Switch Mode
Participe do nosso grupo no Telegram https://t.me/+hWBjSu3JuOE2NDQx

Sword God in a World of Magic – Capítulo  27

Experimentos e trocas

Alex caminhou em direção à área onde o polvo gigante tinha aterrissado.

Ele não queria perder nenhuma potencial recompensa que o ouriço pudesse dar.

Enquanto caminhava nessa direção, ele olhou para o braço esquerdo.

Seu braço não estava mais congelado, e parecia estar até um pouco quente. Infelizmente, o braço ainda estava gravemente ferido. Congelar material orgânico destrói completamente a sua estrutura, danificando veias e muitas outras coisas.

O braço esquerdo de Alex não doía enquanto estava congelado, mas assim que descongelou, Alex passou a sentir uma dor terrível vindo dele.

Alex não conseguia mexer muito esse braço, mas ainda conseguia fazer alguns experimentos.

A estaca ilusória tinha entrado no seu braço esquerdo e ela continuava lá. Alex tinha, sem querer, lançado um ar gelado do seu braço esquerdo anteriormente, e ele queria saber como isso funcionava. 

Alex já estava acostumado ao sentimento de mover Mana, e controlou a Mana gelada para que explodisse para fora.

SSSHH!

Uma onda de ar frio saiu do seu braço. Como seu braço ainda estava mole, o frio atingiu parte da perna esquerda de Alex e o chão.

O gelo embaixo do braço esquerdo de Alex cresceu um pouco, e seu casaco, que estava jogado ao lado da sua perna, congelou completamente.

No entanto, Alex estava mais preocupado com outra coisa.

Assim que comandou que a Mana gelada explodisse, seu braço começou a queimar. Bem, não estava literalmente queimando, mas a sensação era parecida.

Alex rapidamente correu em direção a um dos lugares onde o gelo estava quebrado. O polvo tinha destruído uma grande parte do gelo quando ele emergiu do lago.

SSSSSS!

Alex colocou seu braço diretamente na água gelada e cerrou os dentes. O som de algo quente entrando na água fria pôde ser ouvido assim que seu braço encostou na água.

Porra! Isso tá quente demais! Alex pensou. Sério mesmo?! Você tem Mana e ainda segue as leis da termodinâmica?! Para esfriar alguma coisa precisa esquentar outra?! Por que não tem como funcionar de uma forma mágica?!

Depois de um tempo, Alex tirou seu braço da água e o balançou no ar.

Seu braço havia recebido queimaduras severas.

No entanto, agora ele estava coberto por uma fina camada de gelo.

Seu braço definitivamente parecia mais frio que antes.

Meu braço está mais frio que antes. Então vamos tentar de novo!

SSSHH!

Outra rajada de ar frio, e Alex imediatamente mergulhou seu braço na água fria mais uma vez.

Não ficou tão quente quanto antes, mas ainda parece que peguei em uma chapa quente ou algo do tipo, Alex pensou.

Depois de um tempo, Alex tirou novamente o braço.

Será que consigo usar menos?

Alex tentou suprimir a Mana, mas ainda deixou uma parte fluir.

SSSH!

Um vento frio saiu do braço esquerdo mais uma vez, fazendo-o esquentar novamente.

No entanto, dessa vez, o braço de Alex não parecia estar queimando.

Estava apenas quente em um nível desconfortável, uma temperatura que faria uma pessoa suar muito. 

Mas, em compensação, o ar frio que saiu do braço esquerdo não era tão frio quanto os anteriores.

Alex coçou o queixo enquanto pensava no que presenciou. Então meu braço esquenta de uma forma proporcional ao frio da rajada de vento. Não tenho certeza, mas acho que a quantidade de ar que sai do meu braço é proporcional ao peso dele. Por isso essas rajadas são bastante poderosas.

Agora preciso testar outra coisa.

Alex agarrou seu braço esquerdo com sua mão direita e o apontou para seu rosto.

Só um pouco. Só um pouquinho, bem pouquinho, Alex pensou.

SSSSSHH!

A cabeça de Alex foi jogada para trás pelo vento vindo do seu braço. No entanto, como ele só tinha usado um pouco, seu rosto não foi ferido.

Apenas alguns pedacinhos de gelo podiam ser vistos em seu rosto.

Alex limpou esse gelo do seu rosto e olhou para o seu braço empolgado.

Interessante, Alex pensou, coçando o queixo. Eu só usei uma pequena fração, a temperatura do meu braço provavelmente só aumentou em um grau. Mas mesmo assim, o ar perto do meu rosto já estava um pouco mais frio que o ar ao redor.

Isso significa que essa rajada usa a temperatura externa como referência quando esfria alguma coisa, não o braço em si.

Então, teoricamente, se fizesse -40 °C agora, meu braço estivesse a 20 °C e eu soltasse uma rajada valendo 20 °C, essa rajada ficaria a -60 °C e meu braço chegaria a 40 °C.

Alex coçou seu queixo e uma expressão pensativa apareceu em seu rosto.

Isso significa que o poder dessa habilidade depende fortemente do ambiente ao redor. Afinal, se eu estivesse em um deserto a 50 °C e eu fizesse a mesma coisa, meu braço chegaria a 40 °C e meu oponente receberia uma brisa confortável de 30 °C.

No entanto, em um ambiente frio as coisas seriam diferentes, Alex pensou enquanto observava os arredores. Claro, criaturas que vivem em ambientes tão frios têm alguma resistência ao frio, mas isso só vale até um certo ponto.

Uma besta vivendo em um deserto quente acostumada a 50 °C não se importaria com uma rajada de ar a 30 °C. Mas uma besta em uma tundra acostumada a -40 °C, pode enfrentar alguns problemas com uma rajada de ar a -60 °C.

Ainda mais, eu consigo reduzir a temperatura de meu braço ainda mais em um clima frio. Posso andar por aí com meu braço a 5 °C sem grandes problemas. Meu braço só ficaria entorpecido e mole. No entanto, eu poderia soltar uma rajada de 35 °C. Em um ambiente frio, isso causaria danos graves em qualquer um. Afinal, a rajada resultante chegaria perto dos -100 °C!

E, além disso, se eu estiver disposto a sofrer um pouco, consigo soltar rajadas de até 60 °C. Claro, meu braço ficaria seriamente queimado e seria inútil até que curasse, mas meu inimigo estaria congelado.

Alex coçou o queixo.

Com certeza existem usos para essa habilidade em uma luta. Minha espada é para uma mão de qualquer jeito, deixando um braço livre.

Alex passou todo esse tempo andando, e finalmente estava chegando ao seu destino.

Ele passou por uma árvore e viu uma cena de pura destruição.

As árvores estavam destruídas e espinhos gigantes estavam fincados no polvo inerte.

Nesse exato momento, o ouriço estava comendo o polvo calmamente, aparentemente sem nenhuma preocupação.

Alex caminhou em direção a um dos tentáculos e pôde se comparar com ele.

Esse era um dos tentáculos mais grossos do polvo, sua largura alcançava no mínimo três metros.

Parecia que Alex estava de frente a uma parede de carne.

O tentáculo tinha uns cinquenta metros de comprimento, o que parecia simplesmente absurdo.

Alex pulou para cima do tentáculo e começou a andar.

Então, caminhou em direção ao lugar que o ouriço estava mastigando nesse momento e parou em frente a ele.

O ouriço continuou a comer, mas após alguns segundos, ele o notou.

O ouriço estendeu sua cabeça em direção a Alex e deu algumas cheiradas.

Alex começou a ficar nervoso.

Será que ele sentiu a estaca ilusória em seu corpo? Afinal, ele estava comendo o criador e verdadeiro dono da estaca ilusória nesse exato momento.

Será que Alex cheirava similar ao polvo?

Ele esperava que não!

Depois de farejar um pouco, o ouriço afastou sua cabeça e olhou para Alex.

Então, olhou para o polvo embaixo dele.

Em seguida, voltou a olhar para Alex.

Depois disso, o ouriço andou em direção ao tentáculo do qual Alex tinha vindo.

CRUNCH! CRUNCH! CRUNCH! 

Depois de um minuto de mordidas, o ouriço separou o tentáculo do corpo.

BANG!

Então, jogou o tentáculo alguns metros para longe com um chute da sua pata.

Depois disso, olhou para Alex por um tempo.

E depois, voltou a comer.

Alex entendeu o que o ouriço estava comunicando.

Ele tinha dado um dos tentáculos para Alex!

Alex ficou realmente empolgado!

O polvo deveria ter uma quantidade insana de Mana em seu corpo!

No entanto, rapidamente desanimou e soltou um suspiro.

Esse tentáculo pesava toneladas!

Ele nunca conseguiria comer tudo isso.

Alex coçou o queixo por um tempo.

Então, andou até a ponta do tentáculo e tentou movê-lo com toda a sua força.

Alex conseguiu levantar os últimos metros do tentáculo e o moveu levemente em direção ao ouriço.

— Ei! — Alex gritou. — Eu não consigo comer tudo isso! Fica com ele!

O ouriço parou de mastigar e olhou para Alex.

Alex apontou para o tentáculo, balançou a cabeça, e então apontou para o ouriço.

O ouriço olhou para Alex por um tempo e entendeu o que ele queria dizer.

O ouriço caminhou até o tentáculo, o mordeu, e o moveu novamente em direção ao corpo, mostrando que o tentáculo agora pertencia a ele.

Alex olhou com expectativa para o ouriço.

O ouriço olhou para Alex por um tempo.

Por dez segundos, nada aconteceu.

O ouriço estava provavelmente pensando seriamente no que fazer.

Então, olhou para o céu por um tempo, aparentemente pensando em algo.

Finalmente, olhou para Alex novamente.

RRMM! RRMM! RRMM! 

O corpo do ouriço começou a tremer levemente de acordo com um certo ritmo.

Alex reconheceu o som.

Ei, esse som não é aquele que os cachorros fazem antes de vomitar? Alex pensou.

E, assim como ele imaginou, o ouriço abriu a boca e cuspiu uma coisa.

No entanto, ele não tinha vomitado, era outra coisa.

Os olhos de Alex se arregalaram em choque com o que viu!


Considere fazer uma Doação e contribua para que o site permaneça ativo, acesse a Página de Doação.

Comentários

0 0 votos
Avalie!
Se Inscrever
Notificar de
guest
1 Comentário
Mais recente
Mais Antigo Mais votado
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Goncalves Postal
Membro
Goncalves Postal
1 mês atrás

Mano tem mais de 1000 caps a obra assim que eu gosto hehehehhehe

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar