Tate no Yuusha no Nariagari – Capítulo 7

Falsa Acusação

Coisas aconteceram e assim vai. Eu fui abduzido enquanto estava sendo arrastado através das paredes do castelo, e dentro da câmara de audiência, os cavaleiros estavam com suas lanças apontadas para mim.

Dentro nós temos um par feito de um rei mal-educado e seu ministro.

Bem como…

— Mein! — Naofumi

Itsuki, Ren e Motoyasu, juntos com seus respectivos companheiros felizes, também estavam reunidos aqui.

Depois de chamar Mein, ela se escondeu atrás do Motoyasu e eu fiquei besta de surpreso.

— Qu-que foi essa atitude? — Naofumi

Todos estavam me encarando como se eu fosse um vilão.

— Você realmente não se lembra? — Motoyasu

Motoyasu me examinou profundamente com seu olhar e com uma pose se impondo.

Mas qual é o problema desse cara?

— Lembrar o que? Espera um pouco… essa cota de malha! — Naofumi

Aquele bastardo do Motoyasu estava usando minha maldita cota de malha!

— Então você é o invasor de quarto! — Naofumi

— Quem infernos é um invasor de quarto?! Nem pense em escapar dos seus pecados usando essa besteira! — Motoyasu

— Pecados? Que pecados? — Naofumi

Como que em resposta, a câmara de audiência começou a emitir uma atmosfera muito parecida com um julgamento criminal.

— Então vamos lá, qual é a acusação contra o Herói do Escudo? — Rei?

— Acusação? Acusação do que? — Naofumi

— Sniff… Hi… Herói do Escudo-sama ficou bêbado ontem… Hic… Ent-então ele entrou de repente no meu quarto, cedendo aos seus desejos animais enquanto se forçava em mim. — Mein ¹

— Huh? — Naofumi

— O Herói do Escudo disso que, ‘A noite ainda é uma criança’ e violentamente rasgou fora minhas roupas. — Mein ²

Motoyasu então confortou a chorona Mein.

— E-eu estava assustada… eu corri para fora do quarto, gritando pela minha amada vida quando Motoyasu-sama apareceu e me defendeu. — Mein

— …Que? — Naofumi

O que foi isso?

Ontem de noite, depois que eu me separei da Mein, eu fui direto para a cama. Então como é que tudo isso aconteceu?

A assustada Mein não fez nada além e soluçar.

— O que você está dizendo? Depois do jantar ontem à noite eu fui direto para a cama. — Naofumi

— Pare de cuspir tamanhas mentiras, seu bastardo. É claro como o dia que a razão do choro da Mein é você. — Motoyasu

— Que motivos secretos você tem para proteger Mein? Esqueça isso, de onde você roubou essa cota de malha!? — Naofumi

Vocês só se encontraram ontem, não?

— Er, bem, ontem eu encontrei Mein bebendo sozinha na taberna, e ela me deu essa cota de malha como um presente. — Motoyasu ³

— Huh? — Naofumi

Aquilo era meu não importa como você olhasse.

Claro, tem a possibilidade de ter sido comprado pela Mein com seus próprios trocados, mas Motoyasu conseguiu uma bem quando a minha desapareceu.

Isso era tudo muito suspeito.

A história do Motoyasu era cheia de merda. Eu tinha que convencer o rei disso.

— Certo! Sua majestade! Meu quarto foi invadido e tudo que tinha dentro foi roubado, com exceção deste escudo! Por favor prenda o culpado. — Naofumi

— Silêncio, seu demônio! — Rei

O Rei declarou seco e ignorou meu apelo.

— Você cometeu brutalmente um estupro contra minha querida compatriota, vilão! Se você não fosse um herói, eu iria executar você no lugar! — Rei

— Isso é um grande mal entendido! Eu não cometi nenhum crime! — Naofumi

Infelizmente, todo mundo aqui já tinha me julgado culpado antes mesmo do julgamento ter começado.

Eu podia sentir meu sangue fervendo e minha fúria subindo.

Mas que raios? Mas que raios é isso? Mas que raios é essa merda?!

Eu não me lembro de nada dessa droga, então por que eu devo ser abusado assim?!

Eu troquei olhares com Mein tentando passar minha súplica por ajuda. Em resposta, Mein jovialmente colocou sua língua para fora enquanto todos estavam focados em mim.

… Foi aí que eu entendi.

Eu encarei Motoyasu.

Eu conseguia sentir uma profunda, escura emoção inflando de dentro de mim, entrando nas minhas vísceras.

— Seu demônio! Você deve ter jogado fora suas roupas e dinheiro para criar um alibi para seus crimes! — Motoyasu

Motoyasu apontou para mim e acusou com uma voz extremamente alta.

— Que! Você está tentando dizer que sou um estuprador em série?! — Naofumi

Motoyasu defendeu Mein com seu corpo, tentando manter seu falso ato heroico.

— Não fode comigo! Eu já gastei todo meu dinheiro equipando minha companheira! — Naofumi

Parecia que Mein, que originalmente queria ser companheira do Motoyasu, planejou isso com antecedência. Já que eu era o perdedor que só podia usar um escudo, eu comprei para ela todo o equipamento bom. E depois de conseguir tudo que ela queria com doce lisonjeamento, Mein me jogou fora e roubou o resto do meu dinheiro. Ela então voltou mais tarde chorando para o rei, agindo como uma vítima e me levando à ruína.

…Isso é tão zoado.

Desde o começo, Mein sempre minha me chamado pelo meu título, Yuusha-sama, enquanto ela chamava Motoyasu pelo nome.

Se isso já não é evidência o suficiente, então o que é?

Isso quer dizer que esse mundo só precisa de um herói?

— Mesmo depois de ter vindo para um mundo paralelo, eu ainda tenho que aturar esse tipo de lixo de associada! — Naofumi

— É, eu acho, mas eu não tenho simpatia por você. — Ren

Ren não hesitou em me condenar culpado.

Entendo… Então todo mundo aqui estava na conspiração desde o começo… Já que eu usava um escudo, já que eu era fraco, e já que eu não sabia de nada; eles já tinham pretendido se livrar de mim porque eu não era nada além de peso morto para eles.

Bastardos baratos.

Não importa onde eu vá, esse tipo de lixo sujo sempre aparece.

As pessoas desse país não tinham nenhum apreço por mim desde o começo.

Quer saber?! Por que raios eu tenho que proteger vocês?!

Sumam logo! Esse mundo esquecido por deus!

— …Tá, eu to cagando. Só me mandem logo para meu mundo antigo, sim? Depois disso, só invoquem um novo Herói do Escudo. — Naofumi

Um mundo paralelo? Hah!

Eu nem iria querer vir aqui em primeiro lugar se eu soubesse que esse tipo de merda iria acontecer!

— Fugindo quando é inconveniente? Que sujo. — Ren

— Eu acho que você está certo. Mas enquanto eu fazer minhas obrigações propriamente, então alguns relacionamentos forçados com mulheres não devem ser um problema tão grande… — Naofumi ⁴

— Vá para casa, suma! Eu recuso aceitar esse tipo de lixo como um herói semelhante! — Ren

Ren, Motoyasu e Itsuki me encararam com sede de sangue.

Foi uma experiência divertida, eu acho, estar num mundo paralelo. Pena que foi estragada por esse idiota.

— Okay! Agora me mande de volta para meu mundo antigo logo! — Naofumi

Então, o rei gemeu enquanto segura sua cabeça.

— Infelizmente, não há um método conhecido para enviar os heróis de volta para seus próprios mundos… Mesmo que nós quiséssemos re-invocar novos heróis, primeiro todos os atuais precisariam morrer.—

— …Po-por que? — Ren

— Mas que… — Motoyasu

— Te-tem que ser uma mentira… — Itsuki

Os outros três heróis, espantados, responderam em uni som.

Não tinha magia que podia nos devolver para nosso mundo antigo?

— Então eu não posso voltar para casa agora?! — Naofumi

Não fode comigo!

— Me dê uma explicação decente! — Naofumi

Eu violentamente me soltei das restrições dos cavaleiros.

— Hey! Pare de resistir! — Cavaleiro

— Me solta! — Naofumi

Um dos cavaleiros me acerta.

Guh!

Um som legal foi ouvido, mas fez mais cosquinha que dor.

Eu rapidamente soquei o cavaleiro de volta, mas em vez de machucar ele, minha mão começou a formigar.

— Então, Rei? Qual será minha punição? — Naofumi

Eu perguntei enquanto segurava minha mão, esperando o formigamento passar.

— Por enquanto, você não deve receber nenhum disciplina devido ao seu valor como nosso trunfo contra a onda que está por vir. Contudo, nós iremos espalhar os boatos dos seus crimes para os cidadãos. Essa deverá ser sua punição. Nem pense em achar um trabalho digno em meu país. — Rei

— Haha, muito obrigado por toda seu afeto! — Naofumi

Isso queria dizer que eu só poderia me aventurar para upar e me preparar para a onda que está por vir.

— A próxima onda está prevista para chegar daqui um mês. Mesmo que você seja um criminoso, um demônio como você também é o Herói do Escudo.

— Você não poderá escapar do seu papel. — Rei

— Eu sei! Já que sou fraco e tudo isso. Tempo é precioso para mim, você sabe! — Naofumi

Chari…

Ha, como esperado. Mesmo depois de tudo, só esse escudo ficou leal comigo.

— Yo! Você queria isso, não queria?! — Naofumi

Eu tirei meu saco com todas as minhas 30 moedas de prata que sobraram e joguei na cara do Motoyasu.

— Uwa! Mas o que você está fazendo?! Seu cretino–! — Motoyasu

Eu pretendi que o ataque que o Motoyasu deu não alcançava meus ouvidos.

Depois de deixar o castelo e entrar na estrada principal, as pessoas olhavam e apontavam para mim enquanto fofocavam entre si.

Sério, palavra realmente viaja rápido.

Isso não é só incrível?

De qualquer jeito, tudo parecia horrível nos meus olhos.

É por isso que só se pode colocar confiança em dinheiro puro… e nada mais. Então agora as cortinas do meu novo arco de aventuras se abriram do pior jeito possível.


Notas:

1 – E o Oscar vai para…

2 – … essa puta! palmas!

3 – Reparem que a história dela já não bate

4 – E aqui ele começa a chutar o balde de vez

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar