Super God Gene – Capítulo 637

Coração de Lealdade

Chen Ran viu Han Sen pegar uma balestra e apontá-la para ele, mas só falou com deboche: — Pensei que você era do tipo que pegava uma arma de fogo. Sabe, uma das grandes; não uma balestra.

Chen Ran estava no Segundo Santuário de Deus há muito tempo, então já tinha visto muitas coisas na vida. Até mesmo já viu uma balestra usada em conjunto com um dardo de Linhagem Sagrada.

Dessa forma, pensou que uma balestra seria inútil contra ele. Por outro lado, Chen Ran ficaria com apreensão se fosse um arco, já que o poder de um era derivado do portador, por isso, essas armas poderiam ser imbuídas de propriedades de poderes especiais; assim, faria de tudo para não ser acertado por uma flecha.

Mas o poder de uma balestra sempre era derivado de como foi inicialmente fabricada. Por isso, seu poder era limitado. Até mesmo um dardo de Linhagem Sagrada seria inútil contra uma elite como Chen Ran.

Chen Ran continuou brandindo a espada Anser com mais poder e velocidade.

Pang!

Han Sen puxou o gatilho, e um raio preto brilhou da boca da balestra. O dardo chegou na frente do rosto do Chen Ran.

A expressão dele mudou, não esperando jamais que um dardo possuísse uma velocidade tão aterrorizante. E parecia que não conseguiria se esquivar, porque foi disparada a uma distância tão curta.

Contudo, Chen Ran era um velho assustador, e a sua velocidade de reação era incomparável. Com a espada Anser, ele bloqueou o dardo de pena preta.

Dong~

A lâmina desviou o dardo veloz a um grande custo. A espada Anser de Linhagem Sagrada foi quebrada ao meio, o que fez fragmentos se estilhaçarem em várias direções. A força fez o corpo do Chen Ran recuar, clivando a terra com duas marcas de derrapagem de dois a três metros de comprimento.

Pá~

Chen Ran cuspiu sangue. Com total choque, seus olhos se fixaram na balestra na mão do Han Sen, porque não conseguia acreditar que uma balestra possuísse tanto poder destrutivo.

Han Sen viu rapidamente que seu primeiro dardo não matou o alvo, então, sem hesitação, carregou outro e disparou de novo. O raio preto brilhou na direção do Chen Ran mais uma vez.

Ele gritou, enquanto nuvens esvoaçavam ao redor dele, mascarando todo o seu corpo em nuvens brancas de algodão. Em seguida, imediatamente começou a voar para longe a fim de se esquivar do segundo dardo.

— A Sete Sinuosidades da família Chen é poderosa. — Han Sen admirou a fuga rápida dele, mas suas mãos não pararam de se mover. Mais uma vez, carregou e disparou um dardo após o outro, não permitindo que Chen Ran escapasse.

Chen Ran acreditava que seria capaz de escapar sem problemas depois de se esquivar do primeiro dardo. Os dardos eram muito assustadores, de modo que não se atrevia a encarar uma arma tão formidável, sem saber o que tinha de errado com a balestra do Han Sen e como ela possuía um poder tão aterrorizante.

Além disso, não esperava que a balestra do Han Sen tivesse um disparo tão rápido, parecendo até uma pistola. Chen Ran observou os dardos pretos passando ao seu lado no céu e se cagou de medo.

Se chorar tivesse dado misericórdia, ele bradaria na frente do Han Sen.

Chen Run cerrou os dentes, voando como um pássaro assustador e tonto no ar. Ele estava ziguezagueando para a esquerda e a direita com os movimentos mais estranhos, só que era mais esperto que um pássaro de verdade.

Mas não importava o quão forte e ágil fosse, até mesmo ele não conseguia se esquivar da enxurrada de dardos que estavam sendo disparados dele. Depois de se esquivar de quatro dardos, não conseguiu desviar dos que vieram depois.

Pang! Pang!

Chen Ran mal conseguiu se esquivar dos próximos dois, mas as rajadas de vento, que acompanharam os dardos, sacudiram seu corpo tanto que o fez cuspir mais sangue. Agora, não conseguia mais manter a formação.

No segundo seguinte, uma barragem de quatro dardos perfurou seu corpo e dilacerou a Armadura de Linhagem Sagrada, que estava usando, como faca quente na manteiga.

O incrível poder dos dados o fez espiralar a algumas dezenas de metros de distância, e logo ficou preso em um penhasco próximo.

Huang Mian gritou, mas Han Sen se virou para disparar outro dardo na direção dele.

Pang!

O dardo quebrou o espadão do Huang Mian, que se transformou em “purpurina”, e, mesmo assim, a velocidade do dardo não diminuiu, perfurando diretamente o braço direito dele.

Huang Mian não reagiu, como se não tivesse sentido nada do dardo que penetrou rapidamente o seu braço. Com raiva, tentou socar a cara do Han Sen.

— Quais benefícios o Chen Ran te deu? Por que você está tão desesperado para dar a vida por ele? — Han Sen recuou um passo e se esquivou do soco do Huang Mian.

As habilidades de soco dele eram muito inferiores ao manejo de espada, portanto, não eram uma ameaça para Han Sen.

— Ele salvou a minha e por isso devo retribuir o favor! — Huang Mian mordeu os lábios e começou a socar mais.

— Então vou realizar o seu desejo. — Han Sen deu um tapa na cabeça do Huang Mian, o que o derrubou.

Neste momento, as outras pessoas, que acompanharam Chen Ran, já estavam correndo para as colinas. Uma pessoa poderosa como o líder deles foi derrotado por uns dardos, então, temendo que o mesmo acontecesse com eles, desejaram ter um conjunto extra de pernas para que pudessem fugir a um ritmo maior.

Eles não conseguiam imaginar como uma balestra tão vil pudesse existir. Era como uma pistola, só que com um poder muito aterrorizante no nível de algo que não deveria existir.

Han Sen não se incomodou em perseguir os peixes pequenos que fugiram; em vez disso, aproximou-se do penhasco, onde Chen Ran acabou preso.

Havia quatro dardos manchados de sangue saindo do corpo dele, só que ele não tinha morrido mesmo assim. Até tentou arrancar as penas, mas não conseguiu. Empurrando, as penas eram macias como seda, mas cortavam como várias navalhas ao puxar. Se tentasse tirar, os órgãos e ossos seriam dilacerados.

— Oh, Chen Ran. Odeio dizer isso, mas é verdade; nada disso precisava acontecer. — Han Sen sorriu enquanto ficava diante do corpo destruído do Chen Ran, olhando de cima para baixo para o corpo derrotado e quase sem vida.

— Han Sen, você se atreve a me matar? A família Chen vai se vingar. Você só terá um mundo de dor por causa disso! — Chen Ran falou com Han Sen, enquanto fervia de raiva.

Só que ele estava sangrando pela boca, sufocando as palavras que desejava falar para Han Sen. O que poderia ter sido um aviso preocupante foi, em vez disso, uma visão lamentável.

— Me conte os segredos da Sete Sinuosidades se quiser viver — Han Sen deu uma oferta, sorrindo.

A boca do Chen Ran estava cheia de sangue enquanto ria: — Garoto, quando andei por estas terras, seu pai ainda nem tinha nascido. Você se atreve a me dar um ultimato? Ha!

Chen Ran cuspiu sangue no rosto do Han Sen, depois cerrou os dentes, e saiu sangue preto da boca dele. Logo seu pulso parou, porque estava morto. Han Sen examinou o corpo dele para confirmar.

Ele olhou para Chen Ran com choque, não esperando que essa raposa velha e malvada fosse tão selvagem a ponto de usar veneno para se matar.

— Acho que não devo subestimar figuras proeminentes de famílias grandes. A lealdade deles chega a ser assustadora.

Han Sen pensou nisso por mais um momento. Em seguida, começou um incêndio para queimar o corpo do Chen Ran. Se alguém da família Chen viesse atrás dele, seu desaparecimento poderia dar credibilidade a qualquer história que decidisse inventar.

Han Sen também acreditava que queimar o corpo seria considerado uma boa ação aos olhos de qualquer poder superior que pudesse estar observando. Afinal, não teria sido uma coisa muito nobre deixar o corpo dele apodrecendo na natureza.

Só que o corpo do Chen Ran voltou subitamente a vida, antes que Han Sen pudesse queimar o corpo dele, pulando e gritando em seguida: — Não, não, não! Pare! Podemos conversar primeiro! Você falou que quer aprender a Sete Sinuosidades? Posso ensinar, posso ensinar!

Han Sen arregalou os olhos e ficou imóvel, olhando para Chen Ran por um bom momento.

Um tempo depois, Han Sen xingou na mente: ‘Lealdade meu pau. Nem ferrando que eu acreditei que esse velho maldito tinha um pouco de lealdade. Puta que pariu!’

Comentários

  1. Jupiter disse:

    kkkkkkkkkk velho maldito

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar