Participe do nosso grupo no Telegram https://t.me/+hWBjSu3JuOE2NDQx
Considere fazer uma Doação e contribua para que o site permaneça ativo, acesse a Página de Doação.

Leveling With the Gods – Capítulo 162

Capítulo 162

[Colar das Gotas de Sangue]

# É um colar feito ao tecer gotas de sangue. Contém o desejo profundo de alguém.

# Protege o corpo do usuário.

# É possível salvar e usar três habilidades.

Não havia muita explicação sobre o item.

No entanto, qualquer um que visse o efeito com certeza o desejaria.

É um item que podia armazenar três habilidades.

Mas para Hércules, ele tinha um valor maior.

“Como você…?!”

Brrrr!

O chão se abriu com um terremoto.

Yuwon sentiu calafrios pela primeira vez em muito tempo por causa da raiva de Hércules.

Parecia que um punho podia voar na direção dele a qualquer momento.

‘Que desgraçado assustador.’

Ainda assim, aquela raiva não explodiria imediatamente.

Com o colar em mãos, Hércules ia primeiro querer saber como Yuwon o conseguira.

“Eu peguei.”

“Você pegou?”

Tuuuum!

A pressão aumentou no corpo de Yuwon.

A sensação era como estar sendo afundado no chão.

Ele pensou que seria melhor dar uma explicação o mais rápido possível.

“Para ser exato, eu o roubei.”

“De quem?”

“Ares.”

“Ares?”

“O colar estava com ele.”

O representante da guerra e da luta.

Como compartilhavam o mesmo pai, Hércules conhecia aquele nome.

Mas nunca chegara a conhecer o dono dele.

Ares não fez muito durante a Gigantomaquia e também não costumava se envolver em assuntos externos.

“Por que aquele cara…?”

“Por que mais seria?”

Yuwon acenou com a cabeça em direção ao colar.

“Verifique você mesmo.”

“…”

Hércules olhou para o colar em sua mão com o rosto inexpressivo.

Colar da Gota de Sangue.

A cor era de um vermelho sangrento, mas ao contrário do nome, era um colar muito lindo.

Hércules lembrava exatamente em qual pescoço esse colar costumava ficar.

 – Filho.

Shhhk-

Hércules não apertou com mais força porque estava com medo de quebrar.

Isso porque aquele não era só um colar, mas sim uma lembrança.

– Todo mundo vai tentar tirar vantagem de você.

A mãe de Hércules.

Imediatamente após dar a luz ao Hércules, Alcmena olhou para ele e disse:

– Sinto muito, filho. Por ter te dado a luz em um mundo tão difícil.

Um filho que nasceu com o destino errado.

Zeus abraçou Alcmena e a fez dar a luz ao Hércules, em seguida, ela abraçou Hércules e chorou.

Hércules.

Uma criança que herdou o sangue de Zeus e se tornaria o mais forte no futuro.

Portanto, a criança que teria um futuro infeliz.

O mundo, e acima de tudo o Olimpo, nunca deixariam Hércules ter paz.

– Mesmo assim, vou te pedir um favor.

Hércules lembrava-se claramente de tudo aquilo.

A voz de sua mãe chorando enquanto abraçava a ele, que era grande demais para um recém-nascido.

E, por incrível que parecesse, ele se via como uma criança recém-nascida e entendia tudo o que ela queria dizer.

– Por favor, seja uma boa pessoa que não usa sua força para o mal.

Shhhk…

Aquele era o colar que Alcmena usava no dia daquela conversa.

Ela tinha muito amor por aquele colar, mas nunca contou ao Hércules de quem o recebeu.

‘Ares estava com isso…’

Ares, filho de Zeus.

Por que ele estava com esse colar?

Com certeza era um item invejável. Itens que podem proteger o corpo e armazenar e usar habilidades não são comuns de se ver por aí.

Além disso, por ser um colar fácil de usar, era digno de ser cobiçado até pelos high rankers.

Mas isso não importava.

O problema era ‘por que’ o colar de sua mãe, que havia sido morta pelos gigantes, estava nas mãos dele.

Uma questão que precisava de respostas.

‘Talvez aquele cara tenha mentido.’

E muitas dúvidas.

Foi então que Hércules olhou para o Yuwon.

“Esse colar pode armazenar e usar três habilidades.”

Shiiiing!

Uma luz vermelha começou a irradiar do colar.

Os olhos de Hércules tremeram ligeiramente.

Uma mana familiar.

“Mas, infelizmente, apenas o usuário que salvou a habilidade pode usá-la.”

“Não me diga que…”

[A verificação de usuário foi concluída.]

[O usuário é ‘Hércules’, filho de ‘Alcmena’.]

[‘Memórias do Colar’ se inicia.]

Hwaaah!

Hércules foi envolvido em uma energia.

Não era uma energia particularmente forte ou difícil de se desvencilhar.

Mas Hércules não fez isso.

“Acho que a habilidade foi configurada para ser ativada automaticamente quando o colar fosse devolvido ao seu dono.”

Uma habilidade que era ativada no momento em que o colar era colocado na mão de Hércules.

O colar que pertencera à sua mãe, Alcmena.

Após alguns instantes…

A mana vermelho brilhante que irrompeu do colar engoliu Hércules.


Mesmo sempre tendo sido maior do que seus companheiros, ali havia um recém-nascido bem pequeno na frente dele.

Uma pequena mão cobre as costas da mão do bebê.

Hércules olhou para uma versão de si mesmo que ainda era incapaz de abrir os olhos direito.

‘Aquele sou eu?’

Era uma cena impressionante.

Ver a si mesmo tão pequeno.

Mas também veio com um sentimento estranho.

Alcmena era uma linda mulher de cabelos ruivos. Também era uma líder da guilda e uma ranker.

E, além de tudo isso, ela dera à luz um filho de Zeus, o rei do Olimpo.

Apesar de ter sido uma gravidez indesejada, ela ainda amava Hércules.

– Filho. Meu filho…

As emoções de Alcmena ao segurar Hércules nos braços eram facilmente entendidas.

Memórias do colar.

Uma habilidade capaz de transmitir até as emoções de Alcmena.

‘Mãe…’

O cenário mudou.

Hércules realmente crescera em um piscar de olhos.

Quando criança, ele sobreviveu a uma cobra enviada por Hera. Alcmena quase desmaiou ao ver Hércules apertando a cobra com uma das mãos.

Desde cedo, Hércules cresceu brigando com outras pessoas.

A cada briga, Alcmena se intrometia e o fazia se acalmar.

Vendo aquela reação da mãe, Hércules pensou que não deveria usar seus punhos de qualquer forma.

Quanto tempo se passara?

Hércules passou no tutorial e se tornou um belo jogador.

-Mãe, passei no teste! Minha nota também foi maior do que a do papai!

A primeira mensagem que recebeu do filho desde que ele ganhara o kit de jogador.

Alcmena sorriu ao olhar para ele.

Mas aquele sorriso tinha sido azedo.

– Ótimo! Esse é o meu filho.

E então ele se lembrou.

A primeira mensagem enviada para a Alcmena através do kit de jogador.

Na época, Hércules achou que ela estava orgulhosa por ele ter sido aprovado com uma ótima nota.

Mas não tinha sido o caso.

“Por quê…?”

A memória do colar exibia a imagem de Alcmena.

– Como foi o teste? Não foi difícil?

– E aí? Fez algum amigo?

– Ótimo. Mesmo assim, pare e descanse um pouco. Se tentar subir rápido demais, vai acabar caindo.

“Por que você estava chorando?”

Mensagens de texto trocadas tão casualmente.

Alcmena estava tremendo e chorando enquanto mandava as mensagens.

Ela rezava para que o fatídico momento nunca chegasse.

“Por quê…?”

Hércules tinha certeza que ela tinha ficado orgulhosa.

Ele pensou que ela ficaria feliz caso se tornasse um excelente ranker e trouxesse glória ao Olimpo, lutando para fazer a coisa certa.

Não era isso?

O colar continuou a refletir os momentos que Hércules nunca vira.

Depois de se tornar um ranker, ele visitou Alcmena, que o acolheu como sempre. Algum tempo depois, ele conheceu Zeus.

O grande rei do Olimpo, com cabelos dourados esvoaçantes.

– Hércules se tornou um ranker.

– Ele ainda é jovem para entrar na guerra.

Mesmo sendo só uma ranker, ela não se acovardou na frente de Zeus.

Zeus podia matá-la com um dedo, mas isso não impediu Alcmena de manter a cabeça erguida.

A mãe agora já se tornara muito mais fraca que o filho.

– A guerra ainda está longe. O ranking dele pode subir até lá. E vai subir em breve.

– Está mesmo pensando em transformar meu filho em uma arma de guerra?

– Antes de ser seu filho, ele é meu.

– Não.

Alcmena balançou a cabeça com confiança na frente do Rei do Olimpo.

– Não importa quanto do seu sangue flua nele, Hércules é meu filho.

– …Então tudo bem.

Zeus aceitou com mais facilidade do que ela imaginara.

– De qualquer forma, não importa de quem é o filho.

Para Alcmena aquele assunto era o mais importante que ela conseguia imaginar, mas Zeus não dava a mínima

Ele realmente não se importava de brigar pelo título da paternidade.

Zeus tinha vários filhos e era sabido que ele não demonstrava afeto por todos eles.

Mas…

‘Arma de guerra?’

Aquilo não era algo que ele pudesse ignorar.

Arma de guerra.

Não uma pessoa com vida, mas um item com objetivo.

A guerra tinha sido planejada há muito tempo. Zeus não via problemas em enviar os herdeiros do seu sangue, mesmo que crianças, para o campo de batalha.

No entanto, enviar uma criança para o campo de batalha e dar à luz a uma criança para enviá-la ao campo de batalha eram duas coisas completamente diferentes.

– Você ficou louco.

Zeus, que estava encarando seu reflexo da água no lago, olha para Alcmena, que falava com lâminas na voz.

– Eu fiquei louco?

– Isso mesmo. Você só o vê como uma arma, tal qual lanças, espadas e arcos, não é?

– Falando desse jeito, sim. Mas, é claro, ele é uma arma excelente que não pode ser comparada a nada do que você mencionou.

– Então você enlouqueceu mesmo. Como pode falar do seu próprio filho…?

– Tenho muitos filhos e filhas. E ainda mais mulheres que querem ter um filho meu.

– Seu…!

– Se for para destruir o teto desta torre…

O teto da torre.

Aquela era uma história que Hércules também crescera ouvindo.

Aquela torre possuía um teto que ninguém alcançara ainda.

– Posso criar um segundo e um terceiro Hércules.

“Hah…”

Ele deu uma alta gargalhada.

Sua vida tinha sido planejada por alguém.

Um filho nascido para ser usado na guerra. Alcmena sabia disso e já vinha tentando proteger Hércules há muito tempo.

Não use sua força para o mal.

Felizmente, Hércules era um filho bastante obediente.

Então tinha sido isso.

O motivo pelo qual sua mãe morreu.

Hup, hup, hup-

Dezenas de pessoas cercaram Alcmena.

Passo-

E então, alguém deu um passo à frente.

Um rosto que Hércules via pela primeira vez.

Mas nas memórias do colar, Alcmena claramente o conhecia.

– Ares.

O representante da guerra e da luta…

Não, naquela época ele era apenas um garoto que acabara de entrar nas fileiras de homens.

Claro, havia muitos rankers ali apoiados por Zeus.

– Você é Alcmena?

– Sim.

– Então acho que não há mais nada a ser dito.

Shaak, shaak-

Dezenas de rankers sacaram suas lanças e espadas.

Alcmena parecia já ter percebido o que estava prestes a acontecer, mas seu rosto estava calmo.

– A guerra vai começar?

– Sim.

– Isso é bem a cara do Zeus.

– Não toque no nome dele em vão.

– Agora que estou prestes a morrer, não posso nem falar o nome dele?

Alcmene deu um sorriso triste enquanto sentia o vento da floresta no rosto.

E então ela olhou para Ares, outro filho de Zeus.

– Qual Hércules você é? O segundo? Ou o terceiro?

– …

Ares não respondeu.

Ele conhecia bem sua realidade.

Mas achava que nada daquilo importava.

A fiel espada de Zeus.

Era por isso que Ares vivia.

– Abaixe a cabeça.

A ponta da espada de Ares estava apontada para Alcmena.

Range-

Os olhos de Hércules estavam vermelhos e seus dentes cerrados.

– Você morreu pelas mãos de um gigante.

Armas de guerra preparadas para a Gigantomaquia.

Os preparativos foram concluídos com a morte da mãe de Hércules, Alcmena.


Comentários

0 0 votos
Avalie!
Se Inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar