Por exemplo, podemos dar uma arma de choque no caso de perigo. Como aqueles dois jovens se machucam depois não é problema nosso.

Selina ficou sem palavras: — Podemos fazer isso? — Ela nunca fez nada assim quando trabalhou com Donald.

Na verdade, nem Luke fez.

Na maioria das vezes, ele derrubava furtivamente dos criminosos sem deixar as vítimas se envolverem.

Enquanto conversavam, chegaram na casa de Stu.

Como a maioria das festas do ensino médio, a casa estava lotada com adolescentes que estavam rindo e dançando.

Como o anfitrião, Stu estava vagando pela casa de pijamas carmesim.

Selina bufou: — Aquele cara é realmente o cúmplice do Stu?

Billy parecia intimidador, mas ainda podia ser descrito como lindo. Stu, por outro lado, realmente parecia ser um idiota sem cérebro.

Luke riu: — Acho que ele é tão louco quanto parece.

Eles se esconderam no bosque a alguma distância da casa. Selina ficou de olho nas câmeras de segurança, e Luke observou as redondezas. Quando ficou completamente escuro, Luke falou de repente: — Alguém está aqui.

Um Ford velho apareceu e passou por eles na estrada e entrou na floresta a um pouco mais de trinta metros de distância.

O ponto que Luke e Selina estavam escondidos era bastante denso, e era impossível ver o carro entre as árvores e arbustos.

Então, o motorista do carro não os notou.

Luke sentiu um cheiro familiar através da janela meio aberta do carro.

Gesticulou para Selina ficar quieta, antes de sair do carro.

Ele chegou no veículo desconhecido em menos de dez segundos.

Olhando para as duas pessoas na frente dele, Luke sorriu e disse a si mesmo: — Te peguei, Billy! — Ele levantou a câmera que estava segurando.


Considere fazer uma Doação e contribua para que o site permaneça ativo, acesse a Página de Doação.

Comentários

0 0 votos
Avalie!
Se Inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar