Switch Mode
Participe do nosso grupo no Telegram https://t.me/+hWBjSu3JuOE2NDQx

Super Detective in the Fictional World – Capítulo 48

Duas Irmãs, Duas Namoradas e um Presente

Depois de sair do ônibus, Luke caminhou despreocupado para casa.

Não passou nem cinco minutos até ouvir uma sirene de polícia estridente atrás dele. Ele se virou para ver o rosto sorridente de Selina no carro quando disse: — Fofura, precisa de uma carona?

Luke respondeu: — Oh, graças a Deus, por conceder este anjo gentil a mim — enquanto se aproximava e jogava sua mochila na traseira do carro antes de entrar.

Enquanto dirigia, Selina perguntou: — Por que você voltou tão cedo?

Luke respondeu: — Fui nesta viagem para espairecer e desestressar a mente. Naturalmente, voltei agora porque o estresse foi embora. Estou preparado para encerrar minhas curtas férias e voltar ao trabalho com você assim que possível.

Selina respondeu: — Claro, claro. A propósito, minha mãe convidou você para uma refeição.

Luke respondeu curiosamente: — Por quê? — Ele era bem próximo de Selina e tinha comido na casa dela antes.

Mas seja lá o que fez, normalmente havia um motivo para isso e ele não comia com frequência lá também.

Selina deu de ombros: — Ela quer agradecer por matar os assassinos da Família Carlos.

Luke ainda estava confuso: — Então ela deveria convidar o Robert, certo? — Robert sozinho matou quase metade dos assassinos fora da casa de Selina naquela noite.

Selina respondeu: — O Robert já foi convidado. Desta vez, minha mãe está convidando você porque todos sabem sobre os treze assassinos sozinho.

Luke respondeu: — Claro. Quando?

Selina olhou para ele: — Você parece estar bem, que tal hoje à noite?

Luke naturalmente não teve problemas com isso. Depois de eliminar a Família Carlos, ele não tinha mais preocupações. Assim, estava completamente à vontade e seu humor estava excelente.

Quando retornou para casa, descobriu que Catherine estava de volta do trabalho e Joseph também estava em casa.

Quando Joseph viu Luke, largou a pintura que estava carregando e correu até ele: — Luke, alguma lembrancinha para mim?

Isso deixou Luke sem palavras. Ele estava muito ocupado matando e havia esquecido completamente sobre lembrancinhas.

Ele balançou a cabeça: — Não encontrei nada interessante, então…

O que ele poderia trazer da Família Carlos mesmo? Uma arma? Ou algumas drogas? Ele não podia dar a Joseph aquele rolo de dinheiro, certo?

Joseph imediatamente perdeu o interesse e se afastou, sua cabeça se inclinou com indiferença.

Luke o parou e sorriu: — A mãe da Selina me convidou para jantar. Você que ir?

Joseph ainda tinha a mesma expressão desapontada: — O que há de tão especial em um jantar? Olha, a Catherine também está preparando o jantar.

Luke sorriu e agachou quando colocou as mãos nos ombros de Joseph: — Selina tem duas irmãs mais novas, uma tem dez e a outra tem seis anos. As duas são tão lindas quanto a Selina. Você não quer vê-las?

Joseph então olhou para Luke com desdém: — Você acha que não tenho uma namorada? A Jasmine e a Nastia me trazem salgados todos os dias.

Luke ficou sem palavras quando acrescentou: — Tudo bem. Você pode comer sorvete, e também pode pegar a bola de futebol americano que queria antes se vier.

Joseph respondeu: — Claro. Eu vou.

— Bom garoto. — Luke sorriu e acariciou a cabeça de Joseph antes de acrescentar: — Tudo bem, vá fazer suas coisas. Ainda preciso avisar a Catherine.

Joseph retornou para o seu desenho animado enquanto Luke ia até a cozinha informar a ocupada Catherine sobre o jantar.

Catherine sorriu e assentiu: — Não beba e lembre-se de voltar cedo.

Luke assentiu.

Ele naturalmente lembrou que não devia beber.

Ele nunca bebia em casa, mas era uma história totalmente diferente quando estava na casa de Selina. Eles podem não se importar muito sobre a idade mínima de 21 antes de poder beber.

Luke jogou sua mochila no quarto, tomou um banho rápido e colocou uma roupa limpa antes de ir para a casa de Selina com Joseph.

No caminho, ele comprou um bolo decente da padaria. Ele também comprou um pequeno sorvete para Joseph.

Catherine raramente deixava Joseph comer sorvete porque seu sistema digestivo era bem sensível.

Até Luke só compraria um pequeno. Além disso, ele só deu a Joseph o sorvete após inventar uma desculpa para pegar um pedação dele, deixando apenas metade do sorvete para Joseph.

Joseph resmungou internamente: — É isso o que queria dizer sobre me comprar o sorvete? O sorvete já é pequeno e você ainda comeu metade numa bocada!

Mas ele não podia fazer nada sobre isso. Não era como se pudesse reclamar para Catherine porque ela seria a primeira pessoa a lhe ensinar uma lição por comer sorvete sem sua permissão.

Alguns minutos depois, eles chegaram na loja de esportes. Lá, o humor de Joseph melhorou.

Ele sempre quis uma bola de futebol americano, mas Robert não teve a chance de comprar uma para ele.

E mesmo que Robert comprasse uma, não seria a bola de futebol americano profissional que Joseph queria. E se Robert gastasse centenas de dólares em uma bola de futebol americano profissional, seria somente usado como uma decoração em casa.

Quanto a Luke, ele não se importou.

Ele era solteiro, e até mesmo depois de arrumar um emprego, ele ainda comia em casa. Assim, não gastava muito.

Ele só gastara um pouco de dinheiro da sua viagem mexicana.

Em todo caso, também precisava fazer alguns testes.

Após entrar na loja, Luke cumprimentou o dono, Riste, antes de comprar a bola de futebol americano colocado abaixo da bola mais cara da loja.

Quanto a bola mais cara, Luke não podia se dar ao luxo de comprar. Essa era uma bola NFL de edição limitada, com um preço de $8.888,00.

Se Luke comprasse algo assim, lhe renderia uma bronca antes de Robert confiscar a bola. Joseph poderia até levar uma surra.

Quanto a bola logo abaixo dessa, era muito mais barata, custando apenas 59 dólares. Esta era uma bola de tamanho 7, adequada para a idade de Joseph.

Depois de pegar a bola de futebol americano que queria há vários dias, Joseph finalmente sorriu feliz.

Ela parecia pequena comparada com a bola, mas ele insistiu em carregar sozinho.

Luke não se importou. A maior felicidade que um garoto poderia ter era carregar seu amado brinquedo por aí. Ele não pretendia acabar com essa alegria.

Depois de sair da loja, eles encontraram o Policial Bob, que lhes deu uma carona grátis.

Quando Bob ouviu que Luke estava indo jantar na casa de Selina, um sorriso estranho floresceu em seu rosto.

Luke não se deu ao trabalho de se explicar para este companheiro. Este cara não tinha nada melhor para fazer que deixar sua mente correr solta.

Quando chegaram, ele se despediu de Bob. Até mesmo Joseph acenou educadamente: — Adeus, Tio Bob.

Bob acenou com um largo sorriso: — Boa sorte a vocês dois!

Isso deu a Luke a vontade de jogar o novo brinquedo de Joseph no rosto de Bob.

Estava tudo bem lhe dizer para trabalhar duro, mas qual era o negócio de dizer a uma criança como Joseph para trabalhar duro? Ele achou que Luke e Joseph realmente estavam lá para pegar garotas?

Luke se virou e caminhou até a porta antes de bater nela.

— Quem é? — uma garotinha respondeu.

Luke sorriu: — É o Luke. Abra a porta, Talia.

Quando a porta abriu, uma garota que tinha uma grande semelhança com Selina apareceu quando disse: — Luke, você chegou.

Luke sorriu e entregou um par de tênis de esporte que tinha comprado na loja mais cedo: — Um presente para você.

Felicidade encheu o rosto de Talia quando perguntou: — Sério?


Considere fazer uma Doação e contribua para que o site permaneça ativo, acesse a Página de Doação.

Comentários

0 0 votos
Avalie!
Se Inscrever
Notificar de
guest
1 Comentário
Mais recente
Mais Antigo Mais votado
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Aquele acima de tudo e todos
Membro
Aquele acima de tudo e todos
8 dias atrás

Cara tá cheio dos Din din

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar