Switch Mode
Participe do nosso grupo no Telegram https://t.me/+hWBjSu3JuOE2NDQx

Super Detective in the Fictional World – Capítulo 343

Objetos Caindo

Luke zombou: — Não pense que ricos são idiotas. Wolf seria um idiota por deixar alguma evidência que ele subornou Lucas Barton, e sem evidência, nada que Lucas Barton diz contará. Além disso, não acho que o Lucas Barton ousaria revelar o nome do Wolf. Se Mark Owen pode morrer, significa que Lucas Barton também pode.

Selina assentiu em silêncio. Ela viu por pessoalmente como os ricos podiam ser selvagens em Wolfkyle.

Sempre havia canalhas neste mundo que não tinham respeito pela vida.

Sonia se juntou a eles e notou suas expressões incomuns: — Houve algum problema?

Luke balançou a cabeça: — Não é nada. você descobriu algo?

Sonia respondeu: — Conversei com a oficial chamada Lila ontem e ela me contou algo interessante.

Luke ergueu a sobrancelha: — Oh?

— Ela falou que Lucas Barton não gosta de colegas faladores. — Sonia tinha um olhar complicado.

— E? — Selina ficou curiosa.

Sonia tirou uma foto de um dossiê: — E há pouco tempo, o cachorro de um oficial “falador” morreu.

Selina olhou para a foto antes de entregar a Luke: — Droga! Este cara matou um Golden Retriever?

Sonia não falou nada, mas obviamente estava com raiva.

Vários americanos tratavam seus cães como parte da família. Por exemplo, o velho Golden Retriever chamado Dollar era o queridinho da família de Selina, e esteve com ele desde que Selina era jovem. Dollar agora estava velho, mas ainda era um companheiro leal para seu irmão e irmã, e sem dúvidas era parte da família.

Selina não teria escrúpulos em disparar numa pessoa que feriu seu Dollar.

Luke também gostava de cachorros, só não tanto quanto Selina.

Olhando para a foto por um momento, perguntou: — Alguém já examinou o corpo do cachorro?

Sonia respondeu: — É por isso que estou aqui; vamos checar os resultados da autopsia.

Luke se levantou: — Vamos lá ver o que o Oficial Barton fez a este cachorro.

No departamento forense, encontraram o médico forense Scorsese, que era um jovem negro de cabelo encaracolado.

— Você descobriu algo? — Luke foi direto ao ponto.

A expressão de Scorsese não parecia boa: — Um pouco.

Sonia o encarou e falou: — Uau, você não parece muito bem.

Luke ficou curioso: — Ei, Scorsese, seu trabalho não é dissecar corpos todo dia?

Scorsese respondeu: — Me especializei em dissecar corpos humanos, não de cachorros. — Luke ficou sem palavras. Este homem nitidamente também gostava de cachorros.

Scorsese evitou o tópico desconfortável: — No geral, encontramos duas balas neste Golden Retriever chamado Lightning. Eles são de um rifle de assalto mini-14, que é uma arma padrão no departamento de polícia do condado.

Selina indagou: — É a mesma arma que matou Mark Owen?

Scorsese balançou a cabeça: — É o mesmo modelo, mas não a mesma arma.

Luke perguntou: — Há alguma outra pista?

Scorsese balançou a cabeça de novo: — Isto é tudo que temos.

Luke assentiu e se despediu.

Sonia falou num tom baixo atrás dele: — Durante minha investigação do Lucas Barton, descobri que um grupo de caridade chamado “Casa da Polícia do Condado para Garotos” comprou recentemente quatro rifles de assalto mini-14.

Luke assentiu: — Mas não é estranho uma organização de caridade sob a polícia do condado comprar algumas armas para treinamento, certo?

Sonia zombou: — Mas esta Casa da Polícia do Condado para Garotos é uma organização privada, estabelecida e gerenciada por aquele xerife do condado de nível dois.

Luke pausou por um momento: — Um grupo de caridade privado usando doações para comprar armas? Essa é uma prática usual?

Sonia respondeu: — Não. Dos registros de compra, esta é a única vez que a Casa da Polícia do Condado para Garotos comprou armas nos últimos dois anos.

Ponderando por um momento, Luke perguntou: — Mas as balas em Mark Owen combinam com estas armas?

Sonia respondeu: — Não.

Luke não ficou decepcionado.

Lucas Barton era um oficial experiente que não cometeria um erro claro destes.

— Vamos visitar este honrado e integro Oficial Barton — falou Luke.

Eles seguiram ao leste.

Perguntaram a recepcionista do departamento do condado, só para aprender que o Oficial Barton saiu para arrecadar fundos.

— Ha! Que grande filantropo — Luke não pôde deixar de comentar quando entrou no carro de novo.

Selina, no entanto, estava focada em outra coisa: — Os oficiais do condado são bons, podem jogar boliche juntos. Por que nosso departamento não tem nada disso?

Luke estava calmo como sempre: — … Na realidade, houve algo assim uma vez, mas fomos direto para casa e não nos juntamos a eles.

Selina perguntou: — O quê? Por que não me disse?

Luke tossiu: — Foi mal. Avisarei da próxima vez.

Eles estariam perdendo várias horas andando por aí durante uma atividade social como essa, quando poderiam passar treinando.

Então, Luke jamais teve intenção de participar.

Selina não ficou incomodada, pois seus pensamentos mais uma vez mudaram para algo mais: — Casa para Garotos… Esse nome… Hehe. — Ela olhou para Luke no banco do motorista.

Luke deu de ombros: — Todo homem é um garoto que jamais crescerá. Isso definitivamente é verdade.

Selina não pôde deixar de comentar: — Você realmente acha que os oficiais do condado são garotos? — Ela lembrou da enorme barba no rosto do Big Nick.

No local da arrecadação, Luke tinha muitos sentimentos quando viu a grande placa “DINNER” acima da pista de boliche: — Esta é uma arrecadação chique, hein?

Sonia e Alessandro também se juntaram a eles.

Sonia falou: — Parece que a polícia do condado tem benefícios muito melhores que nós.

Luke assentiu: — Isso mesmo. Por que não conversa com o chefe sobre nos dar mais benefícios também? Você tem meu apoio total.

Sonia revirou os olhos. somente um idiota chatearia seu chefe assim.

Levando-os a pista de boliche, Luke disse: — Não olhe assim. se o chefe estiver relutante, posso convidar pessoalmente todos os colegas da nossa divisão para…

BOOM!

Um barulho enorme o interrompeu.

Luke virou a cabeça, só para ver algo pousar num carro próximo.

Sua expressão mudou quando olhou para cima.

— Puta merda! — Ele xingou: — Não corram, fiquem juntos!

Havia vários pontos pretos no céu caindo rapidamente e colidiram perto com estrondos altos.


Considere fazer uma Doação e contribua para que o site permaneça ativo, acesse a Página de Doação.

Comentários

0 0 votos
Avalie!
Se Inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar