The Beginning After The End – Capítulo 185

Professor convidado

“Troquem!” Alanis gritou no momento em que meu punho infundido pelo vento estava prestes a acertar o peito de Camus.

Eu murmurei uma série de maldições, parando meu ataque. Como é que, nos últimos dias, as partidas sempre parecem parar em momentos tão inconvenientes? Ela tem que estar fazendo isso de propósito.

Como que para responder à minha acusação, meu treinador esclareceu dizendo: “Exatamente vinte minutos se passaram. O Ancião Camus será substituído pelo Ancião Hester. General Arthur, por favor, restrinja sua magia da água.”

Limpei o suor escorrendo pelo meu rosto, tentando respirar até meu próximo oponente chegar. Ter minha magia da água banida significava que eu não podia usar gelo também. Quão frustrantemente conveniente para Hester, que estaria em desvantagem contra esses dois elementos.

Dando uma olhada na plateia, eu poderia dizer que todos estavam prestando muita atenção à minha última luta contra Camus, minha irmã particularmente.

A anciã aproximou-se de mim até estarmos a uma dúzia de metros de distância. Amarrando seus longos cabelos grisalhos em um coque, ela se preparou para uma postura de duelo. Ser um mago do estágio prata significava que, embora sua força estivesse na conjuração, ela poderia facilmente fortalecer seu corpo. O fato de que ela usava roupas justas e optou por usar um anel de conjuração, em vez do bastão ou varinha tradicional, significava que ela queria a flexibilidade de longo alcance e combate a curta distância.

“Comecem.” Alanis afirmou, sua voz amplificada pelo artefato em que ela estava falando.

Hester imediatamente estalou o dedo, uma faísca acesa entre o dedo médio e o polegar.

A brasa azul era apenas uma distração.

Como eu não estava usando o Realmheart, meus olhos não podiam ver as flutuações na mana, mas eu podia senti-lo. Meu corpo, aprimorado através da assimilação com a vontade do dragão de Sylvia pareceu instintivamente sentir que eu estava em perigo.

Eu rapidamente me movi de volta, bem a tempo de ver uma explosão de fogo detonar onde eu estava parado.

A explosão causou uma nuvem de fumaça, obstruindo minha visão e a de Hester.

Ela não esperava me acertar com isso, quer que eu a perca de vista.

Eu balancei meus braços, manipulando a nuvem de poeira entre nós para disparar para frente. A rocha e a areia no ar congelaram por um segundo antes de irromper em uma onda de choque de detritos.

Como eu havia previsto, a forma de Hester apareceu. Ela conseguiu se proteger com um painel de fogo. Foi a minha vez de revidar.

Fortalecendo minhas pernas, eu impulsionei para frente, juntando fogo azul em meus punhos.

Eu golpeei o painel de fogo, esperando que minha chama dominasse a dela. Seu feitiço se desintegrou, mas, para minha surpresa, Hester não estava mais atrás do painel de fogo que ela conjurou.

Foi quando eu senti de novo, o instinto primitivo que me disse que eu estava em perigo. Desta vez, veio de baixo dos meus pés.

Fogo azul rodou embaixo de mim antes de irromper em um pilar de chamas. Por um momento, minha visão ficou azul quando um calor intenso tomou conta de mim.

Minha aura bloqueou o ataque por tempo suficiente para eu manipular o fogo antes de me prejudicar. Se eu acumular muito dano, o artefato defensivo em minha armadura seria ativado, fazendo-me perder.

Justo quando o calor estava se tornando insuportável, eu pude dissipar o ataque de Hester e quebrar a coluna de fogo… apenas para me encontrar cercado por uma dúzia de esferas de fogo, cada uma da altura de um adulto.

A julgar pelo fato de que eu não podia ver ou sentir Hester, e que cada globo de fogo seria capaz de ter uma mulher adulta por dentro, eu sabia que ela estava dentro de um dos globos.

Se ela estava tentando me irritar com todas essas distrações, estava funcionando.

Eu pisei no chão, conjurando espinhos de barro. Apenas metade dos espinhos atingiu seus alvos.

Nota para si mesmo. Pratique mirar com a magia da terra.

Os espinhos que atingiram perfuraram diretamente as esferas de fogo, causando a dispersão. Mas não demorou muito tempo para novas esferas de chamas manifestassem e tomassem o seu lugar.

Antes que eu pudesse atacá-los novamente, os globos flamejantes brilharam antes de lançar seus ataques.

Cada globo parecia ter uma mente própria, pois os ataques disparados por eles eram diferentes um do outro. Um globo disparou uma barragem de pequenas balas de fogo, enquanto outro começou a girar e liberar chamas.

Fui forçado a ficar na defensiva pela enxurrada de ataques vindos de todas as direções. Ergui um muro de pedra do chão para bloquear a barragem de balas e lancei uma lâmina de vento na bola de fogo, detonando o feitiço prematuramente.

Minha mente disparou, tentando pensar no meu próximo passo. Eu não podia continuar na defensiva, mas não fazia ideia dentro de qual esfera flamejante que ela estava se escondendo.

A tentação de usar o Realmheart cresceu, mas eu sabia que isso era apenas um atalho para resolver minha inadequação, utilizado a maior parte da minha mana.

Pense Arthur. Como eu tentaria lutar comigo se eu fosse Hester?

A única estratégia em que eu conseguia pensar era me irritar até que eu baixasse a guarda. Essa foi a resposta.

Soltei um rugido de frustração, lançando ondas de choque de vento e rajadas de fogo nos globos. Claro, os que eu destruí foram substituídos por outros, mas continuei meu ataque aparentemente agitado.

Juntando relâmpagos ao redor dos meus braços e pernas, eu avencei, atingindo as esferas de fogo de perto.

Para cada globo que atingi, outros dois tomaram seu lugar até mais de trinta esferas pairarem ao meu redor.

A quantidade de mana que ela possui é impressionante.

As esferas começaram a ondular desta vez enquanto brilhavam mais. Eu pensei que eles iam explodir, mas em vez disso cada um dos globos flamejantes dispararam uma corrente de fogo condensada em mim.

Este é o ataque final? Eu pensei, percebendo que as esferas diminuíram quando liberaram seu raio flamejante.

Coloquei minha melhor expressão de surpresa e horror e esperei até que todas as correntes de fogo estivessem prestes a me atingir antes de agir.

Juntando uma grande quantidade de mana no meu núcleo, eu cobri meu corpo inteiro em uma armadura de fogo. Controle absoluto era necessário para impedir que o fogo me machucasse, mas usar isso junto com o último ataque de Hester faria parecer que eu fui atingido.

Mesmo com várias camadas extras de mana pura e mana de fogo me protegendo da barragem de Hester, senti o fogo chamuscando as extremidades do cabelo.

Eu temi por um segundo que eu realmente pudesse sair dessa careca, mas minha aura se manteve—e a maior parte dos meus cabelos—seguro.

Ouvi Ellie me chamar horrorizada pelo rugido das chamas, mas mantive meu foco no oponente. Eu sabia que Hester não a abaixaria sua guarda mesmo após isso.

A próxima parte seria a parte mais difícil.

Um aspecto a considerar para um mago multi-elementar era sua força para não apenas saber quando utilizar cada um de seus elementos, mas como utilizar vários elementos em conjunto um com o outro.

Mantendo a barreira flamejante ao redor do meu corpo, eu separei uma parte do meu foco para que eu pudesse manipular o chão debaixo de mim.

Senti minhas chamas tremerem—um sinal de que minha concentração estava vacilando.

Quase. Suportando o calor crescente ao meu redor enquanto eu manipulava um buraco no chão para que eu caísse lá dentro, eu esperei até finalmente ver a silhueta de Hester através da camada de fogo entre nós.

Agora!

Eu desativei meu feitiço de proteção no momento em que caí no chão, imediatamente cobrindo o chão acima de mim, então fiquei completamente submerso abaixo.

A terra tremeu com o que eu assumi ser o próximo ataque de Hester.

Sem perder tempo, empurrei a terra ao meu redor, utilizando o feitiço de percepção sísmica para sentir onde todos estavam. Senti uma onda a terra de um local diferente—era o mesmo feitiço de percepção que eu usara, exceto muito mais forte.

Concentrando-me na tarefa em questão, moldei a terra ao meu redor, permitindo-me mover-me lentamente no subsolo.

Eu sabia que especialistas como Buhnd eram capazes de atravessar o subsolo tão facilmente como se estivessem debaixo d’água, mas, infelizmente, eu não estava nesse nível.

No entanto, não importava. Foi a vez de Hester ser pega de surpresa.

Levei apenas dois segundos para reunir mana à minha direita primeiro para o meu ataque final. Assim que eu estava pronto, limpei a terra acima de mim e fui até a superfície infundindo mana de vento sob meus pés.

Um raio negro enrolou em meu braço direito como uma serpente cruel pronta para atacar. Logo abaixo de mim, de pé no chão, estava Hester, com seus braços envolto em um fogo formado por longas lâminas com finas mechas de eletricidade enroladas em volta deles—sem dúvida, seu verdadeiro movimento final.

Hester virou-se para me encarar no momento em que meu corpo desceu. Era tarde demais. Eu estava dentro do alcance de ataque e ela não estava na segurança de seu orbe de fogo.

Nós estávamos jogando com a minha força agora.

Os lábios do meu oponente se moveram—se ela estava xingando ou cantando um feitiço, eu não sabia dizer—quando ela ergueu as lâminas flamejantes do braço.

O relâmpago preto se soltou do meu braço quando soltei o raio em Hester. As gavinhas negras rasgaram o ar até nossos dois feitiços colidiram.

Uma esfera de fogo e raio se formou a partir do impacto, ficando maior e mais brilhante até finalmente explodir conosco no epicentro.

PONTO DE VISTA DE KATHYLN GLAYDER

A explosão obscureceu nossa visão de Arthur e Hester. Meus olhos viraram para a irmã mais nova de Arthur; Eu estava preparada para conjurar uma barreira, caso a onda de choque chegasse até nós, mas o vínculo dela já havia se movido, puxando-a para perto com o corpo posicionado para bloquear qualquer resquício da explosão causada pelos feitiços em colisão.

Com a irmã mais nova de Arthur sendo o alvo da minha preocupação, eu esqueci de me proteger da onda de choque que detonou.

Me preparei para o impacto, tentando erguer uma parede de gelo a tempo, mas, para minha surpresa, o chão embaixo de mim afundou. Eu me encontrei alguns metros abaixo da superfície, a onda de choque passando inofensivamente acima de mim.

Depois que a explosão cessou, fui levantada de volta e fiquei cara a cara com o Ancião Buhnd.

“Cuidado, princesa”, ele sorriu antes de voltar sua atenção para a origem da explosão.

A nuvem de detritos causada pela explosão diminuiu e pude ver as duas figuras.

Arthur, embora despenteado, estava de pé. Meu guardião, por outro lado, recuara—um brilho rosa suave ao redor dela sinalizando que o artefato defensivo foi acionado.

O Ancião Buhnd juntou as mãos, obviamente empolgado. “Haha! Brilhante!”

“O artefato funcionou perfeitamente!” Watsken exclamou de lado, animada por um motivo diferente.

“É preocupante que você esteja tão surpreso com o mesmo dispositivo destinado a impedir que meu irmão morra.” A irmãzinha de Arthur murmurou, dando um tapinha na poeira do seu urso.

“Eu não fiquei surpresa!” A artífice protestou. “Mas feliz por não haver complicações inesperadas.”

“Mhmm.” A irmã de Arthur lançou um último olhar de dúvida para senhorita Watsken antes de voltar seu foco para o vínculo.

“Quais eram as leituras de fluxo de mana do general Arthur durante essa batalha?” O Ancião Camus perguntou à Srta. Alanis. Eu escutei, curiosa sobre a melhoria de Arthur nos últimos dias.

Os olhos da senhorita Alanis brilhavam em uma infinidade de cores enquanto ela avaliava os dados internos de Arthur. Eventualmente, suas íris voltaram às cores originais.

“O fluxo de mana do general Arthur para lançar feitiços na terra e no vento aumentou quatro por cento e dois por cento, respectivamente.”

“E isso é… uma coisa boa?” O Ancião Buhnd perguntou, suas sobrancelhas grossas unidas em confusão.

“A taxa de crescimento do general Arthur é… impressionante, para dizer o mínimo. Já faz menos de uma semana, mas as melhorias que ele fez em seus elementos periféricos é notável.” Ela respondeu antes de registrar suas mais recentes descobertas em seu diário.

“Acho que você seria mais útil na guerra se liderasse um grupo maior de soldados do que tentar empurrar seu velho corpo.” Uma voz familiar soou atrás de nós.

Meus olhos se arregalaram quando percebi que era o comandante Virion acompanhado pelo general Bairon e pela mestre Varay.

Eu imediatamente abaixei minha cabeça em respeito.

“Não há necessidade de tais formalidades. Só estou aqui para verificar meu general mais jovem.” O comandante Virion riu. “Na verdade, deixe-me pedir desculpas antecipadamente.”

Eu levantei minha cabeça timidamente, encarando a Mestre Varay. Minha professora de magia de gelo me encarou com seu olhar forte antes de virar sua atenção às consequências da falsa batalha de Hester e Arthur.

“Essa agressividade passiva está abaixo de você, Virion—quero dizer, comandante.” Respondeu o Ancião Camus com um leve sorriso.

“Parte do meu trabalho é garantir que meus ativos mais fortes sejam os mais eficazes possíveis.” O comandante Virion recuou, sorrindo amigavelmente enquanto ele apertou o ombro do Ancião Camus.

“O que você está pedindo desculpas?” O Ancião Buhnd perguntou. “Não me diga que vai interromper nossa brincadeira—treinamento! Eu estava prestes a ser o próximo!”

“Na verdade, a princesa Kathyln estava programada para ir primeiro.” Corrigiu Miss Emeria.

Mestre Varay se aproximou de mim com uma marcha casual, parando na minha frente. Ela, com ternura, pegou um pedaço de entulho que havia se alojado dentro meu cabelo. “Já faz um tempo, Kathyln. Você ficou mais forte.”

Corando, eu rapidamente passei os dedos pelos cabelos, tentando me livrar de quaisquer outros sinais da minha aparência desleixada. “Obrigada mestre. Eu tenho crescido em força enquanto treino ao lado dos anciãos e do general Arthur.”

Ela assentiu antes de mudar o olhar para trás de mim. Olhei para trás e vi Arthur puxando Hester de volta. Eu pude distinguir os lábios de Arthur movendo-se, mas era impossível ouvir o que ele estava dizendo.

“Acabei de chegar de uma missão e tenho um raro tempo livre.” Ela começou tirando a capa forrada de pele sobre os ombros.

O rico tecido azul da meia-noite caiu no chão, revelando o traje de batalha exclusivo da Mestre, uma armadura marinha mínima com detalhes dourados que pareciam um presente dos Asuras quando ela o usava.

Saí do caminho e a deixei passar, já sabendo o que ela ia perguntar.

“Pelo menos o show vai ser divertido.” Resmungou o Ancião Buhnd quando se sentou em uma cadeira de pedra que acabara de conjurar.

“Umm, ge-general Varay. Não sei se o artefato tem combustível suficiente para resistir a um duelo desse calibre.” Disse Emily, levantando a mão trêmula.

Sem quebrar o passo, Mestre Varay encarou Arthur. Mesmo em seu estado desgrenhado e desgastado, os olhos de meu ex-colega brilhavam quando sua boca se curvou em um sorriso.

“Bairon. Ajude a senhorita Watsken a abastecer seu artefato para meu pequeno duelo contra nossa mais nova lança.”

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar