The Beginning After The End – Capítulo 257

O núcleo

“Isto é loucura. Não vai funcionar. ”

“Vai sim, se você parar com sua reclamação implacável”, brinquei, flexionando os dedos do meu braço recém-regenerado.

Regis se aproximou do meu rosto. “Oh, eu sinto muito. Minha preocupação genuína que você possa se explodir está incomodando você?”

Eu o empurrei para longe. “Sim.”

A cabeça negra fumegante de meu companheiro flutuante chiou de raiva. “Por que você está tentando isso, afinal? Você acabou de demolir o chefe oculto deste nível com um soco! Acho que você é forte o suficiente. ”

“Não posso simplesmente me apoiar em sustentar meu corpo temporariamente através de comer a essência etérea de monstros. ”

“Então seu plano é apenas formar sua própria fonte de energia? Deus, eu me pergunto por que os dragões sábios e poderosos do Clã Indrath não pensaram em algo assim… espere, eles pensaram! ”

“Sim, eu me lembro da história dos anciões do Clã Indrath tentando formar um núcleo de éter puro dentro do corpo de um membro infantil do clã que nasceu sem um núcleo. Você literalmente acabou de me dizer. ”

“E o que aprendemos com essa história? ” Régis perguntou como se ele próprio estivesse falando com uma criança.

Suspirei. “Que o bebê teve uma morte sangrenta.”

“Então, por que você ainda está tentando fazer isso?” Regis fervia de raiva.

“Porque eu não tenho outra escolha se quero ficar mais forte. Não quero depender de aumentos temporários de energia que nem consigo controlar ao consumir a essência etérica de outra forma de vida. Você viu como ele se esgota rápido do meu corpo, mesmo quando não estou lutando. ”

“’Ainda não é motivo para se matar por isso!”

“Regis.” Eu encarei friamente os olhos do fogo-fátuo preto. “Tenho certeza que você sabe disso por se alimentar com minhas memórias, mas eu mal fui capaz de lutar contra os retentores enquanto as foices estão em um outro nível. Não estou apenas tentando sobreviver a esta masmorra infernal ou ruína – seja lá o que for esse lugar. Estou procurando obter força que possa me colocar acima deles e no mesmo nível dos asuras. Caso contrário, sair daqui significa apenas dar ao inimigo outra chance de me derrotar. ”

Regis permaneceu em silêncio enquanto me estudava, sua expressão composta em mistura de frustração e preocupação.

Finalmente, ele soltou um suspiro. “Está bem. Além do fato de você poder comer éter fisicamente, por que você acha que sua tentativa será diferente das vezes que os asuras tentaram? ”

“Você está se esquecendo que eu fui responsável por formar prematuramente meu próprio núcleo de mana quando tinha três anos. Eu vou descobrir algo.”

***

O primeiro passo do meu plano era passar algum tempo estudando de perto a quimera.

Estudei como a essência etérea se ligou à quimera cadáver. Apesar do fato de que a quimera não podia controlar ou manipular o éter, ao contrário do meu próprio corpo, não houve vazamento da essência.

Utilizando minha percepção única do éter ao meu redor, conduzi experimentos com o cadáver.

Por ter sido morta, o éter não tentou ativamente regenerar as partes quebradas do cadáver da quimera. Em vez disso, parecia que estava quase em estado suspenso.

Os ferimentos que eu havia infligido ao cadáver após a morte não estavam sendo regenerados e, embora houvesse alguma perda de essência etérica do ferimento, não houve vazamento além disso.

“Regis, tente entrar na quimera e absorver o éter diretamente”, eu disse, sem tirar os olhos do cadáver.

“Bem, eu não conseguia fazer isso quando estava vivo, mas nunca experimentei em uma quimera morta”, Régis respondeu, flutuando em direção ao corpo gigante.

No entanto, ao invés de afundar na superfície da quimera cadáver, ele quicou.

Regis deixou escapar um grunhido de dor com o impacto antes de se virar para mim. “Feliz?”

“Particularmente, não” eu respondi, nem mesmo me preocupando em olhar para ele enquanto continuava estudando o fluxo de éter ao redor da quimera cadáver.

Não conseguindo encontrar nada particularmente perspicaz, passei para a próxima etapa – esperando aprender mais.

Fechando meus olhos, eu senti o éter fluindo em meu corpo assim como eu senti quando estava tentando formar meu núcleo de mana.

Todas as minhas faculdades mentais estavam focadas em observar como o éter se movia dentro de mim – como ele interagia com meus músculos, ossos, órgãos e como se dissipava da superfície da minha pele constantemente.

Em seguida, concentrei-me nas peças quebradas do meu núcleo de mana. Não consegui reunir ou produzir mana e a vontade do dragão de Sylvia não estava mais lá. Isso significava que eu não tinha como usar Static Void ou Realmheart Physique, mas a casca fragmentada do meu núcleo de mana ainda estava aqui dentro de mim.

Pior ainda, o éter estava lentamente dissolvendo os pedaços quebrados de meu núcleo de mana – vendo-os como imperfeições em meu corpo que precisavam ser descartadas, já que não tinham nenhum propósito.

Pensar que todos os anos meticulosos de trabalho refinando e fortalecendo meu núcleo de mana logo desapareceriam, lançou uma dor aguda em meu peito, e precisei de tudo de mim para me libertar daquele poço de pena.

Foi então que me ocorreu. O éter viu os fragmentos quebrados do meu núcleo de mana como um ferimento…, no entanto, como ele não tinha mais nenhuma função, estavam tentando removê-lo do meu corpo.

Mas e se ele pensasse que tinha?

Meus olhos se abriram, surpreendendo Regis, que estava me observando.

Lutando para ficar de pé, olhei para as várias seções de seu corpo onde vários cadáveres se uniram para formar a quimera fundida, estudando a criatura mais uma vez de um ângulo diferente.

O ato de fundir os corpos quiméricos não era regenerador ou curador –mas o fato de o éter determinar que esse curso de ação era a melhor escolha me disse algo.

Com meu plano se solidificando lentamente, voltei a meditar com um leve sorriso no rosto. Sem surpresa, assim como as quimeras não conseguiam controlar ativamente o éter que alimentava seus corpos, eu também não conseguia manipulá-lo ativamente.

Testei algumas teorias. Eu me machucaria propositalmente para estudar como o éter se comportaria e interagiria com meu corpo dependendo da lesão, enquanto prestava muita atenção aos meus pensamentos. Minhas ações seriam consideradas insanas para qualquer par de olhos que passasse, mas eu não me importei.

Eu havia aprendido algo fundamental em minhas batalhas contra as quimeras, isto é, quando lancei o ataque final contra a quimera fundida, apesar do cotoco do meu braço sangrar profusamente.

Demorei algumas dezenas de vezes me machucando para realmente confirmar minha hipótese, mas o que percebi foi que a intenção influenciava o movimento da essência etérica dentro de mim.

Isso não estava nem perto do ponto de manipulação como o que eu fazia com mana, mas se eu pensasse que regenerar uma certa parte do meu corpo tinha precedência sobre outra parte, o éter acataria esse conselho.

Não fui capaz de manipular o éter à força como fiz com mana. Mas o próprio fato de o éter poder ser influenciado a fazer algo tão louco quanto fundir vários corpos significava que a intenção da quimera o havia enganado.

E se eu pudesse de alguma forma enganar a essência etérea para fundir meus restos destroçados de núcleo de mana em vez de me livrar dele e fazer com que construa um novo núcleo sobre o meu núcleo quebrado?

Mas a essência etérica estava muito dispersa em meu corpo. Nesse ritmo, ele apenas devoraria lentamente os restos quebrados do meu núcleo de mana, em vez de tentar fundi-los.

Mas, ainda assim, poderia funcionar… não, tinha que funcionar.

Quase assim que meus pensamentos se solidificaram em uma ideia real, eu já sabia o que tinha que fazer…

Eu simplesmente não gostei da resposta.

A única razão pela qual esse plano tinha chance de funcionar era porque eu podia fazer algo que nem mesmo os dragões do clã Indrath podiam fazer.

Soltando um suspiro profundo, alcancei meu colete e tirei a pequena pedra iridescente.

Definitivamente vou viver e trazer você de volta aqui para fora, Sylv. Apenas aguente.

Resolvendo-me, comecei a trabalhar imediatamente, consumindo a essência etérica do cadáver da quimera fundida em um ritmo rápido.

Mesmo depois de meu corpo ficar sobrecarregado com a essência etérica e uma aura roxa começar a transpirar da minha pele, eu absorvi mais da essência etérica, certificando-me de que estava consumindo em um ritmo muito mais rápido do que o éter se esgotaria do meu corpo.

“Eu não acho que comer estressado é a maneira de lidar com isso, Milady”, Regis riu.

Ignorando Regis, continuei, apesar de uma dor aguda crescendo em meu corpo. Parecia que cada músculo, osso, órgão do meu corpo estava sendo bombeado com fluido a ponto de estourar.

Mas isso não foi suficiente. Eu precisava de tanta essência etérica quanto possível se isso fosse funcionar.

“S-sério, Arthur. Você está… meio que sangrando pelo corpo.”

Só mais um pouco.

Incapaz de suportar a dor crescente por mais tempo, me afastei da quimera cadáver e me sentei.

Regis estava certo; parecia que eu estava suando sangue, gotas vermelhas escorrendo pelo meu corpo. Minha visão girou e pulsou enquanto eu podia sentir meu coração batendo loucamente contra meu peito.

Controlando minha respiração para não desmaiar, agarrei uma flecha de osso no chão à minha frente e a segurei logo abaixo da caixa torácica. “Regis. Posicione-se exatamente onde meu núcleo de mana costumava ficar ao meu sinal e saia assim que eu mandar, ok?”

Regis olhou para a flecha afiada em minhas mãos. “O que você está planejando fazer com isso?”

“Okay?” Eu repeti com os dentes cerrados, mal conseguindo respirar.

Regis deixou escapar um gemido. “Okay.”

Com isso, eu mergulhei a flecha profundamente em meu esterno, no pequeno espaço entre meu fígado e estômago, onde o núcleo de mana estava preso. E, só para garantir, girei a flecha.

“Que porr-?”

“Agora!” Eu disparei, mantendo meus olhos fechados em concentração.

Puxando a flecha do meu corpo, coloquei minhas mãos sobre o ferimento enquanto Regis voava dentro de mim.

Imediatamente, como milhões de minúsculos insetos rastejando dentro de cada centímetro do meu corpo, eu senti todo o éter contido dentro de mim coalescendo para onde Regis e minha ferida fatal estavam.

Quando o éter estava prestes a chegar à área onde Regis estava, atraído duas vezes pelo fogo-fátuo preto e meu ferimento fatal, gritei para ele ir embora.

Uma sombra negra saiu de mim quase instantaneamente e o éter que se reuniu nas proximidades se condensou para curar meu ferimento.

Cada grama do meu cérebro se concentrou em manter este estado meditativo, formando um núcleo em torno do éter coalescente onde meu antigo núcleo de mana costumava estar.

Parte do éter vazou para fechar o buraco abaixo do meu peito, mas com o pior dos ferimentos bem onde meu antigo núcleo de mana costumava estar, fui capaz de atrair a maior parte.

Portanto, sob as premissas de que: ao contrário até dos dragões, eu era capaz de absorver o éter diretamente em meu corpo; Eu tinha Regis, que interagia de uma maneira que naturalmente atraía o éter dentro de mim; os restos do meu núcleo de mana ainda existiam dentro de mim; e pude influenciar um pouco o éter até certo ponto, passei para a etapa mais importante.


O conceito de tempo me escapou enquanto a batalha entre minha inteligência e o éter reunido em torno das partes fragmentadas do meu núcleo de mana se seguiu.

Eu precisava não apenas enganar o éter enfurecido no centro do meu corpo para restaurar o núcleo de mana ao invés de quebrá-lo, mas também precisava reconstruir meu núcleo de mana quebrado em torno da esfera comprimida de éter que tinha sido enganada para se reunir neste ponto focal.

Se formar meu núcleo de mana pela primeira vez quando eu era uma criança tinha sido difícil, isso era quase impossível. Cada leve contração de movimento interno ou vazamento de intenção poderia fazer com que o orbe condensado de essência etérica quebrasse meu núcleo de mana até que fosse completamente removido do meu corpo. Eu não tinha uma segunda chance.

Parecia que cada experiência, cada tribulação que eu tinha passado era para este momento. Eu estava sendo testado ao máximo, concentrando-me na pura agonia do ferimento que eu mesmo infligira e na bola furiosa de poder divino que eu estava tentando enganar para se dobrar à minha vontade.

Finalmente, quando os últimos pedaços do meu antigo núcleo de mana foram restaurados, envolvendo a concentração condensada de éter dentro, meu mundo explodiu em um mar roxo.

Quando acordei, minha cabeça parecia ter sido dividida em duas e minha respiração estava irregular. Erguendo minhas pálpebras abertas, fui saudado com a visão de um Regis sorrindo na frente do pano de fundo familiar das paredes marcadas pela batalha do corredor quimera.

“Bem-vinda de volta, Bela Adormecida”, Regis riu.

Eu me empurrei de costas, sentando-me. “O que aconteceu?”

“Bem, depois que você cometeu seppuku e ficou completamente imóvel por cerca de um dia inteiro, seu corpo de repente se inflamou em chamas roxas e então você desmaiou por mais dois dias, ” a bola de fogo negra explicou antes de me atirar outro sorriso. “Mas você conseguiu, seu bastardo sádico doentio!”

Isso mesmo, meu núcleo!

Por um momento, concentrei-me internamente, sentindo o estado do meu corpo.

Regis estava certo, eu tinha conseguido… eu tinha forjado com sucesso um novo núcleo. A cor me pareceu estranha – estava mais perto de uma cor vermelha, como magenta – mas ainda mantinha o brilho púrpura etéreo do éter.

Eu tinha feito o que nem mesmo os asuras do clã Indrath podiam fazer.

Eu havia forjado um núcleo de éter.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar