The Book Eating Magician – Capítulo 251

Identidade Sinistra #4

‘A família imperial do império central!’

Theodore morou no continente oriental nos últimos meses, então ele era capaz de saber o peso dessas palavras. O império reinou supremamente no continente oriental por mais de mil anos. Seu reinado era tão grande que o império podia ser chamado de centro e fonte do mundo oriental.

Portanto, era natural que o fundador desse império e seus descendentes estivessem mais próximos dos deuses do que dos humanos.

‘Se a família imperial é composta dos filhos da Luxúria—’

Então, quando o Theodore relembrou os mitos fundadores do centro do continente oriental, ele abriu a boca e disse, – “Gula, tem algo que eu quero perguntar.”

– O que foi?

– “Você disse que os filhos da Luxúria nascem com maior força e aptidão do que seus pais? Mas para isso acontecer, ela não precisaria cometer incesto?”

– Hoh, esse é um ponto interessante. Você deduziu isso quando a Luxúria tentou seduzi-lo?

– “…Bem, algo assim.” Theodore franziu a testa quando o Gula o lembrou mais uma vez do incidente. Ele foi afogado pela sexualidade da Luxúria. Foi uma vergonha que seria difícil de suportar se mais alguém tivesse visto.

No entanto, Gula só queria elogiar o Theodore, então ele balançou a língua em movimentos mais ativos do que o normal. – A declaração do Portador não está errada. Na verdade, a Luxúria cometeu incesto repetidamente por mais de cem gerações, criando monstros além dos limites das espécies.

– “Monstros?”

– Eu já falei sobre isso antes. O auge dos Ulfheðnar e rei de todas as bestas, Fenrir.

As palavras “rei de todas as bestas” e “Fenrir”… Essas pistas fizeram o Theodore se lembrar de algo. Ele ouviu em Elvenheim que a morte do Fenrir causou a queda do Clã das Bestas.

Além disso, o Orgulho havia se transformado em um Ulfheðnar quando eles lutaram no Arquipélago Pirata no ano anterior. A durabilidade e força do corpo do Ulfheðnar permitiram que o Orgulho ultrapassasse a velocidade da lâmina de aura de um mestre da espada e evitasse o golpe de um raio.

Era um monstro que dava arrepios no Theodore só de pensar. Sendo assim, não era exagero dizer que o chefe dos Ulfheðnar e Rei das Bestas era semelhante a um dragão.

Theodore pensou até esse ponto e ficou surpreso com o poder da Luxúria. Simultaneamente, ele surgiu com outra pergunta.

– “Espere um minuto. Você não disse que o monstro chamado Fenrir acabou sendo morto?”

– Isso mesmo.

– “Mas nem todo o Clã das Bestas foi eliminado. Ainda havia alguns Ulfheðnar, então a Luxúria não poderia ter dado à luz uma criança que ultrapassasse o Fenrir? Por que a Luxúria não deu à luz o próximo Fenrir?”

O ponto do Theodore era extremamente razoável. A Luxúria criou a espécie chamada Ulfheðnar em mais de cem gerações, então seria um desperdício terrível deixar uma espécie inteira morrer com o Fenrir. Mesmo se um grimório não seguisse o conceito de tempo, isso não era eficiente.

Não seria melhor se o grimório tivesse se preparado para a próxima geração e se dedicado em dar à luz uma criatura que ultrapassasse o Fenrir?

No entanto, Gula riu dele.

– Kuhuhuhu. Portador, a ordem está invertida.

– “O quê? A ordem está invertida?”

– Isso mesmo. A Luxúria não desistiu da espécie porque o Fenrir morreu. O Fenrir morreu porque a Luxúria abandonou os Ulfheðnar. Embora não seja apropriado dar conselhos nessa situação, a pergunta que o Portador acabou de fazer é a resposta.

A pergunta era a resposta. O significado era desconhecido, mas o Theodore sentiu como se um raio tivesse acabado de atingi-lo. Era exatamente o oposto de causalidade; a causa e o resultado estavam invertidos.

A morte do Fenrir não foi a causa, mas o resultado. Nesse caso, passando para o que aconteceu primeiro…

Devido ao Fenrir, a Luxúria concluiu que escolher os Ulfheðnar foi um fracasso.

– “Havia um problema com o Fenrir?”

– Sim. Gula elogiou o brilhantismo de seu portador e explicou brevemente, – Civilizações antigas que ultrapassam um certo nível tratam incesto como tabu. Você sabe o motivo?

– “Eu não sei os detalhes. Eu apenas ouvi histórias sobre os bebês nascendo deformados.”

– É a mesma questão relacionada à eugenia. Ao limitar a amplitude do gene, suas desvantagens são maximizadas. Claro, o desempenho da Luxúria não era o problema. O problema estava em seu filho, não ela. Gula disse e resumiu brevemente com uma risada, – Fenrir tinha disfunção sexual.

– “Ah…!” Theodore exclamou ao compreender todas as circunstâncias. Ao longo das gerações, os genes foram aprimorados e o incesto continuou. No entanto, a linhagem dos Ulfheðnar finalmente atingiu seu limite.

Rei Fenrir…

De acordo com os registros, o Rei das Bestas perdeu sua habilidade de se reproduzir em troca de sua habilidade transcendental. Por melhor que a Luxúria fosse como incubadora, não seria possível extrair os elementos genéticos do Fenrir se ele não fosse sexualmente ativo.

Nesse caso, ela foi incapaz de alcançar a criatura final e falhou. Portanto, a Luxúria abandonou o Fenrir e os Ulfheðnar em busca de outras possibilidades.

Os Ulfheðnar, que foram sangue puro por gerações, logo desenvolveram problemas com o Fenrir, e não demorou muito para a espécie entrar em colapso. Foi a morte de uma criatura que podia ficar lada a lado com um dragão, bem como o declínio do Clã das Bestas.

– “…As coisas estão conectadas nos lugares mais estranhos.”

Theodore havia desenterrado outro segredo da Era da Mitologia e teve uma estranha sensação de conquista. Nos dias atuais, havia poucos registros antigos restantes. Cada vez que ele desenterrava uma história oculta, sua curiosidade como mago aumentava.

Então, ele se esqueceu do tópico principal por um tempo.

‘Não, é realmente hora de ficar satisfeito?’

Theodore deveria estar prestando atenção à Luxúria do presente, não nos seus rastros da Era da Mitologia. Ele fez apressadamente sua próxima pergunta ao Gula, – “Ao contrário do passado, a Luxúria está coletando genes de um grande número de humanos. Então, não há incesto?”

– Talvez. O sistema do julgamento por duelo e seu papel de notária provavelmente fazem parte disso. É uma maneira bastante eficiente de coletar os genes dos fortes, bem como obter o controle de cada força.

– “Se ela repetiu isso por mil anos…” Theodore murmurou com uma expressão horrorizada.

Significava que a Luxúria vinha agindo em segredo por muito tempo. Caso contrário, teria havido mais rebeliões ou grandes lutas pelo poder neste vasto país. Estava claro que a Luxúria tomou controle daqueles por trás das disputas e impediu o consumo desnecessário.

Este método de tentativa e erro também teria deixado uma marca na Era da Mitologia. Theodore não conseguia imaginar o resultado do experimento da Luxúria, que avançou um passo adiante após o fracasso com o Fenrir.

– Hum, eu não tenho certeza. No entanto, os pensamentos do Gula eram um pouco diferentes. – É fácil se enganar nessa situação. A menos que alguém nasça com um grande talento, não há como se tornar um transcendental. No caso da Luxúria, um efeito contraproducente é mais provável de ocorrer.

– “Contraproducente? Fenrir foi um monstro terrível.”

– Até mesmo o Fenrir não alcançou a transcendência verdadeira. Eu acho que este é o limite da Luxúria.

Apesar de fazer parte dos Sete Pecados, a avaliação do Gula foi cruel. De certa forma, era natural. Os Sete Pecados seguiam sete caminhos diferentes até seus destinos. Afirmar outros métodos era como negar os seus.

– Um transcendente é um ser perfeito que superou seu próprio destino e transcendeu seus limites naturais. Quanto mais sobrecarregado alguém estiver ao nascer, mais difícil será seguir em frente. O método da Luxúria é seu próprio fator limitante.

– “…De fato, quanto mais excelente for o recipiente, maior será o volume necessário para enchê-lo. Então, a Luxúria está apenas repetindo um ato sem sentido?”

– Eu acredito que sim, mas não posso confirmar. Gula falou em um tom como se não estivesse esperando nada. – Algum dia, ela poderá dar à luz um feto com um valor transcendental desde o nascimento. Esse é o propósito da Luxúria.

– “De fato… bem, não faz diferença para mim. Ou ela vai conseguir ou não vai.”

Milhares de anos foram perdidos em um caminho, mas isso não fazia sentido para um grimório. Theodore estava bem ciente disso, então ele apenas suspirou e não perguntou mais. Não importava para ele se o experimento da Luxúria seria bem-sucedido ou não. Afinal, não era como se ela estivesse ameaçando o mundo diretamente como o Orgulho. Portanto, era melhor não lutar com ela, se possível.

– Essa ideia está correta. Ela prometeu não atacar primeiro, então não haverá uma emboscada. No entanto, os genes de seus filhos melhoraram ao longo dos mil anos, então eles ainda podem ameaçar o Portador. Você completou seu propósito, então você deve retornar ao continente ocidental rapidamente.

– “Eu já planejava fazer isso. Este é apenas mais um motivo para eu deixar a área da Dança das Fadas.” Theodore respondeu antes de olhar ao redor da sala. Depois de confirmar que não havia nenhuma gota de sangue deixada para trás pela Luxúria, ele se moveu. Ele iria dormir um pouco antes que a Lee Seol voltasse.


Naquela noite, as duas pessoas que haviam ido para os arredores da área da Família Lee voltaram após o pôr do sol.

Após três meses de esforço, tudo estava quase organizado. As conversas pareciam ter terminado com sucesso, e a força do Lee Joonyoung avançou um passo adiante com os ensinamentos do Theodore. Ele também tinha uma posição única na Família Lee do Clã Dança das Fadas, então a posição da Lee Seol foi rapidamente estabilizada.

Só demorou um pouco mais do que o previsto. A integração da Família Lee do Clã Dança das Fadas foi uma decisão tomada três meses atrás.

‘Significa que a situação não vai piorar se eu sair.’

Theodore não era o tipo de pessoa que relaxava indefinidamente. Ele estava preocupado com o que Meltor estava pensando sobre seu desaparecimento e a condição de seu corpo havia voltado ao normal. Então, Theodore olhou para a Lee Seol sentada ao seu lado. – “Então, o que eu tenho a dizer é…”

Lee Seol parecia resplandecente, como uma cotovia. Ela também era uma criança determinada. Caso contrário, acha mesmo que ela poderia ter vivido por mais de 10 anos nas montanhas remotas? Lee Seol pode ter aprendido o papel de guardião da montanha em uma idade jovem, mas ainda era um trabalho difícil para uma garota de 16 anos.

Apesar de estar sobrecarregada com as responsabilidades de ser a chefe da família, sua expressão de alegria por poder morar no vilarejo ainda estava vívida em sua mente.

– “Seol.”

– “Sim?”

Theodore pensou que não haveria problema em partir agora. – “É hora de nos separarmos.”

Dois olhos se arregalaram pelas palavras do Theodore. Mesmo sabendo que isso aconteceria, Lee Seol ainda achou doloroso.

Ela balançou a cabeça um pouco e falou com um tremor na voz, – “N-Não se passaram apenas três meses? Ainda faltam cinco meses para a minha cerimônia de maioridade…! Eu também não aprendi…”

– “Os outros membros da família são suficientes para lhe ensinar artes marciais.”

– “Mas…!”

– “Chefe Temporário.” Naquele momento, Lee Joonyoung abriu a boca com uma expressão gentil. – “Parece que você já se decidiu.”

– “Você entende, não é?”

– “Você não é o tipo de pessoa que brincaria com algo assim. Se importaria de ficar mais alguns dias?”

– “Sem problema… acho que três dias serão apropriados.”

Após o Theodore se decidir, ele precisava se mover antes que ficasse abalado. Se ele não estivesse preparado para dar esse passo, ele não teria dito em voz alta. Três dias era o período mínimo para concluir todos os preparativos, além de informar toda a família.

Então o Theodore falou com o Lee Joonyoung, – “Eu terminei de escrever os livros que prometi. Há 10 volumes da Série de Habilidades da Dança das Fadas. Eu escrevi começando com os métodos básicos de treinamento até as técnicas ocultas, então você deve espalhar os livros em vez de escondê-los em um depósito.”

– “Sim, eu seguirei suas palavras.”

– “Você é uma pessoa consistente. Você se sairá muito bem no futuro.”

Theodore terminou de falar com o Lee Joonyoung e olhou para a Lee Seol. Os olhos claros dela estavam cheios de lágrimas, e ela mordeu os lábios quando encontrou o olhar do Theodore. Era uma expressão franca mostrando as emoções de uma garota da montanha.

Theodore sorriu e passou a mão no cabelo preto bem cuidado dela. – “Me desculpe.”

– “…Eu não sei. Você é mau.”

– “Kukuk.” Será que ela estava agindo como uma criança de propósito ou esse era seu temperamento natural? Theodore sentiu como se ela fosse sua irmãzinha enquanto acariciava a cabeça dela. – “Os últimos três dias serão todos seus. Me diga se você quiser fazer alguma coisa.”

– “…” Lee Seol hesitou por algum motivo e, em seguida, sussurrou em uma voz que era difícil de ouvir, – “Então eu vou pedir uma coisa a você.”

Era um pedido que ela esperava que o Theodore atendesse.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar