Tate no Yuusha no Nariagari – Capítulo 11

Desempenho da escrava

Depois de almoçarmos no restaurante, fomos até a planície. Raphtalia estava cantarolando por todo o caminho, contudo, assim que viu as pradaria, o medo tomou conta dela, seu corpo tremia sem parar.

— Pode ser assustador, mas estou aqui para te proteger dos monstros.

Parecia que minhas palavras não conseguiram acalma-la.

— Olha aqui, sou bem resistente, esses fracotes só conseguem fazer cosquinha quando me mordem.

Raphtalia ficou chocada quando mostrei os Balões escondido debaixo do meu manto.

— Isso não machuca? — disse a menina, assustada.

— Nem um pouco.

— Então…

— É só ficar atrás de mim.

— Tudo bem…

Tosse.

Estava um pouco preocupado com essa tosse, mas ela parecia estar bem.

***

Estávamos indo em direção a floresta. Consegui pegar varias ervas no caminho.

Ah, ai vem eles.

3 Balões Vermelhos vieram pulando de um arbusto. Chamei a atenção deles para ter certeza de que nenhum atacaria a menina.

— Está tudo bem, agora é só imitar o que fizemos na loja.

— S-sim! — respondeu Raphtalia, avançado com vigor para atacar os monstros

Estoura. Estoura. Estoura.

Com isso ela consegui chegar no nível 2.

Os requerimentos para o Escudo Vermelho Pequeno foram liberados.

Escudo Vermelho Pequeno

Habilidade selada… Bônus de Equipamento: Defesa +4

Mudei meu escudo na mesma hora. Raphtalia arregalou os olhos quando viu aquilo.

— Mestre… quem é você?

Pelo visto ela não sabia que eu era o grande Herói do Escudo. Bem, fazia pouco tempo que essa menina tinha saído da cela, seria difícil saber as notícias recentes.

 — Sou um Herói. O Herói do Escudo.

— Aquele das lendas?

— Então você conhece?

Raphtalia acenou de forma tímida com a cabeça.

— Esse mesmo, fui invocado para este mundo, tem mais 3 pessoas como eu…, mas sou o mais fraco! — expliquei

Comecei a roer minhas unhas, tentando acalmar a raiva que sentia. Minha cabeça foi preenchida com sede de sangue quanto pensei no rosto daquela vadia. Raphtalia ficou assustada me vendo daquele jeito, seus instintos falaram que deveria parar de perguntar.

— Por enquanto nossa tarefa será caçar os monstros dessa floresta. Irei segurar eles e você ataca.

— Sim…

Ela concordou na hora, pelo visto que já havia se acostumado com a situação. A partir daí, toda vez que encontrávamos inimigos, usávamos a mesma tática, eu chamava a atenção e segurava eles enquanto Raphtalia os matava.

Depois de um tempo tínhamos encontrado um inimigo diferente pela primeira vez. Cogumelo Branco, um cogumelo branco que se movia, seus olhos pareciam linhas e era mais ou menos do tamanho de uma cabeça humana. Tentei soca-lo para ver o que fazia e a resposta foi a mesma que a dos Balões Vermelhos, Raphtalia finalizou o monstro para mim. Também encontramos Cogumelos Azuis e Verdes pelo caminho.

Os requerimentos para o Escudo de Cogumelo foram liberados.

Os requerimentos para o Escudo de Cogumelo Azul foram liberados.

Os requerimentos para o Escudo de Cogumelo Verde foram liberados.

Escudo de Cogumelo

Habilidade selada… Bônus de Equipamento: Identificação de Plantas I

Escudo de Cogumelo Azul

Habilidade selada… Bônus de Equipamento: Receitas Básicas para Composição

Escudo de Cogumelo Verde

Habilidade selada… Bônus de Equipamento: Farmacêutico Novato

Não haviam bônus nos status, todos devam habilidades quando equipados. Farmacêutico… produzir remédios em grande quantidade vai ser de grande ajuda.

Ao final do dia Raphtalia havia upado mais 3 vezes, chegando ao nível 5.

Tosse.

Ela caminhava ao meu lado sem falar nada. Iria ser bom ensina-la a apreciar o dinheiro mostrando como era difícil conseguir alguns trocados. Acendemos uma fogueira ao lado do rio. Tirei uma toalha da minha bolsa e entreguei para Raphtalia.

— Primeiro vai tomar um banho. Quando terminar, volte aqui para esquentar o corpo perto do fogo.

— Sim…

Ela tirou as roupas e pulou no rio para se lavar. Comecei a pescar para poder preparar nosso jantar enquanto esperava. Claro, fiquei atento para ver se nada atacava a Raphtalia, devia ter apenas Balões fracos pela área, mas não era bom baixar a guarda.

Pensei nas coisas que conseguimos naquele dia: uma grande quantidade de ervas medicinais das planícies e erva medicinais que eram raras nas planícies, uma boa quantidade de balão do Balão e de cogumelos sortidos e 4 escudos novos. A diferença era gritante. Comprar um escravo fez muita diferença.

É mesmo, não posso esquecer de tentar compor alguma coisa.

Fui ver as receitas básicas. Uma janela apareceu do nada mostrando formulas que podiam ser feitas com o que tínhamos coletado. O que eu podia usar como ferramenta… a única opção era usar as pedras perto do rio. Talvez fosse possível fazer uma receita que precisasse de um pilãoas usando. Contudo não havia nenhuma instrução sobre como compor.

Aperto. Fricção.

Tentei imitar como o dono da ********* misturava os remédios para ver se funcionava.

Pílula de Cura foi feita!

Qualidade da Pílula de Cura: Ruim – Um Pouco Ruim. Uma pílula que aumenta a velocidade de recuperação, precisa ser aplicada na ferida para ter efeito.

Esse pop up voava em frente aos meus olhos. Ótimo, foi um sucesso. O escudo estava reagindo, no entanto não o deixei absorver o remédio naquele momento. Ok, hora de tentar outra receita. Algumas vezes a composição falhava e os ingredientes se tornavam uma massa preta. Foi mais divertido que o esperado.

***

Estalo.

O som da fogueira podia ser ouvido. Raphtalia, que havia terminado de se lavar, tinha vindo se esquentar.

— Está se esquentando bem aí? — perguntei

— Sim…

Tosse.

Parecia ser um resfriado. O traficante de escravos comentou sobre isso. Mas tive sorte, havia um remédio para gripe entre meus experimentos.

Qualidade do Medicamento Comum: Aceitável. Esse remédio é efetivo contra resfriado leve.

— Aqui, bebe isso.

Não tinha certeza se funcionaria, mas era melhor que nada.

— É muito azedo… não gost-guh

Raphtalia tentou reclamar, porém uma dor aguda a fez parar no meio da frase.

— Aqui

— S-sim.

Ela tremia enquanto bebia o remédio.

— Haa… haa…

— Pronto, pronto. Já passou.

Raphtalia ficou perplexa quando comecei a acaricia a sua cabeça. As orelhas de guaxinim eram bem fofinhas, talvez a cauda dela também fosse assim. Ela abraçou o rabo enquanto corava, como se não quisesse que eu tocasse. Meu olhar a deixou incomodada?

— Aqui, esse é seu jantar.

Passei um peixe grelhado para ela, então voltei a fazer remédios. Sempre gostei de fazer trabalhos delicados. O sol já havia se posto, mas continuei misturando usando a luz da fogueira. Hm… isso era bem divertido.

Depois de terminar de comer, Raphtalia olhava para a fogueira claramente cansada, até soltava alguns roncos de vez em quando.

— Vai dormir — falei.

Ela chacoalhou a cabeça depois de ouvir minha ordem. O que estava acontecendo? Estava se recusando a dormir como uma criança mimada… bem, ela era uma. Enfim, essa menina não iria aguentar por muito tempo.

Mudando de assunto, o remédio teve efeito? Não escutava nenhuma tosse já fazia um tempo.

Comecei a examinar os resultados dos meus experimentos, a maioria tinha efeitos simples. Peguei os de baixa qualidade e usei o escudo para absorve-los.

Os requerimentos para o Pequeno Escudo Medicinal foram liberados.

Os requerimentos para o Pequeno Escudo Venenoso foram liberados.

Pequeno Escudo Medicinal

Habilidade selada… Bônus de Equipamento: Aumento nos Efeitos dos Remédios.

Pequeno Escudo Venenoso

Habilidade selada… Bônus de Equipamento: Resistencia a Venenos (pequena).

Ambos pareciam relacionados ao Escudo de Folha e ao Escudo de Cogumelo. Mas não tinha ideia como o Aumento nos Efeitos dos Remédios funcionava. Aumentava os efeitos em mim ou o efeito dos medicamentos que eu criava? Bem, isso não importava. Conseguimos mesmo muita coisa naquele dia.

— Pare… alguém me ajuda… — murmurou Raphtalia enquanto dormia.

Parece que estava tendo um pesadelo.

— Nãoooooo!

Senti como se meus tímpanos estourassem. Merda. Balões vinham em nossa direção. Devem ter sido atraídos pelo barulho. Corri em direção a Raphtalia e cobri sua boca.

 — Aju…

O barulho continuava alto. Só então me lembrei do que o traficante de escravos tinha comentado sobre os ataques de panico. Era mais problemático do que imaginei.

— Se acalme, pare de fazer tanto barulho — falei enquanto a abraçava.

— Não… papai… mamãe.

Estava lembrando de seus pais? Ela chorava enquanto esticava sua mão, como se pedisse por ajuda.

— Está tudo bem… você está a salvo agora.

Acariciei sua cabeça e continuei abraçando-a.

Choro.

— Não chore. Seja forte.

Ela começou a chorar em meus braços.

— Grah

Um Balão que foi atraído pelo barulho apareceu.

Suspiro.

Sério, até mesmo em horas como aquela. Mantive Raphtalia junto ao meu copo e soquei o monstro.

Grito de guerra.

Socos.

***

— Já é de manhã?

Que noite merda. Quando terminei de matar a horda de Balões, Raphtalia já tinha parado de chorar. Porém, quando tentava me separar dela, mesmo que só um pouco, o choro voltava e Balões apareciam mais uma vez. Por isso fui incapaz de ter um minuto de sono.

Bocejo.

— Finalmente acordou?

Surpresa.

Ela arregalou os olhos assustada já que ainda estava grudada em mim.

— Ah… que cansaço.

Os portões da cidade ainda não estavam abertos. Então pensei em dormir um pouco enquanto esperava. Venderia os remédios que fiz ontem, deveriam valer mais que as folhas medicinais. Se o medicamento valesse menos que seus ingredientes, não haveria porque existirem.

— Vou tirar um cochilo. Pro café… estaria tudo bem para você come as sobras dos peixes de ontem?

Raphtalia acenou de forma tímida com a cabeça.

— Então boa noite. Me acorde se monstros aparecerem.

Apenas manter os olhos abertos era doloroso, desmaiei no momento que os fechei.

Ainda não sabia o motivo do ataque de pânico da Raphtalia e não estava interessado no porquê. Era provável que fosse pelo choque de ser vendida pelos pais ou talvez tenha sido sequestrada. Não importava o motivo, eu não tinha a obrigação de devolve-la. Este cavalheiro aqui tinha pagado bastante por essa menina. Mesmo que ela guardasse rancor por isso. Precisava fazer de tudo para sobreviver. Tinha que encontra uma forma de voltar ao meu antigo mundo, somente isso importava.


Nota:

[1] – É isso aqui: Imagem

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar