My Vampire System – Capítulo 151

Outro

Parado sozinho na seção de fantasia da biblioteca estava Erin e um garoto estranho conhecido como Fex. Erin ainda estava segurando a história de amor de vampiro na mão e seu rosto tinha ficado vermelho brilhante porque não conseguia acreditar que alguém tinha acabado de pegá-la lendo tal livro sujo.

‘Como eles poderiam descrever tais cenas íntimas desta forma estranha? Entretanto, o garoto na frente de mim parece ter alguma ideia do que é o livro. Poderia ser que o garoto está interessado no mesmo tipo de coisas?’ Ela pensou.

Querendo evitar mais constrangimento, Erin colocou o livro no local em que estava e começou a caminhar na direção do garoto.

Quando Fex viu ela caminhando na direção dele, o mesmo começou a morder os lábios. ‘Que pessoa de aparência gostosa,’ Fex pensou. ‘Parece que a mente da maioria dos humanos nesta escola é bem fraca.’

Erin continuou a caminhar com a cabeça abaixada e quando finalmente chegou perto o bastante, parou.

Fex começou a sorrir.

“Agora, por que você não levanta a sua cabeça para que eu possa dar outra olhada no seu lindo rosto?”

Erin levantou a cabeça, porém, correu para frente num instante, um tipo de espada de gelo estava se formando em sua mão direita. Usando seu antebraço, empurrou Fex contra a parede. A área começou a congelar e agora uma espada de gelo estava apontada bem no pescoço.

“Se disser a alguém sobre o que viu hoje, você está morto, entendeu?”

“O que há com esta garota, como você pode atacar alguém do nada assim?” Fex gritou.

Erin começou a congelar as mãos dele lentamente na parede para garantir que ele não pudesse retaliar.

Gradualmente, o gelo do antebraço de Erin começou a espalhar e congelar o pescoço de Fex.

“Olha, não quero causar nenhum problema.” Ele disse.

Erin olhou cuidadosamente, notando todas as feições que ele tinha: “Bom, me lembrarei de você, e se alguém descobrir sobre o que você viu hoje, vou te achar,” Erin disse enquanto afastava a espada de gelo. Ela então começou a caminhar para a saída, deixando Fex nesta situação em que o gelo ainda o confinava na parede.

“Espera!” Ele gritou: “Você não vai me soltar?”

Erin continuou caminhando para o centro da biblioteca. Sem se virar, ela disse: “É apenas um lembrete do que pode acontecer se não me ouvir.”

Eventualmente, Erin saiu da biblioteca. As outras pessoas que estavam perto foram olhar para a comoção no corredor, se perguntando o que estava acontecendo. Contudo, tudo que podiam ver era um garoto preso na parede.

Algumas risadas e zombarias ressoaram porque não era a primeira vez que viram algo assim. Afinal de contas, alguns garotos corajosos entre os estudantes do primeiro ano que tentaram confessar seu “amor” a Erin acabaram na mesma situação.

Mas ela odiava quando as pessoas perdiam seu tempo. Eles sempre pediriam para se encontrarem em um lugar quieto ou secreto, e Erin sempre pensava que era para algo importante, porém, era a mesma coisa toda vez. Eles confessariam seu “amor” para Erin e pediriam para sair num encontro, a resposta normal que ela daria era prender estes, em seus próprios olhos, interesses amorosos na parede.

Ela muitas vezes os deixaria congelados até o gelo derreter. Ela fez isto como um aviso para outros pretendentes no futuro. Lentamente, as pessoas começaram a entender a mensagem e pararam de se aproximar dela, então, fazia um tempo desde que os outros estudantes viram tal coisa.

Depois de uma zombaria, a maioria dos estudantes continuaram com o que estavam fazendo, voltando a ler livros ou conversar na biblioteca.

Enquanto ninguém estava olhando, Fex usou sua força e libertou os braços do gelo. Ele então usou as mãos para rachar o gelo que estava em volta do pescoço.

“Alguém já foi capaz de resistir ao meu charme?” Fex disse: “Bem, isso só me faz querer ainda mais ir atrás dela. Vou me lembrar de você, garota do gelo. Talvez este lugar não seja tão ruim, afinal de contas.”

…..

O plano original de Fex era viajar e explorar o mundo humano para vivenciar todas as coisas que seu avô lhe disse, mas seus planos foram impedidos bem rápido quando foi pego. Quando acordou, ele estava na frente do General Nathan.

Ele explicou o que aconteceu e porque foi trazido – Como ele tinha se tornado suspeito de evasão. Porém, Nathan disse que contanto que ele contatasse os guardiões, informasse e mostrasse a prova de sua idade, eles o libertariam.

Mas esta não era uma opção para Fex. Ele estava mais assustado com seu pai e os outros que dos humanos. Se fosse encontrado agora, ele não conseguia imaginar as coisas horríveis que seu pai faria. Além disso, esta era sua única chance para experienciar como era a vida como um humano.

Quando Fex pensou em como todas as coisas estavam indo bem, Nathan fez uma pergunta difícil de responder.

“Bem, já que afirma que não tem pais ou parentes, há apenas uma coisa que preciso que faça. Preencha este formulário e poderemos começar suas aulas assim que possível.” Nathan disse.

Um display digital então apareceu na frente de Fex com um pequeno teclado digital. Perguntava pelos detalhes básicos tais como nome e data de nascimento. Para as duas coisas, Fex não usou sua informação real, mas então, houve uma pergunta que o fez pausar.

Perguntava qual o tipo de habilidade que ele tinha. Para esta pergunta, ele tinha um plano.

Depois de checar os detalhes e ver a habilidade de Fex, não havia mais trabalho a ser feito. Um relógio de pulso foi dado a Fex antes do mesmo sair. O display no dispositivo exibia o número 1.

Depois de ver isto, Nathan não teve mais nenhum interesse nele. Ele deixaria o trabalho de olheiro para Duke, onde o seduziria com livros de habilidade de alto nível. O método inteiro que Duke usou realmente não se encaixava bem com Nathan, mas ele sabia que a base tinha uma cota a atingir.

Não sabendo o que fazer, e não conhecendo ninguém na base, Fex decidiu ir à biblioteca para se atualizar dos eventos atuais. Entretanto, após entrar na biblioteca, ficou distraído, pois se perguntou o que as pessoas da Terra pensavam sobre vampiros. Ele se perguntou se eles tinham alguma informação.

Isto o levou ao seu primeiro encontro de verdade com outro estudante, Erin, o resto da história que se seguiu acabou com ele congelado na parede.

Depois de procurar por alguns livros sobre vampiros, rapidamente percebeu que era apenas um monte de besteira. Eles não aprenderam muito sobre como vampiros realmente operavam, o que significava que Fex tinha que ser ainda mais cauteloso para não revelar seus segredos.

Enquanto saía da biblioteca, não tinha certeza do que fazer, assim, então decidiu que só iria para seu quarto no dormitório. Enquanto caminhava pelo corredor em direção a escadaria, um aluno passou correndo por ele. Quando este estudante passou, Fex captou o cheiro familiar com o nariz que estava registrado em sua mente.

Levou um tempo para descobrir que cheiro era, mas quando reconheceu, percebeu porque era muito familiar, pois era o cheiro de outro vampiro. Contudo, percebeu tarde demais, assim, quando virou a cabeça, o estudante já tinha sumido.

‘Isto é interessante, me pergunto a qual família ele pertence. O que diabos ele está fazendo nesta base?’ Fex pensou.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar