The Book Eating Magician – Capítulo 314

Rumo à Árvore do Mundo #1

< Lemegeton (Severamente Danificado). >

< Este é um grimório que contém o poder do Rei Solomon da Era da Mitologia. O Rei Solomon usou sua sabedoria e magia para governar 72 grandes demônios, exercendo o poder dos grandes demônios com dez anéis. Além disso, Solomon preparou um selo e uma chave no caso de sua morte.

* Este grimório não pode funcionar normalmente.

* Por favor, leve isso consideração! Este grimório está mais de 90% danificado. Os poderes não podem ser totalmente absorvidos mesmo com a predação.

* Quando ingerido, as impressões dos grandes demônios seniores “Nebiros”, “Foras” e “Flauros” serão adquiridas. O Portador pode pegar emprestado os poderes deles dessas impressões ou pode demonstrar poderes especiais.

* Quando consumido, uma quantidade muito grande de poder mágico será absorvida. >

‘Definitivamente não está em bom estado.’

Mais de 90% danificado…? Como livro, era como ter todas as páginas arrancadas, exceto algumas poucas. Mesmo sendo um grimório, a maior parte de seu poder já havia sido perdida. Era surpreendente que tanto tivesse sido perdido. Segundo o Gula, não estava nem funcionando a 5% de suas capacidades, mas ainda continha o poder de três grandes demônios seniores. Em um estado perfeito, Lemegeton devia ter uma classificação Mitológica.

– Sim, é como o Portador supôs. Gula confirmou como se tivesse ouvido os pensamentos do Theodore.

– “Ele realmente tem uma classificação Mitológica?”

– Isso mesmo. Alguns dos grandes demônios que fizeram contrato com Solomon tinham alta posição e poder.

– “Rei Demônios… como Fulito?”

– Se eu tivesse que comparar Fulito com um dos 72 grandes demônios, ele ficaria próximo do 7º, Amon.

– “Sétimo?” O rosto do Theodore ficou tenso.

Fulito ficava apenas em 7º! Se isso fosse verdade, então Lemegeton tinha pelo menos sete grandes demônios com mais poder do que um rei demônio, um transcendental que reinava como o mestre de uma dimensão e exercia esse mundo de acordo com sua vontade. Não foi à toa que o Gula reagiu daquela forma ao nome do Solomon. Ele era incomparável ao Theodore, que havia invocado Magnus no passado. Que tipo de existência era o Solomon, que tinha dezenas de grandes demônios de alto escalão sob contrato?

Parecia que ele estava além do nível de um transcendental. Ninguém discutiria se Solomon fosse chamado de deus da magia. No entanto, Gula tinha uma opinião diferente sobre o Solomon.

– Não, ele era apenas inteligente. Ele se deu conta dos desejos intermináveis dos demônios e os enganou com um contrato engenhoso. Havia alguns demônios que foram enganados por alguns truques, mas outros sabiam sobre os contratos, mas ainda assim deixaram passar. Solomon era o invocador os invocando, mas foi o mundo material da Era da Mitologia que atraiu a atenção dos demônios.

– “Eles vieram como um grupo de turismo?”

– Suas palavras não estão totalmente erradas. Para os grandes demônios, uma dimensão diferente é apenas um lugar para “brincar”.

O prazer é um desejo inescapável para os demônios que têm a vida eterna. Nesse sentido, Solomon era um porta-voz desses desejos e o guia de muitos demônios para aquele mundo material.

Foi o resultado de talento e momento certo criando aquela situação.

Cof cof! > Naquele momento, o livro proibido não notou a atmosfera e interrompeu o Gula. < Meu criador, Solomon, é um grande homem! Muitas potências na Era da Mitologia caíram diante dele! >

– Cala a boca, coisa usada.

Hiik. >

O livro proibido fechou a boca e o Gula voltou a falar.

– Eu não esperava demônios no nível do Baal ou Agares, mas esse resultado é realmente terrível. O 24º “Marquês”, o 31º “Cavaleiro do Inferno” e o 64º “Grande Duque” — eles são inúteis se tratando de força de batalha. Aquele bêbado, Saleos, ainda permanece.

Theodore pediu uma explicação, e o Gula o ensinou com uma voz descontente sobre os 72 grandes demônios de Solomon e o poder desses três grandes demônios.

Número 24, Marquês Nebiros, era um necromante e controlava o poder da “Dor”.

Ao contrário do apelido de “Cavaleiro”, o Número 31 — Cavaleiro do Inferno Foras — era o dono de uma vasta sabedoria e dava ao invocador o poder da “Transparência”.

O Número 64, o Grande Duque Flauros, possuía o poder dos “Olhos Ardentes”, que permitia ao proprietário se livrar das tentações de outros demônios.

Theodore ouviu a explicação em detalhes e disse, – “Medianos…”

Não era suficiente chamá-los de ruins, mas os demônios não tinham a capacidade de ajudá-lo diretamente. Os ensinamentos da necromancia não eram úteis para o Theodore, que não era um bruxo. Além disso, por causa das proteções do Gula, os bônus adicionais não faziam sentido, pois o Theodore já tinha fortes defesas mentais. Os poderes práticos da “Transparência”, “Olhos Ardentes” e “Dor” eram tão vagos que ele não entendia bem o propósito dessas habilidades.

‘Bem, um demônio poderoso não me reconheceria como qualificado. Acho que não tem problema me comprometer a esse ponto, não?’

No entanto, Theodore olhou pensativo para o livro proibido. Olhando em volta para as outras prateleiras, a maioria dos presentes exalava um sentimento maligno apenas pela capa. Coletar os fragmentos de um grimório de classificação Mitológica era mais atraente, mesmo que estivesse danificado. Mais do que qualquer outra coisa, ele gostava do fato de que podia exercer as funções sem a predação.

– “Ei, livro proibido.”

< …Sim? > O fragmento de Lemegeton respondeu ao chamado do Theodore.

– “Aceite-me como um contratante temporário. Você quer ficar preso nesta sala selada para sempre?”

Isso… Por que temporário? >

– “Eu possuo tantas divindades. Como poderia fazer um contrato perfeito com um grimório demoníaco? Além disso, se eu fizer um contrato duplo com você, acho que sempre haverá conflito com o Gula.”

O fragmento de Lemegeton contemplou as palavras por um tempo antes de aceitar a sugestão, < Certo, eu aceitarei um contrato com você. >

– “Uma escolha sábia.”

No momento em que o acordo mútuo foi decidido, um grosso fio de poder mágico se formou entre o Theodore e o livro proibido. Era a linha do contrato mágico para simbolizar a conclusão do contrato. A joia vermelha do fragmento de Lemegeton e a mão direita do Theodore foram entrelaçadas com uma linha, então ocorreu o último processo do contrato. A revelação da identidade do grimório, seu verdadeiro nome.

Eu fui chamado de “Lemegeton” há muito tempo, mas fui privado de luz e caí no fundo do poço. A primeira de cinco fechaduras, o livro proibido cuja cabeça é Lemegeton… Até o dia em que eu for perfeito novamente, me chame de “Ars Goetia”! >

– “Ars Goetia.”

Sim, Mestre. Você pode simplesmente me chamar de “Goetia”. >

Theodore pegou o Goetia e a joia vermelha mudou de forma. O livro grosso se transformou em um pequeno anel de prata que envolveu um dedo na mão direita do Theodore. Ele estava relutante em ficar na mão esquerda do Theodore, onde o Gula residia.

‘Oh, isso não é um recurso conveniente? Os 10 anéis que Solomon usava eram provavelmente uma variante de Lemegeton.’

Isso não era tudo. Assim que o Goetia se transformou em um anel, Theodore percebeu que sua velocidade de lançamento e quantidade de poder mágico aumentaram acentuadamente. As funções de “sub-ego” e “operações secundárias” que o Goetia havia mencionado começaram a mostrar seu poder. Os recursos eram simples, mas o nível das operações secundárias era excelente.

Claro, Gula ainda estava desconfortável com o contrato.

– Hah! Ars Goetia? O nome do primeiro capítulo do Lemegeton? Você escolheu bem, apesar de estar tão esfarrapado.

Hiiik! >

Apesar de ter o mesmo contratante, não se sabia se o abuso unilateral do livro proibido pelo Gula iria parar. No final, Theodore teve que intervir. – “Gula, não o assuste muito. Ele é muito inferior a você.”

– Hum, entendido.

Theodore saiu da sala selada enquanto o Gula reprimia sua hostilidade. Então o Theodore fechou a porta da sala e trancou a fechadura.

Ching! Snap.

As várias camadas de círculos mágicos se sobrepuseram para formar um feitiço mágico, e a chave no buraco da fechadura desapareceu. A chave para a sala selada era apenas de uso único. Uma vez usada, não podia ser usada novamente. Toda vez que o selo era liberado, a chave mudava. Essa segurança apertada era realmente a espinha dorsal do reino.

‘Agora, esta parte está finalizada. Será que devo voltar?’

Com quatro livros mágicos e um livro proibido, Theodore invocou o Teletransporte. Nenhuma sombra permaneceu na Biblioteca Zero.


– “—Ah.”

– “Você demorou muito.”

Theodore descobriu uma pessoa inesperada quando saiu da Biblioteca Zero. Era uma garota loira de pele morena, Paragranum. Ao contrário de sua aparência, ela era na verdade a chefe da torre amarela e um grimório. Ela havia realizado vários estudos no reino mágico e podia ter conspirado com o Invidia.

– “Já não faz muito tempo, Capitão? Eu não sabia que você voltaria depois de enfrentar o Inveja. Eu preciso aumentar a minha avaliação sobre você.”

Paragranum sorriu e colocou a raposa, que estava em seus braços, no chão. A raposa tinha três caudas; era o Tres. Ele ficou assustado depois de ser pego pela Para e correu em direção ao Theodore no momento em que foi libertado. A textura quente e fofa entrou na túnica vermelha do Theodore.

Então a raposa gritou de alívio. Yip, yiip. Embora Tres fosse jovem, a inteligência de seu espírito era alta. Ele lembrou que Paragranum disse que queria dissecá-lo da última vez.

Theodore olhou para a Para. – “Você…”

– “Você não está deixando seu animal de estimação sozinho por tempo demais? Teria morrido se pertencesse a outro mago. Se você não tivesse voltado, este teria se tornado meu primeiro espécime espiritual.”

– “O que você quer?” Theodore ignorou a piada da Para, que não era bem uma piada, e olhou nos olhos dela.

Os olhos de Paragranum não continham nenhuma emoção. Era como se fossem grânulos de vidro. Ele percebeu quando viu esses olhos. Este ser era um monstro, não um humano. Ela podia fazer qualquer coisa desde que atingisse seu propósito de existência. Theodore estava convencido de que ela havia se juntado ao Invidia para causar a longa guerra no Norte.

– “Oh. Não seja apressado. Você conhece a nossa ecologia. Neste momento, há alguma razão para eu ser hostil ao Reino de Meltor? Quais benefícios você pode obter ao me remover?”

– “Não, eu não tenho motivos para ouvir suas palavras.” Theodore respondeu friamente e deu um passo para trás.

Grimórios não tinham emoções humanas, pois eram coisas que interfeririam em seus princípios de ação. Encontrar algo assim era como gritar com uma parede. Se ele acusasse a Para de trabalhar com o Invidia, ela concordaria sem escrúpulos.

Talvez fosse por isso que ele decidiu não perguntar. Ela não era uma oponente que devia ser recompensada com suas emoções. Theodore esfriou a cabeça e olhou para o ser que, junto com o Invidia, era o perverso culpado do massacre no Norte. Um lado havia promovido mestres da espada e se alimentado deles. O outro lado agiu para que sua pesquisa avançasse mais rápido. Grimórios não hesitariam em cometer nenhum pecado se isso significasse cumprir seu propósito de existência.

– “Bem, não seja tão apressado.” Paragranum não recuou nem um pouco ao enfrentar o furioso Theodore.

Em vez disso, ela puxou algo. Veio de um bolso dimensional de aparência surrada.

– “Isso!”

– “Não é marcante demais para esquecer?”

O item era uma joia de esmeralda em forma de cubo. Tinha um equilíbrio perfeito à medida que a luz refletia nele. A pedido de Paragranum, Theodore o recuperou das ruínas no deserto de Meuse. A Tabuleta de Esmeralda — um tesouro que todos os alquimistas elogiavam como a “Porta da Verdade” — registrava as verdades do universo. Gula chegou a babar por causa do item, então não havia necessidade de explicar seu valor.

– “Agora, não deixe cair.” No entanto, Paragranum o jogou casualmente!

– “O que você está fazendo?” Theodore gritou asperamente enquanto agarrava o bolso dimensional e a Tabuleta de Esmeralda.

Então, Paragranum abriu a boca, – “Não posso fazer algo gentil pelos outros? Eu entreguei poções artesanais, catalisadores e a Tabuleta de Esmeralda.”

– “Por isso estou perguntando. Quais são suas intenções?”

– “Você não precisa lutar contra o necromante contratado por Nídhöggur?” Paragranum encolheu os ombros enquanto falava com uma voz brincalhona. – “Nídhöggur, o lagarto que apodrece toda a matéria, é o inimigo da alquimia. Eu não posso coexistir com um bruxo que tem um contrato com tal ser. Portanto, eu darei uma mãozinha para que você possa se livrar dele.”

– “Mas você não disse que só daria a Tabuleta de Esmeralda depois de atingir seu propósito?”

– “Ao contrário do Gula, eu não sou um grimório obcecado pelo conteúdo original.” Paragranum murmurou “cópia” em voz baixa antes de continuar. – “É isso. Desta vez, eu vou apostar na sua vitória e esperar.”

– “…De que lado você estava da última vez?”

Paragranum parou por um momento enquanto se afastava. Ela não olhou para trás enquanto dava sua resposta, – “Não importa de qualquer forma.”

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar