Switch Mode
Participe do nosso grupo no Telegram https://t.me/+hWBjSu3JuOE2NDQx

Super Detective in the Fictional World – Capítulo 46

Nada que um Bom e Velho RPG Não Possa Resolver

No instante que a porta foi aberta, a MP5 na mão de Luke disparou instantaneamente.

Fazendo uso de sua imensa força, ele suprimiu o coice da MP5 e pulverizou as pessoas fora com balas.

Ele estava a cerca de 40 metros deles e em cerca de dois segundos, já tinha esvaziado o carregador.

Luke não se incomodou em ficar e continuar lutando. Ao invés disso, ele ficou perto da parede e começou a correr.

No instante que chegou na porta interna da qual veio, a porta externa a cerca de dez metros atrás dele foi destruída por uma chuva de balas.

Luke correu pelas escadas e voltou ao segundo andar.

Ele forçou a audição e ouviu: as pessoas escada abaixo abriram fogo, mas não correram atrás dele.

Evidentemente, estavam com medo da emboscada de Luke.

Luke zombou e retornou ao terceiro andar.

Ele entrou na sala de luxo e começou a procurar pelo local.

Logo, encontrou um armário de armas em um canto da sala.

Parecia com um armário de álcool, mas quando abriu, o armário virou na parede e revelou um armário de armas atrás.

Luke ficou super feliz com as armas que viu.

Rapidamente deu um passo a frente e pegou cinco granadas. Ele também pegou cinco carregadores de MP5 e enfiou na sua bolsa.

Em seguida, levantou o objeto grande, longo, preto e duro que estava no armário. Pegou uma ogiva ao lado e carregou, ele descansou o objeto em seu obro.

Ele descobriu um lendário RPG.

Depois disso, nem mesmo se incomodou em dar uma segunda olhada no armário de armas. Carregando o RPG em seu ombro, ele saiu da sala.

Com cuidado, ele espiou o segundo andar para descobrir que ainda estava vazio.

Luke achou duvidoso quando pensou. Isso não está certo. Sai por alguns minutos. Por que esses caras ainda não estão aqui?

Ele usou o vidro para espiar em volta da escadaria, e descobriu que realmente não havia ninguém ali.

Mas conseguiu ouvir leves passadas a cerca de uma dezena de metros dele.

Ouvindo isso, Luke suavizou seus passos e foi ao primeiro andar. Ali, ele deu uma espiada com o vidro de novo, e o que viu quase o fez rir.

Aqueles caras estavam agachados e colados na parede enquanto engatinhavam lentamente na direção da escada.

Naturalmente, as cinco pessoas engatinhando na frente estavam tremendo de medo, suas expressões estavam extremamente feias. Estava claro que não estavam fazendo isso por vontade própria.

Eles sabiam que as pessoas na sala de segurança foram todos mortos, que era mais de dez deles e cinco dos guardas morreram quando eles desceram as escadas — até mesmo os dois seguranças na entrada foram mortos.

E quando estavam vigiando contra um ataque da entrada do salão, foram atacados por trás, o que matou seis deles.

Agora, eles enumeravam em menos de vinte.

Baseado no registro anterior do invasor, eles não durariam alguns minutos contra ele.

Por fim, estavam sendo liderados por um tolo.

Antônio Carlos, primo de Diego Carlos, também era uma figura importante na família, e mandou eles atacarem. Assim, estes pobres tolos não tiveram outra escolha além de fazer como foi dito.

Luke pegou uma granada de sua bolsa, removeu o pino e jogou enquanto gritava: — Fogo no buraco!

No momento que as pessoas ouviram aquele grito e viram a granada voando na direção deles, ficaram assustados e imediatamente caíram no chão.

Eles já estavam no meio do corredor. Assim, não tinham para onde correr. A única coisa que podia fazer era rezar para a granada voar sobre eles.

O grupo de mais de dez pessoas atrás deles também ficaram amedrontados. Eles se viraram e fugiram sem hesitar.

No momento que Luke jogou a granada, ele moveu o corpo para o lado e mirou o RPG no grupo fugindo antes de puxar o gatilho.

Bang! Bang!

Os sons de duas explosões soaram, uma depois da outra. Calor intenso também disparou do corredor próximo a ele.

Depois de alguns segundos, Luke deu uma olhada com o vidro e descobriu que nenhuma pessoa tinha restado no corredor. Na verdade, a porta já havia sumido completamente.

Somente alguns corpos mutilados restaram no chão. O corredor também estava cheio com uma nuvem de fumaça e poeira grossa.

Luke então retornou ao segundo andar e saiu pela janela antes de ir para a porta da frente de novo.

Ali, ele abriu a porta e encontrou algumas pessoas se debatendo. Segurando uma MP5 e uma M1911, uma em cada mão, entrou lentamente.

Contando com a cobertura de vários objetos dentro do clube, ele chegou em um certo canto perto da entrada. Ali, ele escaneou a sala usando o vidro de novo.

Somente cinco pessoas estavam se esforçando para sair do corredor.

Da maneira que pareciam, suas feridas eram graves.

Sem hesitar, Luke tirou outra granada, removeu o pino em segurança e jogou no grupo.

Bang!

Eles estavam completamente impotentes e levaram a explosão de frente antes de voarem em todas as direções.

Luke não parou. Ele tirou outra granada e jogou direto no corredor.

Depois de um tempo, uma explosão alta soou e uma nuvem de fumaça explodiu do corredor.

Somente então Luke se curvou e começou a procurar no salão.

Cerca de dez minutos depois, finalmente terminou com a busca. Ele não encontrou nenhum sobrevivente.

Com a M1911 em mão, ele passou pelos gângsters um depois do outro e disparou na cabeça deles. Até mesmo as pessoas no corredor, que foram explodidos pelas duas granadas e o RPG não foram poupados deste destino.

Depois de fazer tudo isso, Luke largou a arma, deixando apenas uma M1911 com ele antes de sair.

De fora, Luke ticou uma chave eletrônica de carro para um F150 e mirou aleatoriamente nas suas redondezas enquanto pressionava o botão. Logo, uma caminhonete levemente nova perto soltou um bipe ao destravar.

Luke se aproximou, entrou na caminhonete e ligou antes de ir embora lentamente.

Olhando para o clube agora completamente deserto e as luzes piscando acima do clube, Luke sorriu e murmurou: — Adeus, Família Carlos.

Ele então acelerou e começou a sair da cidade.

Mais cedo no corredor depois de matar a última pessoa ferida, ele recebeu uma notificação do sistema.

Você matou Antônio Carlos. Você agora pode aprender todas as suas habilidades.

Missão: Eliminar a Família Carlos, completada.

Conclusão da missão vale um total de 3.000 de experiência e 3.000 de crédito.

Como a contribuição do Anfitrião para a missão foi de 100%, 3.000 pontos de crédito e experiência foram recompensados.

Como a experiência alcançou 1.000 pontos, o Anfitrião subiu para o nível 6.

Pontos de atributo extra: 4

Luke dirigiu até onde ocultara o carro surrado. Ele então procurou e colocou tudo que pertencia a ele, incluindo as luvas que estava usando, em uma pilha na traseira do carro.

Então, removeu um pouco de gasolina do tanque de gasolina do carro e arrancou a fita adesiva que tinha colocado nos dedos. Colocando um par de luvas, ele despejou a gasolina na pilha de itens no carro antes de finalmente tacar fogo.

Olhando para os itens virando cinzas e o carro queimando, Luke voltou ao F150 e partiu novamente.

Ele dirigiu através da escuridão, e aproveitou a oportunidade para alocar um ponto de atributo em sua força, alcançando 19 pontos de força.


Considere fazer uma Doação e contribua para que o site permaneça ativo, acesse a Página de Doação.

Comentários

5 1 voto
Avalie!
Se Inscrever
Notificar de
guest
1 Comentário
Mais recente
Mais Antigo Mais votado
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Aquele acima de tudo e todos
Membro
Aquele acima de tudo e todos
8 dias atrás

Maluco é brabo em, quero só ver quando ele entrar em contato com os vingadores, ou até a shield.

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar