Switch Mode
Participe do nosso grupo no Telegram https://t.me/+hWBjSu3JuOE2NDQx

The Tutorial Is Too Hard – História Secundária – Capítulo 33

Kirikiri (Parte 1)

Kirikiri estava agachada.

Ela estava prestes a pular, mas então ela balançou a cabeça.

O solo ao redor dela tinha sido cavado demais para ela correr.

“Oh céus.”

A flor arrancada ao seu lado, foi empurrada pelo vento e rolou enquanto ela se agachava.

Kirikiri pegou as flores e enterrou-as bem no chão.

Ela deu um tapinha no chão para que o vento não o levasse para longe novamente.

Kirikiri olhou em volta.

Foi uma visão horrível.

O solo foi cavado, a grama arrancada e levada pelo vento.

A colina desapareceu e um enorme fosso foi cavado em seu lugar.

Não se sabia quanto tempo levaria para os campos recuperarem sua forma original.

Kirikiri estava chateada.

Um campo como este a lembra de seu passado ruim.

Já faz muito tempo que ela se tornou uma Deusa.

Mas as memórias dolorosas do passado ainda não foram apagadas.

Ela pode não ser capaz de esquecer as memórias porque se tornou uma Deusa.

Além disso, talvez por ser sua memória do dia em que renasceu como uma Deusa, fica ainda mais difícil para ela esquecer.

Kirikiri pegou o solo ao seu redor e deu tapinhas para encher o terreno escavado.

Ela não sabia quanto tempo levaria para os campos voltarem à sua aparência original de paz.

Kirikiri deixou escapar um suspiro.

A resistência de Yong Yong e do gigante da lava foi feroz.

O gigante de lava no 61º Andar mostrou a habilidade de exceder em muito o poder do 61º Andar, mesmo tendo perdido sua divindade.

No caso de Yong Yong…

Ela podia entender por que Lee Ho-jae mostrava uma confiança estranha toda vez que falava sobre Yong Yong.

Essa não era a habilidade de um filhote com menos de 100 anos.

Kirikiri estremeceu ligeiramente.

Suas orelhas vibraram.

[Deusa.]

Alguém chamou.

Kirikiri logo percebeu quem era o dono da voz.

Não havia muitos seres que a chamavam de Deusa.

[Estou aqui depois de ser chamado.]

Kisearin.

Um dragão que atua como conselheiro para os adversários na segunda metade do 50º Andar.

A seção do 50º Andar é uma seção onde o desafiante reconhece os apóstolos, a divindade e a origem.

Pode-se dizer que é uma das seções mais importantes, então ela colocou Kisearin como conselheira lá.

A identidade daquele dragão era uma desafiante que havia superado a dificuldade Inferno do tutorial anterior e foi escolhida por Kirikiri.

Uma desafiante da dificuldade Inferno que foi cultivada para concluir o Salão do Julgamento, mas não pôde ser colocada no Salão do Julgamento porque o Salão do Julgamento era muito perigoso.

O plano original de Kirikiri era reunir vários desafiadores como Kisearin e juntá-los para desafiar o Salão do Julgamento.

Era um plano com poucas chances de sucesso, pois a provação foi mudada perigosamente pelo Deus da Ordem.

Foi um plano que se tornou inútil quando o irregular Lee Ho-jae foi lançado.

“Eu sinto Muito.”

Kirikiri pediu desculpas ao dragão.

Quando Hochi e Yong Yong insistiram que eles entrassem na provação sem quebrar sua teimosia.

Kirikiri iria acompanhar Kisearin.

Esse dragão estava bem ciente da sala do julgamento.

Porque foi criada para isso.

Ela acreditava que ela poderia ser um grande guia.

“Eles entraram primeiro.”

Hochi, Yong Yong e o gigante de lava no 61º Andar entraram sem nem mesmo esperar por um guia.

Talvez eles sejam muito poderosos para serem guiados pelo dragão.

Os dois são Deuses ou seres que eram Deuses.

Um era uma existência misteriosa que escapava da causalidade.

Não, o motivo pelo qual não esperaram pelo guia não foi por causa de sua força.

Foi por causa de Kirikiri.

Como ela atacou o grupo deles, o guia que ela preparou também estava desconfortável, então eles entraram por conta própria.

Depois de ouvir que Hochi estava fora de causalidade, Kirikiri tentou verificar por si mesma.

De alguma forma, ela tentou atacar Hochi sozinha.

Imediatamente, o dragão e o gigante de lava os pararam e houve uma batalha.

Uma batalha a ponto de sua terra sagrada ser devastada.

No final da batalha, Kirikiri finalmente conseguiu chegar a Hochi.

O resultado foi este.

Fragmentos de metal dourado estavam espalhados.

Uma lâmina dourada que destrói todos os ideais e reforça apenas os princípios estabelecidos.

A lâmina dourada, temida por todos os deuses do mundo, se quebrou assim que tocou o pescoço de Hochi.

As palavras de Yong Yong eram verdadeiras.

Hochi não tinha causalidade.

Se alguém for esfaqueado pela lâmina dourada, será apenas esfaqueado.

Nenhum Deus poderia escapar dessa verdade.

Ele não distorce a causalidade, mas fica fora dos limites da causalidade.

Um corpo que existe como uma entidade separada.

Era um ser estranho.

[Então eu…]

O dragão, que esperava silenciosamente por uma resposta, disse.

“Volte.”

[Tudo bem.]

O dragão recuou silenciosamente.

Ela parecia bastante aliviado.

Ela está se preparando para o julgamento há muito tempo, mas provavelmente não vai querer entrar nele.

Aqueles que foram por conta própria são estranhos.

Lee Ho-jae, que foi sozinho para salvar o mundo, e Hochi e Yong Yong, que apenas foram ver sua família.

Kirikiri achou que ela estava com um pouco de ciúme.

Ela estava com um pouco de inveja.

Mesmo com o risco de morte, há familiares que vêm visitá-lo só porque querem vê-lo.

Kirikiri coçou atrás da orelha.

Ela também tinha uma família.

Sua família foi enterrada sob esses campos quando suas aventuras começaram.

Era um ciúme infantil e simples.

Kirikiri balançou a cabeça.

O que é importante agora é que uma variável que nem mesmo a própria Kirikiri pode prever entrou na provação.

Kirikiri previu que Hochi, Yong Yong e o gigante de lava tinham uma grande probabilidade de morrerem.

Claro, Hochi é uma exceção.

No entanto, a imortalidade não era útil em todas as situações.

Quando eles foram subjugados pelo Deus da Ordem,

Hochi pode sentir mais dor do que morte.

No entanto, Kirikiri os apoiou.

Ela avisa sobre o perigo, mas não desgosta do fato de finalmente abrir a porta.

Por causa da variável.

Ela teve que inserir variáveis para distorcer a leitura da sorte.

E agora ela colocou a melhor variável.

Kirikiri mais uma vez preparou a leitura da sorte.

Ela preparou uma pedra lisa rolando no chão.

O pedestal reto que ela usava anteriormente foi destruído por Yong Yong.

Ela colocou uma pérola em uma pedra e a derrubou com outra pedra.

Os restos da pérola informaram Kirikiri sobre a leitura da sorte.

Era uma coisa terrível.

* * *

As patas traseiras dos coelhos são mais longas que as outras.

É bastante longo em comparação com o corpo.

Normalmente é dobrado, mas ao correr para a frente, as pernas ficam esticadas, permitindo que saltem longe.

Kirikiri observou as crianças correndo e brincando pela janela.

Eles estavam funcionando bem.

Quando eles se agacham, suas longas pernas se dobram e, quando correm novamente, elas se estendem como uma mola.

Seus pés eram gordinhos.

Kirikiri olhou para seus próprios pés.

Ela tinha pés curtos e brancos.

Não havia pele.

Logo acima de seus pés estavam seus tornozelos, seguidos por suas panturrilhas.

Não demorou muito para ela reconhecer seu joelho.

O joelho estava dobrado como um coelho, mas era claramente diferente das juntas das pernas do coelho.

Acima de tudo, era muito longo.

Não era uma perna de coelho, era uma perna humana.

Kirikiri coçou atrás da orelha.

Ela olhou pela janela, certificou-se de que não havia ninguém na casa e se agachou.

Ela saltou e saltou.

Como uma coelha.

Ela infelizmente não pôde fazer nada como uma coelha.

Além disso, depois de apenas alguns saltos, seus joelhos rapidamente se cansaram.

Ela também teve dificuldade em se equilibrar.

Kung kung!

Foi uma batida na porta.

Kirikiri se levantou surpresa.

Ela abriu a porta e viu a senhora ao lado.

A senhora da porta ao lado segurava um pacote de comida.

A tia deu o pacote para Kirikiri e mandou que entregasse no bairro um pouco mais acima.

A entrega de comida de hoje era tarefa da senhora.

Quando Kirikiri perguntou sobre isso, a tia disse que os vizinhos um pouco mais acima disseram que Kirikiri tinha que entregar a comida hoje.

Foi estranho.

Kirikiri pegou a sacola e foi um pouco mais adiante na cidade.

Sua cidade natal consistia em três aldeias.

Ela mora no bairro de baixo.

Era um bairro onde moravam coelhos jovens que costumam preparar comida colhendo frutas e vegetais das montanhas.

O próximo é lá em cima.

É uma cidade onde vivem muitos coelhos velhos e vivem artesãos que fazem roupas e móveis de madeira.

Finalmente, um pouco mais alto.

Esta era uma cidade onde viviam coelhos que viam adivinhações e dirigiam orações pelos Deuses tribais.

Nem frutas nem ervas podem ser encontradas na cidade alta, que fica no alto das montanhas.

O bairro de baixo teve que preparar a comida e mandar para eles.

Kirikiri conseguiu chegar ao bairro um pouco mais acima.

O coelho sacerdote estava lá para recebê-la.

“Olá, Srta. Kirikiri!”

“Como vai, Senhor Hara.”

Hara, o coelho responsável pelo sacerdócio, já tinha mais de 200 anos.

Por fora, ele parecia uma criança.

Hara apontou para o saco que Kirikiri estava segurando e perguntou o que havia nele.

Kirikiri sabia que tipo de resposta Hara queria.

Significa o que há de mais doce na bolsa.

“Cenoura.”

As cenouras são doces.

As cenouras cultivadas na região alpina eram pequenas e discretas, mas eram doces o suficiente.

Hara deu um pulo e pediu uma cenoura.

“Uma para mim!”

“Não. Vocês têm que comer juntos na hora das refeições.”

Kirikiri recusou, levantando os braços e colocando o saco sobre a cabeça.

Hara continuou a pular e tentar colocar as mãos no pacote, mas não conseguiu tirá-lo de Kirikiri, que tinha quase o dobro da altura.

Não que Hara fosse baixo.

Kirikiri era excepcionalmente grande.

Era grande o suficiente para não se parecer com uma coelha.

Se Kirikiri não tivesse orelhas de coelho na cabeça, as pessoas acreditariam que ela era humana e não uma coelha.

Kirikiri e Hara entraram na residência do sacerdote.

Ela colocou a sacola de comida no canto e perguntou.

“Você não pode comer sozinho de novo. Comam juntos mais tarde.”

“OK. He he.”

Foi uma risada puramente sinistra.

“Venha aqui por um momento.”

Hara agarrou a mão de Kirikiri e a levou a algum lugar.

Ainda assim, Kirikiri estava curiosa para saber por que ela tinha que vir hoje, então ela obedientemente seguiu as instruções de Hara.

O lugar que Hara levou Kirikiri era a parte mais interna da residência do sacerdote, onde ele podia ver as adivinhações.

Kirikiri também tinha estado lá algumas vezes.

Mas teve uma impressão ligeiramente diferente da última vez que ela visitou.

Qual era o objetivo?

“Oh meu Deus… o que é tudo isso, Senhor Hara.”

Acontece que o quarto estava muito bagunçado.

O chão estava coberto de cacos brancos.

Parecia areia branca.

“Isso é… uma pérola?”

“Isso mesmo.”

As pérolas são pedras preciosas usadas pelos sacerdotes para adivinhação.

Normalmente são usados cerca de três por ano, mas olhando para os destroços no chão agora, parece que pelo menos centenas delas estão rachadas.

“As pérolas sumiram todas, então acho que terei que comprar mais.”

Hara disse, olhando para Kirikiri.

“Acho que você deveria comprar.”

“Sim… alguém tem que comprar.”

As pérolas eram gemas essenciais para os coelhos.

E era uma joia que não podia ser obtida na montanha.

Alguém tem que descer a montanha para pegar as joias.

Era compreensível que esse alguém fosse Kirikiri

Seria melhor que Kirikiri fosse do que outros coelhos.

A própria Kirikiri pensava assim.

“Você tem que sair hoje.”

Kirikiri parou com essas palavras.

“Amanhã… é o festival?”

Amanhã é o dia de ouvir a voz do Deus tribal que acontecia uma vez a cada dez anos.

Foi o maior festival para coelhos e foi um festival muito significativo.

“Você tem que sair hoje.”

Hara disse severamente.

* * *

Hara disse que era um presente para Kirikiri, que ficou confusa e olhou para a leitura da sorte com a última pérola restante.

Um novo começo.

Era uma boa leitura da sorte, e ele a incentivou a deixar a aldeia imediatamente, enquanto a leitura da sorte continuava.

Kirikiri ficou chateada e começou a chorar, mas não conseguiu desobedecer às palavras do sacerdote.

Ela voltou para sua casa no bairro inferior para fazer as malas para a viagem.

O sacerdote Hara sentou-se novamente.

Ele suspirou profundamente.

Talvez a pobre Kirikiri pensasse que a estava expulsando da cidade antes do festival para condená-la ao exílio.

Hara olhou para trás, para a adivinhação que vira pela última vez nos destroços da pérola quebrada.

Hara disse que foi uma boa adivinhação.

Era mentira.

Foi uma leitura bizarra da sorte.

O mesmo significado foi repetido indefinidamente.

Era uma fortuna dizer que uma nova vida começaria para Kirikiri.

A leitura da sorte em um sentido positivo estava correta.

No entanto, a nova direção de vida que se desenrolaria para Kirikiri não apontava para um significado positivo.

O futuro de Kirikiri, de que a leitura da sorte estava falando.

Era um destino terrível.


Considere fazer uma Doação e contribua para que o site permaneça ativo, acesse a Página de Doação.

Comentários

0 0 votos
Avalie!
Se Inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar