Chrysalis – Capítulo 142

O Caminho à Frente

Com a Rainha humana presa entre minhas mandíbulas, há pouco que os soldados possam fazer para me impedir de lhe arrancar a cabeça, se assim o desejar. 

‘O poder está em minhas mãos/garras!’ 

Infelizmente para esses soldados, a raiva em meu coração está queimando furiosamente depois de testemunhar o dano que causaram à minha família. Não faço ideia de quantas formigas foram destruídas por esses invasores, a própria Rainha foi ferida por suas lâminas. 

‘Eu exijo vingança!’ 

Os soldados estão conversando entre si agora, com rostos tensos de preocupação enquanto tentam descobrir como lidar com essa situação. Não quero dar-lhes tempo suficiente para formular um plano. Se eles decidirem ameaçar a Rainha das formigas, podemos acabar em um impasse em vez desta situação em que tenho a clara vantagem. 

Dou um passo à frente agressivamente, com a Rainha humana balançando no aperto de minhas mandíbulas e seus pés arrastando no chão enquanto ela tenta mantê-los apoiados sob ela. Quando os soldados me veem tratando tão mal sua realeza, eles reagem com raiva, agarrando suas armas e gritando comigo em sua língua. 

Em resposta, flexiono minhas mandíbulas ao redor de seu pescoço ameaçadoramente. Na tentativa de comunicar minhas demandas, uso uma de minhas antenas para apontar várias vezes para o solo. 

‘Abaixem suas armas!’ 

Os soldados olham entre si, confusos com meu gesto. Eu não acho que eles esperam ser capazes de se envolver em qualquer tipo de diálogo com um monstro e eu realmente não os culpo. Tenho a impressão de que existem monstros inteligentes, mas a sensação que tenho é que esses monstros não gostariam de se dar bem com nenhuma criatura na superfície. Pelo que vi de monstros até agora, só posso imaginar que eles colocam essa inteligência superior na tarefa de inventar maneiras de matar pessoas com mais eficiência. 

Claramente nesta situação eles não sabem o que fazer. 

Mais uma vez flexiono minhas mandíbulas com força e aponto várias vezes para o chão com ambas as antenas desta vez. 

‘Abaixem suas armas!’ 

Há um medo real nos rostos desses soldados. Não por eles mesmos, mas pela vida da pessoa que seguro entre minhas mandíbulas. Eles sabem que há muitas poucas chances de encontrar uma saída positiva para essa bagunça. 

Eles conversam por alguns segundos antes que o soldado que estava lutando com Tiny grite com os outros e depois se deite no chão. Vendo seu exemplo, os outros obedecem relutantemente, deitando de bruços no chão. 

… 

‘Ok, claro. Isso também funciona.’ 

[Tiny, caminhe até eles e pegue suas armas e escudos] 

‘Com eles deitados, podemos reduzi-los como uma ameaça removendo seus equipamentos, isso ajudará a manter tudo ainda mais sob controle. Perfeito.’ 

Enquanto estou me parabenizando pelos meus movimentos de xadrez, eventualmente percebo que Tiny não se moveu. Focando minha atenção nele, percebo que ele ainda está parado, olhando para mim com uma expressão confusa. 

[O que são essas coisas?] Ele pergunta. 

‘Putz.’ 

[Tire as coisas de metal pontiagudas, como a daquele cara que te esfaqueou, e suas grandes tábuas de metal que ele usou para bloquear seus socos!] Eu tento explicar o mais calmo que posso. 

Ele me encara com uma intensidade incrível, com os pensamentos correndo em sua mente com uma lentidão excruciante.  

‘Vamos lá, cara!’ 

Lentamente, ele se vira e pisa no soldado com quem lutou, provavelmente o líder ou capitão desses homens, olhando para mim o tempo todo. Então ele se inclina lentamente em direção ao soldado nervoso e segura a espada entre dois de seus dedos grossos, olhando para mim como uma criança se perguntando se estava fazendo a coisa certa. 

[Sim! Essa é a espada! Bom trabalho Tiny!] Eu o elogio. 

Seu rosto de morcego se abre em um largo sorriso e ele pega a espada e a traz para mim, colocando-a cuidadosamente aos meus pés como se ele fosse um cachorro brincando de pegar. Agora que sabe o que está fazendo, ele consegue ir até cada soldado e pegar sua espada, trazendo-as de volta para mim uma a uma antes de tentar descobrir o que é o escudo. Quando ele finalmente descobre, ele os recolhe um por um novamente, trazendo-os para mim e completando sua pequena pilha de equipamentos na minha frente. 

Leva quase dez minutos para ele fazer tudo. 

[Bom trabalho Tiny] Eu digo exausto. 

Ele parece imensamente satisfeito consigo mesmo.  

‘Quão baixo é o seu status de Astúcia cara, sério?!’ 

Com todos os soldados desarmados me sinto muito mais seguro.  

‘Com suas incríveis habilidades de espada, quantos de minhas colegas de trabalho foram destruídas? Eu me recuso a deixá-los escapar disso.’ 

Movendo-me lentamente, começo a levar a Rainha em direção ao ninho, permitindo que ela caminhe com firmeza enquanto acompanha meu movimento. Os soldados observam com olhos preocupados enquanto eu afasto sua Rainha de sua linha de visão. Quando um deles tenta virar a cabeça para me ver me mover, eu aponto furiosamente para ele com uma antena até que ele se vira. 

À medida que me aproximo, a verdadeira extensão do dano causado nesta batalha foi exposta. Cerca de cem operárias foram mortas, com seus corpos sendo dilacerados pela devastadora luz das espadas de seus oponentes. 

‘Essas formigas eram simplesmente muito fracas para lutar contra inimigos de alto nível como esses. Elas não são inteligentes o suficiente para usar táticas e não são fortes o suficiente para lutar de frente. Se houvessem mais números, digamos mil formigas, talvez elas tivessem sido capazes de pressionar a barreira e derrubá-la. Mas também, talvez os magos fossem capazes de aguentar tempo suficiente para que esses poucos humanos destruíssem milhares da minha espécie.’ 

‘Ainda não está bom o suficiente!’ 

‘Essa ocorrência chocante mostrou claramente que contra adversários de alto nível a colônia só será capaz de alcançar a vitória ao custo de muitas vidas. Para uma colônia de formigas monstruosas normal, isso pode ser bom, vitória enquanto joga fora as operárias individuais ou as trata como descartáveis. Se aceitei que as formigas desta colônia são minha família, então me recuso a deixá-las morrer tão facilmente.’ 

‘Esta será a última vez.’ 

[Tiny, eu quero que você traga aquele cara contra quem você estava lutando, para o ninho. Então eu quero que você volte aqui depois e mate todos os outros] 

O grande macaco acena com a cabeça, sorrindo alegremente.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar