Switch Mode
Servidor de Hospedagem do Site está passando por manutenção, pode ficar instável por algumas horas!!
Participe do nosso grupo no Telegram https://t.me/+hWBjSu3JuOE2NDQx

Circle of Inevitability – Capítulo 62

Data

Lumian parou na beira da floresta, a uma curta distância de sua casa, e olhou para Leah e os outros.

Este local era bastante isolado, sem nenhum aldeão passando. A floresta era pouco povoada, tornando fácil localizar alguém escondido nas proximidades.

À medida que o tilintar se aproximava, Leah perguntou com um sorriso: — Como você sabe que estamos procurando alguém?

Lumian permaneceu em silêncio. Ele tirou o item essencial que trouxera consigo.

O livre bleu de casa!

Ele levantou o item e mostrou a Ryan e aos outros as páginas onde algumas palavras haviam sido cortadas.

Sem hesitar, Ryan assentiu e disse: — Então você escreveu a carta pedindo ajuda.

Eles nunca mencionaram uma carta de ajuda em Cordu, muito menos detalharam que a carta foi montada a partir de palavras recortadas de um livre bleu.

A menos que a outra parte tivesse um informante-chave em Bigorre, teria que ser o autor da carta.

Leah instintivamente olhou em volta.

Os dois pequenos sinos prateados pendurados no véu acima de sua cabeça estranhamente não emitiram nenhum som.

Valentine estava prestes a perguntar o que havia de estranho nas pessoas ao seu redor quando Ryan perguntou, intrigado: — Como você pode ter certeza de que estamos aqui por causa daquela carta?

“Você mesmo me contou…” Lumian sorriu.

— Para começar, são muito poucos os estrangeiros que vêm para Cordu. Menos ainda os que não compram lã, queijo e cordeiros e apenas vagam pela aldeia para conversar com as pessoas.

— Além disso, eu não disse nada. Só lhe mostrei este livre bleu.

A compreensão atingiu Leah e ela riu.

— Então é apenas um teste.

— Essa é uma ideia brilhante. Aqueles que não conhecem a carta não entenderão suas intenções, então não ficarão muito desconfiados. No máximo, eles vão pensar que é uma pegadinha, e você é o Rei Brincalhão de Cordu. — Ryan assentiu levemente.

Esta frase aparentemente inocente revelou que o trio havia aprendido algo conversando em Cordu nos últimos dias. No mínimo, identificaram os aldeões mais proeminentes e tomaram as medidas apropriadas.

Lumian imediatamente deu um sorriso provocador.

— Você acreditou? Você acreditou seriamente?

Vendo o espanto de Ryan e dos outros, ele acrescentou: — Eu só estava brincando. Contarei o verdadeiro motivo mais tarde.

Leah cerrou os dentes.

— Como esperado do Rei Brincalhão de Cordu. Você não tem medo de que não acreditemos no que você está prestes a dizer?

— Você pode escolher não acreditar. — Lumian usava uma expressão indiferente. — Ou você mesmo pode verificar.

Valentine, visivelmente insatisfeito, perguntou ansiosamente: — Em sua carta, você mencionou que as pessoas ao seu redor estão ficando mais estranhas. O que há de tão estranho nelas?

Lumian exclamou e estalou os nós dos dedos.

— Muita coisa. Para ser mais preciso, o padre acredita em um deus maligno, o pastor Pierre Berry transforma pessoas em ovelhas e as conduz de volta para Cordu. Madame Pualis anda em uma carruagem puxada por demônios pelo deserto. Quando o vice-padre dorme, uma criatura translúcida parecida com um lagarto sai de sua boca. Naroka claramente não está morta, mas ela quer ir para Paramita. Louis Lund, o mordomo do administrador, acaba de dar à luz um bebê. A coruja das lendas do Bruxo voa de volta para o aldeia de vez em quando…

Ryan, Leah e Valentine ficaram cada vez mais chocados enquanto ouviam. Eles não queriam acreditar, mas achavam que o garoto na frente deles não conseguiria inventar tantas histórias absurdas.

Eles eram todos investigadores oficiais experientes que haviam lidado com numerosos incidentes Beyonder, muitos deles envolvendo deuses malignos e artes místicas. No entanto, nenhum era tão ridículo ou exagerado quanto o que ouviam agora. Apenas o padre que acreditava em deuses malignos parecia normal.

Mais importante ainda, a maioria dos incidentes que eles haviam tratado anteriormente ocorreram de forma independente. No máximo, dois ou três ocorreriam simultaneamente. Além disso, eram intimamente relacionados, mas Cordu tinha muitas anormalidades horríveis!

“Que tipo de lugar é esse?” Quase instantaneamente, pensamentos semelhantes passaram pelas mentes de Leah, Ryan e Valentine.

Eles suspeitavam que haviam entrado inadvertidamente no lendário Abismo ou Inferno!

Quando Lumian parou, Leah não pôde deixar de perguntar: — Você não está brincando, está?

Havia alguém normal nesta aldeia?

Lumian sorriu.

— Ainda não terminei de falar. Há outra anormalidade.

— Esta é a terceira ou quarta vez que falo com você sobre algo assim. Ryan, Leah, Valentine, meus repolhos.

Ryan, Leah e Valentine não ficaram surpresos que Lumian soubesse seus nomes. Era inevitável quando eles conversavam na aldeia.

Eles ficaram ainda mais surpresos e intrigados com a primeira metade da frase.

— O que você quer dizer? — Valentine perguntou com uma carranca.

— O que quero dizer é que temos vivenciado repetidamente os últimos dias. Em outras palavras, caímos em um loop temporal. — Lumian não deixou os três estrangeiros adivinharem e deu uma resposta padrão.

Sem esperar que Ryan e os outros o questionassem, ele mencionou brevemente o que haviam vivido juntos e finalmente disse: — Pense bem. Foi realmente no dia 29 de março que vocês entraram na aldeia?

Leah e os outros quebraram a cabeça.

Depois de mais de dez segundos, Valentine revelou uma expressão de dor.

— Minha noção do tempo está confusa. Não consigo me lembrar da data exata dos dois meses anteriores… Mas eu me lembro. Lembro-me de comemorar o aniversário do meu filho mais novo antes de partir. O aniversário dele é…

Valentine levantou a cabeça e deixou escapar em estado de choque: — 10 de abril!

“Em outras palavras, a data real agora é meados de abril? A julgar pela aparência, o número de loops pelos quais passei antes de ter minhas memórias apagadas não pode ser mais do que alguns. Não pode ser mais de uma vez… Sim, esse foi o primeiro loop. O loop ainda nem havia começado, então pude enviar uma carta sem a ajuda do rio. Quando o loop acontecesse e o tempo retrocedesse, as memórias correspondentes seriam substituídas, mas os objetos materiais além do alcance não seriam capazes de voltar atrás?” Lumian tinha uma nova teoria sobre a carta.

Ele assentiu imperceptivelmente e disse a Ryan e Leah: — Vocês também podem contatar o mundo exterior e obter a data atual de uma forma que não levante nenhum sinal de alerta.

— Quando chegar a hora, você acreditará em mim.

— Sim, sim! Envie um telegrama! — Valentine saiu de seu estupor. — Peça ajuda aos superiores!

Lumian olhou para ele como se ele fosse um idiota.

— Pedir ajuda?

— Diante de um loop temporal tão bizarro, o que vocês, funcionários, costumam fazer?

Ryan ficou em silêncio por um momento antes de dizer: — Eliminar isso diretamente para evitar que a corrupção se espalhe.

— Portanto, pedir ajuda agora é tão bom quanto suicídio. — Lumian sorriu e encolheu os ombros.

Valentine respondeu fervorosamente: — De acordo com as regras, temos que reportar o mais rápido possível. Estou disposto a me sacrificar por isso!

— … — Lumian ficou atordoado.

“Essas pessoas existem?”

“Não, tenho que me livrar desse cara imediatamente, ou todos morrerão juntos!”

Felizmente, Leah e Ryan sentiram claramente que ainda poderiam ser salvos. Eles trocaram um olhar e assentiram.

Ryan deu um tapinha no ombro de Valentine e disse: — Fique calmo. Ainda não sabemos o que está acontecendo. Talvez haja uma solução melhor.

— Se realmente não pudermos nos salvar, reportaremos isso aos superiores.

— Isso mesmo, — acrescentou Lumian apressadamente. Ele contou as descobertas e especulações sem o símbolo em seu peito, as ruínas do sonho, a mulher misteriosa e a Sociedade de Pesquisa dos Babuínos de Cabelos Encaracolados. Finalmente, ele disse: — A chave para o problema provavelmente acontecerá na décima segunda noite. Temos que sobreviver até então. Só então poderemos realmente resolver o problema no próximo loop.

Vendo que ele havia revelado tantos detalhes e que poderiam verificar todos eles, Ryan e os outros ficaram completamente inclinados a acreditar nele. Valentine se acalmou e se lembrou da esposa e dos filhos.

Leah exalou. — Não admira que você nos conheça e saiba que estamos procurando alguém.

Acontece que eles haviam se comunicado em um loop anterior.

Ela inconscientemente tocou o sino de prata acima de sua cabeça, querendo fazer uma adivinhação, mas se conteve ao se lembrar das anormalidades que Lumian havia descrito.

Ela não queria explodir por causa de uma adivinhação que não deveria ser feita antes do início da verdadeira investigação.

Ryan pensou por um momento e disse a Lumian: — Você está nos contando isso porque quer que cooperemos com você e sua irmã?

— Muito astuto, meu repolho. — Lumian riu e disse sério: — Primeiro, contate o mundo exterior, dizendo que sua investigação fez algum progresso. O padre parece ter um certo problema. Em seguida, pergunte o que é aquela coisa parecida com um lagarto que sai da boca do vice-padre. É menos provável que isso assuste seus superiores, fazendo-os explodir tudo. Ah, certo, confirme a data real e tome cuidado na forma como isso é feito. Não deixe ninguém de fora suspeitar de nada.

— Em segundo lugar, minha irmã vai convidar a Madame Pualis para tomar o chá da tarde em minha casa esta tarde. Espero que vocês possam entrar furtivamente na mansão do administrador comigo e fazer uma busca.

— Quanto ao futuro, depende das informações que obtivermos hoje.

Ryan, Leah e Valentine se entreolharam e sentiram que o pedido de Lumian não era tão irracional.

Isso era o que eles teriam feito.

Os quatro chegaram à praça da aldeia. Ryan foi contatar o mundo exterior enquanto Leah, Valentine e Lumian esperavam sob o olmo do lado de fora.

Depois de se acalmar, Leah olhou para Lumian e perguntou curiosa: — Você é um Beyonder, e sua irmã também?

— Sim. — Lumian não escondeu.

Leah riu. — Você não tem medo de ser preso por nós?

— Estamos no mesmo barco agora. Diante de uma emergência em que o barco está prestes a afundar, só podemos ajudar uns aos outros. — Lumian encolheu os ombros. — Quanto ao futuro, falaremos sobre isso mais tarde. Ainda não se sabe se conseguiremos escapar desse loop.

— Isso é verdade. — Leah virou a cabeça e olhou para Valentine.

A razão pela qual ela tocou nesse assunto foi para deixar seu companheiro entender isso e não fazer nada estúpido.

A expressão de Valentine permaneceu fria enquanto ele assentia imperceptivelmente.

Leah então perguntou sobre algo que a preocupava mais.

— Por que você consegue manter as memórias de antes?

— Eu não vou te dizer. — Lumian riu.

Sem esperar pela resposta de Leah, ele abriu as mãos e disse: — Só estou brincando. Na verdade, também não tenho certeza. De alguma forma, mantive minhas memórias, e são apenas dos dois últimos loops.

— Pense no que aconteceu naquela época. Talvez isso seja muito importante, — disse Leah depois de pensar um pouco.

Lumian disse sinceramente: — Estive pensando, mas não descobri nada. Talvez eu só perceba de repente quando encontrar algo.

Leah estava prestes a ajudar a analisar a situação quando Ryan, que recebeu uma resposta, saiu do prédio da administração.


Considere fazer uma Doação e contribua para que o site permaneça ativo, acesse a Página de Doação.

Comentários

5 1 voto
Avalie!
Se Inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar