Switch Mode
Participe do nosso grupo no Telegram https://t.me/+hWBjSu3JuOE2NDQx

Super Detective in the Fictional World – Capítulo 43

Pegá-los por Trás?

Como Luke atirou a arma com pressa, não conseguiu mirar apropriadamente, mas a arma ainda atingiu o homem no ombro, desacelerando o último levemente.

Aproveitando a vantagem da curta interrupção, Luke correu e chutou o homem na virilha.

O homem imediatamente ficou pálido e então vermelho. Ele queria gritar, mas nenhum som saiu.

A dor latejante em sua virilha parecia ter bloqueado suas cordas vocais, somente permitindo-o arfar por ar impotentemente.

Luke não parou, joelho e rosto se conectaram, o impacto até fez o joelho de Luke doer.

Quanto ao homem na frente, seu nariz já tinha afundado e sua respiração estava muito fraca.

Como de costume, Luke arrastou os dois homens para um armazém aleatório ao lado. Ele então quebrou seus pescoços antes de jogá-los no canto da sala.

Ele também pegou as duas M1911 deles. As duas armas eram do modelo antigo, igual à primeira.

Ele comparou as armas e levou a que estava em uma condição melhor. Ele não esqueceu de pegar todos os carregadores.

Até aquele momento, quase dez minutos se passaram. Quem sabe quando os outros da Família Carlos descobririam que algo estava errado?

Luke abriu a porta e avançou rápido.

Enquanto avançava, forçou a audição e avaliou suas redondezas repetidamente. Logo, encontrou uma sala bem barulhenta. Ele olhou para a porta, que não tinha uma placa nela.

Parado ao lado da porta levemente aberta, ele espiou a sala através da pequena abertura. A sala era bastante espaçosa, e um grupo de pessoas estavam se divertindo dentro.

Luke ajustou sua respiração e abriu um pouco mais a porta.

Com isso, ele teve uma vista melhor da sala.

Se movendo para a esquerda e direita, ele deu uma olhada na sala inteira.

Era algum tipo de sala de segurança. Todos dentro pareciam lutadores capazes e alguns deles estavam sem camisa, com armas enfiadas na cintura.

Geralmente, um profissional nunca colocaria sua arma na cintura desse jeito, pois era muito desconfortável.

Depois de algumas olhadas, Luke conseguiu ter uma contagem clara das pessoas.

Havia 17 deles.

Os 17 incluía duas mulheres nuas.

A maioria estava jogando pôquer na mesa, enquanto as duas mulheres estavam brincando com dois homens em um canto da sala.

Aqueles jogando pôquer nem mesmo deram uma olhada. Eles estavam acostumados a isto.

Luke deu uma respirada funda antes de abrir a porta e entrar na sala.

Após entrar, fechou a porta com um chute de leve. Então, caminhou rápido na direção da mesa, mas não tão rápido para parecer suspeito.

Quando estava praticamente ao lado do grupo, alguém finalmente olhou para ele. A pessoa tinha um olhar intrigado no rosto, como se perguntasse quem era Luke.

A expressão de Luke permaneceu calma, e levantou as duas mãos de repente que estavam ocultas atrás de suas costas e revelou as duas M1911 que estava segurando. Ele então disparou.

Bang! Bang! Bang! Bang! Bang! Bang! Bang! 

A rajada de balas foi repentina, e os 13 em volta da mesa nem conseguiram reagir antes que metade já estivesse no chão.

Com as duas M1911 e 21 balas, 8 pessoas foram atingidas.

Em dois segundos, Luke utilizou sua destreza para descarregar os carregadores no grupo. Ele nem mesmo se incomodou em mirar apropriadamente e apenas puxou os gatilhos sempre que houvesse alguém na frente dos focinhos.

À queima-roupa e com tantos alvos, seria mais difícil errar do que atingir alguém.

Luke relaxou seu aperto na arma de 14 balas na mão esquerda enquanto a deixava cair livremente no chão.

O punho daquela arma era grande demais para o gosto de Luke.

Ao mesmo tempo, mergulhou na direção de um sofá ao lado enquanto rapidamente recarregada sua outra M1911.

De trás do sofá, ele esticou a arma e disparou no grupo de pessoas que estava em caos total. Ele discerniu a direção-geral com sua audição.

Instantaneamente, ele descarregou todas as balas neles antes de recarregar a arma de novo.

Foi só agora que alguém finalmente sacou uma arma e disparou em Luke.

Mas Luka já tinha saltado da outra ponta do sofá. Enquanto estava no ar, olhou para a multidão e disparou quatro vezes continuas, atingindo duas pessoas no peito porque estavam mirando nele meio ajoelhadas o chão.

Luke então checou a sala de pessoas que estava gemendo no chão. Nenhuma outra pessoa permaneceu de pé.

Sem hesitar, abriu fogo de novo.

Desta vez, havia um certo tempo em seus disparos. Ele disparou uma vez a cada segundo, uma bala por pessoa na sala.

Ele priorizou aqueles que ainda pareciam ser capazes de se mover, e todos levaram tiros na cabeça.

Depois de esvaziar três carregadores, todos no chão estavam mortos. Luke colocou o último carregador que tinha antes de olhar para a cama na sala.

Dois homens estavam escondidos atrás das duas mulheres nuas, sem espaço para correr.

A cama estava em um canto da sala.

Mas suas roupas e armas estavam todas no chão próximas da cama. Eles só estavam a cerca de três metros de distância da pilha, mas os homens não ousaram pegar suas armas quando viram seus companheiros desabarem um após o outro durante o tiroteio.

Agora, eles ficaram desesperados quando perceberam que não tinham chance de sobreviver.

Luke espiou com cuidado atrás do sofá para confirmar que os quatro na cama estavam completamente desarmados. Ele também notou as duas armas na pilha de roupas ao lado da cama.

Luke permaneceu em silêncio enquanto saia detrás da cobertura. Ele se virou em silêncio e levantou suas mãos, a esquerda abaixo da direita para mantê-la estável. A arma estava bem na frente de seus olhos, com o focinho mirado direto nos quatro na cama.

Um dos homens ficou curioso devido ao silêncio repentino. Assim, espiou de leve por trás da mulher.

Bang!

Um buraco foi deixado em seu crânio enquanto desabava para trás.

A mulher na frente dele só sentiu uma explosão de vento antes de um líquido quente respingar nela. Quanto às mãos que a seguravam com força, agora caíam fracamente.

Ela entendeu o que tinha acontecido e instantaneamente gritou antes de saltar para o lado para se esconder.

Naquele momento, uma perna grande e cabeluda apareceu na linha de visão de Luke.

Bang!

— AHH! — um lamento miserável ressoou quando o outro homem se curvou de dor e agarrou sua perna, que agora tinha um buraco nela.

Bang!

A próxima bala deixou um buraco em seu cérebro. Luke não deu chance dele revidar.

As duas mulheres começaram a gritar de medo.

Luke então mirou sua arma nelas antes de fazer um gesto para fecharem a boca.

As duas imediatamente calaram a boca.

Luke deu um passo para frente antes de fazer um gesto para elas se virarem. Elas fizeram como foi dito enquanto tremiam de medo.

Elas não pensaram que Luke ia fazer isso porque queria pegá-las por trás. Talvez só quisesse disparar nelas pelas costas.

Mas estavam impotentes e só podiam fazer como foi dito.

Depois que as duas mulheres se viraram, Luke rapidamente golpeou suas nucas com a mão esquerda, nocauteando as duas.

Olhando para a mulheres brancas nevadas e curvilíneas deitadas inconscientes diante dele, balançou a cabeça impotente.


Considere fazer uma Doação e contribua para que o site permaneça ativo, acesse a Página de Doação.

Comentários

5 1 voto
Avalie!
Se Inscrever
Notificar de
guest
1 Comentário
Mais recente
Mais Antigo Mais votado
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Aquele acima de tudo e todos
Membro
Aquele acima de tudo e todos
8 dias atrás

Luke precisa de uma psiquiatra.

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar