Participe do nosso novo grupo no Telegram https://t.me/+hWBjSu3JuOE2NDQx
Considere fazer uma Doação e contribua para que o site permaneça ativo, acesse a Página de Doação e veja os benefícios.

The Villain Wants to Live – Capítulo 66

Experiência prática (4)

Laboratório temporário na mansão Yukline.

Observei atentamente as cinzas ao microscópio. Tentei “entender” partícula por partícula, injetando mana e destruindo-o com [psicocinese].

“… Professor! Veja isso!” Kelodan gritou, apontando para o quadro-negro.

Scratch— Scratch, scratch— Scratch—

Um relatório sofisticado estava sendo escrito na superfície verde.

[Sylvia aqui. Capturamos um estreante que havia sido controlado e o separamos das cinzas. O resultado da nossa análise é o seguinte.]

Ela discutiu como as cinzas pesaram sobre o estreante e qual foi o processo daquela marionete.

A maneira como Sylvia analisou e separou o espécime com sua própria magia foi quase em um nível anatômico.

… Um certo pensamento surgiu em minha mente enquanto eu olhava para ele.

“Separação.”

Separação de cinzas e estreantes.

E se um circuito que neutraliza o controle das cinzas fosse adicionado à fórmula da “barreira”?

Além disso, e se a barreira fosse construída ‘na torre mágica’ e depois concluída?

“É possível.”

Implantar um circuito em magia específica, conhecido como ‘tecelagem mágica’, já havia sido feito dezenas de vezes. Minha [psicocinese] foi criada dessa forma.

“O que é possível?” Kelodan perguntou.

“Farei uma ‘barreira que quebra os cinzas’ e entregá-la aos estreantes.”

“Uma barreira? Demoraria muito.”

Balancei minha cabeça.

Já que não era uma magia completamente nova, o consumo de mana não seria severo. No momento, [Decomposição] era um feitiço comum usado até mesmo em lixões.

“É bem possível.”

Se eu imaginar isso e adicionar os talentos de Sylvia e Epherene, é claro, é possível.

“Um, professor…?”

Ele olhou para o quadro-negro sem dizer uma palavra e ponderou. Não houve necessidade de fazer anotações. Tudo isso iria acontecer na minha cabeça…

“Atenção-!”

Um grito perturbador ecoou.

Eu me virei para a entrada, sentindo vontade de matar.

Onze indivíduos de nomes desconhecidos ficaram onde eu estava olhando, formando uma linha.

Os cavaleiros imperiais.

“Atenção por FAVOR!” Quando o cavaleiro gritou novamente, uma voz familiar veio atrás dele.

“Humpf. Tão barulhento.”

Era a voz da imperatriz. Quando estava prestes a fazer a reverência adequada, parei abruptamente.

A criatura que apareceu com orgulho não era a imperatriz.

“Nesse estado de possessão, meus ouvidos estão sensíveis. Não fale alto.”

Ela tinha muitas peles vermelhas e sua cauda longa tremulava, mas suas pernas eram curtas.

Era um gato de aparência luxuosa.

“Vossa Majestade?”

“Sim, Deculain. É uma das mágicas que aprendi. Estou com preguiça de sair. Ei. Não toque na minha cauda.”

“Sinto muito!”

“…”

Fiquei sem palavras por um momento.

A posse fazia parte da ‘magia da harmonia’. [Possessão completa], que emprestava a boca e os olhos de seres vivos, era muito difícil de aprender. Naturalmente, no entanto, ela poderia utilizá-lo plenamente.

Além disso, o munchkin que ela usava era uma raça real.

A qualidade da mana da imperatriz estava atualmente no nível 2, e assim que um evento de despertar fosse realizado no futuro, ela alcançaria o nível 1. Ela era um gênio que tinha o talento para dominar todas as habilidades do mundo, incluindo habilidades de magia e espada.

Se eu fosse expressar a imperatriz Sophien em uma frase, seria…

‘A pessoa mais próxima de Deus.’

Essa indolência pode ser uma bênção ou uma maldição para este mundo.

“Abaixe suas costas.”

“Sim!”

O gato saltou sobre as costas do cavaleiro.

“Oh!”

No entanto, sua primeira tentativa falhou, pois suas pernas eram muito curtas em comparação com o grande corpo do cavaleiro.

“Esse cara. Curva-se mais para baixo.”

“Sinto muito!”

Desta vez, o munchkin escalou com sucesso nas costas do cavaleiro. Ela sorriu, acariciando sua faringe com o rabo para expressar sua satisfação.

“Não se atreva a se mover um centímetro. Minhas pernas são curtas, então é perigoso.”

A Imperatriz deu um tapa no cavaleiro com a pata dianteira.

“Sim!”

“Não grite também.”

“…”

“Todo mundo, saia do caminho!”

Naquela época, George, o mago da corte, apareceu também. Boatos de que o gato da imperatriz estava aqui pareciam ter se espalhado.

“Vossa Majestade! Como você pode dominar a magia de possessão tão perfeitamente…!”

“Irritante. Como ele soube?”

George olhou para o gato vermelho com olhos emocionados. Não muito depois, entretanto, ele rapidamente endureceu sua expressão.

“Professor Deculein. O que você fará a partir de agora?”

“Pretendo inventar uma barreira mágica que decompõe cinzas.”

“… Inventar uma barreira?”

“Sim. Aquela que só decompõe os cinzas.”

“Você… quer criar uma nova barreira?” George perguntou, sua voz cheia de dúvidas.

“Isso mesmo.”

“Quanto tempo você vai demorar para inventar essa magia?”

“Não vai demorar um dia.”

“O quê?”

“É uma tarefa simples. Não é tão surpreendente.”

“Não, você precisa elaborar mais sobre isso…”

Não tive tempo a perder com explicações.

Falei gentilmente, mas teimosamente.

“Não importa o que aconteça, eu liderarei. Portanto, também assumo a responsabilidade por isso.”

George estalou a língua, mas acenou com a cabeça mesmo assim.

“… OK. De qualquer forma, se você está criando uma barreira, que tal a fórmula? Você escreveu em um pergaminho?” George perguntou.

Olhei para George sem dizer uma palavra.

“…”

“…?”

O silêncio entre nós continuou por mais algum tempo.

Estava pensando em como explicar, mas mesmo isso já era uma perda de tempo.

Acabei de bater na minha têmpora com o dedo.

“Está tudo na minha cabeça.”

“O quê?” O gato perguntou.

Se eu fosse explicar em uma frase…

“Usei cálculo mental.”

Os estreantes tinham certeza de que eram 3 horas, mas não sabiam se era da manhã ou da tarde.

Independentemente disso, Sylvia e os outros olharam fixamente para o quadro-negro.

“…”

“…”

“…”

Uma fórmula expansiva preencheu sua superfície.

Abaixo do círculo mágico que Deculein inventou, havia a seguinte frase.

[Você pode lançar esta barreira?]

“É possível”, respondeu Sylvia em nome de todos, atordoada.

Lúcia não pôde fazer nada além de encolher os ombros ao olhar para ela. “… Certo. Não é impossível se pudéssemos desenhar e recriar sua fórmula.”

A explicação da barreira de Deculein foi detalhada e amigável. Até um estreante poderia entender.

O problema era que o círculo mágico da barreira era muito grande.

A sua área total abrangeu todo o 3º andar.

“Esta sala servirá como seu centro. Vou sair e desenhar a fórmula no terceiro andar. Quanto a mana que ele requer… Devemos ter o suficiente, pois há muitos magos aqui”. Epherene disse, olhando ao redor da sala de aula.

Incluindo ela mesma, eram cerca de 50 deles. Se eles usassem coletivamente seu mana, não seria difícil ativar a barreira.

“Não precisaremos de um catalisador para construí-lo?”

Com a preocupação de Julia, Sylvia afrouxou seu próprio colar.

Era um artefato feito inteiramente de diamantes de mana, a lembrança de sua mãe. Estava imbuído de vários efeitos especiais, incluindo expansão de armazenamento de mana e amplificação de magia.

“Use isso como um catalisador.”

“… Tem certeza?” Lúcia, que conhecia o valor de seu colar, perguntou espantada.

Sylvia não respondeu.

“Hmpf… Se você quiser ir tão longe, então…”

Suspirando, Lúcia também afrouxou a pulseira em seu pulso.

“Esses dois serão suficientes. Minha pulseira é uma herança de 20 milhões de Elnes.”

“V-vinte milhões… Entendi. Vou desenhar a fórmula agora.”

Epherene então cortou seus longos cabelos em um movimento, o que surpreendeu Lúcia.

“Você está louca? Por que você cortou? Seu cabelo não pode ser usado como catalisador. Você sabe disso, certo? Você não tem cérebro?”

“Poxa! Quem disse que eu o usaria como catalisador? Isso atrapalha quando eu me movo!”

“Ifi, está tudo bem. Ignorá-la.” Julia acalmou Epherene. Ela então cortou o cabelo que havia sido cortado arbitrariamente.

“Ok ~ Está bonito agora.”

“…”

Sylvia então puxou seus longos cabelos para cima. Agora amarrado em um rabo de cavalo, descia pela nuca de porcelana.

“Uau, Sylvia. Você está linda.”

Vendo Eurozan e os outros elogiando-a, Ephrene momentaneamente se arrependeu.

– Eu também tive que puxar para cima.

“Epherene. Você é rápida, então deixarei o desenho da fórmula para você. Vou chamar a atenção dos monstros para minimizar a ameaça que virá atrás de você.”

“Chamar a atenção deles?”

“Sim. Exatamente como fizemos no exercício prático.”

Epherene acenou com a cabeça.

Uma frase curta no quadro negro os acalmou e confortou.

[Vou confiar e esperar.]

Isso era tudo que eles precisavam.

“OK. Vamos lá.”

Após terminar os preparativos, os dois quebraram a barreira da sala de aula.

Thump—!

O som do tremor soou novamente, mas Epherene e Sylvia não hesitaram em abrir a porta, encontrando os estreantes infectados e golens enormes feitos de cinzas.

Quando Sylvia chamou sua atenção, Epherene lançou [Auto-Psicocinese] e se agarrou ao teto do terceiro andar.

Whoooosh—!

Sylvia revestiu os corpos dos golens com pura magia de tinta branca, que logo se transformou em uma chama que exalava temperaturas extremamente altas.

Seus alvos queimaram em um instante.

Ao mesmo tempo, Sylvia cobriu o chão de azul, que logo se transformou em gelo que fez com que os estreantes infectados se debatessem, incapazes de dar alguns passos.

No entanto, em algum momento…

“…”

Apêndices grossos e acinzentados, como os tentáculos do Kraken, agarraram a cintura de Sylvia. Eles então a sacudiram e a jogaram no chão.

“Ai…” Soltando um único gemido, ela imediatamente apagou os tentáculos sem mostrar qualquer dor. No entanto, seu estômago estava quente, como se ela acabasse de ganhar um ferimento interno.

“…” Sylvia cambaleou, olhando para o corredor escuro.

Click— Click

O som de saltos batendo no chão ecoou.

“É inútil.”

Sylvia olhou para a existência que apareceu no escuro.

Professora Louina. Ela, a professora-chefe da Torre da Universidade do Reino, havia se tornado um monstro que se assimilou com as cinzas.

“… Você tem um talento estranho. Estou com inveja.” Sua voz parecia bizarra, mas abafada.

“Vou te matar porque estou com ciúmes”. Ela sorriu, os cantos de sua boca se estendendo até a parte inferior de suas orelhas como se rasgando seu rosto. Mais cinzas escorreram de seus lábios, assumindo a forma de uma lâmina enorme.

Whoooooooooooosh…

Sylvia fez o ambiente dela própria, apagando sua arma antes mesmo que pudesse alcançá-la.

“Estas são… as três cores primárias.” Testemunhando a criação de Sylvia, Louina murmurou com admiração. “Uma mágica equivalente a um milagre. Ele quebra a realidade, interfere com o status quo e recria todas as coisas como seu criador deseja.”

Aproveitando seu monólogo, Sylvia puxou uma gaiola e a trancou dentro.

“Uma origem absurda que pode vagar pelo mundo inteiro à vontade.”

Clank—

Louina, batendo na grade e lambendo os lábios, cerrou os dois punhos. Com uma expressão distorcida de guaxinim, ela cuspiu maldições.

“Porra! O mundo é tão injusto! Isso não faz sentido! Nada disso faz sentido!”

As cinzas explodiram logo depois disso. Com as barras ao redor dela agora quebradas, o punho de Louina acertou o estômago de Sylvia, desferindo um golpe carregado de velocidade e peso.

“Ahh!”

Ela quicou e bateu na parede. Naquele momento, seu peito apertou. Suas costelas quebradas perfuraram seus pulmões e ela não conseguia respirar.

“Humpf. Você continua apagando minhas cinzas com várias técnicas, mas isso não importa. Você morrerá de qualquer jeito.”

A diferença entre eles era tão grande que ela pensou que poderia morrer.

Sua dor esquentou todo o seu corpo e ela estremeceu de medo.

“…”

Mesmo assim, Sylvia não fugiu.

Quanto tempo ela duraria permaneceu desconhecido, mas ela decidiu pelo menos aguentar até que seu mana acabasse.

“… Eu não vou perder.”

A perseverança sendo a chave para a vitória era muito familiar para Sylvia, afinal, já que ela vivia o dia a dia suportando isso.

Tick

Tock-

Tick

“Acalmem-se e fique em espera, pessoal.”

Lúcia assumiu o papel de protagonista dos estreantes em sala de aula. Todos os 49 já haviam se aquecido e agora aguardavam a conclusão da barreira.

Tick

Tock-

Tick

O ponteiro dos segundos do relógio etiquetava em meio ao silêncio, seus batimentos cardíacos ecoando enquanto suas mãos tremiam como folhas balançando contra o vento.

Lúcia enxugou o suor da testa.

Tick

Tock-

Tick

A respiração dos estreantes tornou-se difícil. Aqueles que tinham psiques frágeis pareciam tão sérios que quase desmaiaram.

“Não perca a consciência! Se não fizermos direito, saiba que não teremos uma vida boa na torre no próximo semestre!”

Todos foram forçados a voltar aos seus sentidos com o resoar de Lúcia.

Tick

Tock-

Tick

Após mais alguns momentos, o ponteiro dos segundos, que se movia lentamente, parou.

Foi o sinal de Epherene.

“Agora!”

Todos os estreantes, incluindo Lucia, liberaram seu mana no momento certo.

Whoooooong…

Eles condensaram tudo em seus catalisadores: o colar de Sylvia e a pulseira de Lúcia.

Suas heranças recebiam mana de 49 indivíduos diferentes e distribuíam tudo para a fórmula da barreira.

A magia azul correu como fogos de artifício.

Whoooooosh—!

Uma luz tão forte que quase quebrou suas retinas brilhou, fazendo com que o interior da sala de aula queimasse como uma supernova.

Seu mana foi consumido em um instante, e os estreantes exaustos caíram um a um.

Ugh…

Lúcia resistiu com todas as suas forças, impregnando o máximo de mana que pôde nos catalisadores, mas não foi o suficiente.

Sentiu uma dor na nuca como se tivesse sido cortada.

Ugh…!”

Seus olhos turvaram e seu corpo cambaleou. Eventualmente, ela caiu no chão. Nesse estado, ela olhou para o canto da barreira.

Sua luz brilhante começou a desaparecer como uma fogueira que ficou sem madeira para queimar.

… Ela sabia que não deveria deixar assim, mas seu corpo não a ouvia.

Lucia só conseguiu piscar para isso.

‘Eu não posso…’

Quando suas pálpebras estavam quase fechando, ela viu uma figura familiar.

A pessoa olhou para ela com uma expressão fria.

Professor Assistente de Deculein.

Allen.

No instante seguinte, a luz de seus catalisadores acendeu mais uma vez, desta vez com mais brilho do que qualquer outra fonte de luz que ela já tinha visto, enquanto o mana dele avançava, brilhando como o sol.

No momento em que sua fórmula foi completada, um flash radiante devorou ​​tudo ao seu redor.

Uma barreira se manifestou.

‘Mãe. Porque meu gato morreu? Eu o amava e estimava o máximo que pude, mas ele ainda saiu do meu lado. Por que ele me traiu quando eu o amei?’

‘A vida sempre foi assim. Ele não te traiu, Sylvia. Ele está indo para um lugar melhor. Naquele país distante, ele estará esperando pacientemente por você.

‘Você está mentindo… Quanto tempo você vai ficar comigo então, mãe?’

‘Um~ Eu me pergunto~’

‘Waaah. Waaaaah. Waaaah. ‘

‘Desculpa. Não chore ~ ​​’

‘Wahhh. Waaaaaaaahh.’

– Ficarei com você o quanto você quiser.

‘Oh… Então… Então…’

Sylvia sempre mergulhava em seus sonhos.

A realidade que ela queria não estava no presente, mas no futuro, afinal.

O presente foi apenas um trampolim para isso.

Ela ficava acordada noite após noite lendo livros de mágica, até mesmo sacrificando seu tempo nas refeições para evitar perder um segundo, ou ia para a ilha flutuante toda semana para encontrar informações…

Ela não fez isso simplesmente porque queria.

Ela não fez isso porque era divertido.

Sua mãe saiu de seu lado desde muito jovem para ir para a terra do arco-íris, onde seu gato esperava.

Desde o momento em que sua mãe, aquela que pintou sua vida, desapareceu, até agora que ela se tornou uma maga na Torre da Universidade Imperial, o mundo ficou sem cor.

Parecia espesso e opaco, como uma pintura a óleo amassada.

Para ela, o presente era um lugar que ela não queria ficar por muito tempo.

Sylvia costumava girar os ponteiros do relógio com os olhos bem fechados, na esperança de que, uma vez que os abrisse, estivesse em um futuro distante, onde seria mais madura e direta, mas, acima de tudo, onde suas memórias doeriam menos.

‘Quando eu me tornar uma arquimaga e subir aos céus, minha mãe poderá me ver. Vou deixá-la orgulhosa de mim.’

Para ela, o presente era… apenas um período de preparação para tornar o piquenique no futuro distante mais agradável.

Whooooosh

Um vento solitário soprou. As correntes de ar que entraram na Torre da Universidade Imperial fizeram Sylvia perceber que a barreira havia sido ativada.

“Poxa! Esses caras fizeram algo inútil.”

No entanto, ela tinha ficado sem mana e Louina ainda estava de pé em frente a ela.

Sylvia colocou a mão em volta da clavícula. A lembrança de sua mãe, que sempre a abraçou, não estava lá.

“Morre.”

Louina lançou cinzas.

“…”

Sem nenhuma mana para conseguir se defender, Sylvia só conseguiu fechar os olhos com pressa.

As cinzas correndo pararam bem na frente dela, mas ela não viu isso acontecer.

Ela apenas tropeçou e caiu.

Thud

Algo a apoiou antes que ela pudesse alcançar o chão, no entanto. Parecia tão resistente quanto uma parede.

Sylvia abriu os olhos levemente e, embora seu rosto não fosse visível, ele descobriu que seu peito largo a mantinha de pé.

“… Sylvia.”

Sua voz por si só foi o suficiente para Sylvia determinar quem ele era. Ela inclinou a cabeça ligeiramente.

Seus olhos estavam olhando para ela.

“Não se preocupe. Eu não deixarei você cair”. Ele disse, exibindo o que parecia ser um leve sorriso.

Sylvia queria dizer algo a ele, mas seus lábios se recusaram a se mover. Ela não conseguia nem mexer as pontas dos dedos.

A exaustão de Mana havia se estabelecido.

“Você sempre retribui minha fé. Agora assumirei essa responsabilidade como seu professor.”

Sylvia apoiou todo o seu peso contra ele. Sorrindo levemente, ela fechou os olhos e adormeceu agarrada ao colarinho dele.

“Você pode descansar agora.”


Gostaria de ter sua novel favorita em PDF ou algum outro formato digital para ler offline?? ACESSE AQUI e saiba como!!

Comentários

0 0 votos
Avalie!
Se Inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar