Swordmaster’s Youngest Son – Capítulo 70

Destinos Entrelaçados (2)

“Como diabos vou acertar essa coisa?”

Agarrar-se firmemente à querida vida durante um voo turbulento e errático já era o suficiente. Toda vez que Murakan e Quikantel se batiam, Jin sentia o impacto vibrar em seus ossos.

“Ela o está tratando como um inimigo mortal.”

Os movimentos de Quikantel gritavam sua intenção de matar Murakan. Os sopros que disparava estavam cheios de intenção assassina, e ela continuou tentando morder a garganta dele.

Fwiiit!

O sopro de Quikantel passou pelas costas de Murakan. Ele verificou suas costas, e lá viu Jin, pingando de suor frio.

A batalha parecia unilateral com Murakan constantemente apanhando. Mas ele não estava pensando em jogar na defensiva o tempo inteiro.

[Acalme-se e vamos conversar sobre isso, Quikantel!]

Whooooosh~!

O céu estava cheio de nuvens escuras.

As nuvens negras eram a energia espiritual de Murakan em sua forma materializada. Murakan voou diretamente para as nuvens e Quikantel soltou um grito ensurdecedor.

Jin sentiu como se seus tímpanos fossem estourar. O rugido que viajou pelos ouvidos sacudiu seu cérebro.

Assim como os humanos tinham um sistema de classificação de uma estrela até Genesis, os dragões também eram divididos em diferentes classificações. Entre os dragões ativos, Quikantel tinha as habilidades de combate do mais alto nível.

Se Jin não tivesse treinado o suficiente, teria desmaiado apenas com o grito do dragão.

Jin recuperou sua respiração enquanto a escuridão o cercava.

“Tenho que colocar minha mente em ordem. Ainda bem que vim, se você morresse para aquele dragão prateado, não teria ficado sabendo de nada.”

[De jeito nenhum morreria. Não importa o quão forte Quikantel seja, ela não pode entrar aqui. Vamos passar um tempo pensando em algo. Uma maneira de persuadir aquela mulher.]

Mas Murakan estava delirando.

[Acha que eu não consigo te pegar aí?]

As asas de Quikantel causaram um forte trovão. Então, um corpo maciço perfurou a energia espiritual de Murakan como um mergulhador na água.

[Quikantel, como você…?]

[Parece que ainda não percebeu o quão fraco se tornou. Você chama esse lixo de “liberação de energia”? Murakan, não consigo esconder minha decepção.]

[Hmm, Quikantel, pense no nosso passado. Por que a gente não acaba com esse desentendimento aqui? Só vim te perguntar uma coisa.]

[Pensando no nosso passado, rasgar você em milhões de pedaços não é o suficiente.]

[Bem, tá certo. Acho que não tem o que fazer. Venha pra cima se puder. Você sempre foi assim. Tudo o que fizemos foi terminar.]

Crack!

Quikantel mordeu a asa de Murakan. Sons de quebrar e estalar ecoaram por toda parte, e Jin instintivamente sacou a Bradamante.

Murakan também mordeu a asa de Quikantel. Devido a eles estarem envoltos em energia espiritual, nenhum dos dragões caiu, embora tivessem parado de bater as asas.

Eles receberam o mesmo ataque, mas Murakan sofreu mais danos. Sangue espirrou de sua asa, enquanto a de Quikantel tinha apenas uma fissura como rachaduras no vidro.

Jin teve que brandir sua espada antes que os dois dragões começassem a se mover. Assim que Murakan foi mordido, as nuvens de energia espiritual começaram a recuar em um ritmo alarmante.

“É um exoesqueleto tão duro que nem os dentes de Murakan conseguem perfurar. Qualquer golpe que eu der agora não fará nada.’

Então, Jin mirou as fissuras nas asas de Quikantel. Provavelmente não era seu ponto fraco, mas era melhor do que desperdiçar uma chance oportuna.

Woooom!

Bradamante brilhou com uma aura. Dentro do ambiente escuro, uma aura brilhante iluminou seus arredores.

[O quê?!]

Surpreendentemente, Quikantel não havia detectado um humano nas costas de Murakan. Ela só percebeu naquele momento que Jin estava em cima dele.

Agarrando sua espada, Jin se lançou das costas de Murakan como uma flecha apontada para a asa do dragão prateado.

Um golpe decisivo com todas as suas forças. A espada acertou as fissuras e penetrou na carne, mas Jin não havia terminado.

‘Lâmina: Liberar.’

Murakan disse a ele para não usar essa habilidade até que alcançasse a liberação de energia espiritual de cinco estrelas. No entanto, agora não era o momento de se conter.

Se este ataque não infligisse um dano crítico, então havia apenas uma outra opção: quebrar o Pingente de Orgal e invocar Luna.

Jin não planejava fazer isso, então pelo menos tentou usar todas as suas cartas.

E, sobretudo, não lhe faltou a energia espiritual para liberar Bradamante. Jin estava absorvendo um pouco da liberação de energia espiritual de Murakan.

[Bom trabalho, garoto. Agora corte a asa para que ela possa se acalmar!]

Jin não ouviu suas palavras.

A liberação começou e, assim como na vez em que matou a tribo Lobo Branco, o tempo parecia ter parado.

Ao seu redor, a energia espiritual começou a girar em torno da Bradamante. Mais e mais energia crepitante entrou na ferida de Quikantel, e as rupturas se espalharam por sua asa esquerda.

Ela soltou um grito doloroso e tentou se livrar da causa, mas era tarde demais para deter Bradamante.

Essencialmente, ela baixou a guarda. Cega pela raiva, não percebeu o humano nas costas de Murakan, e isso foi o resultado de ignorar uma resolução pacífica.

A energia espiritual terminou de viajar pela asa de Quikantel.

Jin empurrou todo o peso de seu corpo para o cabo da espada.

Creaaaak!

Um som agudo de raspagem ecoou, e a energia espiritual começou a brilhar. Jin deslizou pela asa de Quikantel e arrastou a espada por ela enquanto ia rasgando a asa do dragão.

Quanto mais fundo ele empurrava sua espada, mais longe a energia espiritual viajava. Como estava gastando energia dezenas de vezes além de seu limite de poder, a taxa de consumo de energia era ineficiente.

Nem mesmo um cavaleiro de sete estrelas poderia penetrar a asa de Quikantel, então não havia escolha a não ser colocar toda a sua energia em um ataque. Naturalmente iria ter um excesso.

A lâmina terminou de rasgar, e Murakan pegou Jin enquanto ele caía com sua espada.

Suor frio cobriu o corpo de Jin por usar tanto poder. No entanto, ao ver a enorme asa caindo no oceano, ele se sentiu confiante com sua incrível façanha.

Um segundo depois, Quikantel despencou. Sua outra asa bateu inutilmente.

‘Acabei de me tornar um assassino de dragões?’

O oceano a engoliu inteira — um enorme estrondo simbolizando sua morte.

“Ufa, urgh.”

Jin também teve que lidar com as consequências por ultrapassar seus limites.

‘Felizmente, não há dor excruciante como da última vez. Provavelmente significa que minhas habilidades aumentaram desde então.’

Ainda assim, seus membros tremeram antes da dor chegar. Ele tentou se deitar nas costas de Murakan.

[Certo, agora tudo o que precisamos fazer é rezar para que Quikantel possa pensar direito.]

“O que você quer dizer? Não terminamos?”

[Dragões que controlam o tempo não morrem tão facilmente assim.]

Olhando para o oceano, Jin engoliu em seco.

Uma sombra escura ressurgiu da água. Jin então se lembrou da habilidade especial das entidades controladoras do tempo.

Retroceder.

A asa desconectada e o corpo de Quikantel flutuaram de volta ao céu. Ela estava retrocedendo seu tempo.

Na verdade, ela não estava indefesa durante esse processo. O espaço ao redor de sua recriação estava distorcido, e brandir uma espada através dele não acertaria nada.

Calafrios correram por todo o corpo de Jin enquanto observava a visão diante dele.

[Esta é a diferença entre habilidade inerente e magia. Mas não se preocupe. A habilidade é bem forte, mas é preciso uma quantidade gigante de poder para usá-la. Além disso, você precisará agir como se pudesse continuar lutando.]

O corpo totalmente intacto de Quikantel agora flutuava na frente deles.

O espaço ao redor dela voltou ao seu estado normal, e Quikantel começou a se mover.

Assim como Murakan disse, ela parecia muito exausta. Estava com as respirações curtas e rápidas, e suas asas pareciam lentas.

Ela não queria atacar de novo imediatamente.

[Não está atacando ainda? Acho que está na hora de tentar conversar com ela de novo.]

[O que aconteceu, Murakan? Esse humano é o contratante de Solderet?]

[Sim. Sua birra já acabou? Não sabia que você ainda tinha tanta raiva do nosso término. Não terminamos bem?]

[Terminamos bem? Você só me jogou fora, sem nem falar comigo. Assim como o que fiz agora há pouco, da última vez, você nem me deu a chance de falar.]

[Não foi o mesmo caso? Sempre que dizia que deveríamos ir cada um para o seu lado, seus olhos rolavam para a parte de trás da cabeça e você me atacava. Então, por que deveria deixar você falar? Não te traí, nem nada. O que você quer que faça sobre nossa incompatibilidade?!]

Esta foi uma conversa entre dois dragões que viveram por milhares de anos.

Jin teve que engolir seu suspiro.

“Não é como se alguma vez eu esperasse que os dragões transbordassem de cortesia e respeito, para começo de conversa… Mas isso tá sendo muito humano. Os ataques assassinos foram apenas porque ela não superou o que aconteceu entre eles há milhares de anos?

Os dragões tentaram resolver as coisas, mas eles simplesmente repetiram as mesmas palavras várias vezes. A conversa nunca progrediu.

[Bem, vamos parar com essa bobagem, Quikantel. Não vim aqui para lutar. Vim te perguntar uma coisa. A vida do meu aliado está em perigo.]

[Ha! O ganancioso e arrogante Murakan se preocupa com seus aliados. Mentiroso de uma figa! Quantos de sua própria espécie você matou?]

Quando Murakan ouviu essas últimas palavras, sua expressão congelou. Era um tema delicado. Quikantel percebeu seu erro e desviou o olhar.

[De fato, dos dragões que matei, havia também o inimigo mortal de seu pai. Um dragão sobre o qual eu não sabia nada. E matei ele só porque você o odiava, sabia? Queria ouvir isso?]

Murakan deu um suspiro profundo e continuou.

[Já chega, foi minha culpa tentar perguntar a você. Vou resolver esse problema com outro.]

[Só fala logo. Droga, só de olhar para você fico sensível. Peço desculpas por minhas palavras.]

[E sobre a parte em que tentou me matar.]

[Eu tinha uma razão justa para isso.]

[Claro que sim. Enfim… Recentemente, o dragão guardião de Az Mil desapareceu. Sabe de alguma coisa? A contratante de Az Mil precisa dele.]

[Desapareceu? Você está falando sobre Lathry?]

[Ah, sim. Lathry. Não sabia o nome por causa da diferença de gerações.]

Quikantel olhou fixamente para Murakan e piscou.

[Que tópico interessante. Vyuretta, o Dragão do vento, levou Lathry para algum lugar já faz algum tempo.]

Vyuretta, o Dragão do Vento.

Um dragão relacionado a Andrei Zipfel. Jin e Murakan tiveram um mau pressentimento assim que ouviram esse nome.

[Mas por quê?]

[Ouvi dizer que, como os outros dragões sob Az Mil não estavam ativos, Vyuretta levou Lathry para ensinar um pouco de Magia Dracônica.]

Eles finalmente descobriram o culpado por trás do dragão desaparecido de Euria.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar