Switch Mode
Participe do nosso grupo no Telegram https://t.me/+hWBjSu3JuOE2NDQx

World Domination System – Capítulo 158

Apuros

A leste de Elfaven, havia um edifício em ruínas que era chamado pelos moradores como “Sinos da Aflição”.

Numerosos artefatos eram colocados ao seu redor e sempre que um cidadão invadia seus terrenos por acidente ou de propósito, os soldados se teleportavam imediatamente para levá-los embora.

A área ao seu redor estava vazia, exceto por alguns edifícios comerciais que também estavam em estado precário.

O motivo dessa estranha ocorrência era contado em histórias pelos Elfos e humanos que viviam nas áreas mais próximas deste local que ainda eram habitáveis.

Aparentemente, uma noite, um estranho meteoro multicolorido tinha afetado o local sem qualquer aviso.

Meteoros não eram novidades tanto em Eldinor quanto em Elfaven, e eram até procurados nos lugares onde eles caíam, já que muitas vezes tinham recursos energéticos abundantes que poderiam ser usados.

O que era peculiar sobre este meteoro em particular foi que ele enganou todos os equipamentos que a capital tinha para rastrear projéteis que poderiam causar danos à cidade.

Além disso, embora o impacto tenha causado mortes instantâneas de todos na área, os edifícios foram, de alguma forma, deixados apenas meio danificados.

Na verdade, a partir do testemunho de um observador que teve sorte de estar fora da área de efeito, o meteoro derreteu na terra após o impacto e não houve sequer o mínimo som durante seu impacto.

Com as circunstâncias ficando cada vez mais estranhas, o governo optou por isolar a área antes de enviar equipes de pesquisadores para investigar exatamente o que estava acontecendo.

Foi quando a ocorrência que deu nome ao local começou a acontecer.

Todas as noites, precisamente às 21h, um grito alto surgiria do centro do impacto que era um prédio de pedra semidestruído.

Durante 12 horas, este grito seria continuamente ouvido como se a pessoa de quem se originou não precisasse respirar ou pausar para continuar gritando.

Além disso, o grito tinha algum tipo de qualidade especial que quem ficava exposto a ele por mais de um certo tempo desmaiaria onde estavam.

Não importa o quanto Elfaven tentou descobrir a razão por trás de todas essas ocorrências bizarras, eles chegaram a um beco sem saída, pois, todas as indicações mostraram que a área estava normal, exceto pelo grito.

Sem outra opção, os Elfos desistiram depois de isolar toda a área onde o grito podia ser ouvido.

Por toda Angaria, havia certos fenômenos inexplicáveis, como este, que confundiram seus habitantes sem fim. Assim, o governo de Elfaven só poderia gradualmente esquecê-lo depois de agradecer aos céus por não ser um local fatal como alguns outros.

Quanto ao nome: muitos sentiram que o grito soava lamentável, como se emanasse de alguém que perdeu seus entes queridos.

Depois de se teleportar para um local secreto sob o prédio de 3 andares, Eldra acenou para os soldados que estavam estacionados lá antes de entrar em uma sala na qual 4 cadeiras estavam presentes.

Os soldados faziam parte de uma tropa especial e secreta conhecida pelo apelido de “Observadores Silenciosos”. Usando feitiços arcaicos que tinham sido transmitidos desde a fundação de seu Reino, os Elfos de Elfaven fizeram isso para que todos os tipos de comunicação fossem selados para sempre nos indivíduos que se juntavam a esta tropa em troca de coisas como ter suas famílias cuidadas pelo resto de suas vidas.

Em resumo, esses soldados não podiam se comunicar com ninguém, eles só podiam aceitar ordens.

Como a solução perfeita para garantir que nenhuma informação fosse vazada, eles foram implantados em locais sensíveis como estes onde o sigilo era justificado.

Depois de entrar na sala e se sentar, Eldra apoiou o rosto nas mãos antes de escovar o cabelo para trás e respirar fundo.

Ele era brilhante e marrom e uma vez tinha alcançado suas costas antes dela ser ‘aconselhada’ por sua mãe a cortá-lo curto, já que poderia atrapalhá-la em batalha.

Embora esta tenha sido apenas uma das muitas maneiras pelas quais sua mãe extremamente controladora afetou sua vida, esse evento estava no top 5 de sua lista de memórias mais dolorosas quando ela as lembrava.

Deixando de lado esses pensamentos, ela fez uma expressão séria surgir em seu rosto antes de se inclinar para trás na cadeira e bater ritmicamente sobre a mesa no meio.

Alguns minutos depois, três indivíduos entraram juntos na sala.

Dois deles eram Elfos, um homem e uma mulher, a última pessoa era um humano cujo rosto estava escondido por uma máscara de pano. Embora seu rosto estivesse coberto, suas orelhas ainda podiam ser vistas, o que revelava sua espécie.

A Elfa tinha características fortes, com nariz pontiagudo e lábios largos que estavam sorrindo atualmente. Com cabelos crespos e ruivos que quase atingiam suas pernas, ela era definitivamente uma mulher que faziam os homens virarem suas cabeças para olharem-na.

Quanto ao Elfo, ele tinha cabelos curtos, estilo militar, com um nariz de botão e um queixo quadrado. Ao contrário da Elfa, que parecia estar na primavera da juventude, ele parecia bem velho devido ao seu cabelo grisalho e maneira curvada de andar.

Vendo-os entrar, Eldra só olhou para eles friamente sem se levantar.

Embora os dois Elfos sorrissem brevemente ao vê-la, suas expressões se tornaram neutras pela recepção fria.

Depois que eles se sentaram, um silêncio permeou a sala com apenas o som dos dedos de Eldra batendo na mesa audível para aqueles que tinham acabado de entrar.

“A Rainha Eldara ganhará a eleição novamente. Digam seus preços para tornar isso possível.”

Foi o homem com a máscara que respondeu primeiro.

“Hoho, parece que nossa Rainha ficou ansiosa para…”

BANG

Batendo com força na mesa, Eldra levantou-se e ergueu a mão no ar, fazendo o homem parar o que ele estava dizendo.

“Eu não quero ouvir nada. Lembrem-se, suas gargantas estão na minha mão. Se suas exigências exagerarem ou pensarem em revelar nossos negócios, vocês estarão mortos antes mesmo de perceberem. A compra e venda de crianças élficas é, afinal de contas, o crime de maior punição em nosso Reino.”

Ouvindo suas palavras, as expressões ligeiramente regozijadas que haviam aparecido nos rostos dos dois Elfos desapareceram e foram substituídas por outras de leve terror.

Compartilhando um olhar entre si, os três indivíduos olharam para Eldra como um e disseram: “O dobro da quantia da última vez.”

Embora Eldra desejasse que ela pudesse bater em seus rostos, tudo o que ela fez foi acenar e dizer: “OK. Nem um tostão a mais.”

Quando ela viu os sorrisos aparecerem em seus rostos, ela se sentiu enojada na medida em que sentiu vontade de vomitar.

Depois que eles se levantaram e saíram juntos, ela caiu em sua cadeira e fechou os olhos enquanto as lágrimas corriam pelo rosto.

Escravidão Élfica. Embora oficialmente banida, era o segundo negócio mais lucrativo em Angaria depois da Escravidão de Gigantes.

Como aqueles nascidos naturalmente com boa compreensão, os elfos certamente se tornariam magos quando crescessem, fazendo seu valor disparar quando comparado com outras espécies que só poderiam equivaler a lutadores.

Afinal, o mago mais fraco era mais valioso no campo de batalha do que um lutador com potencial médio.

Esses três indivíduos eram as “influências” nas três grandes organizações de notícias em Elfaven. Como as maiores partes interessadas, elas poderiam, direta ou indiretamente, influenciar as organizações a relatar o que quisessem.

Em troca, o governo fecharia os olhos para seus negócios, ao mesmo tempo, em que os isentava de impostos e pagava-lhes uma quantia enorme equivalente a milhões de Lans de Ouro.

O dinheiro, na verdade, foi desviado, pela Rainha Eldara, do governo, usando projetos de desenvolvimento falsos que não custam nem perto do valor citado nos registros.

Embora isso fosse algo a ser desaprovado, poderia ser encarado como projetos que faziam bem à nação.

O que fez Eldra chorar foi a imagem de cerca de 60 carinhas fofas olhando para ela e chamando-a de “Irmã Eldra!” depois que ela as salvou pessoalmente de uma carga de escravos.

Em sua vida, que estava cheia de escuridão, este tinha sido o dia da luz que afastou grande parte da escuridão e a fez sorrir como a criança feliz que ela já foi.

Agora, essas meninas e meninos elfos seriam definitivamente levados devido a este acordo.

Enquanto ela tentava controlar suas lágrimas de modo a voltar para o palácio, o artefato de comunicação em seu bolso brilhava enquanto uma mensagem soava em seu ouvido.

“Senhorita, alguém chamado ‘Devon’ se aproximou do palácio dizendo que quer encontrar com você. Ele diz que tem informações que podem ajudar nosso Reino. Você gostaria que nós o expulsássemos?”


Considere fazer uma Doação e contribua para que o site permaneça ativo, acesse a Página de Doação.

Comentários

0 0 votos
Avalie!
Se Inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar