Participe do nosso novo grupo no Telegram https://t.me/+hWBjSu3JuOE2NDQx
Considere fazer uma Doação e contribua para que o site permaneça ativo, acesse a Página de Doação e veja os benefícios.

The Villain Wants to Live – Capítulo 85

O Futuro de Cada Um (1)

Não muito longe da área urbana do continente havia um terreno extremamente caro que abrigava não apenas lagos e riachos, mas também as montanhas atrás dele.

Isso serviu como local colossal da mansão Yukline.

Pode-se até argumentar que era muito gigantesco. Afinal, graças ao recente aumento dos preços dos terrenos no continente, o valor monetário de suas residências era agora igual ao orçamento anual das pequenas e médias propriedades.

Julie, orgulhosa de si mesma por ter comprado uma mansão de três andares perto da ilha sozinha, parecia aproveitar sua vida cotidiana na propriedade do Yukline.

Algumas voltas ao redor de seu quintal foram suficientes para completar sua corrida matinal, e seu grande campo esportivo forneceu amplo espaço para treinamento de esgrima sem preocupações. Além disso, todas as refeições servidas na mansão equivaliam a um restaurante três estrelas.

Deculein estabeleceu padrões muito rígidos para seus amplos terrenos, mas eu não me importava com o que os servos faziam, desde que estivessem arrumados. Até autorizei os “documentos de importação” que eles me entregaram cuidadosamente.

Os atendentes com conexões de longo alcance ouviram rumores de cerâmica exótica, talheres, feijão, comida, sementes de flores e tapetes de uma terra estrangeira distante. Com minha permissão, eles importaram todos eles com o nome Yukline.

Como resultado, lindas flores e árvores de todo o mundo agora cresciam em nossos jardins. O interior da mansão estava repleto de todos os tipos de cheiros e aromas, e os lagos e riachos claros eram adequados para as férias de verão.

Julie parecia gostar especialmente dos lagos. Sempre que eu não conseguia encontrá-la, eu sabia que estaria deitada perto de um junto com seu novo animal de estimação, ‘Blackie’.

… Por fim, nossa residência se tornou um lugar onde o conforto luxuoso e a abundância discreta abraçavam as pessoas.

Todos que a nossa casa não poderia deixar de apreciar, mesmo que apenas por um momento.

Um paraíso tão sedutor quanto uma Vênus Flytrap…(Um tipo de planta carnivora)

Essa era a Mansão Yukline.

“A resistência básica é a coisa mais importante”, disse Julie, de pé no campo de esportes. Pela primeira vez em muito tempo, ela não estava vestindo sua armadura, mas sim um uniforme cinza de ginástica.

“Por isso… Uh, professor? Por que você está olhando assim para mim?” Ela inclinou a cabeça.

Dei de ombros.

“Faz muito tempo desde a última vez que vi você vestindo algo além de sua armadura, mas é isso?”

“Ah~ entendo.”

Julie, que acabou de aceitar minha reclamação como um fato, apertou as roupas.

“Eu tenho usado isso desde meus dias nos Cavaleiros Templários. É uma coisa muito boa. É feito de Femurene, então ainda deve ficar bem pelos próximos 20 anos.”

“Eu vejo.”

“Mmmm. Voltando, quando se trata de condicionamento físico, a força física básica é o fator mais crucial.”

Ela rapidamente voltou ao assunto principal.

Julie agarrou a espada de madeira.

“Deixe-me primeiro mostrar-lhe um exemplo. Este é o movimento de rotação simples.”

Wheeik—!

Ela balança duas vezes.

Inicialmente desenhou o ataque diagonal frontal, então se virou, girando-o com ela. Seus movimentos eram quase simultâneos. Eu até pensei momentaneamente que havia duas Julies.

“Também é conhecido como Spin Move.”

“Movimento de rotação.”

“Gira Moo-ve.”

“… Movimento de rotação.”

“Hum. De qualquer forma, embora seja um movimento muito básico em nosso campo, pode causar uma lesão se seu executor estiver carregando uma grande carga nas costas e nos joelhos, tiver pouca força física básica ou estiver equipado com músculos destreinados”.

Julie me entregou uma espada de madeira, que eu peguei e imediatamente usei para seguir seus movimentos.

Swish—! Swish—!

Não foi muito diferente, na minha opinião.

“…?”

Confusão momentânea brilhou em seus olhos. Piscando algumas vezes, então disse: “Tente mais uma vez.”

Swish—! Swish—!

Repeti o mesmo movimento.

“…?”

Mais uma vez confusa, ela olhou para o roteiro do currículo que eu havia colocado sob a sombra de uma árvore.

“Você parece estar indo bem de relance, mas… por favor, tente uma última vez.”

Executei o ‘Spin Moo-ve’ novamente.

“…?”

Quando ela duvidou de seus olhos pela terceira vez, eu finalmente decidi interrompê-la.

“Aceite isso. Eu posso fazer isso como você pode.”

“… Você pode, mas seu risco de lesão é maior.”

“Eu não vou me machucar.”

“Você pode pensar assim, mas seu risco de lesão é alto.”

“Você é um papagaio?”

“É por isso que a força física básica é essencial.”

Gotas de suor se formaram em sua testa. Parecia ter pensado em mim como alguém fraco, como a maioria dos outros bruxos, o que a fez decidir começar com o básico.

“Vamos começar com uma sessão de corrida hoje. Você está pronto?”

“Certo.”

“OK, vamos lá!”

Julie se movia em seu ritmo regular, e eu a segui, mantendo uma distância de alguns passos dela.

Um, dois… Um, dois…

Um, dois… Um, dois…

Um, dois… Um, dois…

Ela olhou de lado.

“Você está realmente se esforçando.”

“Sim.”

“Bom. Continue assim!”

Continuamos nosso caminho.

Eu não sabia o quanto minha resistência se comparava à de um cavaleiro, mas [Iron Man] era um atributo bastante avançado, e não negligenciei minha força mental, então deve estar tudo bem.

“Você está bem?” Julie olhou para trás para me checar novamente.

“Sim.”

“Hum.”

Ela acena com a cabeça.

Nosso treinamento básico continuou.

“Vou acelerar um pouco mais!”

“Ok.”

Aparentemente achando inesperado que eu pudesse acompanhar seu ritmo facilmente, ela acelerou o ritmo como se quisesse me assustar.

Um, dois, um, dois— Um, dois, um, dois—

Um, dois, um, dois— Um, dois, um, dois—

Em pouco tempo, fizemos dez voltas.

“… Você está bem, Professor?”

“Sim.”

“Uau…”

Meu estado perfeitamente bem a surpreendeu.

Eu senti que a resistência básica do [Iron Man] havia crescido muito mais do que antes, talvez porque minha classificação de mana foi atualizada para o 4º nível.

“Você quer parar?”

“Não. Estou bem.”

“… Eu vejo.”

Nós continuamos.

Estávamos praticamente correndo agora. Eu nem conseguia me lembrar de quantas voltas tínhamos feito.

“….”

Percebendo como Julie suava profusamente enquanto parecia estar com dor, percebi tarde demais.

Quando alguém tinha uma lesão no coração, seu maior problema sempre seria sua resistência básica.

Especificamente, resistência cardiorrespiratória.

Eu desacelerei até parar.

“Vamos parar. Estou cansado agora.”

“… É assim mesmo?”

Ela riu amargamente, sua expressão sombria, o que evidenciava que ela estava descontente com sua condição física.

“Sua força física básica é suficiente, professor. Você deve ter se exercitado separadamente.”

Olhei para ela em silêncio. Molhada de suor, ela parecia mais bonita do que nunca.

“… Julie. Você é um cavaleiro.”

“Sim eu sou…”

Julie inclinou a cabeça, perguntando-se por que eu disse algo óbvio.

Com um leve sorriso nos lábios, continuei.

“Eu queria ser alguém que combinasse com você. Por isso trabalhei duro”.

“…”

Ela não respondeu, mas sua respiração parou por um momento e suas orelhas ficaram vermelhas.

Foi uma reação fofa.

“É uma piada. Eu queria viver.”

“… E-eu vejo.”

Eu retirei minhas palavras e disse a verdade, mas já tinha um rubor tímido em suas bochechas.

“Vamos comer alguma coisa.”

“Certo…”

Fui primeiro para a sala de jantar, e me seguiu hesitante. Ela também ficou olhando para mim o tempo todo que comemos juntos.

Depois da nossa refeição, meu servo serviu café Luwak, os grãos de café de alta qualidade usados ​​nele fazendo com que os olhos de Julie se iluminassem.

“Obrigado~”

Gole após gole, escondi um sorriso enquanto a observava beber com carinho.

“Julie. Vamos começar os preparativos para a palestra imperial de hoje.”

“Oh, tudo bem.”

No momento em que eu a avisei para começar a missão de escolta novamente, sua expressão mudou para a de uma leoa.

… O Palácio Real da Cidade Imperial.

Um complicado evento tradicional chamado Reunião Presidida pelo Imperador estava em andamento.

Sophie sentou-se em seu trono e olhou para seus súditos, as mãos cheias com os apelos apresentados pelos ministros.

“Não posso deixar de me preocupar com os problemas que a abertura de Marik causará, Vossa Majestade. Seria apropriado fechá-lo agora, antes que seja tarde demais.”

“Essas bestas de sangue demoníaco sempre aparecem quando menos esperamos. Por isso, sugiro focar neles por enquanto.”

“A supressão de sua espécie certamente causará resistência. Em resposta ao caos e destruição que isso traria, o império deve…”

Sophie estava com dor de cabeça. Ela não queria continuar ouvindo os malditos bastardos diante dela, o que achou tão irritante que quase se matou imediatamente.

“Já decidi abrir Marik. Não pretendo mudar de ideia agora.”

“Não, meu senhor!”

Os gritos de seus servos fizeram as veias de sua testa saltarem.

“Sua Majestade sempre disse…”

“Por favor, não desconsidere tanto o apelo de seus servos…”

“Quando os aventureiros o invadirem indiscriminadamente, os demônios aparecerão…”

Enquanto clamavam como loucos, Quíron veio até ela e sussurrou: “Vossa Majestade. Deculein chegou.”

Sophie sorriu assim que ouviu isso.

“Suficiente! É hora das minhas palestras. Vá embora!”

“Não, meu senhor! Nada foi decidido ainda—”

“Você não sabe o que estou aprendendo com Deculein?”

Linguagem rúnica.

Uma habilidade invencível para Sophie.

“Júlie. Vamos começar os preparativos para a palestra imperial de hoje.”

“Oh, tudo bem.”

No momento em que eu a avisei para começar a missão de escolta novamente, sua expressão mudou para a de uma leoa.

… O Palácio Real da Cidade Imperial.

Um complicado evento tradicional chamado Reunião Presidida pelo Imperador estava em andamento.

Sophien sentou-se em seu trono e olhou para seus súditos, as mãos cheias com os apelos apresentados pelos ministros.

“Não posso deixar de me preocupar com os problemas que a abertura de Marik causará, Vossa Majestade. Seria apropriado fechá-lo agora, antes que seja tarde demais.”

“Essas bestas de sangue demoníaco sempre aparecem quando menos esperamos. Por isso, sugiro focar neles por enquanto.”

“A supressão de sua espécie certamente causará resistência. Em resposta ao caos e destruição que isso traria, o império deve…”

Sophie estava com dor de cabeça. Ela não queria continuar ouvindo os malditos bastardos, o que ela achou tão irritante que quase se matou imediatamente.

“Já decidi abrir Marik. Não pretendo mudar de ideia agora.”

“Não, minha senhora!”

Os gritos de seus servos fizeram as veias de sua testa saltarem.

“Sua Majestade sempre disse…”

“Por favor, não desconsidere tanto o apelo de seus servos…”

“Quando os aventureiros o invadirem indiscriminadamente, os demônios aparecerão…”

Enquanto clamavam como loucos, Quíron veio até ela e sussurrou: “Vossa Majestade. Deculein chegou.”

Sophie sorriu assim que ouviu isso.

“Suficiente! É hora das minhas palestras. Vá embora!”

“Não, meu senhor! Nada foi decidido ainda—”

“Você não sabe o que estou aprendendo com Deculein?”

Ling

“….”

“São runas. Você não sabe o que são runas?”

Só então seus servos se aquietaram. Sophie sentou-se satisfatoriamente.

“Vá. É aqui que encerramos a reunião.”

“Você finalmente está aqui.” O imperador recebeu Deculein com um sorriso na sala de estudo hoje.

“Sou eu.”

“Tive uma reunião muito chata hoje. É uma tradição que o imperador a preside, então era inevitável. Esses meus súditos idiotas ficavam perguntando tantas coisas. Ouvi-los questionar cada decisão que tomei foi nojento.”

“Eu vejo. Então vamos começar a aula. A runa de hoje é ‘טִיסָה.’”

“….”

Deculein começou as aulas assim que se sentou. Os olhos do imperador ficaram afiados como um machado.

“Me siga. ‘טִיסָה.’”

“Namorado.”

“Não Bae. ‘טִיסָה.’”

“…”

Sophien descansou a mão no queixo enquanto olhava para ele.

Um suspiro dos lábios do imperador fez seu tédio conhecido.

“טִיסָה.”

“… Você nunca pergunta nada sobre minha apólice, não é?”

“טִיסָה.”

“Você está apenas dizendo aquela maldita runa.”

Sua motivação para aprender hoje estava perto de zero depois de sofrer com seus servos.

Percebendo esse fato, Deculein relutantemente se concentrou nas palavras de Sophie.

“Meus servos estavam ansiosos para saber por que eu reabri Marik, mesmo que isso não importe realmente qual seja o motivo para eles. Eles vão se opor a isso de qualquer maneira e acolher a supressão do Sangue Demoniáco, uma extensão dela, de braços abertos…”

Ela parou de falar abruptamente e olhou para ele languidamente.

“O que você acha da minha política, Deculein? Por que você acha que os ministros são contra sua reabertura?”

“…”

A razão pela qual os oficiais do império se opuseram a isso, por que eles tentaram desesperadamente fechar aquela porta mesmo que já estivesse aberta…

Ele respondeu sem um momento de hesitação.

“O suprimento de pedras de mana já é suficiente, então por que temos que arriscar e abri-lo? Todo mundo sendo contra isso, eu acho, faz algum sentido.”

A expressão de Sophien endureceu, seus lábios se curvando em uma carranca.

“Hmpf. É assim mesmo? Você não é diferente.” Ela respondeu, sua voz soando desapontada, enquanto se apoiava no encosto da cadeira, mas Deculein ainda não havia terminado.

Ele continuou lentamente.

“No entanto, o fornecimento de que permanece suficiente é exatamente o que acho estranho. As minas que o produzem são claramente limitadas e são exploradas há centenas de anos.”

Sua testa franziu em curiosidade.

“No entanto, as minas que deveriam estar estatisticamente esgotadas há muito tempo continuam a adquiri-las. Os comerciantes que vendem as pedras argumentam que isso é possível devido ao desenvolvimento da tecnologia de mineração.”

“…”

Ela lentamente se endireitou ao ouvir suas palavras.

“Além disso, os níveis superiores são os que não apenas ditam o preço das pedras de mana, mas—”

“Determinam também sua oferta. [Lopalasia], [Vermonia], [Crumakto]. Até o último imperador tentou manter um relacionamento amigável com aqueles três.”

Quando Deculein concordou com a cabeça, Sophin se inclinou para ele.

“O imperador foi meramente ‘cuidadoso’ com eles. É engraçado, não é?”

A história interna do continente que conhecia era simples.

Segundo ela, mais de 70% das pedras de mana circuladas pelos gigantes superiores agora vinham do Altar, já que as minas existiam mesmo em terras desoladas que haviam sido deixadas intocadas por centenas de anos.

Ela olhou para os lábios dele, querendo ouvir o que tinha a dizer em seguida.

“Sim. No entanto, agora que Marik abriu, inúmeras pedras de mana ficaram disponíveis para mineração. Também, simultaneamente, não deixa espaço para que a rede de distribuição dos comerciantes interfira no fornecimento que produzirá. Afinal, está tudo sob a autoridade total da família imperial.”

“Graças a isso, esses idiotas estão com pressa agora. As pedras de mana de Marik são um perigo fatal para eles. É por isso que os ministros que tiraram dinheiro deles continuam me incomodando.”

Ela sorriu, e ele retribuiu.

“Exatamente. Nesse sentido, Vossa Majestade pode usá-lo para fortalecer seu poder. Se houver um Sangue Demoníaco entre os chefes dos escalões superiores…

“Há. Eu sei disso de fato, e também sei que se eu continuar mexendo com o Sangue Demoniáco, o Altar intervirá.”

“O império tem muitos inimigos internos, não externos.”

“É isso que o torna um império.”

O vai-e-vem entre Sophie e Deculein continuou como se fossem uma só pessoa.

Foi o primeiro acordo que ela experimentou em sua vida, mas o que veio depois disso foi muito mais importante.

Sem conhecer esse ponto-chave, Deculein não corresponderia às suas expectativas.

“Sabendo de tudo isso, Vossa Majestade ainda me declarou que você acelerará a aniquilação fora, não dentro.”

A imperatriz disse que apontaria sua espada externamente para suprimir o Sangue Demoníaco, embora conhecesse o inimigo interno.

O fluxo dessa lógica estava chegando lentamente ao coração da Imperatriz.

Ela se sentiu infantilmente animada depois de tanto tempo. Incapaz de esperar que Deculein continuasse, abriu a boca primeiro.

“Direto. As pedras de mana são apenas o primeiro gatilho. Assim que os bastardos do Altar ficarem preocupados até a morte devido à abertura, eu mesmo declararei a ‘expedição Myulji’.”

“Myulji é o lar do Altar. Eles inevitavelmente se sentirão ameaçados.”

“Uma vez que o façam, é autoexplicativo como eles reagiriam.”

“Eles irão em uma expedição e atacarão a ‘aparência vazia’ do império.”

“Naquele momento…”

Sophie olhou nos olhos azuis cristalinos de Deculein, olhando para as pupilas do ser que entendia perfeitamente sua vontade.

“Você vai aniquilá-los.”

“Eu vou aniquilá-los.”

Eles proferiram essas palavras quase ao mesmo tempo.

O imperador já estava sorrindo de orelha a orelha.

Para ela, a encarnação do tédio e da preguiça, tal percepção era natural.

Nem um único esforço foi gasto. Era como respirar.

Sua sabedoria era desse tipo.

Ela pensou que o professor antes dela, Deculein, seria o mesmo.

“Direto. Mas eu o informei da conquista de Myulji desde o início. Por que você não contou a ninguém?”

“Se eu fizesse, eu teria me tornado seu inimigo, que era o que você realmente esperava que eu fizesse.”

“… Oh? Você estava ciente de tudo isso?”

Ele assentiu.

É claro. Afinal, tudo fazia parte do ‘enredo’.

“Ahaha.”

Ela colocou seu próprio povo à sua volta à prova como um hábito. Quíron e Deculein foram os únicos que não falharam até agora.

“Então deixe-me perguntar-lhe isto: qual é o propósito de Sua Majestade? É simplesmente o crescimento do poder imperial e a destruição do Altar?”

“…”

O sorriso do imperador diminuiu rapidamente.

A alegria que sentiu por Deculein por entendê-la durou menos de cinco minutos.

“Não sei.”

Ela se inclinou para trás.

Seu olhar terrivelmente sonolento parecia um pouco triste.

“Nem eu sei.”

Em seu murmúrio quieto, ouviu palavras que soaram como uma resposta à sua reclamação.

“Então vamos descobrir juntos.”

“…?”

Ela duvidou de seus ouvidos por um momento.

‘… Vamos descobrir juntos?’

Era algo que nenhum servo, nem mesmo Quíron, ousava dizer a ela.

“…”

Sophie olhou para Deculein silenciosamente.

Curiosamente, ele estava cheio de um certo “dever”.

Seu tédio era uma tarefa não apenas para Deculein, mas para o mundo inteiro. O imperador, sem saber disso, ficou completamente intrigado.

“É uma lição para encontrar esse propósito.”

“…”

O imperador permaneceu quieto por um momento, mas mesmo nesse silêncio, Deculein não recuou.

Sophie acenou com a mão.

“Suficiente. Você pode ir. Estou ficando cansada de seu rosto bonito agora. Parece que durou um pouco mais do que os outros, mas a partir de agora, por favor, venha com maquiagem.”

“A aula ainda não acabou. Por favor, acompanhe. ‘טִיסָה.’”

“… O que?”

“‘טִיסָה.’”

Deculein foi persistente, e o imperador o escutou, balançando a cabeça.

—טִיסָה.

Runas apareceram.

‘Voar’, isso significava.

Todo o espaço começou a subir, e Deculein, que confirmou a reação, levantou-se.

“Obrigada.”

“Ok. Vai.”

Depois que o Educador Mágico Deculein saiu, Sophie deitou no chão duro da sala de estudo, murmurando enquanto olhava para o teto.

“Não há uma única mentira.”

Sem mentiras inconscientes.

Bajulação vazia.

Hábitos negativos ou positivos.

Qualquer um poderia fazê-lo pelo menos uma vez. Mas não ele, aparentemente.

“Também não há nada que não saiba. Se eu transformar uma enciclopédia em um humano, acho que ele aparecerá.”

Sophie estava interessada na autoconfiança de Deculein.

Ele conhecia seus pensamentos, planos, motivos… Tudo.

Desde o primeiro encontro, quando disse que ‘conquistaria Myulji’, ele já havia perfurado todo o seu pensamento.

“Até mesmo seu absurdo arrogante de encontrar um objetivo… Ei Quíron. Você também ouviu.”

Seus olhos se moveram para seu cavaleiro, que ela encontrou sorrindo.

“Por que você está assim?”

“Você sabe a resposta para isso, Sua Majestade.”

“O que?”

“Quando é que você vai casar?”

“… Você quer ser executado publicamente, Quíron?”

Sophie olhou para ele. Agora que a sonolência tomou conta de sua totalidade, sua raiva teve dificuldade em brotar.

“Se você está tentando me provocar, você conseguiu. Eu vou te elogiar por isso. Vou adicioná-lo como uma de suas tarefas.”

“Não é isso. Os ministros estão preocupados”.

“Idiotas.”

Sophien tinha vinte e poucos anos, a idade perfeita para o casamento. Claro, o número de anos que ela viveu provavelmente era o dobro disso, mas não sabiam disso.

“Não há homem que possa lidar comigo.”

“….”

Quíron não disse nada.

“O que?”

“….”

Ele apenas olhou para a porta fechada.

Sophie rapidamente entendeu o que ele queria dizer.

“Deculein?”

“….”

“Você é louco? Não tenho o hobby de roubar as coisas dos outros.”

“Eu não disse nada.”

“Suas habilidades políticas melhoraram. Para um cavaleiro.”

Quíron apenas deu de ombros.

“Você está me irritando também, então eu preciso que você vá embora também.”

“Ok.”

Ele saiu imediatamente.

Depois de expulsá-lo, ela pensou calmamente.

“Deculein.”

Ele via o mundo da mesma perspectiva que ela.

Portanto, era compreensível que tivesse esse tipo de personalidade. Havia tantas pessoas estúpidas no mundo com quem ela tinha que lidar, então ela não podia deixar de ficar chateada.

“Devo me considerar afortunada por não estar sozinha?”

Sophie sorriu.

Ela havia encontrado pelo menos um camarada.

“Eu não tinha certeza antes, mas finalmente estou convencida. Graças a ele, finalmente posso me divertir por um tempo.”

Por enquanto, isso era o suficiente para ela.

“Pf. Bastardo arrogante. Que? Descobrir um propósito juntos? Lições?”

Sophien riu, lembrando-se da conversa que tiveram.

Depois de uma hora, ela finalmente se cansou disso.

… Uma hora.

Já era uma duração bastante longa.

Epherene continuou se preparando para sua viagem.

“Toalha, escova de dentes, sabonete, xampu, comida de emergência, livros de revisão e…”

O mais importante de todos.

Seus olhos se arregalaram quando ela olhou para ele.

“Roahawk envelhecido!”

Aqueles quatro pedaços de Roahawk, que seu pai lhe deu de presente para passar no exame, era o alimento mais valioso naquele momento.

Ela planejava assar um de cada vez quando se sentisse mais cansada e triste durante o exame.

“Uau… Hora de ir.”

Com a mochila, ela respirou fundo e saiu do dormitório.

Ela primeiro passou pelo magistrado, escreveu uma carta ao seu patrocinador e depois passeou pelo campus apesar do clima indesejável causado pela estação chuvosa.

“Quando ela vem…”

Ela estava sob a torre do relógio do campus, esperando no lugar que combinaram.

Hoje, um amigo decidiu ir para a Ilha da Riqueza do Mago com ela.

“Epherene~ aqui~”

Bem a tempo, a voz suave de Maid Lete a chamou. Sentada no banco do motorista, ela buzinou.

“Olá~!”

Epherene sorriu brilhantemente e sentou-se no banco de trás. Sylvia ao lado dela tinha um rosto insatisfeito, mas não parou o passeio em si.

“Vamos fazer bem juntos. Eu quero chegar ao próximo nível também.”

“…Epherene arrogante .”

“Ele Ele.” (Um dos apelidos da Epherene)

Sem essa linha, ela realmente não conseguia sentir que seu dia estava completo.

Enquanto ela ria, Sylvia parecia assustada. Aparentemente pensando que estava ao lado de algum tipo de pervertido, ela se aconchegou contra a janela.

“Agora, vamos~.”

“Sim!”

Juntas, elas partiram para a ilha flutuante.

Vroom—

Observando a paisagem do lado de fora do carro, Epherene pensou em seu futuro. As coisas que ela faria sob Deculein. O passado de seu pai e sua morte.

Epherene cerrou o punho.

“…”

Sylvia, por outro lado, só pensava em Deculein. Seu coração doía cada vez que pensava nele, mas não conseguia parar.

Desta forma, ele serviu como lenha em seu coração, talvez de acordo com o plano de Glitheon.

Era tão grande e seco que provavelmente não pararia de queimar mesmo depois que ela se tornasse uma arquimaga.

“Huh? Não é aquele tio…?”

Sylvia olhou para onde Epherene apontava, onde encontrou o homem casado que haviam conhecido antes, Carixel, parado à beira da estrada.

Aproximando-se delas com um sorriso, ele gritou.

“Oh! Epherene, Sylvia! Que bom momento~ Você não pode me dar uma carona também~?”

Lete olhou para Sylvia, que suspirou antes de concordar com a ideia.

Ela iria encontrá-lo na sala de exames de qualquer maneira. Ela não precisava ser má.


Gostaria de ter sua novel favorita em PDF ou algum outro formato digital para ler offline?? ACESSE AQUI e saiba como!!

Comentários

0 0 votos
Avalie!
Se Inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar