World Domination System – Capítulo 100

A Chegada dos Convidados

 

Quando os primeiros raios de sol surgiram em Lanthanor, já havia sinais de que este dia seria sem igual. 

Normalmente, neste momento, as pessoas acordavam e iam fazer suas atividades diárias. No entanto, hoje, a maioria das casas no Reino já estavam vazias. 

As ruas tipicamente vazias estavam movimentadas com cidadãos alegres andando por aí segurando bandeiras carmesim e douradas, decorando cada centímetro da cidade gerando uma atmosfera jovial que fez até mesmo as pessoas mais mal-humoradas sorrirem enquanto viam o orgulho e a alegria em quase todos os rostos. 

Entre essas pessoas, muitas usavam roupas simples e muitas vezes se perdiam como se fossem novas na cidade. No entanto, os moradores ficaram felizes em ajudar todas as vezes, pois sabiam que elas foram convidadas pelo Rei para ficar para a cerimônia de coroação. 

Na verdade, hoje era o dia em que o rei Daneel seria oficialmente coroado na presença de todos para tomar o seu lugar de direito que ele já havia sido reivindicado no coração do povo. 

No dia em que Daneel foi a Tesouraria, ele entendeu o quanto o Rei estava arrancando do povo em nome dos impostos. A coisa era que as Gemas Ker eram uma raridade por si só, e embora a taxa de câmbio de 100.000 Lans de Ouro existisse, era difícil encontrar um fornecedor. Assim, o rei estava armazenando ouro a fim de usá-lo todo quando ele encontrasse alguma. 

A quantidade total de dinheiro que a Tesouraria do Reino detinha atualmente era de 50 milhões de Lans de Ouro. Este era o valor em reserva, sem contar o dinheiro necessário para manter o Reino funcionando. O funcionamento do sistema se consistia na Tesouraria conter todo o dinheiro que não precisava estar em circulação. Havia uma Tesouraria separada em que o dinheiro necessário para pagar salários, comprar materiais, financiar o exército, etc. era mantido. Ao contrário da Tesouraria Real que só o Rei poderia acessar, os gerentes financeiros vinculados ao juramento poderiam acessar esta outra tesouraria para facilitar as atividades cotidianas do Reino. 

As taxas de impostos do rei anterior tinham sido simplesmente atrozes. Cada cidadão foi obrigado a pagar 40% de tudo o que ganhavam ao Reino. Além disso, o governo também tomava uma parte dos serviços e bens vendidos no Reino. 

Nos últimos anos, os cobradores de impostos ficavam em 2° lugar nas pessoas mais temidas de se ver caminhando em direção a casa de alguém, além de policiais corruptos ou nobres que poderiam se envolver diretamente em ações genocidas. 

Assim, Daneel decidiu não poupar despesas nas festividades. Os estoques de comida, vinho e roupas do palácio foram distribuídos por toda a capital para o deleite e alegria dos cidadãos. 

Esta não foi uma decisão impulsiva de Daneel. Ele tinha raciocinado que um festival luxuoso era a melhor maneira de ascender decisivamente ao trono diante dos olhos das autoridades. Serviria tanto como um meio de elevar a felicidade geral dos cidadãos como também para fazer um espetáculo para as pessoas que chegariam de longe para ver quem era este novo Rei. 

Assim, Daneel também passou a fazer alguns planos secretos com os comandantes, a Unidade de Dominação e Kellor. 

O objetivo principal era impressionar as pessoas que vinham à Lanthanor mostrando que ela estava em boas mãos, e que não havia nenhuma agitação envolvida em uma transferência de liderança. 

A coroação ocorreria em um palanque recentemente erguido em frente aos Portões do Palácio. 

À medida que o relógio se aproximava das 10:00, as pessoas começaram a inundar o centro da cidade como antes, quando a Igreja da Retidão liderou o ataque. 

Só que, desta vez, não havia quase nenhuma raiva e desprezo presentes nos rostos diante dele. 

A enorme passagem que dava nos Portões do Palácio até a Cidade Externa estava completamente cheia, com pessoas se apertando mesmo fora dos Portões da Cidade Interna na esperança de ter um vislumbre da coroação. 

Daneel já tinha isso em mente. Assim como antes, a Unidade de Dominação foi ordenada a se espalhar na cidade e usar áreas abertas como mercados para configurar os artefatos de Painel para ativarem uma transmissão ao vivo da cerimônia. 

As pessoas que não puderam entrar nos Portões da Cidade Interna antes da passagem ficar completamente lotada, relutantemente foram a esses centros que já haviam sido anunciados estarem usando artefatos de alto-falantes por toda a cidade. 

Enquanto isso, nas fronteiras, quatro pessoas apareceram de direções diferentes nos portões que levavam ao Reino. 

Saindo do ar, cada um deles tinha expressões diferentes em seus rostos enquanto olhavam para os soldados que os encaravam das muralhas.  

O primeiro usava um casaco cinza com um grande corvo estampado no peito. Os soldados que o observavam tremiam como se estivessem olhando para um abismo de escuridão que poderia engoli-los facilmente. 

O segundo tinha pelo menos 3,6 metros de altura com braços magros que quase chegavam ao chão. Suas palmas eram enormes quando comparadas ao seu corpo, e ele tinha um tapa-olho em seu rosto cheio de cicatrizes. Usando vestes vermelhas, este gigante em forma de homem tinha a figura de uma senhorita em seu peito.  

O terceiro provocou suspiros daqueles que o viam. Em vez de um humano, era um ser parecido com uma cobra semelhante à que tinha aparecido acima do palácio. Sua pele escamosa brilhava à luz do sol enquanto ele tinha um olhar alegre em seu rosto, enquanto esperava que os soldados dessem permissão para que ele entrasse. 

Quanto a última, esta era uma elfa que olhou para os portões com uma expressão arrogante. Ela realmente tinha olhos enormes que quase tomaram um terço de seu rosto, e suas orelhas pareciam lâminas feitas de pele. Seu nariz pequeno e afiado cheirava o ar, fazendo seu rosto enrugar com nojo enquanto ela lançava um feitiço que limpava o odor de suor que ela parecia achar tão nauseante. 

Eles eram os enviados que já tinham notificado o Palácio que chegariam. Os soldados que tinham ordens para deixá-los entrar apressaram-se a abrir os portões, em seguida os quatro entraram nas fronteiras e passaram a se teleportar novamente para chegar à capital. 

Enquanto isso, Daneel estava vasculhando as pilhas de Vestes Reais presentes no Palácio. Sua mãe estava ao seu lado, escolhendo roupa após roupa enquanto seu pai o olhava com um sorriso no rosto. 

“Mãe, você é muito exigente! Basta escolher uma delas, realmente não importa se parecer boa o bastante.” 

Maria tinha uma expressão exasperada em seu rosto enquanto ela continuava jogando roupa após outra para o lado. Afinal, seu filho seria coroado Rei! 

“Daneel, você deve parecer o melhor possível! Não quer que seus pais tenham netos para brincar quando estiver ocupado gerenciando o Reino? Agora é a chance de fazer as donzelas no Reino se apaixonarem por você!” 

O rosto de Daneel corou um pouco quando ele ouviu estas palavras. Esta não foi a primeira vez que ele estava ouvindo-as, sua mãe tinha começado a dizer coisas como essas na noite da conquista do reino. Parecia que ver todas as suas dificuldades resolvidas tinha mudado as prioridades na cabeça de sua mãe. 

“Mãe, eu só tenho 16 anos! Ninguém se casa com essa idade! E vocês estarão no palácio, eu estarei por perto e vocês terão algo para fazer juntos depois que eu conseguir curar o corpo do papai…”  

De fato, o feitiço que aleijou seu pai foi encontrado nos registros na biblioteca secreta. Daneel já havia instruído a Enfermaria do Palácio a fazer os preparativos para curar seu pai. Embora ele pudesse desenvolver uma solução por si mesmo, Daneel decidiu que ele só faria isso como último recurso, a fim de não atrair mais espanto para si mesmo e seu misterioso “mestre”. Isso porque o feitiço usado para aleijar seu pai tinha sido um no nível de Mago Humano Exaltado, e exigiria pelo menos um Mago Guerreiro para desenvolver um contra-feitiço. Felizmente, o mesmo já estava detalhado nos registros. 

Desta forma, enquanto o rei discutia amorosamente com seus pais, os convidados de outros países e as pessoas lentamente se reuniam em frente aos painéis ou na passagem dentro da Cidade Interna e esperavam a coroação começar. 

Alguns minutos depois, Daneel se viu olhando para sua imagem no espelho enquanto se perguntava onde sua mãe havia encontrado este vestido. A composição carmesim e dourado parecia magnífica na forma de um dragão muito parecido com o esculpido no trono entrelaçando-se ao redor do manto com a cabeça apoiada em seus ombros. O dourado do manto contrastou com o carmesim do dragão para dar um efeito deslumbrante que Daneel gostou bastante. 

Enquanto todo o Reino aguardava ansiosamente, Daneel suspirou de alívio ao ver o sorriso no rosto de sua mãe, o que significava que ela estava finalmente feliz com a roupa que ele estava usando. 

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar