Super God Gene – Capítulo 662

O Pônei Vermelho

— Puta que pariu! Escapei do território dos lobos apenas para acabar no reino dos cavalos? — Han Sen ficou triste enquanto observava os cavalos alados, pégasos, aproximarem-se. Ele queria se esbofetear, pensando: ‘Por que eu vim aqui em primeiro lugar? Deveria ter procurado alguma Super Criatura que anda sozinha!’

— Tentar tirar proveito dos outros vai me matar — Han Sen suspirou.

Felizmente, parecia ser uma terra de ninguém entre a matilha de lobos e os pégasos voadores. Não vieram atrás dele, então ganhou uma oportunidade de descansar um pouco.

Han Sen não se atreveu a voar, já que não teria nenhuma vantagem em fazer isso, considerando que os pégasos eram criaturas voadoras.

Ele pousou na grama e deu uma boa olhada ao redor. Não tinha nada notável neste lugar, pois era apenas um campo gramado. Os lobos e pégasos estavam mantendo uma distância de mais de 5 quilômetros.

Han Sen olhou mais de perto e viu que a grama era mais curta do que em outro lugar. Parte dela tinha até uma cor amarelada. Era muito diferente da grama fresca, longa e verde dos campos à direita e esquerda dele.

Além disso, não havia nada de especial. Não tinha nem mesmo um lago ou lagoa, apenas um campo gramado.

Os lobos e cavalos o encararam, mas mantiveram distância. Eles não estavam saindo, então Han Sen decidiu ficar no lugar, enquanto estava seguro. Ele não achava que os lobos ou cavalos continuariam de olho nele por tanto tempo.

Só que logo Han Sen percebeu que algo estava errado. Os cavalos e lobos realmente ficaram lá, revezando-se com outros do próprio bando para observá-lo.

Felizmente, trouxe muitas provisões, incluindo soluções de nutrientes. Poderia permanecer neste campo por dois meses, se necessário.

Mas qual era o sentido de ficar nesse local pelos próximos dois meses? Os lobos e cavalos não queriam sair. Duas semanas se passaram, mas ainda permaneceram fora do campo observando Han Sen, não permitindo que ele saísse.

— Raposa Prateada, você precisa fazer alguma coisa para me ajudar a sair dessa bagunça. Não vai esperar que eu morra para depois se mandar, né? — Han Sen colocou a raposa prateada na frente do seu rosto e disse: — Isso não está certo! Não tem muita diferença entre uma raposa e um lobo, não é? Não pode ir lá e falar com o rei lobo em meu nome e dizer que foi tudo um grande mal-entendido?

Colocou a raposa prateada no chão, mas ela deitou, nem sequer olhando para ele.

Han Sen sentiu que seria melhor falar com uma pedra. Em seguida, circulou todo o campo várias vezes, avaliando quais opções tinha para escapar, mas não descobriu nada viável.

— Se fugir não vai funcionar, então que assim seja. Terei que lutar para sair! Claramente não posso sair pelo lado dos pégasos, já que parecem estar em maior quantidade do que os lobos. E também podem voar. O lado deles é claramente o mais perigoso. — Han Sen então olhou para o lado dos lobos. Observou o vento soprando pela grama, que revelou as costas cinzentas de alguns escondidos. Quem sabia quantos espreitavam na grama alta, esperando pela saída dele.

Han Sen só podia observar os movimentos deles, esperando o momento certo para abrir caminho pelas hordas e fazer uma fuga ousada. Seria melhor se pudesse confirmar a localização do rei lobo, então pelo menos teria uma chance de tentar. Mas, infelizmente, não conseguia identificá-lo, de modo que não era possível no momento.

Depois de um tempo, Han Sen viu os cavalos em um estado de agitação. No grupo de cavalos, um pônei vermelho apareceu. Eles se separaram e formaram um caminho para ele, não se atrevendo a tocá-lo.

— É o filho de uma super criatura? — Han Sen deu uma olhada e ficou surpreso. O pônei vermelho não parecia ter nascido há muito tempo. Parecia bastante curioso, e até mesmo os pégasos de linhagem sagrada evitaram o caminho dele.

— Se eu sequestrar o pônei vermelho, posso usá-lo para escapar da multidão de cavalos? — O coração do Han Sen deu origem a esse pensamento maligno, imaginando se poderia colocar uma faca no pescoço do pônei vermelho e fazer um acordo com o rei cavalo.

Mas rapidamente abandonou a ideia. Criaturas não eram humanas, e se vissem Han Sen ameaçar o pônei vermelho, provavelmente optariam por matá-lo em vez de negociar.

O pônei vermelho podia ser pequeno, mas era uma Super Criatura. Han Sen não tinha certeza se poderia lidar com isso sozinho de qualquer maneira.

O pônei vermelho parecia curioso sobre tudo. Abriu os olhos e olhou para Han Sen e a raposa prateada com muito interesse.

Até tentou entrar no campo do Han Sen em inúmeras ocasiões, mas foi impedido pelo rei cavalo e mandado de volta em cada tentativa.

Antes que o pônei vermelho fosse levado, ele olhou para trás e quase parecia chateado.

Que pena. Se o pônei vermelho tivesse vindo aqui, então seria possível sequestrá-lo! Han Sen pensou, desapontado.

Naquela noite, Han Sen se deitou na grama observando o céu noturno. Ele contou as estrelas que brilhavam acima. Era bem chato, então invocou o anjo e as princesas Yin e Yang.

Enquanto conversavam, ouviram o barulho da multidão de cavalos. Olhando para lá, viu o pônei vermelho se esgueirando com os olhos fixos nele.

Han Sen ficou feliz quando o viu, mas isso causou uma comoção na multidão de cavalos. Eles relincharam repetidamente, como se estivessem tentando convencer o pônei vermelho para voltar.

Mas não importava o quanto relinchassem, não se atreviam a entrar na área como o pônei vermelho.

O rei cavalo não podia ser visto em nenhum lugar, e Han Sen não sabia o motivo.

O pônei vermelho ignorou seus irmãos e continuou se aproximando do Han Sen. Olhou para a esquerda e direita até ficar a cerca de vinte metros de distância. Então, ficou onde estava e apenas observou Han Sen e seus companheiros.

— Venha aqui, garotinho. Venha aqui. — Surgiu um sorriso estranho no rosto do Han Sen. Ele estendeu os dois braços para o pônei vermelho, como se estivesse chamando um bebê para rastejar até ele.

Mas o pônei vermelho recuou alguns passos e mostrou alerta nos olhos; não confiou nele.

Han Sen notou que seu comportamento parecia o de um velho estranho que queria sequestrar uma criança. Rapidamente, escondeu seu sorriso estranho e mostrou um de inocência, como se estivesse trocando de máscaras. Em seguida, pensou em como poderia atrair o pônei vermelho na sua direção.

Han Sen jogou um pouco de carne seca no chão e pediu que o pônei comesse, mas foi ignorado.

— Os cavalos só gostam de comer grama? — Han Sen se sentiu deprimido. Ele olhou nos bolsos e não tinha nada que pudesse usar para atrair o pônei vermelho, então não fazia ideia do que fazer.

Mas parecia que o pônei vermelho diminuiu um pouco a sua apreensão depois de observar por mais um tempo. Lentamente, começou a se aproximar cada vez mais dele.

A multidão de cavalos estava em frenesi, enquanto inúmeros cavalos cercavam a área, relinchando repetidamente. Era como se estivessem implorando para o pônei vermelho retornar e para Han Sen não machucá-lo.

Ele pensou subitamente que algo estava errado. Se os lobos e cavalos estavam se evitando, então era por isso que não se aproximavam? Mas agora que o pônei vermelho veio para o campo, por que os outros cavalos não vieram?

Comentários

  1. Julio Eduardo Zuge disse:

    Oh, glória, finalmente saiu mais alguns capítulos. Por favor, continuem postando novos capítulos, na medida do possível. Muito obrigado!!!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar