Switch Mode
Participe do nosso grupo no Telegram https://t.me/+hWBjSu3JuOE2NDQx

Super Detective in the Fictional World – Capítulo 92

Patrulha e Colheita

Havia seis crianças na família mexicana. Se sua mãe fosse enviada de volta para o México, as crianças se tornariam órfãos.

Seu pai também era um imigrante ilegal, e seria deportado junto da esposa se isto acontecesse.

O policial também preferia não lidar com o problema complicado. Ele não era da Imigração, afinal de contas.

Mais importante, foi Selina que propôs deixá-los ir, então o policial não seria culpado mesmo que algo acontecesse depois.

Então, simplesmente deram um aviso a mãe mexicana e disseram para ela não deixar as crianças gritarem demais.

No final, Luke e Selina bateram na porta do vizinho e avisaram o solteiro que morava lá.

Foi este mesmo vizinho que chamou a polícia. Intimidado por Luke, confessou o verdadeiro motivo.

As crianças do apartamento ao lado eram barulhentas demais, e falar com a mãe não ajudou. Enfurecido, ligou para a polícia, proclamando que a mãe havia sequestrado as crianças.

Bem, isso não era realmente algo novo nos Estados Unidos.

O vizinho havia sido razoável o bastante ao chamar a polícia. Um cara de temperamento pior poderia ter simplesmente disparado nela.

Luke ameaçou acusá-lo falar alarme falso se ligasse para a polícia de novo.

Se isso acontecesse, a mulher mexicana pode ser enviada de volta ao seu país, mas ele também seria preso.

O vizinho imediatamente perdeu a coragem.

Luke deu um tapinha no ombro dele: — Na verdade, você pode comprar fones. Quando os coloca, o mundo inteiro fica silencioso. Você pode comprar decentes por dez pratas na Amazon. É muito mais conveniente que chamar a polícia.

O vizinho achou suspeito: — Hã? Sério?

Luke riu e balançou a cabeça.

O homem havia chamado a polícia não totalmente porque sua vizinha estava sendo barulhenta demais.

Também foi parcialmente porque sua própria vida não estava ótima, e quando ficou chateado, também queria fazem os outros infelizes também.

É claro, era possível que o homem não tivesse notado sua verdadeira motivação.

Após tudo ser terminado, Luke e Selina voltaram para a viatura. Selina perguntou curiosidade: — Por que sinto que você está bem feliz?

Ponderando por um momento, Luke decidiu dizer a verdade: — Olha, estes casos podem ser entediantes, só que nos ajudou a ficar familiarizados com Westside. As pessoas que ajudamos podem se tornar informantes mais tarde. E se tivermos centenas deles?

Selina exclamou: — Eles podem trabalhar para nós?

Luke assentiu solenemente: — É claro. Por que mais eu daria meu contato?

Luke ficou satisfeito secretamente. Ele ganhou muito mais numa manhã de patrulha que Brock podia imaginar.

Naquela manhã, ganhou 15 pontos de experiência e crédito ao lidar com os gângsteres.

Uma tarefa trivial como espantar aqueles gângsteres deram uma recompensa de 10 pontos de experiência e crédito.

Selina fez sua parte, então Luke conseguiu 15 pontos das três operações.

Conduzir a mulher que pendurou as roupas na janela também deram 10 pontos. Desde que fez a maioria contribuição naquele momento, ganhou 7.

O caso da mulher mexicana e seu vizinho valiam 20 pontos no total.

Luke recebeu 10.

Ele estimava que sua contribuição veio de dar um aviso ao vizinho.

Caso contrário, sua contribuição teria sido zero, porque Selina cuidou da mulher mexicana sozinha.

Luke adquiriu 32 pontos de experiência e crédito destes casos numa manhã.

Ele tinha certeza de que ganharia mais de cinquenta no final do dia.

Se a patrulha durasse uma semana, conseguiria ganhar 400 pontos de experiência e crédito.

Finalmente fugiu da cilada de Brock, e não tinham mais que trabalhar em casos que levavam a becos sem saída.

Se não pudesse resolver os casos, não ganharia pontos de experiência e crédito.

Ele não podia nivelar sem experiência, e não podia comprar habilidades sem crédito.

Por causa da “ajuda” de Brock, Luke fez uma fortuna de pontos de experiência e crédito, porém, certamente não agradeceria a Brock por isto.

Isto também incluía o benefício que Luke havia explicado a Selina. Assim, esta patrulha definitivamente foi uma atribuição recompensadora.

Nos próximos dias, os dois trabalharam duro.

Graças ao encorajamento de Luke, Selina também ficou mais ativa.

Um policial familiarizado com a vizinhança receberia muito mais ajuda que um policial que não estava.

Após uma semana, os dois deram seus contatos a mais de cinquenta pessoas.

A maioria deles não ajudaria muito, só que pessoas sem teto e trabalhadores comuns com certeza eram úteis.

Os criminosos podem enganar câmeras de segurança e policiais, só que era difícil enganar pessoas que estavam nas ruas todo dia.

Para obter informação destas pessoas, no entanto, era necessário recompensá-los.

O dinheiro não era a única opção, mas sem dúvidas era a melhor.

Luke realmente não se importava com dinheiro, todavia, teve que admitir que precisava de dinheiro neste momento.

Parecia haver considerado os traficantes de droga de novo. Afinal, não precisava pagar imposto quando “ganhava” dinheiro deles.

Além disso, não se sentiria culpado por se livrar de traficantes de drogas. Gastar seu dinheiro com informantes era completamente justificável.

O sistema certamente não o impediria de fazer isso.

Luke até sentiu que o sistema lhe permitia pegar o dinheiro dos criminosos precisamente porque a causa da justiça era caro.

A maioria dos casos que Luke e Selina encontraram no resto da semana foi semelhante.

Eles encontraram todos os tipos de pessoas estranhas e conflitos.

Selina lembrou que ela havia encontrado mais coisas bizarras numa semana aqui que em quatro anos como uma policial em Shackelford.

Havia realmente todos os tipos de aberrações na cidade grande.

Alguém pegou sua esposa dormindo com o senhorio, e os espancou.

Alguém que estava chapado chamou a polícia e proclamou que tinha uma arma, quando, na verdade, era um secador de cabelo.

Alguém até tirou as roupas no meio do dia e dormiu na rua — e era uma jovem bêbada.

No último dia da patrulha, Selina até começou a especular o que encontraria naquele dia.

Os casos bizarros haviam ampliado muito seus horizontes.

É claro, também abriram os olhos de Luke, só que viu muitas aberrações na internet em sua vida passada, e assim, estava mais acostumado.

Os pontos de experiência e crédito que ganhou daqueles casos não era tão importante.

Seu maior prêmio veio de uma garotinha.


Considere fazer uma Doação e contribua para que o site permaneça ativo, acesse a Página de Doação.

Comentários

0 0 votos
Avalie!
Se Inscrever
Notificar de
guest
1 Comentário
Mais recente
Mais Antigo Mais votado
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Aquele acima de tudo e todos
Membro
Aquele acima de tudo e todos
7 dias atrás

🤨🤜👌🌚

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar