Participe do nosso grupo no Telegram https://t.me/+hWBjSu3JuOE2NDQx
Considere fazer uma Doação e contribua para que o site permaneça ativo, acesse a Página de Doação.

Getting a Technology System in Modern Day – Capítulo 118

Lendo o Relatório

Traduzido usando o ChatGPT



[

Título: Operação Inferno – Levante Celestial.

Relatório Confidencial

Introdução:

Este relatório delineia um plano conclusivo para a derrubada do governo de Éden, a ser executado durante as celebrações do Dia dos Fundadores.

Objetivo:

O objetivo principal da Operação Inferno – Levante Celestial é orquestrar um levante bem coordenado para derrubar o governo de Éden durante as simbólicas celebrações do Dia dos Fundadores. Ao escolher essa ocasião específica, visamos explorar a vulnerabilidade e distração do governo, maximizando as chances de uma revolução bem-sucedida.

Justificativa:

Importância Simbólica

Momento Estratégico

Táticas de Diversivas

Plano de Execução:

Recrutamento e Treinamento

Coleta de Informações

Levante Coordenado

Tomada de Posições Chave

Apoio Público

.

.

.

.

.

.

.

.

]

Enquanto todos na reunião liam silenciosamente o plano, suas expressões revelavam tudo, menos calma.

Apesar de seus esforços para controlar suas emoções, eles não conseguiam evitar mostrar surpresa e espanto.

O nível de detalhes no plano estava muito além do que qualquer pessoa poderia conceber, deixando-os maravilhados com a estratégia complexa apresentada diante deles.

“Quem elaborou esse plano?” perguntou Adam, um dos líderes regionais, em tom animado.

“Não posso dizer, pois eles desejam permanecer anônimos”, respondeu Alexander, evitando intencionalmente mencionar o envolvimento de Aron no plano.

“Embora o plano seja bem elaborado e factível, ele requer uma quantidade significativa de financiamento, e não tenho certeza se podemos obtê-lo sem chamar a atenção de Adolf e outros grupos revolucionários”, Adam expressou sua preocupação.

“Quando se trata de financiamento, você não precisa se preocupar com isso. Um doador generoso cobriu todos os custos, então agora só precisamos começar a planejar a execução do plano”, tranquilizou Alexander.

“Embora o plano seja muito detalhado, parece que está faltando algo”, Ace comentou após terminar sua leitura, identificando uma lacuna no relatório.

“O que está faltando?” perguntou Alexander, curioso para saber sobre a omissão.

“Embora o plano detalhe nossa estratégia de utilizar os preparativos para a celebração dos dias fundadores como uma cobertura para nos reunirmos e explorar as fraquezas criadas pela concentração de forças em outros locais importantes, ele ignora o aspecto crucial de lidar com o exército restante.

Embora eles possam não ser uma força formidável em comparação com os padrões globais, ainda compõem um exército armado de 34.000 pessoas. Apesar do foco de Adolf em suas forças privadas, não podemos ignorar a presença do exército. Precisamos abordar como lidaremos com eles”, explicou, destacando o componente ausente do plano.

“Esse aspecto será tratado pelo nosso apoiador”, respondeu Alexander à pergunta.

“Quem é esse apoiador? Precisamos conhecê-lo para ver se podemos confiar nele e quais são as intenções dele quando tudo terminar,” disse Ace imediatamente após ouvir a resposta de Alexander. “Não somos crianças, todos sabemos que alguém que investirá uma quantia tão grande de dinheiro sempre tem algo a ganhar, e não somos contra isso ou qualquer coisa do tipo, só precisamos saber suas intenções para que possamos decidir se confiamos ou não nele.”

Quando Alexander ouviu a pergunta, ele percebeu que não poderia fornecer uma resposta direta sem revelar a identidade e as intenções de seu apoiador.

Ele se viu em uma situação difícil, dividido entre revelar Aron como o apoiador ou manter a informação em segredo, o que poderia levar a insatisfação ou oposição entre o grupo. Alexander contemplou as consequências de ambas as opções, pesando os benefícios potenciais da transparência em relação aos riscos de comprometer o anonimato de seu benfeitor.

Enquanto Alexander estava pensando, seu telefone emitiu um som de notificação. Embora pudesse ter escolhido ignorá-lo, ele reconheceu o som específico como sendo atribuído apenas a Aron. Isso indicava que a mensagem tinha importância, o compelindo a pegar rapidamente seu telefone e abrir a mensagem, independentemente de como isso poderia ser percebido pelos outros presentes.

A mensagem continha uma simples declaração: “Você pode falar sobre mim.” Embora a mensagem trouxesse alívio a Alexander, também evocava um sentimento de desconforto. As palavras tinham um duplo significado. Por um lado, significava a aprovação de Aron para que Alexander revelasse sua identidade aos outros. Por outro lado, carregava uma implicação mais sinistra – uma que sugeria a onipresença e o controle de Aron, insinuando que cada ação e palavra estavam sob seu olhar atento.

“Isso é importante?” O homem, impaciente, perguntou a Alexander se a notificação que ele acabara de receber era importante, sem saber da importância que ela tinha para Alexander e do peso que ela carregava na situação atual.

“Não, vamos continuar com a reunião”, respondeu Alexander, discretamente guardando seu telefone no bolso.

“Já que vocês querem saber quem é nosso apoiador, o nome dele é Aron. Quanto ao que ele quer ganhar de nós depois que tudo for bem-sucedido, ele quer que a constituição acabe com o exército e desmantele todas as instituições associadas a ele”, explicou Alexander, mantendo sua resposta curta e concisa.

“O quê??” A sala irrompeu em surpresa e choque ao ouvir a revelação de Alexander. A súbita e audaciosa proposta de Aron deixou todos incapazes de manter a compostura.

“Por que ele quer uma coisa tão absurda?” Ace exclamou indignado, incapaz de compreender a motivação de Aron para querer abolir o exército.

Quando Alexander ouviu o homem desconsiderar a exigência de Aron como “absurda”, sentiu um aperto no coração, sabendo que Aron estava ouvindo toda a conversa. Em uma tentativa de evitar insultos e potenciais consequências, Alexander rapidamente interveio, oferecendo uma explicação. “Suas forças privadas irão substituí-lo”, esclareceu, esperando acalmar a situação e aliviar quaisquer preocupações.

“Por que diabos ele quer fazer isso?” Ace continuou perguntando.

“Quanto aos motivos específicos por trás de sua decisão, eu não tenho certeza”, respondeu Alexander honestamente.

“E quanto aos 34 mil soldados no exército? Eles vão simplesmente aceitar o desemprego? Não vamos esquecer que eles estão armados”, questionou Ace, seu tom cheio de deboche.

“Como mencionei antes, quando se trata do exército, não há motivo para se preocupar. Nosso apoiador, Aron, lidará pessoalmente com os desafios associados ao exército e tudo o que isso envolve”, assegurou Alexander em tom confiante.

“Realmente não consigo entender como ele pretende realizar isso”, comentou uma pessoa, tentando visualizar as questões práticas. “Pessoalmente, não conheço ninguém no mundo com um exército privado capaz de controlar mais de 34 mil indivíduos, exceto Ramzan Kadyrov, e o nome de Aron não tem nenhuma semelhança com o dele. É bastante perplexo de se contemplar.”

“Embora eu não esteja ciente de suas verdadeiras capacidades, o que sei é que ele possui riqueza suficiente para respaldar todas as afirmações que fez”, respondeu Alexander, reconhecendo sua própria ingenuidade em relação à extensão de sua confiança inabalável nas habilidades de Aron, sem saber de onde ela vem.

“Isso é muito pouco para confiarmos nele. Você pode marcar uma reunião para que possamos avaliar pessoalmente sua credibilidade e determinar se podemos contar com ele e cumprir suas exigências? Ou devemos considerar a possibilidade de traí-lo depois de ganharmos poder e alcançarmos nossos objetivos?” Oscar propôs, fazendo com que Alexander nervosamente segurasse suas calças, temendo as possíveis repercussões das palavras do homem.

“Vou transmitir seu pedido de reunião a ele e informá-los de sua resposta assim que a receber”, respondeu Alexander, sua voz ainda tingida de medo residual. “Com isso, vamos encerrar a reunião de hoje e nos reunir novamente após recebermos sua resposta.” Percebendo a atmosfera tensa na sala, ele rapidamente encerrou a reunião, com receio de provocar qualquer ação de Aron que pudesse colocar em risco sua própria segurança.

Para Alexander, embora Aron sempre fosse cortês durante cada interação que tiveram, ele entendia que Aron era uma pessoa formidável e potencialmente perigosa.

O fato de Aron já ter investido uma quantia substancial de dinheiro, superando um quarto de bilhão de dólares, indicava a seriedade de suas intenções. O comprometimento de Aron com suas promessas era inabalável, e Alexander sabia que qualquer traição de sua parte não acabaria bem para eles.

Os vastos recursos que Aron dedicou à causa deles demonstraram a importância do que ele tinha a ganhar em troca. Alexander reconhecia que o valor que Aron atribuía ao seu objetivo final era tão significativo que ele não hesitaria em mudar o grupo que apoiaria, se necessário.

Na mente de Alexander, as consequências de cruzar Aron eram claras. O apoio financeiro de aproximadamente 60 milhões de dólares fornecido pelo bilionário era uma quantia relativamente insignificante para ele, como troco de bolso.

……

Simulação universal.

Aron não pôde deixar de rir de decepção ao ouvir a sugestão de que eles deveriam considerar traí-lo uma vez que eles tivessem conquistado o poder.

” As mentes humanas são verdadeiramente fracas”, Aron comentou com uma sacudida decepcionada de cabeça. “Parece que quando eles viram um plano realizável, um deles já havia contemplado me trair.” Seu tom carregava a história de sua decepção.

[Eu o deixei porque é difícil substituí-lo no momento e ele ainda é útil para nós. Podemos nos livrar dele depois de terminarmos a revolução], Nova respondeu, acariciando suavemente as costas de Aron como gesto de consolo.

“Eu estou ciente disso e já previ”, Aron comentou, reconhecendo a situação. “No entanto, há uma distinção notável entre esperar algo e testemunhar sua ocorrência real. O contraste entre a expectativa e a realidade pode ser bastante impactante.”

[É por isso que você se encarregou de lidar com o exército você mesmo?] Nova comentou brincalhona, ciente da tendência de Aron de planejar todas as possibilidades.

“Como você sabe, ao forçar os generais a assinar o contrato rúnico, eu ganharei o controle sobre o exército, permitindo-me assim assimilá-los e treiná-los como minhas próprias forças”, explicou Aron, seu tom cheio de um senso calculado de poder.

“Mas esse não é o único motivo. Como um homem sábio disse uma vez, ‘A imagem romântica das pessoas invadindo os portões e derrubando seu ditador é principalmente uma fantasia. Se você comanda uma ditadura mediana, as pessoas só invadem o palácio quando o exército permite.’

Ao manter o controle sobre o exército, posso supervisionar todo o processo e garantir uma transição suave de poder, ao mesmo tempo em que moldo a constituição para incluir as emendas que desejo e eliminar qualquer possibilidade de traição.” Um sorriso sinistro se espalhou pelo rosto de Aron, insinuando uma transformação dentro dele.

Nova, presente para testemunhar essa mudança, sentiu uma onda de alegria ao ver a evolução de Aron e a transformação gradual de sua mentalidade. Era um pequeno passo, mas representava progresso. Cada melhoria, por menor que fosse, trazia um senso de alívio e alegria para ela.

“Parece que chegou a hora de eu visitar Éden”, declarou Aron, oficializando sua jornada.


Comentários

5 1 voto
Avalie!
Se Inscrever
Notificar de
guest
1 Comentário
Mais recente
Mais Antigo Mais votado
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Aquele acima de tudo e todos
Membro
Aquele acima de tudo e todos
7 dias atrás

Só tá faltando uma coisinha, sabem qual ? Aron comer bem gostosinho a nova 😏😏

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar