Switch Mode
Servidor de Hospedagem do Site está passando por manutenção, pode ficar instável por algumas horas!!
Participe do nosso grupo no Telegram https://t.me/+hWBjSu3JuOE2NDQx

Julietta’s Dressup – Capítulo 279

Epílogo - Parte VIII

“Nós vamos. Sua Majestade nunca pode objetar quando a Imperatriz já se decidiu.” Seu senhor provavelmente foi derrotado antes mesmo da conversa começar. Oswald olhou para Killian brincando com seus dois filhos com olhos tristes.

* * * * *

Naquela época, porém, Julietta estava concluindo as duas tarefas ao mesmo tempo. “Molly, você tem cabelo castanho hoje? É uma peruca? Deve ser caro.”

Julietta sorriu ao ver o olhar invejoso da mulher com quem trabalhava. “Não é tão caro. Não é feito de cabelo. É uma peruca feita com o suco de plantas frãs em um fio fino.”

Ela sorriu ao pensar na oportunidade de fazer perucas artificiais.

* * * * *

Julietta se tornou versada em folhas e plantas de chá quando assumiu a sério o negócio de chá da família Kiellini. Nesse ínterim, ela descobriu que as flores Fran não rendiam nenhum lucro em comparação com seu trabalho árduo, porque demoravam muito para crescer. Então, ela começou a escrever uma carta pedindo-lhes que parassem de cultivá-las, mas decidiu olhar as flores em detalhes.

“Vossa Majestade Imperatriz, o chá que Sua Excelência o Marquês Rhodius lhe deu é flores secas de Fran. É um pouco amargo, mas é um ótimo chá para uma mulher.”

Julietta arregalou os olhos com as palavras de Vera. “Mesmo? Então deveria ser popular, mas toda vez que apenas uma pequena quantidade é vendida e o resto é descartado?”

“Acho que é porque as pessoas mais velhas sabem disso, mas os mais jovens não. Hoje em dia, eles apreciam o chá perfumado mais do que o que é bom para a saúde. Além disso, é caro. É difícil comprar, exceto para os aristocratas que procuram apenas os itens da melhor qualidade.”

Fran era uma planta muito delicada e, se estava muito quente ou muito frio, morria rapidamente. Era certo vendê-la por um preço alto porque não suportava ficar seca ou molhada. Além disso, os melhores produtos colhidos eram menos de dez por cento da colheita.

Julietta se perguntou como Vera sabia em detalhes. “Como você sabe tão bem?”

“Morei em Tília por mais de vinte anos. Como eu trabalhava para uma família no negócio do chá, ouvi muitas coisas”, respondeu Vera, brincando com Philip no chão.

“É uma pena que o relatório mostre que é a única planta vendida com exclusividade pela família Kiellini. Se abandonarmos o cultivo, eles não conseguirão obter o chá Fran, então devemos continuar a cultivá-lo mesmo se perdermos dinheiro? Fran não é usada em outro lugar? Por exemplo, se o colocarmos em um prato, terá um sabor melhor?”

“Como podemos colocar no prato se é amargo se fizermos chá? Ah, o suco do caule do fran é transparente. Aplicá-lo em móveis ou tecidos torna-o brilhante e forte. Então, foi útil na mansão de Tília.”

“Se o aplicarmos em um pano, ele é brilhante e durável?” Os olhos de Julietta brilharam como se algo tivesse surgido.

* * * * *

Poucos meses depois e depois de várias tentativas, Julietta mostrou sua peruca diante de Maribel e Vera. Usando uma peruca amarela tingida de flores, Julietta disse: “Como está? É uma peruca feita de linha. Parece cabelo humano de verdade, não é?”

As perucas atualmente vendidas no mercado hoje foram feitas de cabelo humano real. Eles eram difíceis de encontrar e o preço era muito alto, então Julietta continuou usando a peruca vermelha que ela usava desde que era jovem, que era dura como uma vassoura.

“Parece ótimo. Não é loira, mas bastante semelhante. Vai vender como bolos quentes assim que o oferecermos.”

Maribel respondeu, murmurando que ela nasceu com um talento para ganhar dinheiro.

Oitenta por cento da população tinha cabelos pretos ou castanhos. Uma peruca de cor diferente naturalmente se tornaria popular.

“Tenho que expor no Chartreu. Também farei uma fábrica que só produz perucas.”

Não seria uma fábrica mecânica que ela tinha visto nos tempos modernos, mas sim uma enorme oficina, mas Julietta decidiu chamar sua planejada oficina de fábrica. Como Chartreu, a divisão do trabalho precisava ser resolvida.

Ao contrário de outras lojas de vestir, Chartreu foi dividida em pessoas para padrões, costura e medição. Ela planejou fazer assim na fábrica de perucas.

* * * * *

Mais tempo se passou. Julietta saiu com uma peruca marrom entre as coloridas feitas para protótipos.

“Onde você comprou isso?” Os funcionários do café se reuniram em torno de Julietta.

“Eles estão vendendo no Chartreu.”

Com as palavras de Julietta, a equipe mostrou sua má vontade. “Oh, meu Deus, não é para onde pessoas como nós podem ir. Como você conseguiu isso?”

Julietta sorriu timidamente para o pessoal, que a olhou como se isso fosse repentino e inesperado. “Na verdade a minha tia trabalha no Chartreu e disse-me para experimentar antes de mostrarem a peruca. Talvez eles vendam em outro lugar em breve.”

Julietta inventou um bom motivo, pensando que era melhor se apressar e abrir sua loja de roupas prontas.

* * * * *

Meses após o primeiro teste da peruca artificial, uma loja de roupas chamada Fran abriu na Eloz Street em Austern.

Ao contrário da loja de roupas tradicionais, a loja vendia roupas já feitas, como uma loja de roupas em segunda mão no interior ou em áreas remotas. O que era diferente dos vestiários de segunda mão era que eles tinham tamanhos diferentes de roupas do mesmo desenho e só vendiam roupas novas.

Todas as roupas de Fran tinham pequenos remendos. Estavam bordados com o nome da loja de roupas e a palavra Chartreu.

Fran logo se tornou muito popular porque foi desenhado por Chartreu, o designer mais famoso do continente. As etiquetas nas roupas se tornaram uma marca cobiçada pelas pessoas, e as perucas feitas na França também vendiam como bolos quentes.

Quando Fran se tornou tão popular com o público, Julietta decidiu abrir filiais em Vicern e outros reinos. Ela pediu ao Duque de Oswald, que costumava viajar ao exterior para administrar a filial de Raefany’s, que encontrasse um lugar para abrir uma loja.

* * * * *

Algumas semanas depois, Oswald visitou o Castelo Imperial no início da manhã, depois de encontrar o lugar certo. Oswald, vestindo uma jaqueta amarela clara e calças roxas claras, tirou o chapéu enquanto segurava algo na mão.

“Uau, Vossa Graça o Duque!” Phoebe e Vera ficaram maravilhados ao ver Oswald.

O cabelo loiro colorido de Oswald estava coberto por uma peruca preta. A jaqueta amarela e as calças roxas pareciam mais bonitas do que pensaram.

“O que você acha? Eu pareço um eloziano?”

“O que é um eloziano?”

Quando Vera perguntou isso, Oswald segurou um copo de papel com uma das mãos e posou como modelo para um desfile de moda, com a outra nas costas. Por causa do desfile anual de Chartreu, tornou-se uma grande tendência imitar os movimentos das modelos.

“É um termo comum para jovens preocupados com as tendências. Se você for à rua Eloz, verá que todos são como eu”, respondeu Oswald, pegando o chá em um copo de papel segurado graciosamente em sua mão.

“Sua Majestade a Imperatriz ficará muito satisfeita em ver Vossa Graça. Vou deixá-la saber que você está aqui.”

Vera entrou e um momento depois Julietta saiu.

“Duque Oswald, bem-vindo. A peruca fica muito bem em você.” Julietta riu, olhando para o copo de papel que Oswald nunca largou.

“Qual é a sensação de beber chá enquanto você está andando e segurando-o?”

“É ótimo, especialmente quando estou ocupado. Mesmo que houvesse uma garrafa térmica mágica no vagão, era muito incômodo. Adoro a ideia de pedir chá em um café e tomá-lo na hora de sair, sem ter que preparar um serviço de chá muito ocupado.”

Ela sorriu, pensando que era uma surpresa. Ela achava que as bebidas embaladas nunca seriam populares entre os aristocratas que apreciavam seus refrescos com elegância. O produto era voltado para pessoas comuns, semi-nobres e aristocratas de classe baixa que trabalhavam no intervalo, mas foi inesperadamente popular entre os jovens nobres de alto escalão.

O número de pessoas que vem trabalhar com copos de papel foi aumentando gradativamente durante as reuniões de cada departamento, começando pela manhã, e aos poucos foi se tornando uma cultura. Os servos imperiais estavam ocupados preparando chá para os aposentos do nobre todas as manhãs, mas agora eles tinham algum tempo livre.

“O que você vai fazer para nos surpreender a seguir?” Oswald perguntou, como se estivesse ansioso por isso.

“Por enquanto, vou me concentrar em manter meu negócio atual e ser mãe.” Oswald tinha uma expressão pesarosa com as palavras de Julietta. “Então, há algo que quero que Vossa Graça, o Duque, cuide.”

“O que é?” perguntou Oswald, que bebia chá com ar taciturno.


Considere fazer uma Doação e contribua para que o site permaneça ativo, acesse a Página de Doação.

Comentários

0 0 votos
Avalie!
Se Inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar