The World After the End – Capítulo 74

Guerra da Renovação (1)

A Reunião da Tríade terminou com a Fortaleza de Gorgon emergindo como vencedora. A notícia do que aconteceu se espalhou rapidamente através de um jornalista associado do <Caos Mensal> que estava presente em Gorgon naquele momento.

Aisa Lindcroft sentiu que era estranho estar no escritório de outro Mestre.

“Então, este é o escritório do Mestre de Gorgon.”

A sala tinha apenas uma mesa, algumas cadeiras e umas estantes.

“Só tem o essencial.”

Ela agora estava sendo mantida em Gorgon como refém. No entanto, nem todos foram maltratados. Para ser justo, Aisa Lindcroft era a única considerada como diplomata oficial. Após o fim da reunião, Cayman conversou com ela antes de ser presa. Depois de uma longa conversa, Aisa falou.

— Cayman, se você realmente confia nele, vou reconsiderar.

Aisa pensou que era devido à bondade de Cayman que ela estava sendo tratada de forma diferente. Mais tarde, ela descobriu que era porque foi a única que mudou de ideia, o que resultou em seu melhor tratamento.

“Mas não posso culpá-los.”

Aisa suspirou ao ver a capa do <Caos Mensal> na mesa.

— CHOCANTE! Monarca de Pérola da quinta região DERROTADO! Cayman do Clã do Mar do Sul é o VENCEDOR!

— Novo Despertado? O que está acontecendo com o <Caos>?

As pessoas que vieram com ela sabiam como os Monarcas eram aterrorizantes. Mesmo que Cayman tenha derrotado um General Inferior, não era suficiente. Aisa teve o mesmo pensamento, mas estava curiosa.

“O que os fez mudar?”

Cayman tinha boas lembranças da equipe de expedição do Abismo, mas Aisa nunca pensou que ele realmente se juntaria.

Criar a Equipe de Expedição do Abismo significava que eles lutariam contra o Palácio da Reencarnação.

Se Cayman tivesse pensado em se juntar à expedição, já deveria ter invadido o Palácio da Reencarnação. No entanto, não havia feito isso nos últimos novecentos anos.

— Cayman, você realmente vai lutar contra ‘eles’?

Poderia um homem que viveu por novecentos anos mudar? Aisa, que viveu novecentos e setenta anos, não soube responder.

— Sim.

Cayman havia mudado. Ela conhecia bem Cayman, já que seu Clã do Mar do Sul costumava residir na Fortaleza Dryad. Cayman era sempre aquele que tinha inveja dos outros Líderes de Clãs. Foi ele quem sentiu que era injusto a diferença de força e talento. Mas, não havia mais nenhum vestígio disso em Cayman.

— O Palácio da Reencarnação não é nada parecido com o Clã do Céu Dourado.

Cayman não se mexeu. Aisa sabia que ele tinha o rosto de alguém que estava pronto para lutar. O que lhe deu tanta esperança? Ela havia testemunhado Cayman derrotando o General Inferior das <Grandes Terras>. No entanto, ela e Cayman sabiam que o General Inferior não era dos mais fortes nas <Grandes Terras>. Ele era, de fato, o mais fraco dos generais inferiores.

— Fugimos, novecentos anos atrás. Não podemos fazer isso de novo.

Ela então viu alguns líderes da equipe dos ‘Adaptados’ entrarem na torre junto com os novos membros. Karlton foi incluído nesses novos membros. Aisa ficou chocada. A maneira como eles desapareciam parecia exatamente como quando as pessoas eram convocadas para a Torre dos Pesadelos.

— Você estava [Cultivando] aqui?

— [Cultivar]… Acho que dá para olhar dessa forma.

Cayman sorriu.

— Isso não é [Cultivo].

— Mas essa é uma Torre dos Pesadelos…

— Ninguém se torna um [Produto] naquela torre. Não há [Cultivador].

Uma Torre sem um [Cultivador]. Aisa estava chocada demais para sequer pensar.

“Então Cayman se tornou tão forte porque…”

Havia inúmeras pessoas que estavam entrando na torre agora. Aisa percebeu que havia cidadãos comuns que também estavam entrando.

— O <Caos> cuidará de si mesmo agora.

Cayman respondeu. Os que foram convocados para a torre sem querer, agora estavam entrando nela com um propósito. Aisa notou um homem e ele parecia aterrorizado com a má lembrança do lugar.

“Ele está com tanto medo e ainda assim…”

Mas o homem não parou. Ninguém parou. Todos entraram na torre, mesmo que não fosse forçado. Eles estavam escolhendo fazer isso.

“Escolhendo…”

Aisa olhou para o homem de perto. Ele não desistiu. E quando o painel de controle se moveu, o homem franziu a testa. Aisa sabia o que ele estava vendo. Não havia ninguém no <Caos> que não conhecesse aquela maldita mensagem. O homem resmungou e foi instantaneamente engolido pela luz. Quando desapareceu, não estava mais apavorado.

“Entendo. Eles decidiram acreditar em si mesmos novamente.”

Quando foi a última vez que tiveram uma escolha? Todos eles sabiam. Mesmo que falassem de ‘liberdade’, sua verdadeira liberdade havia sido tirada novecentos anos atrás. E essa liberdade só lhes seria dada se a procurassem.

Aisa ficou curiosa sobre o homem que deu essa ‘liberdade’ para o <Caos>.

— Onde está o Mestre de Gorgon?

Na vasta região desértica, a Fortaleza Manticore.


Chunghuh ofegava enquanto corria.

— Vamos desacelerar.

Eles não desaceleraram.

— Até onde vamos correr?

Eles não tinham usado nenhuma estação de teletransporte até aquele momento. O teletransporte deixava um rastro e tinha o perigo potencial de vazar informações, o que poderia sabotar seus planos. Isso era o que Jaehwan pensava.

— A reunião provavelmente já acabou.

— Sim.

— Tem certeza de que não precisa ir? Eles provavelmente trouxeram um muito forte.

— Cayman deve ter se saído bem.

— Ha! Ele é insignific—

— Ele é mais forte do que você agora.

— DE JEITO NENHUM! Ele deveria viver pelo menos mais 100 anos para me vencer!

Chunghuh gritou.

— Eu era um Despertado antes mesmo dele nascer!

— Mas você começou do zero dessa vez também.

— Sim, mas…

A voz de Chunghuh ficou mais suave. Jaehwan tinha razão. Chunghuh pretendia jogar fora tudo o que tinha e conseguiu com sucesso uma nova palavra-chave de Jaehwan.

— Mas eu não perguntei.

Jaehwan virou-se para Chunghuh.

— Por que começou tudo de novo? Você não estava logo antes do terceiro estágio?

— Porque meu jeito estava errado.

— Então, uma palavra-chave diferente leva você a um caminho diferente?

— Você sabia?

— Eu sabia que você estava olhando o mundo de forma diferente.

O caminho do Despertar que Jaehwan havia tomado era diferente.

[Suspeita] que levou à [Compreensão] que levou ao Despertar.

Chunghuh era um Despertado, mas não era suspeito e nem compreendia o mundo.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar