Switch Mode
Participe do nosso grupo no Telegram https://t.me/+hWBjSu3JuOE2NDQx

Super Detective in the Fictional World – Capítulo 391

Última Apresentação e Presente de Aniversário

O Jordan que Luke mais conhecia era o jogador de basquete.

Quanto às mulheres com esse nome, só lembrava da alemã, que tinha um busto memorável.

No entanto, Selina rapidamente declarou que esta Jordan claramente colocou silicone.

Pelo que a visão afiada de Luke podia dizer, no entanto, era que busto D desta Jordan Tyler eram bem autênticos, então não era aquela Jordan.

Mesmo que esta gata Srta. Tyler tivesse assumido a liderança, muitos marinheiros ainda estavam encarando Sheerah e Mona.

Elas estavam mais conversadoras, mas os marinheiros ficaram com sede por muito tempo.

Não era à toa que Mona quisesse trazer um guarda-costas capaz; provavelmente era para proteger contra estes marinheiros.

Luke calculou que havia centenas de soldados neste barco. Se algo acontecesse, não teria escolha além de saltar no oceano com Sheerah.

Pelo menos, podia nadar de volta até a costa consigo, e definitivamente seria mais rápido que estes soldados.

Porém, olhando para o ponto preto longe que era o literal no horizonte, sabia que estava a pelo menos dez quilômetros de distância.

Ele suspirou impotente. Não seria fácil ganhar suas dez mil pratas.

A equipe de Sheerah, bem como a gostosa Tyler, foram levados até uma cabine pelo comandante chamado Krill.

Os quatro foram escoltados até uma cabine espaçosa, que o Comandante Krill falou que poderiam usar para se preparar.

Porém, este era um navio de batalha, e não seriam levados ao palco até pouco antes da apresentação; se vagassem sem instrução ou guia, seriam presos.

Atordoados, os quatro observaram a porta fechada da cabine.

Luke aguçou a audição e um leve brilho cintilou em seus olhos.

Mona ficou perplexa por muito tempo, antes de exclamar: — Eles vão nos tratar desta maneira?

Luke ficou em silêncio. Simplesmente deu a Sheerah, que estava ao lado, um olhar significativo, antes de sentar-se na pequena mesa perto da porta e fechar os olhos.

Sheerah ergueu a mão: — Mona, este é o navio de batalha classe Missouri, não um estádio como que usamos. Eles também não são fãs, são soldados.

Mona calou a boca imediatamente.

Sheerah era legal com ela e pagava bem, mas também exigiu um alto padrão de trabalho.

Pessoas idiotas não podiam trabalhar por muito tempo com Sheerah.

Após parar com as reclamações, Sheerah olhou para Luke com preocupação, só para ver que o jovem parecia estar descansando.

No entanto, seu dedo indicador estava batendo na coxa, sugerindo que não estava dormindo.

Luke estava analisando a informação que leu antes.

O Missouri era um navio de batalha americano da velha guarda que ainda estava ativo.

Era o último e único navio de batalha de classe Missouri.

O Missouri era incrivelmente sortudo.

Seus navios de batalha irmãos da mesma classe foram desmontados quando ainda estavam estaleiro e o público nunca os viu.

O Missouri era o único que foi lançado com sucesso, mas a guerra terminou antes de levar um tiro.

Este havia herdado várias vantagens do Iowa, o navio de batalha de última geração. Era mais lento, porém, maior, tinha armadura melhor e poder de fogo aprimorado.

Nas décadas após a guerra, os outros navios de batalha foram aposentados rápido, mas este último navio de batalha foi trazido de volta após se aposentar e voltou aos serviços após modificações em 1987.

Também era o único super navio de batalha que ainda estava em serviço no mundo inteiro.

Porém, neste ano, finalmente ia se aposentar.

O Missouri logo chegaria no porto naval perto de Los Angeles e se aposentaria em Long Beach.

Adams, o atual capitão do navio de batalha, se aposentaria junto deste último navio de batalha após seu 52º aniversário.

 Por que Sheerah estava aqui para celebrar o aniversário do Capitão Adams?

Primeiro de tudo, ela foi convidada por um certo figurão no exército cujo devia um favor, e o Capitão Adams era um amigo desse figurão.

Segundo, este era o Missouri, o último navio de batalha no mundo.

Tinha aguentado a última guerra mundial. O documento de rendição, que trouxe paz ao mundo, foi assinado neste navio de batalha.

Ninguém cantou no Missouri desde 1960.

A apresentação de Sheerah podia ser chamado totalmente de “A Última Apresentação”!

Qualquer um que apresentasse no Missouri depois só estaria apresentando num “museu” e não num “navio de batalha real”.

Também foi o motivo de Luke ter aceitado o trabalho.

Esta era a única oportunidade de visitar o navio de classe Missouri enquanto ainda estava ativo.

Os navios de batalha gigante e canhões eram o sonho supremo dos homens.

Desde que Missouri estava prestes a ser aposentado, a atmosfera no navio estava um pouco tranquila. Aqueles que iam se aposentar estavam ansiosos, e arranjos foram feitos para os que continuariam no exército.

Como Missouri estava prestes a ser aposentado, algumas pessoas focariam neste último navio de batalha 00, exceto por aqueles que podem planejar algo.

Luke contemplou profundamente.

Tyler, a garota gostosa, já havia corrido ao banheiro para vomitar.

Ela ficou com enjoo no helicóptero e navio.

Após vomitar, sentiu-se mais aliviada. Olhando para Sheerah, ela finalmente exclamou: — Você… Você é a Sheerah? A cantora?

Sheerah sorriu educadamente: — Sim, e você é?

— Jordan Tyler. Eu… Eu fui a garota da edição de setembro da Sports Illustrated — a jovem gata falou envergonhada.

Sheerah ficou atordoada, mas não houve muitas mudanças em sua expressa: — Oh, não li essa revista. Você vai apresentar o que aqui?

Tyler ficou ainda mais envergonhada e afastou o olhar: — Eu… estou aqui para fazer o papel de presente de aniversário.

Sheerah pensou por um momento e entendeu o que ela queria dizer.

Tradicionalmente, uma garota bonita se esconderia em alguma caixa de presente ou bolo e saltaria no momento certo, dando ao aniversariante um “grande” presente.

Não era incomum, mas era raro num navio de batalha.

— É o presente de aniversário do Capitão Adams? — A expressão de Sheerah ficou um pouco estranha.

Tyler ficou perdida: — Sim. É para um… capitão?

Na verdade, ela nem sabia o que era um capitão e só ouviu alguém mencionar mais cedo.


Considere fazer uma Doação e contribua para que o site permaneça ativo, acesse a Página de Doação.

Comentários

0 0 votos
Avalie!
Se Inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar